Vitória

Várias teorias surgem após uma derrota, rx mas após uma vitória elas também podem se fazer presentes. Vamos a elas.

O GRÊMIO não pode depender do Barcos para nada. Nem para marcar, nem para articular, nem para passar… O rapaz não tem a menor condição de ser jogador de futebol, que dirá titular do GRÊMIO. O time naufraga com ele em campo! Ele é o um a menos. O GRÊMIO tem por obrigação vendê-lo o fim do ano. Venda para o Pablo “que disse” para o Koff comprá-lo… Enfim, chega! Se o Renato não consegue comandar o Barcos no vestiário, que o presidente comande o técnico. Eu queria ver se fosse o Leandro no lugar do Barcos ou do Kleber…. Ia ter muita gente boa caçando o guri com paus e pedras pela cidade. Vai vendo!

Sobre o Zé Roberto: eu não sei o que aplaudem? O sujeito não acrescenta nada ao meio, nem a defesa, nem ao ataque. No primeiro tempo, para variar, o nome dele não foi dito pelo narrador nenhuma vez. O Zé Roberto, não é mau atleta, não é mau profissional e nem mau jogador, só não contribui em nada.

A Arena? Continua vazia! Por favor, ainda não perceberam que o tal público “dazelite” não existe! O que acontece na Arena hoje mostra que foi um projeto mal planejado, mal executado e agora está sendo mal gerido! O estádio não se tornou, e se permanecer com essa administração nunca se tornará, um caldeirão. A Arena – não só a nossa, todas – é um exemplo de que essa visão de futebol elitista é um equívoco sem fim. As direções, tanto do GRÊMIO quanto dos outros clubes do Brasil, precisam perceber que pessoas com o poder aquisitivo delas são exceção e não regra no futebol. A massa, que sustenta o futebol é exatamente como a massa que sustenta os bancos, ou alguém acha que quem dá dinheiro para os bancos são os ricos empresários?? Acordem! Esse projeto já não deu certo! Ao menos para os clubes… mas vá saber a quem isso tudo interessa.

No mais, a torcida podia dar um crédito para o Renato. O cara pegou um time que estava completamente desorganizado – é só ver onde o Luxerlei colocou o Fluminense – e deu um padrão de jogo. Ora, não temos atacantes e não temos meio campo! Acredito que é preciso entender que o Maxi, apesar de ser craque, deve entrar só no meio dos jogos. Se tu fosses o Renato que time tu montarias? E não vale colocar o Barcos, o Kleber, o Zé Roberto e o Elano porque não estão jogando absolutamente nada! E, claro, muito menos o Vargas que quase nunca está no Brasil.

O texto está uma salada de ideias, mas acredito que dê para entender. Ou não.

Anderson Kegler

Sempre Imortal, o blog da torcida GREMISTA!

Participe da discussão

32 comentários

  1. Sobre o Maxi. Ele foi titular contra o Cruzeiro, não rendeu e, acertadamente, Renato sacou do time para ir colocando aos poucos. Veio o problema dos estrangeiros. Os entendidos e a IVI só falavam em Vargas como titular. Além disso Riveros estava bem no nosso meio e Barcos ainda fazia um golzinho aqui outro ali. Sem contar q estávamos ganhando todas, imagina a festa Renato não deixar algum deles nem no banco pra colocar o uruguaio. Tivemos então convocações. As oportunidades pro Maxi foram aparecendo. Renato foi largando aos poucos e o futebol do guri crescendo até fazer o que fez ontem. Portaluppi deu uma aula de como ir colocando um jovem gradativamente, fazendo seu futebol crescer e cuidando pra não queimá-lo com os fritadores de piazada da torcida. Mas para muitos Renato é um burro que não entende nada de futebol.

  2. Público pra ver esse time murrinha contra os reservas do fla, na gloriosa disputa por mais uma vaga na LA? Se fosse no olimpico iam ir 5 mil e olhe lá.

    Mas aqui a arena é a vilã preferida…

    E sobre o maxi, não tem perdão o renato, porque o mamute entra sempre e está menos pronto. O maxi é titular, tira o barcos e coloca ele. E tira um desses vilantes inúteis e coloque o vargas.

    Zé e elano pode antecipar as férias…

  3. Cuia:

    Explica o jogo no paraná. O maxi nem entrou.

    O maxi é o novo fujão. Lembra que o fujão não jogava porque precisava tomar café?

  4. Pq não esquecem o Barcos e resolvam criticar o Kleber “Gluteador”? Se o Barcos erra gols, ao menos tenta! Corre, marca, até arma jogadas as vezes, faz justamente o papel de movimentação que o Gluteador deveria fazer, mas não, vive com a bunda no chão!!!
    Claro que o Zé Roberto não é a salvação, mas ainda é uma das melhores opções. Não é à toa que o time venceu as duas últimas que ele esteve em campo!
    Saudades dos antigos esquemas com 2 zagueiro, dois laterais, dois volantes, dois meias, dois atacantes e um só goleiro… ontem foi marcarmos um gol para o Renato já fazer sinal para o time diminuir o ritmo e foi aquele sufoco que vimos outra vez!

  5. 2014, não contratem ninguem:
    só deixar jogar:

    DIDA …
    TINGA, Bressan, Rhodolfo e Alex Telles;
    Souza, Riveros, Ramiro e MAXI ;
    IURI MAMUTE e Barcos

    podem vender o Bressan ( subs Saimon ) Werley ( se alguem quiser ) Alex Telles ( subs. Wesley ) e encaminhem ao INSS ZéRoberto ( Capitçao-Fracasso ) e Elano.

    e a turma do ZéRoberto Lonely Hearts que o clube providencie um Depto de Ballet prá satisfazer a turma

  6. João Luiz:

    Também sou defensor do Maxi e acho que o Renato poderia ter usado ele mais vezes…inclusive já escrevi aqui que a pouca utilização do uruguaio e a demora nas trocas eram as principais coisas q eu discordava do Renato. No jogo contra o Atlético ele poderia ter entrado, mesmo que corresse o risco de desandar junto com a fraca atuação da equipe e com isso se tornasse mais um jovem fritado. Ali Renato errou. Mas no geral ele vem acertando na forma de largar o Maxi e as pesadas críticas da torcida, como se ele estivesse fazendo tudo errado em relação ao guri, não se justificam. Além disso, hoje todo mundo fala que o Maxi deveria ter jogado lá no Paraná, mas naquela época lembro que os principais nomes citados pela torcida pra serem os titulares e q resolveriam nossos problemas eram Elano e Zé.

  7. Cuia:

    Eu nunca achei que o zé ou elano deveriam ter jogado no paraná, e sim o maxi.

    E acho que o renato faz com ele o que fez com o mario fujão.

    Por que ele não lança o mamute aos poucos? Ou o alex “não sei cruzar” telles?

    Agora que o ano acabou pouco importa acertar ou não.

    Mas não dá bola, eu tô brabo por mais um ano perdido. Ano que vem tem mais!

  8. O importante é vencer e se classificar para libertadores.O Zé é do tipo douglas, aqui não dá. Para dar certo no Gremio é preciso abrir o adversário no meio, a torcida vai a loucura. Por isso estamos com um meio de campo carregado de trombada, quando vemos algo diferente achamos é craque. Máximo lopes precisa ainda de trabalho, já tem o suficiente para jogar time Gremio.

    Arena, aos poucos vai se adeguar as exigencias da torcida, ainda é cedo para tirar conclusões. Muita agua vai rolar por baixo desta ponta.

  9. O Ramiro, que foi lançado pelo Renato, não precisou entrar aos poucos.
    Gente, não tem desculpa, quanto mais o Renato tenta justificar, mais ele se afunda.
    Se o time estivesse jogando bem e com uma boa opção de meia até entenderia. Mas o Grêmio não joga nada desde o início do 2º turno!!
    Ontem chegou a ficar chato pro Renato, Maxi simplesmente acabou com o jogo. E agora, Vargas vai ficar fora do banco?
    Vai mexer no esquema e tirar o Riveros do banco?
    Maxi não pode ser depois de ontem.
    Ou vai ter coragem pra tirar o Barcos?

  10. Anderson, quase sempre apoio tuas postagens, mas o momento é imprório para esta. É valida as postagens aqui, mas quem sabe esperem terminar o brasileirão, e aí sim, vamos nos posicionar a vontade. Nos posicionarmos neste momento é fazer o jogo dos inimigos.

  11. #BarrigaDeCadela não marcava porque era craque? O Maxi é muito mais craque que o #BarrigaDeCadela foi a vida toda.

  12. acho exagero falar que é craque, mas o Maxi é um bom jogador, está acima da média do Grêmio tecnicamente.
    Sabe chutar, driblar e é vertical. Acaba errando passes justamente pq tenta o diferente nas jogadas. Ao contrário do resto que vem jogando, que só toca pra trás e pro lado.

    Definir a marcação como pré requisito para um jogador assim é um exagero ainda maior.
    O mesmo vale pro Barcos, que já incorporou o discurso de que deve marcar. Luxa e Renato estão acabando com ele insistindo nessa posição recuada. Deveriam ter uma aula com o verdadeiro mestre Felipão sobre como consagrar um centroavante!!!

  13. Essa mídia esportiva ta muito forte: primeiro anunciaram que Zé Roberto é o craque armador e seria titular absoluto. A torcida concorda e repete sem nem pensar duas vezes.
    Depois falam que Maxi está pronto e é titular absoluto: de novo, a torcida repete e ainda chama o Renato de burro.

    Maxi tem muita qualidade e com certeza será craque no futuro. Não adianta queimar etapas como fizeram com tantos outros jogadores da nossa base que a nossa torcida vaiou incessantemente. Maxi ainda não está pronto. Não tem físico para aguentar um jogo inteiro e não marca nunca. Sua disciplina tática ainda precisa melhorar muito.

    E não venham dizer que o Douglas também não marcava. Futebol moderno não existe mais isso. Todos tem que marcar e o Maxi ainda não consegue fazer isso, mas com certeza ele está trabalhando pra conseguir isso. A evolução dele foi enorme do que como ele se apresentou no início do ano, e só tende a melhorar.

  14. Se o Maxi jogar o que jogou em 80% dos jogos, pra mim, não precisa nem marcar.

    Se ele for jogador decisivo, matador, dribrador, que faça isso e deixe os demais da função de marcar fazer isso.

    Fazia tempo que um jogador não acabava com um jogo a nosso favor. Alguém se lembra da última vez ???

  15. talvez o Barcos possa ser um excelente zagueiro, afinal na nossa área ele sempre cabeceia e pula mais alto que o atacante e quando é no nosso ataque, quase nunca sai do lugar.
    Zé Roberto e Kleber quase nada acrescentaram, Pará sempre mais ou menos, a zaga foi bem, “Sir” Rodolpho maravilhoso, A. Telles foi bem, Ramiro e Riveros mesma coisa, o de sempre. O Dida foi bem, mas eu fiquei com a sensação de que ele poderia ter ao menos corrido para tentar pegar aquela bola.
    Se é para pagar algum salário milionário, mil vezes o Renato. Ele não erra mais que outros tantos por aí e afinal, estamos em segundo lugar. Aos trancos, mas no segundo lugar! Montando um time melhor, a tendência é jogar melhor também.

  16. pronto está o Barcos, 21 jogos (returno Brasileiro e CB) e 2 gols.
    Média 0,10 gols/jogo.
    Ou Kleber, 18 jogos (returno e CB) e ZERO gols.

    Maxi não jogou nenhuma partida completa, entra sempre na obrigação. Entrou em 6 jogos no returno do Brasileiro e 1 na CB.
    – assistência gol Paulinho (Náutico)
    – gol (Criciúma)
    – assistência gol Barcos (Corinthians)
    – 2 gols (Flamengo)

    3 gols em 7 jogos, média de 0,42.

    Realmente, melhor deixar o time como está e esperar pra 2014…

  17. no 1º turno:
    Maxi entrou em 8 jogos, 1 assistência pro Barcos (Atlético-PR) e 1 gol (Bahia).

    Barcos: 18 jogos, 6 gols, 0,33 de média
    Kléber: 18 jogos, 5 gols, 0,27 de média
    Maxi: 8 jogos, 1 gol, 0,12 de média

    TOTAL (Brasileiro e CB):
    Barcos: 39 jogos, 8 gols, 0,20 de média
    Kléber: 36 jogos, 5 gols, 0,13 de média
    Maxi: 14 jogos, 4 gols, 0,28 de média

    Maxi repete o caso Bertoglio, que tinha melhor média de gols entre os atacantes mas não jogava. Também não estava pronto na época…
    Atacante pra jogar no Grêmio não pode fazer gol e deve marcar antes de qualquer coisa.
    Querem me enlouquecer!

  18. Larguei. O maxi pra alguns não tá pronto, só porque o renato assim o disse.

    Se o renato mandar pular da ponte vocês pulam também?

    Pronto tá o pará, o mamute, o alex telles, o barcos, o kleber. Ou seja, quem joga mal tá pronto pra jogar nesse time de bosta.

    Quem é bom tem que esperar!

  19. João Luiz:

    Tranquilo, cara…quando falei que contra o Atlético a torcida pedia Zé e Elano não estava me referindo a ti e sim a grande parte (ou maioria) dos gremistas. Acompanho teus comentários e pelo que vejo tu é um cara que concorda com a não titularidade deles. Além disso, muitas das tuas ideias sobre time e jogadores vão de acordo com o que eu penso. De qualquer maneira, como diz o Kegler: vida longa ao contraditório.

  20. essa de que o Maxi não tem condições físicas eu não aceito.
    Se qq jogador não pode jogar 90 minutos então não pode estar no banco.
    A partir do momento que está a disposição pra jogar essa desculpa não serve.
    O cara já está há mais de 5 meses no Grêmio e querem me aplicar que não pode jogar 90 minutos, com 23 anos!!!

  21. Não acho que o Maxi seja o salvador da pátria e que é um craque completo, mas não vou brigar contra os números.
    Ele tem todo o direito de ter uma sequência agora, começando como titular e finalmente jogar uma partida completa.
    Ainda vai oscilar muito na carreira, mas fez por merecer esse novo patamar de jogador titular.
    Seria uma injustiça enorme o Renato proceder de outra forma, mas quem sou pra discordar desses treinadores né.

    Enfim, o fato é que o Grêmio precisa de 6 pontos em 9 pra se garantir e, considerando que a Portuguesa fará uma guerra na última rodada devido ao jogo do 1º turno, a nossa chance passa por Campinas no próximo domingo.
    Renato não tem mais margem pra erro.

  22. Maxi tem sido, no pouco tempo que entra em campo, a melhor coisa que surgiu no Grêmio nos últimos anos. A diferença para os outros: joga futebol de verdade. Tem 23 anos e veio do Uruguai. Só falta vir alguém aqui e dizer que lá não se joga futebol competitivo. Há contradição nas alegações de Renato, justo ele que não marcava ninguém. Quem o viu jogar sabe do que estou falando.
    O problema é que Renato está comprometido com o “grupo” e esse, para mim, é seu único erro até agora. Se por um lado tem os jogadores na mão, em contrapartida, se sente na obrigação de mantê-los na equipe, mesmo quando pouco ou quase nada produzem em campo. Acho até que se sente constrangido em fazer as mudanças durante os jogos, uma vez que expõe o jogador à sanha da torcida.
    Afora isso, compreendo sua obsessão por três volantes, pois conhece como ninguém o material humano que tem na mão e não leva muita fé na qualidade dos mesmos. Assim sendo, povoa o meio de campo, a fim de compensar esta falta de qualidade. As consequências todos nós sabemos. Com todo mundo marcando, não sobra ninguém para chutar em gol.
    Quando um jogador aparece com vocação ofensiva e,de qualidade, cria um ambiente de disputa no grupo e nem todos os boleiros sabem lidar com a perspectiva de perder seu espaço.
    Renato foi do ramo e sabe que tem que ter muito tato para sacar um “medalhão”. É como mexer num abelheiro: nunca se sabe o que pode acontecer…

  23. Quem vai ser burro de sair de casa para ver essa coisa que chamam de time jogar contra os reservas do Flamengo? O time é um amontoado de cabeças de bagre e a culpa é da administração da Arena…

  24. Darcílio
    Concordo demais contigo. Tu mostras muito conhecimento sobre o Grêmio. Com excessão de uma coisa. Não foi apenas por causa dos medalhões que o Renato não usou o Maxi. O Lucas e o mamute não são medalhões.
    Eu já vinha me queixando do pouco aproveitamento do Maxi, há muitas semanas. Mas vinha considerando bom o trabalho do Renato no geral.
    A bronca que me deu mesmo, foi contra o CAP lá no Paraná. O cara perde os três atacantes titulares, dois deles estrangeiros, e não usa o Maxi. Prá mim deu. Burrice demais! O Renato anda perdido, isto sim.
    Achou o time quando por sorte os três do meio se machucaram juntos. Improvisou bem e deu certo. Depois teve um jogo que não tinha zagueiros para fazer o 3-5-2 e improvisou o 4-3-3. Funcionou bem. OK. Mas quando a máquina emperrou ele se perdeu. O Renato está é perdido. Quero um técnico melhor para 2014

  25. Já sei. Tem gente que sente falta dos banheiros fedendo à mijo, das arquibancadas de concreto deterioradas e incômodas, das infiltrações, das precárias condições dos bares, dos corredores e escadas intransitáveis em dias de grandes jogos, etc, etc. Mas, era o Olímpico, palco de nossas maiores vitórias, e, também, de grandes tristezas e escândalos.
    Temos a tendência de elogiar o que nos agrada e esquecer o contrário.
    É difícil aceitar o novo, a modernidade, quando o saudosismo é mais forte que a razão.
    Se a Arena ainda não aconteceu como devia, não é por ser um estádio de 1º mundo, mas, sim, por ter uma administração de 3º mundo. Os problemas de acabamento e de gerenciamento vão ser ajustados com o andar da carruagem, tenho certeza.
    Mas, a fidelidade do torcedor está na razão direta do valor dos ingressos. Preços abusivos e fora do alcance da grande maioria da torcida tendem a diminuir de maneira drástica a assiduidade aos jogos, principalmente em partidas sem nenhum atrativo.
    O Olímpico está sendo demolido, gradativamente.
    É bom ir se acostumando com isso, pois é algo irreversível.
    Ao contrário do presidente, acho que a a Arena é nossa, sim.
    Mas, é preciso ter a mesma paciência que temos com um filho recém nascido. Temos que ajudá-la nos primeiros anos de vida para que tenha uma vida longa e saudável. Ajustá-la, aos poucos, à nossa maneira de ser. É isso que está faltando.

  26. Para complementar meu post anterior: a Geral, apesar das restrições impostas pelos órgãos de segurança e pela administração da Arena, está conseguindo superar a adversidade e já volta a mostrar toda sua “velha” força, dando um colorido todo especial aos jogos na Arena. Aos poucos, vai motivando e levando no embalo toda a torcida com seus cantos e gritos de guerra.
    A Arena é linda é majestosa, é sensacional, mas é um monumento de concreto e aço. Nela está faltando apenas a “alma” tricolor, e isso, só nós, torcedores, podemos dar.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.