Vitória do Grêmio

Nem o mais otimista dos torcedores gremistas esperava um domingo épico como foi o de ontem. Praticamente foram sentidas todas as emoções misturadas em um único jogo de futebol, health onde tivemos o momento de ódio, de raiva, descontado nos xingamentos e vaias, longas vaias ao eterno $ Pilantra $, momentos de frustração após estarmos perdendo de 2 a 0, tivemos  momentos de esperança quando André Lima diminuiu o placar e sentimos raiva quando Celso Roth botou em campo mais um volante no intervalo. A sensação de alívio veio com o empate, porque ali soubemos que não íamos perder, e a euforia com o golaço de Douglas e a virada no placar. Mas foi na BUCHA do Miralles que a torcida gremista finalmente EXPURGOU o mercenár10 da nossa história e das nossas vidas. A frase dita por ele na saída de jogo – “Para quem está acostumado com o Flamengo, isso não é barulho” – ACUSOU O GOLPE. Ele sentiu o que todos queríamos que sentisse, sentiu da pior maneira possível e todos saímos felizes, menos ele, ainda bem.

Não preciso nem relatar o que foi o jogo, porque o que importou no jogo de ontem foi a vitória pessoal que o Grêmio obteve sobre o $ Pilantra $, da maneira mais afudê que poderia ter sido, e isso somente foi possível porque os jogadores compraram a ideia de vitória, mesmo que no primeiro tempo a pressão tenha exercido um fator negativo. Roth, talvez empregnado pelo espírito vencedor do Grêmio, fez substituições acertadas e corrigiu a equipe no intervalo fazendo com o que o time amassasse o adversário de forma inapelável.

Quando a vitória já estava garantida após o golaço de Miralles, deu gosto de ver o $ Pilantra $ querendo, sem sucesso algo, resolver o jogo, indo aos trancos e barrancos buscando por um fio que resta de seu talento, sorte melhor. E deu gosto de ver a torcida do Grêmio “homenageando-o” de forma constrangedora e vibrando euforicamente uma linda vitória.

Vitória da dignidade, vitória da honra, do gremismo com raça, técnica, luta e coletividade, vitória que nenhum dinheiro irá comprar. Vitória do Grêmio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.