VICTOR É DO GRÊMIO

Após a grande repercussão nos diversos blogs e sites tricolores que a notícia sobre uma possível venda do arqueiro Victor causou, remedy o Grêmio postou uma nota de esclarecimento em seu site oficial.

Esclarecimento sobre notícia de suposta venda 

O Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense vem a público esclarecer e informar ao seu torcedor sobre as questões envolvendo a suposta venda do goleiro Victor, ambulance notícia essa que foi divulgada pela imprensa nesta sexta-feira.

O Grêmio deixa claro que não recebe empresários em dias de jogos, independentemente dos locais onde as partidas sejam disputadas. Sendo assim, ninguém foi recebido no hotel onde a delegação gremista ficou hospedada em Sorocaba, por ocasião da partida contra o Votoraty pela Copa do Brasil.

Além disso, o Grêmio ressalta que não existe nenhum interesse na venda do goleiro Victor neste momento em que o clube disputa competições tão importantes como a Copa do Brasil e o Campeonato Gaúcho.

Participe da discussão

12 comentários

  1. Isso já me deixa um pouco menos com o pé atras e mais feliz.
    Porém, não chegou a desmentir toda a notícia, apenas que não houve o encontro com o empresário, logo, deixando claro que pela o Grêmio não quer vender enquanto joga a Copa do Brasil e o Campeonato gaúcho.
    Então, isso teria fim em agosto na janela de transferência européia, desencadiando uma venda mais do que certa e concreta.

  2. Essa última frase foi reveladora…
    “Além disso, o Grêmio ressalta que não existe nenhum interesse na venda do goleiro Victor NESTE MOMENTO em que o clube disputa competições tão importantes como a Copa do Brasil e o Campeonato Gaúcho.”

    Como disse o Luiz Gustavo, a Copa do Brasil termina antes. Entonces, adiós…
    Abraçoss

  3. Andre Peixoto, eu estava exatamente copiando essa parte da nota e me preparando para o “ctrl+v” aqui pra falar sobre isso.

    Acho que a vaca foi pro brejo… E por 5 milhões de euros.

    Réver 2.

    Bah!

  4. Olha… Pode parecer bobagem, mas praticamente perdi o sono pensando nisso.

    O SPFC possui embaixadores na Europa. Faz marketing de exposição da sua marca na China. Conta com um caixa bem maior do que o do Grêmio. Logo, o seu poder de barganha é muito maior do que o nosso.

    Contudo, assim como o T.A. divulga aos quatro ventos, o SPFC me faz duvidar muito dos valores que divulga. Com Denilson e Kaká, foi verdade. O T.A. com Nilmar, idem. Mas acho que pára por aí.

    Naturalmente, mesmo vendendo um pouco melhor (repito: duvido que a diferença seja tão grande – ainda mais no caso do Breno, com 17-18 anos e para o Bayern, sendo que a Alemanha tem muito menos $ do que Inglaterra e Espanha), o discurso do “campo de distorção da realidade” (tudo o que é meu é mais fantástico do que o dos outros) é brilhantemente bem executado – a exemplo de outro clube aqui de POA, cuja sede fica a cerca de 2 Km do Olímpico.

    Em princípio, me parece que a maioria dos agentes para os quais o Grêmio infelizmente crê ser obrigado a submeter-se a partir de uma relação de dependência é um bando de picaretas.

    Porém, é uma rede de picaretas interligada: se cortarmos os laços com um, vários outros que poderiam ser mais úteis em termos de indicações e menos sanguessugas naturalmente ficariam de fora.

    Os bons agentes, que são aqueles para quem investir em um guri não é sinônimo de fazê-lo assinar um pacto com o diabo, possuem poucos jogadores, porém, na sua maioria bastante caros para os padrões do Grêmio.

    Um Meira não poderia ser nem sub-síndico de prédio. O conheço pouco e sei que o Duda tem abraçado todas por ele (provavelmente um erro irrecuperável sobretudo em termos eleitorais). Porém, ele não tem claro para si o que significa uma “quebra de hierarquia”. Além disso, o tipo de negociação que ele realiza pouco se difere do que faria (com todo o respeito a quem é) um dono de bolicho.

    Vejamos: mesmo que esteja dando certo no Grêmio e que não fosse aceitável ficar sem Souza em meio à Libertadores, em uma situação ideal um clube grande JAMAIS adquiriria integralmente os direitos federativos de um jogador sem vida na Seleção ou em grandes clubes do exterior acima dos 25 anos. Senão, o investimento não terá valor de revenda, pois a Europa não pega ninguém com mais de 27 anos.

    Não se paga a um Maxi, a um Jonas nem a um Gordo Roca o que se tem pagado. Mas se a direção não o faz, a gente reclama que não tem time ou que eles não sabem prospectar o mercado. Diria o óbvio: se há categorias de base com um trabalho sério e criterioso, não se gasta com o medíocre. Afinal de contas, dificilmente um guri poderá oferecer menos. Mas aí a mente pequena do dirigente, a mídia canalha e a torcida meramente passional montariam num porco. Aí, surgem outras preocupações, como estádio vazio e menor número de sócios.

    Com isso, voltamos a Victor: ele vai fazer 26 em 2010. O Petr Cech hoje está com 27 e foi com apenas 22 para o Chelsea, negociado pelo Rennes da França por 10 milhões de euros. O Rennes foi o terceiro clube do goleiro. Depois dele, vários jogadores saíram direto da República Tcheca por valores entre 5 e 10 milhões. Em termos de negociação Europa-Europa, esse valor é irrisório – tanto o é que não há nenhum clube tcheco com presença frequente nas principais competições da UEFA.

    Júlio César foi do Flamengo para o Chievo (emprestado pela Internazionale por uma temporada) aos 25 anos, por um valor praticamente igual à esses supostos 5 milhões de euros por Victor.

    O Flamengo está no olho do furacão (mídia, dinheiro, cidade conhecida no mundo inteiro, clube de maior torcida). JC foi campeão mundial Sub-17 pela Seleção e foi terceiro goleiro na Copa de 2002. Dá pra dizer que o Flamengo também é trouxa se partirmos do pressuposto de que o Grêmio é trouxa?!

    Bem… Já falei do custo Riquelme ao Boca. Meu sonho (e o de muitos aqui) seria o de casar 400 paus para o Victor por 5 anos e dar a ele um papel de embaixador, por ser craque, salvador e politicamente correto. Um exemplo para as crianças. Um ímã para novos torcedores. Depois, aumenta p/600 e oferece-se um novo contrato de 5 anos e uma preferência para que ele seja um executivo do clube ao encerrar a carreira.

    Porém, assim como disse Garrincha ao técnico Vicente Feola, só faltou combinar com os russos: quem disse que o sonho dele não é o de jogar numa liga bilionária? Quem disse que ele não quer criar seus filhos em um país mais culto e menos violento? Quem disse que ele não tem curiosidade por aprender uma nova cultura e vivenciar novas experiências?

    Qualquer clube médio pode pagar-lhe 150 mil euros – os 400 paus de teto para o Grêmio.

    Infelizmente, há detalhes que fogem totalmente do nosso controle e contrariam todos os nossos desejos.

    []’s,
    Hélio

  5. Hélio, excelente a tua análise sobre ” a questão Vitor”. Só falta combinar com os russos é o ponto fundamental. Os teus textos se assemelham às poesias do Drummond- sempre vem algo interessante.

  6. Concordo com o Hélio. Mas eu só acho que se deve esgotar todas as possibilidades!! Fazer as propostas! Será que o Victor quer mesmo ir prá Europa? Estamos supondo tudo isso…
    Abraçoss

  7. Vender o Vitor é como vender um pedaço da única coisa que o torcedor tem hoje de elo com algo que antigamente chamávamos de ídolo. Sem mais comentários.

  8. Concordo com o André, duvido que o Grêmio sequer fará algum esforço pra manter o Victor no Olimpico. Duvido também que fará algum esforço para aumentar um possivel valor de 5 milhões de euros. Claro que é um valor alto para goleiro, mas a questão é que estamos falando do Victor, um ídolo, muito além do simples titular do Grêmio.

    Em relação a venda de jogadores eu perdi minhas esperanças quando o Douglas Costa foi embora por 6 milhões de euros. Falavam tanto que ele sairia só pela multa rescisória, mas abraçaram a 1ª proposta que veio de um time refugo da europa. É assim que valorizamos nossas promessas…

    Enquanto isso o Santos diz que só vende o Neymar por R$ 80 milhões!!!
    Um time que já conseguiu U$ 50 milhões pelo Robinho…

  9. Vender Victor e Mário Fernandes, citando só estes dois exemplos, no momento é não querer disputar titulos. O Grêmio tem que melhorar os salários dos dois, e não é muito dificil, é só se desfazer de Rockembach, Ferdinando, Willian, por exemplo, e que ganham muito bem por sinal, que não irão fazer falta nenhuma ao time, e dividir os sálarios deles entre os dois. Fácil não é? Mas se analizarmos melhor, tem muitos outros jogadores que estão recebendo, não jogam, não aparecem no Olimpico e outros estão jogando em outras equipes. Tem que rever estes contratos e exigências na hora de assinar, pois os atletas e empresários estão levando a melhor e o Grêmio a pior.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta para Artur Ferreira Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.