Vem, base

Já escrevi aqui antes sobre o assunto “atletas da base” e seguirei batendo nessa tecla.

Na derrota para o Aimoré, novamente, o Grêmio entrou em campo com apenas um atleta vindo das categorias de base do clube: Everton. No banco tínhamos alguns “guris” dentre eles o Patrick e o Ferreirinha, mas não renderam o suficiente para serem titulares e também não contribuiram quando entraram. O Patrick é um caso bem estranho pois vem tendo oportunidades com mais frequência, chegou a ser titular em alguns jogos, mas parece estar abaixo da qualidade que gostaríamos de ver num atleta profissional.

“Serve para treinador covarde, que tem medo de colocar o time para frente.”

(PORTALUPPI, Renato. 2020)

Eu não sei o que o Renato quer quando fala esse tipo de coisa. Ou mostra desconhecimento de trabalho ou mostra que ele não tá nem aí se as respostas em coletivas vão satisfazer o torcedor. Existem diversas maneiras de colocar um time para frente e empilhar atletas dentro da área não é o mais eficaz, seguramente. O que faltou na derrota para o Aimoré não foi mais “coragem” para atacar. Foi organização e criação coletiva. Pontos que tangem o trabalho do treinador.

Pepê e Matheus Henrique voltam da seleção hoje e junto com o Caio Henrique vão ser os jovens atletas que devem ganhar espaço maior no time. Os “henriques” Matheus e Caio certamente deverão ser titulares mas o Pepê é uma incógnita. O Renato não muda o esquema do time, não treina alternativas e nesse esquema de hoje, Pepê continuará banco do Everton ou do Alisson. Eu gostaria de vê-lo titular, mas não sei se o nosso corajoso treinador o fará.

Aproveitando o embalo, o Globo Esporte fez uma matéria interessante sobre o aproveitamento da base nos clubes e esse levantamento não é tão bonito no nosso tricolor. Mesmo revelando atletas de qualidade nos últimos anos, só pra citar o Arthur, fica a dúvida: Estamos aproveitando mal a base ou o clube sequer está fazendo um bom trabalho? Esse ano de 2020 mostra que talvez ainda estamos longe do modelo ideal.

Seguimos.

Gabriel Pinto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.