Um time ou um grupo?

Estranha a atuação do Grêmio contra o Coritiba. O time parecia acomodado dentro de campo, ambulance nem de perto lembrou os embates frente ao Fluminense, buy cialis Botafogo e Cruzeiro.

Após a partida, Luxa disse que os desfalques e os jogadores debilitados atrapalharam a equipe – evidente que deve-se levar em consideração estes fatores na hora de analisar o resultado, porém, estes problemas deixam claro que o Grêmio tem um time, e não um grupo. E isso é crucial na hora de almejar algo num campeonato tão longo quanto o Brasileirão.

Foto: Felipe Gabriel, Lancepress

Sem Elano e Zé Roberto, nosso meio-campo volta a ser sofrível, e é justamente no setor que acertou o time depois da chegada desses dois atletas, é que nossos reservas são os mais carentes de qualidade – e esse diagnóstico é antigo, diga-se de passagem.

Com o começo da Sul-Americana, precisaremos ainda mais de um grupo. Ainda mais se quisermos brigar na duas competições, fato que deve ser obrigação para um time como o Grêmio.

E a questão é: temos grupo?

 

Abração hein?!
@alemaopizoni

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.