Amigos Gremistas, prescription

Felipão chegou ao Grêmio em 1993, unhealthy na sua segunda passagem. Encontrou um time medíocre. E o que ele fez? Isso, mesmo: tratou de reforçar a defesa da equipe. E passou a colher os frutos em 1994, 1995 e 1996 (espero que vocês saibam do que eu estou falando – quem não lembra, que puxe da memória; quem não acompanhou, tem o Google e o Youtube).

O nosso maior engano com 2013 foi achar que o grupo de jogadores capenga tinha condição de brigar pelo título. Esbravejavam contra o Renato, que conseguiu fazer muito (ser vice campeão) com o um time que tinha um ataque que não sabia fazer gols.

Cometemos o mesmo erro agora. A direção de futebol atual exagerou nas falhas. Gastou demais, valorizou jogadores que nem de longe tinham a bola que se achava. E boa parte de nós, torcedores, achamos que, por isso, o Grêmio tem que ir pra cima de todo mundo em todos os jogos, porque é mais time – como se GASTAR MAIS fosse sinônimo de QUALIDADE. E não é. Falta BOLA, falta capacidade.

Scolari fez o que tinha que fazer: tratou de “fechar a casinha”. Fazemos poucos gols e isso é um problema, mas que só poderá ser resolvido para 2015, com novas contratações ou o surgimento de algum meia advindo da base. O fato de sofrermos poucos gols é o que nos mantém na luta por uma vaga na Libertadores (pensar em título, quando se abre o campeonato perdendo pro time reserva do Atlético-PR era impossível). Aliás, se Luis Felipe se chamasse JOSÉ MOURINHO, achariam lindo e maravilhoso o trabalho.

Torcida parece estar sofrendo de amnésia.
Torcida parece estar sofrendo de amnésia.

Então, eu peço que o torcedor do Grêmio pare de ir na onda dos DJOURNALISTAZ EXPORTIVES com este papo de “três volantes” e “treinador retranqueiro”. Isso é só mais uma tentativa de minar a relação do torcedor com o técnico odiado por eles (ou, se vocês preferirem, podemos chamar o ENDerson Moreira de volta, que tal? Talvez, o Celso Roth, então?).

Outro pedido que faço: procurem diferenciar POSIÇÃO DE ORIGEM de FUNÇÃO. Não é porque o cidadão apareceu como volante pro futebol que não possa realizar uma outra função dentro de campo. Contudo, isto é papo pra uma outra hora.

É incrível, é inacreditável que tenhamos que escrever um texto explicando a atuação do Felipão no Grêmio. Mas, infelizmente, ao que parece, nossa torcida está basicamente formada por pessoas que nasceram de 1990 pra cá e que não acompanharam como deveriam a carreira do nosso treinador.

Ou, de outra forma, os Gremistas mais velhos que andam torcendo o nariz para as escalações estão com problemas de memória.

Conhecer as ideias e o perfil do treinador, ainda mais sendo ele o Felipão, é fundamental antes de criticá-lo. Fica a dica.

Abraço de gol.

Rafael Pinto
@rafatpinto

Participe da discussão

20 comentários

  1. Sim, falta bola, capacidade. Mas o treinador – objetivamente na curva descendente de sua carreira, basta pegar os resultados – escalava Werley, Matias Diarréia Rodriguez de meia e hoje insiste com nabas limitadas ou deficientes como Pará, Ramiro, Dudu, Riveros, etc, ou com volantes que não sabem fazer a terceira FUNÇÃO e tira do time e pega no pé dos jogadores mais técnicos Luan, Ruiz, Fernadinho, Lucas Coelho por não marcarem e VAMOS JOGAR BOLA DE DE QUE JEITO, PREFIRO GANHAR DO SPORT DANDO ESPAÇOS MAS METER 2 X 0 N ARENA DO QUE VIVER EMPATANDO E PERDENDO DE POUCO COM OS TRÊS VOLANTES MAS O TREINADOR QUANDO GANHOU DO SPORT COM TRÊS ATACANTES ACHOU RUIM POIS JOGOU UMA VEZ NESSE MODELO E DEU BRECHAS E DEVE TER SE LEMBRADO DO TRAUMA DA ALEMANHA E LOGO VOLTOU AOS TRÊS VOLANTES para não correr riscos. Hoje somos o time do medo de perder que tira a vontade de ganhar…

    Felipão traumatizado com as 7 enrabadas alemãs foi o “achado” dessa direção para continuar seu projeto de ACADELAMENTO INSTITUCIONALIZADO no clube dentro e fora de campo.

    A filosofia de futebol está errada e é perdedora, nada tem haver com 93, 94, 95 e 96, o problema está no dep. de futebol, ou muda ou não tem Felipão que resolva, este texto continua apegado ao passado, acreditando em mitos e fórmulas ultrapassadas que é o mesmo que faz esta gestão. O resultado é o que estamos vendo um time covarde, defensivista, burocrático e que não arrisca jogar futebol pra ganhar as partidas. A antítese do que os times do G4 (que jogam com mais atacantes) e da Europa praticam de futebol moderno. Um futebol medíocre que não serviria nem pra década de 90, muito menos para os tempos atuais.

  2. Concordo com o texto. Felipão, na minha opinião não é mais o mesmo, mas, convenhamos, nem os dirigentes e nem o grupo de jogadores se compara com o que tínhamos anos atrás. É só pegar um por um, tanto dirigentes quanto jogadores, e fazer o confronto. A causa do “defensivismo” da equipe se explica, pela pouca qualidade do grupo e pela “lambada” contra a Alemanha que o deixou mais precavido. Felipão aprendeu que tudo começa com uma boa defesa. O seu azar foi receber um “presente grego” dos dirigentes que gastaram “os tubos” e contrataram mal. Acredito que ele, com o tempo, vai arrumar também a meia cancha e o ataque, mas, para isso, é preciso ter a companhia de dirigentes de futebol capacitados. Felipão não é mais o mesmo, mas, mesmo assim,foi a melhor coisa que aconteceu no Grêmio nesta gestão de muitos erros.

  3. Desculpa, mas eu achei o texto um tanto pretensioso. Entendo o teu ponto e concordo com ele em parte. Só acho inacreditável mesmo é pensar que uma torcida inteira critique um técnico só por causa de jornalistas. Praticamente chamou todo o teu público de burro só por discordar de ti.

    Se o técnico se chamasse Mourinho e o clube se chamasse Juventude, todos estariam achando lindo. Mas não é nem um nem outro. E digo mais: se fosse Portaluppi ou Luxemburgo, haveria muito menos gente defendendo Scolari do que há hoje — ou já se esqueceram do “acadelamento”, usado à exaustão pra descrever o time dos dois?

    Por sermos gremistas, está no nosso DNA o futebol de resultados. O futebol de forte marcação, de jogo “feio” (mas que para nós é lindo), porém raçudo, que termina em vitória. Não é nosso desejo um time que dê show ou jogue um futebol alegre. Tudo o que peço é que nosso técnico coloque o único armador do nosso time no jogo quando precisamos de vitória.

    Scolari não é o principal responsável pelo fiasco que é o time hoje, isso é óbvio. No entanto, vejo as defesas a ele no mesmo nível que as defesas do Enderson ao nosso centroavante (“tudo bem ele perder uma chance, já que ele mesmo a criou”). E não há dúvidas de que estamos brigando na ponta graças ao trabalho dele, assim como foi assim com Portaluppi e Luxemburgo. Só que na hora H, perdemos não pro Real Madrid do Ancelotti, pro Chelsea do Mourinho ou mesmo pro Cruzeiro do Marcelo. Perdemos pros poderosos esquadrões do Gabigol, do He-Man, do Dellatorre, do Medina, do Rentería…

    O gremista vê essa novela se repetir todos os anos: em 2012, aguardou pacientemente o ano seguinte para resolver o problema da meia; em 2013, esperou o ano seguinte para resolver o problema do meio e do ataque; e agora, em 2014, vê o time na mesma situação dos anos anteriores. A impressão que passa é que nunca teremos um time em condições ideais de se esperar alguma coisa. Que sempre devemos ficar felizes com o que temos e esperar a solução vir no ano seguinte. Enquanto isso, os times do Hernane e do William José ganham título.

  4. A PRIORIDADE e SEMPRE JOGAR COM NABAS , SEM QUALIDADE TECNICA , SEM ESQUEMAS TATICO , NA ” TOTAL LENTIDAOOOOO possivel ne ” . E EM 2015 ira CONTRATAR == NABASSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS dnovo OK / A comecar por DUDU siscador que so FAZ 1 golzinho por ANO , E A TORCIDA ” CEGA ” ADORA .

  5. a questão não é comparar o Grêmio de hoje com o da década de 90, até porque o futebol perdeu muito em qualidade técnica, é lógico que hoje esse Grêmio é pior.
    Temos sim que comparar o Grêmio com os outros times do campeonato. Temos uma das maiores folhas de pagamento e não temos um grupo tão desgraçado assim, a ponto de tomar sufoco em casa pro Figueira e jogar com medo de vencer o Coritiba, do Z4!!!
    Perdemos 5 pontos pro Palmeiras!

    Felipão ajustou o time sim, estancou os gols sofridos, temos a melhor defesa do campeonato, mas futebol depende de fazer gols!
    De nada adianta ter a melhor defesa se temos o pior ataque do clube na era dos pontos corridos!
    E só temos o pior ataque por que o Felipão não consegue propor uma escalação mais equilibrada.

  6. engraçado uma coisa: na década de 90 jogamos com arilson/carlos miguel (dois meias) e depois carlos miguel/emerson (dois meias). eles marcavam e atacavam.

    o arce não marcava nem a sombra dele. e o jardel, se muito, ajudava na marcação dentro da área do adversário.

    então, jogávamos com dois meias, um lateral extremamente ofensivo, um atacante e um centroavante aipim.

    mas parece que a torcida preferiu acreditar num delírio coletivo, de que o time jogava feio e ganhava por 1×0. isso é uma baita mentira. tínhamos raça, mas jogávamos muita bola. o dinho armava jogadas, não era um bereba que ficava dando bico pro lado. o roger marcava muito, mas com a bola no pé sabia, e muito bem, o que fazer. o goiano sabia jogar e batia faltas com maestria. até os zagueiros (galvão e adílson) sabiam jogar bola.

    mas não: a torcida achava que era só raça e pontapé. e daí acha o máximo um time com 4 volantes e cagalhão, um lateral perna-de-pau que só marca (e falha várias vezes nisso), um meia/volante baixinho, ruim e mal marcador, mas que é “aguerrido”. e por aí vai…

    eu quero o Grêmio da década de 90 de volta. porém, quero o Grêmio de verdade, não esse time que nunca existiu, a não ser na cabeça da torcida e parte da imprensa.

  7. João Luiz,
    O mais incrível é que o Koff esteve nesses dois períodos e até ele acha que o Grêmio são 11 jogadores quebrando a bola e dando carrinho, com muita “raça”.

    O Grêmio não tem Foot-ball no nome a toa (apesar de muita gente acreditar que já viramos o Grêmio de Eleições Porto Alegrense).
    Precisamos voltar a praticar futebol, de jogar pra vencer, pra fazer gol.
    Caso contrário o torcedor vai se afastar cada vez mais da Arena, ninguém gosta de pagar por um produto tão ruim e sem resultado.

  8. Essa do “Grêmio de Eleições Porto Alegrense” é muito boa. Realmente o futebol ficou em segundo plano, tanto que a maior credencial para dirigir o vestiário é ser amigo do “homem”. Aí, bem… acontece o que todos nós estamos vendo. “Tamo” mal de grana, “tamo” mal de dirigente, “tamo” mal de futebol. O que ainda nos dá esperança, é a mística do clube que sempre dá a volta por cima nos piores momentos. Não estou fazendo terra arrasada. As coisas estão aí postas para quem quiser ver. Sou gremista, tenho muita fé. Só não sou bobo nem cego.

  9. o inter, que ja tem Dalessandro e Alex esta de olho no De Arrascaeta, meia ja na selecao do Uruguai. Enquanto isso o Gremio quer provar que pode jogar futebol sem meias, indo pro quarto ano sem um, desde a saida do Douglas barriga de cadela…

  10. O senhor Koff está tão atualizado (em termos de futebol), para ser nosso VICE DE FUTEBOL, que “sozinho” avaliou e contratou o Edinho!!! Antes, em 12/2012, pensava em trazer o “jovem promissor” Lugano (reserva do Uruguai, do Uruguai). Esse era o “nome do cofre”!!
    FATO: o Grêmio, nesta indi(gestão) DIMINUI de grandeza (e muito): diminuíram torcida e quadro social (75.000 para 50.000)!! Fico a imaginar o que nos espera em 2015/2016 (e eu votei no Bolzan, por falta de opção)! QUEM pensará o futebol do Grêmio? Koff ou Rui Costa??? POBRE GRÊMIO! POBRE TORCIDA!

  11. parece que a situação financeira do Grêmio tá terrível, e que estamos adiantando várias cotas pra diminuir o rombo.

    se isso for verdade, é bem feito pra torcida, que adora um abnegado com enormes serviços prestados ao clube, mas que não tem vergonha nenhuma de deixar o clube miserável enquanto se aproveita da notoriedade pra subir na vida.

  12. R$ 5,7 milhões de déficit acumulado no ano. Já com bônus de R$ 10 milhões da Umbro de assinatura do contrato.
    Dificilmente não terão que vender alguém no final do ano.
    Em 2013 já houve um déficit recorde de R$ 51,4 milhões, aumentando a dívida total do clube em 33% em apenas um ano.

    Com certeza não vai faltar gente pra botar a culpa disso no Odone.
    Vai ver foi o Odone quem levou a folha pra até R$ 11 milhões mensais ano passado…

  13. Felipão é treinador multicampeão. Qualquer merda que ele faça, sempre vai achar que está certo.

    Felipão não tem culpa pela falta de meias no Grêmio. A responsabilidade dele começa por não achar as soluções ou por repetir as mesmas soluções do treinador que lhe antecedeu.

    Afastou o Rodriguinho, jogador de time pequeno. Mandou emprestar o uruguaio feijão com arroz. Afastou o Allan Ruiz, jogador que não é do clube e seu futebol não teve brilho suficiente para convencer o clube ou algum investidor a adquiri-lo.

    Esse ano está perdido. A Libertadores virá por milagre, pois o desempenho do time é muito fraco.

  14. O oráculo publicou hoje que não haverá compra da arena esse ano.

    Será que essa direção cumpriu alguma das várias promessas das duas últimas campanhas? Eu não lembro de nenhuma…

  15. Gremistada,

    Como é triste ver a escassez de qualidade técnica do nosso Grêmio… Isso só se resolve com contratações pontuais cirurgicamente pinçadas e com o surgimento de algum(ns) craque(s) das categorias de base.

    Seguimos torcendo…

    []s,
    Hélio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.