SOMOS NÓS OS RACISTAS?

Enquanto a maioria dos militares brasileiros que estão participando da Missão no Haiti honra a farda e bandeira brasileira, here alguns celerados mostram a verdadeira face do racismo.

Nós, moderadores do Blog GRÊMIO SEMPRE IMORTAL, repudiamos essa atitude grotesca que busca atingir a rivalidade GREnal utilizando o pobre povo haitiano que passa por tantos problemas.

VERGONHA É O MÍNIMO QUE SENTIMOS NESSE MOMENTO.

Participe da discussão

118 comentários

  1. Este tipo de atitude mostra, não a rivalidade ou racismos. É o tipo de atitude que mostra uma falta completa de noção, caráter e vergonha. Uma pessoa que faz uma brincadeira deste naipe não merece ser chamada de ser humano. É de uma falta de sensibilidade ímpar. Um pulha!!!
    E quanto a situação em si, digo: Me orgulha uma criança do povo haitiano estar usando o Manto. Um povo que luta tanto, enfrenta todas estas as adversidades e mantém o humor é tão heróico quanto a nossa torcida.
    Os militare envolvidos nessa “brincadeira” não merecem usar a farda que usam. Se tem tempo de fazer piadas é porque não são necessários ou estão desviando suas finalidades a custa do erário público.
    Se eu pudesse pagava pro guri do Haiti vir a um jogo do GRÊMIO. É isso.

  2. lamentável…
    digno de prisão no Exército!

    Ontem no jogo do Palmeiras houve mais um caso de suposto racismo entre jogadores. Fosse aqui, o clube e a torcida inteira do Grêmio seriam rotulados de racistas pelos isentos.
    O detalhe é que o técnico dos porcos é o Antonio Carlos, aquele do caso Geovanio.
    Enquanto isso, nenhum comentário dos isentos locais sobre o caráter do goleiro pato no caso Baiano, ainda no Boca Juniors…

  3. Pobre destes milicos!!!!!
    Tenho orgulho e alegria de ver o piá com a camiseta do Grêmio, o resto é recalque dos “amargos”.
    Vamos meter “elas” no GRE-nada e tá resolvido.

  4. Fugindo do post, quero comunicar a todos que mais um destaque da base “sai” do Gremio e vai para o cocolorado. Trata-se do Cláudio Winck, sobrinho do Luiz Carlos Winck.
    Por onde ele passou, sempre foi titular do ataque, é goleador e tem personalidade muito forte. Sou muito amigo do Lucas Gonçalves, ex-treinador da sub-13 do Gremio e filho do chapinha, e ele apostava muito nesse guri.
    Ontem liguei para ele, que está fazendo um estágio com o Caio Jr. no Santos, e contei que o guri tinha ido para o inter. Ele não acreditou!
    O que está acontecendo com a base do Gremio, pelo amor de deus?
    Só tá faltando levaram o Iuri “Mamute”, maior promessa do tricolor atualmente. É só o que tá faltando!

  5. Assumindo que a foto é real e não photoshop…..

    Se essa foto cair na mídia, e cairá, estes caras estão ferrados. Patético !! Absolutamente patético !! Mesmo se a brincadeira fosse com o co-irmão ainda diria patético.

  6. Não vou me ater a certos comentários sobre esses indivíduos para não baixar mais o nível do que eles fizeram.

    Mas como ja havia falado, isso só tem duas explicações:

    1)nossa torcida é mesmo, muito maior que a deles, e me orgulha qu tenhamos um negro no HAITI com nosso manto.

    2) os colroados são tão invejosos do clube que temos, que levaram um manto do gremio nas suas malas para o haiti.

  7. Mauricio, tu és Macaco ? Prá vir aqui dizer esta bobagem é ! E mais, há um pacto aqui neste blog, ninguém vem aqui ofender a torcida do Grêmio, sugiro aos Moderadores que não publiquem comentários do tipo, isto não é coisa de Gremista ! É coisa de Macaco como muito bem lembrou o Rafael ! E Macaco Burro, o que é raro, porque Macaco é um bixo inteligente, um dos mais se não o mais inteligente dos irracionais, e este tipo de ´tiradinha` é típica de um jumento nordestino em estado terminal. Moderadores, nos poupem de coisinhas do tipo e risquem do mapa este comentarizinho calhorda deste Macaco intrometido, ele está fora do território dele.

    Enquanto isto na rede familiar …..

    – olha olha, grita o cara de mascote saguizinho, enfiaram a camisa deles em mim que barbaridade ….
    – quem foi o palhaço, berra o zé, aonde está, não enxergo, vejo só o céu azul …..
    – aqui aqui, vem o pigmeu´zinho` com uma luneta na mão … olha tu que a minha cabecinha não passa da quina da mesa …ganhei esta com o diploma de comunicação ….
    – parem tudo, chega o woody allen tupiniquim vindo direto do vizinho …. esse negrinho é nazista, não tão vendo a camisa deles nele ?
    – calma, diz o davidizinho, então se é assim, a mulher dele tá em casa com o dono da bandeira …

    ….. ao fundo …música maestro …. roda melodiosamente ´cê ta molhada` cantada com verba do DETRAN no CD pelo publicitário do prostíbulo, tudo num patrocinio generoso do Convento da Titia CArmen ….

    Assim caminha a humanidade.

    Lupicinio tinha toda a razão, quem leu o livro dele sabe porque ele se tornou torcedor do tricolor e se tornou uma das maiores preciosidades da história do Grêmio compondo o nosso Hino.

    Mas isto ´eles` não tem nenhum interesse em publicar, comentar, falar, nada … afinal somos todos RAcistas e Nazistas ….

  8. Mauricio, eu sou branco de classe média e minha irmã é casa com um negrão que tem quase dois metros de altura, pesa mais ou menos 120 quilos, é sócio do Grêmio e canta macacada filha da puta. Então vai contar outra noutro terreiro.
    Repito, sugiro aos Moderadores que quem ofenda o torcedor Gremista, e esta questão aqui restou superada de forma unânime, seja evitado no blog. O Sr. Mauricio este não está discordando ou divergindo, não não, esta não, ele está na contra-mão da histõria e aqui ninguém é bobo !

  9. O Blog é para torcedores do Grêmio e tu está posando de macaco sim ! Não é questão de divergência, ficou bem salientado isto, basta ver dezenas de post aqui sobre a matéria que já foi objeto de dezenas, também,d e entrevistas com torcedores históricos do clube, inclusive da Geral aonde se postam centenas de negros. Estas tentando tumultuar. Nojenta foi a tua atitude. E estamos conversados, passe bem e procura a tua turm que, com certeza, não é aqui.

  10. E prá te por uma pá de cal, tu não vai lecionar prá mim uma das poucas coisas que sei na minha vida que é justamente o estudo sobre o tema ódio racial e preconceito, a que não vai não vai mesmo, posso ser aluno em praticamente tudo e levar carteiraço de tudo, mas neste tema me perdoe, nesta matéria o cara tem ter preparo porque se tem uma coisa que eu estude e enfrentei foi ela:

    http://www.dhnet.org.br/dados/livros/edh/estaduais/rs/adunisinos/kris.htm
    —————————————————–

    Racismo
    Em 1989 o MJDH, em conjunto com o Movimento Negro e o Movimento Judeu criou o MOPAR – Movimento Popular Anti-Racismo, que vem funcionando em nossa sede, desenvolvendo permanentemente um trabalho de conscientização, denúncia e responsabilização judicial de racistas. Nossa maior vitória foi alcançada em 31/10/1996, quando o Tribunal de Justiça, do Estado do Rio Grande do Sul, através de sua 3ª Câmara Criminal, condenou Siegfried Ellwanger, a pena de dois anos de reclusão, com sursis por quatro anos, por praticar, induzir e incitar à discriminação racial.

    Siegfried Ellwanger é o principal sócio-proprietário da Revisão Editora que se dedica quase que unicamente a publicação de livros racistas e anti-semitas, dedicados a difundir o ideário neo-nazista.

    Em reconhecimento a essa luta, a Sherit Hapleitá (organização dos sobreviventes do nazismo) com sede em Jerusalém, agraciou com medalhas de ouro, por relevantes serviços prestados, aos Conselheiros do MJDH Luis Francisco Corrêa Barbosa, Carlos Josias Menna de Oliveira e Jair Krischke.

    De mencionar, ainda, que o Conselheiro do MJDH, Vereador Pedro Ruas, foi o autor do projeto de Lei Municipal, que aprovada, instituiu em Porto Alegre, o “Dia da Memória dos Heróis e Mártires da luta contra o Nazi-Facismo”, a ser comemorado anualmente no dia 8 de maio.

    ——————————————————-

  11. JOSIAS, mesmo sem saber o que escreveu o “sr” Maurício, dou-lhe meus parabéns por tuas manifestações em defesa da MAIOR TORCIDA DO SUL DO BRASIL e especialmente da INSTITUIÇÃO GRÊMIO. Teu gesto apenas confirma honradez e dignidade, valores teus e de tua família!! Divergir e polemizar são características coletivas, todavia exposição e luta são valores particulares. Por este tópico, demonstras que os tens!! Fraternal abraço, “guerreiro” JOSIAS!! Cumprimentando ao JOSIAS, cumprimento a todos que aqui se manifestaram em defesa de nossa paixão: o Grêmio!! REPITO: NÓS GREMISTAS E NOSSA INSTITUIÇÃO NÃO SOMOS RACISTAS!! Até porque, caso fôssemos, não teríamos a MAIOR TORCIDA DO RS; A MAIOR TORCIDA DO SUL DO BRASIL E A 6ª MAIOR TORCIDA DE TODO PAÍS!!! A propósito: Será que o senhor Hiltor Mombach sabe dessa fotografia??

  12. hehehehe
    O Josias foi rápido e certeiro!
    Ainda bem que os comentários sumiram, já bastam os colunistas isentos da nossa imprensa pra nos tirar do sério…

  13. Esta foto já está rolando na net há uns dois dias. Eu a recebi e imediatamente deletei, porque baixaria e canalhiçe não prosperam na minha horta. Os milicos que criaram o cenário para tentar (sem conseguir) ser divertidos deveriam ser punidos pelos seus superiores, pois o Exército Nacional não pode conviver com este modo de preconceito.

    Com relação a tipos inqualificáveis, como este racista que entrou no tópico para colocar querosene no fogo, o meu absoluto desprezo, pois não existe nada pior neste mundo do que colorado recalcado.

    O assunto de racismo no futebol, especialmente gaúcho, ganha contornos extravagantes quando a imprensa resolve “vender jornal” com notícias que não deveriam sequer receber uma linha.

    Atire a primeira pedra quem (branco, preto, amarelo ou cinza) nunca chamou um amigo “escuro” de negrão?

    E, como muito bem ensina o Josias, a termo MACACO na relação entre torcedores do Grêmio e Inter não tem – NEM NUNCA TERÁ – a conotação racista que alguns oportunistas lhe querem emprestar.

    Chamar um colorado de MACACO tem o mesmo efeito que “eles” conseguem quando se referem a nós como “gaymistas”. Ao pé da letra, na linha do racismo radical, podemos processar os moranguinhos em geral por preconceito sexual. Ou não?

    Ora, plagiando o Josias, vão plantar batatas todos os que acham que o assunto requer maior atenção e não for interpretada como uma saudável brincadeira esportiva.

    Já o caso de extremado mau gosto dos soldados no Haiti merece uma investigação interna do próprio exército, pois eles não estã lá em viagem de turismo e sequer despiram o uniforme para perfilarem-se, garbosos, diante daquela bandeira medonha.

  14. Primeiro, a questão do post: olhei, li, pensei, pedi uma segunda opinião, uma terceira… Bem… A despeito do fato de os militares não serem negros e de terem posto a camiseta tricolor e um cartaz com dizeres que aquele menino certamente não compreendeu, em princípio, está claro que a imagem reflete uma falsa brincadeira, um chiste de péssimo gosto e extremamente desrespeitoso, digno de uma punição disciplinar militar.

    Em princípio, enxergo intolerância e preconceito não exatamente racial; em seguida, vejo a exploração de menores (mesmo com o seu suposto consentimento – mas aí não sei se o UNICEF ou algo como o nosso Estatuto da Criança e do Adolescente têm validade jurídica no Haiti). Em um terceiro momento (de forma indireta, porém perceptível), algo que junta A com B: um procedimento apelativo que mistura racismo com intolerância a gremistas por meio do uso do menino como uma espécie de bobo da corte.

    Não sei o que pode ser feito a respeito dessa questão, mas algo sério e contundente PRECISA ser feito. Inclusive acho que o momento de o Duda vir a público repudiar a ação desses infelizes SEM JAMAIS INCRIMINAR A INSTITUIÇÃO DO T.A. E, ACIMA DE TUDO, CONCLAMAR O PIFFERO PARA LUTAR CONTRA ESSE TIPO DE INTOLERÂNCIA porque, se fosse o contrário, a instituição GRÊMIO posicionar-se-ia com total repúdio.

    Isso posto, o desinteresse, a incompetência e a falta de investimento do clube em Publicidade me leva além, para questões diretamente vinculadas com o rótulo de racistas ao qual somos submetidos há muitas décadas e ao rótulo de “clube do povo” de que eles se aproveitam muito bem.

    Há um detalhe gravíssimo nessa questão que o nosso Departamento de Marketing e Comunicação e a nossa agência de publicidade SL&M Ogilvy simplesmente deixaram passar em branco.

    Por favor, amigos, não me entendam mal: aquele comercial que mostrava aquele senhor colorado em uma casa triste, antiga, solitário, relembrando suas memórias enquanto os seus herdeiros não chegavam foi o comercial mais lindo sobre futebol já feito pela publicidade brasileira. Se formos abstrair a cor vermelha e os elementos que lembram o Tradicional Adversário, basta ser honesto, justo e sensível pra achar aquele trabalho belo e tecnicamente impecável.

    Nesse comercial, o suposto genro é negro e a suposta netinha é mulata.

    Outra: no Dia dos Pais de 2009, o nosso anúncio foi muito fraco. A chamada até foi boa. Porém, não basta apenas pôr a silhueta de um pai com um filho ou, então, uma imagem pequenininha ladeada por uma bandeirona do Grêmio ou por um grafismo qualquer com as nossas cores: UMA IMAGEM VALE MAIS DO QUE MIL PALAVRAS, já dizia um dos maiores artistas da cultura pop, Andy Warhol.

    O anúncio deles tinha a foto de um pai e um filho negros. Já a última campanha publicitária do Grêmio que contou com um negro sem vínculo com o clube como ex-atleta foi o falecido Tião Macalé, na divertida e saudosa Raspadinha do Grêmio, junto com o Lobão Mazaropi. No entanto, embora ótima e adequada, aquela versão gremista da exposição de um negro com suas cores não possuía uma conotação afetiva nem familiar.

    Não defendo que o Grêmio perca tempo e dinheiro precisando se defender de falsas acusações, se desculpando e nem tampouco dando respostas. Isso soa como falso ou como mea culpa. Porém, o Grêmio deveria, sim, explorar a imagem de negros, indígenas, mestiços, orientais, loiros, modenos, altos, baixos, gordos, magros, bonitos, feios, homens e mulheres pra mostrar que TODO MUNDO TORCE PRO GRÊMIO, PORRA!!!

    O negro (que é minoria na população do sul do país) deveria ser mais explorado, sim, de maneira mais afetiva e mais presente nas campanhas do Grêmio. Eu sei que há associados negros no Grêmio, pois não tenho cadeira. Eu sei que há uma porrada de favelados gremistas, pois tenho amigos professores do Estado em áreas de risco e vários amigos que prestam serviço assistencial na periferia. Eu sei que há gente limpa, suja, careca, de cabelo comprido, ateus, evangélicos, poliglotas e analfabetos que amam o Grêmio.

    MAS NADA DISSO É EXPLORADO!!!

    Aonde discordo do raciocínio do Josias e concordo com o Maurício? Bem… Apesar da espontaneidade, da honestidade, da franqueza e da simpatia do Lupicínio e daquela recuperação histórica brilhante do Josias, infelizmente, a nossa racionalidade e a nossa vontade não significam que a maioria da torcida tenha a plena consciência de que não está sendo racista quando chama um colorado de macaco. Tal assertiva também não é capaz de afirmar que, mesmo sendo negro e, obviamente, jamais racista, o cunhado do Josias seja a regra e não a exceção.

    Por que isso? Porque, ao contrário da Bahia, que possui 83% de negros e mestiços e 17% de brancos, o RS é exatamente o oposto. Por uma série de razões nada razoáveis, sobretudo em lugares prósperos do interior, prevalece um racismo velado. A própria capital é muito mais segregada do que outras, mesmo que não tenhamos os morros do Rio de Janeiro nem a expulsão explícita dos pobres para a Zona Leste de São Paulo ou, então, o afastamento dos negros das primeiras quadras paralelas à praia em Recife: moro na Nilo Peçanha, em um prédio de 56 apartamentos, há apenas uma família negra. Meu pai, que era engenheiro de minas e metalurgia, teve apenas um colega negro em sua turma da UFRGS em 1956. Na Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação da UFRGS onde estudei de 1991 a 1995, havia apenas um negro em 108 alunos da turma de 1991. Havia apenas dois negros em 1990 e mais dois em 1992. Quando fui professor substituto lá, em 2002/2 e 2003/1, tive um aluno negro em aproximadamente 75. A Medicina da UFRGS às vezes passa anos sem formar um negro. Isso não passa de 1/8 da proporção populacional de 17 p/83 a cada 100.

    Não dá pra dissociar a questão socioeconômica da cultura, assim como o Grêmio é um fator de pertencimento a Porto Alegre e ao Rio Grande do Sul. A torcida do Grêmio, assim como a torcida deles, não é padronizada como em uma linha de montagem. Não há mais como pensar a sociedade como uma massa uniforme, que pensa parecido, que possui necessidades e anseios comuns e na mesma intensidade. Vivemos em uma sociedade de nichos.

    Goebbels, o ministro da Propaganda de Hitler, dizia que “uma mentira repetida mil vezes acaba se tornando verdade”. Pois o fato de que a torcida gremista não é racista trata-se apenas de uma meia-verdade, assim como o fato de que a torcida gremista em geral é racista também significa tão-somente uma meia-verdade. Da mesma forma, não dá pra dizer que a oligarquia colorada seja menos racista do que a oligarquia que fundou e (sejamos francos) ainda possui ramificações fortes dentro do Grêmio.

    Mas o que dá pra dizer é que, por pelo menos duas razões, embora estejamos praticamente no mesmo patamar, é bem verdade que, infelizmente, a torcida negra colorada é maior do que a do Grêmio.

    A razão um é a propaganda enganosa, que ignora nosso jogador de 1922 e a Liga das Canelas Pretas em função do repúdio colorado. E a razão dois PODE ser (isto é, suponho) a de que a grande maioria das tradições africanas possui como cores básicas de toda a sua simbologia (magia, crenças, armas, cultura) o preto, o verde e o vermelho. O azul, o amarelo e o branco possuem pouquíssima importância nas n diferentes culturas africanas nativas.

    Enfim… Façamos do limão uma limonada: repúdio ao racismo com INICIATIVA INSTITUCIONAL e por uma publicidade PAN-RACIAL.

    []’s,
    Hélio

  15. Acompanho o comentário do Aiquel letra por letra.
    Muito bem escrito.
    Pena que eu não tenha conseguido ler o que o Maurício escreveu. Mas com certeza não perdi nada.
    Ministro Jobim, investigação já!!!

  16. Sou gremista e condeno o racismo em qualquer circunstância. Mais. Nosso clube não é racista. Isto não é uma opinião minha como torcedor, mas uma constatação. Qual de nossos torcedores negros, ou de qualquer outra raça se sente hostilizada em nosso estádio pela nossa torcida? Desconheço. Por todo lado que ando, jamais presenciei qualquer ato de racismo de gremista contra quem quer que seja! Maxi Lopes? Racista? Quem não assistiu a uma pelada de futebol na vida? “Negão”, “véio”, “fdp”, “pqp”, “gringo de m…”, “juiz ladrão”,etc, etc. Tudo normal! É futebol! Como sempre foi em todo lugar!
    Agora, me perdoem, mas o gesto destes tres individuos transpõe a barreira do racismo. É escárnio! É tripudiar em cima da desgraça dos outros! É desumano! É imoral!
    O Exército Brasileiro nos deve uma explicação!
    Antes de sermos gremistas, somos cidadãos brasileiros, e mais, estamos financiando atitudes deste naipe. Quem são estes caras? O Exército tem que nos dizer quem são e o que aconteceu com eles após este absurdo!
    E, por fim, aos macacos, animais inteligentíssimos e nem sempre pretos – o bugio é um macaco e é ruivo – desculpem-me se algum dia os ofendi, utilizando o nome de sua espécie animal para referir-me à torcida colorada! Não tive a intenção!

  17. Quanto à intolerância sexual bastante notável entre a maioria dos colorados, o Fabio Mundstock me contou a história da Coligay e como o esboço de uma torcida gay no T.A. morreu na casca.

    Todavia, JAMAIS SE CORRIGE UM ERRO COM OUTRO ERRO: esse fato não ameniza nem pode servir de resignação a nenhuma atitude racista ou sexista. Isso existe e precisa ser banido. Do contrário, jamais teremos uma sociedade justa.

    Pra terminar: a instituição Grêmio precisa sempre se antecipar e expor publicamente iniciativas positivas de afirmação da nossa pluralidade. Mesmo que não seja preciso se desculpar, é fundamental saber que, mesmo que a instituição não seja racista ou sexista, há pessoas importantes que dão de ombro para essa questão que é seriíssima.

    No que um ou outro dirigente não dão bola – dado o rótulo injusto e mentiroso que o clube adquiriu – por associação, quem é de fora deduz que o Grêmio é racista, mesmo que não pense o mesmo sobre o T.A. em relação ao sexismo (que, a bem da verdade, também não é institucional mas seus mandatários também dão de ombros).

    CUSTA MUDAR DE ATITUDE?!

    []’s,
    Hélio

  18. Hélio.
    Não entendi ainda o que ser GREMISTA ou ser “nal” tem com o fato da pessoa ser racista ou não?
    Na verdade as pessoas pouco sabem o que é racismo. No Brasil o que mais temos é preconceito…

  19. Repugnante. Mas nao vamos cometer o mesmo erro que os internacionalistas cometem: generalizar o racismo para toda sua torcida.
    agora outro assunto q tb postei no comentario do jogo com o avai.

    Casa vez mais a imprensa vermelha me dá razao pra parar de ler jornais.

    HJ, Wianey (Zero Hora) e Mombach (Cpovo) deram uma audiencia danada para aquele escanteio mal marcado contra o avai. fora o q escutei na radio.

    O inter teve penaltis mal marcados, gols em impedimento e etc em todo o campeonato brasileiro do ano passado. nao falavam nada. nilmar cansava de fazer gol impedido em grenal.
    nao falavam nada. silencio total.
    e o sandro que nao foi expulso conta o nh????

    O proprio pelotinhas (nao que isso seja desculpa para nós perdermos em casa para esse timeco) nao teve um penalti contra marcado, num empurrao claro em cima do jonas. silencio total

    e agora por causa de UM ESCANTEIO fazem um furdunço dizendo que o gremio foi favorecido pela arbitragem e etc.
    é muita cara de pau!
    sem falar que o avai teve tb um escanteio mal marcado a seu favor durante o jogo.

    a imprensa vermelha só vai sossegar qdo eles conseguirem o que querem: uma arbitragem a favor do avai em floripa. e vamos ficar atento as arbitragens no jogo deles com o pelotas e nos possiveis grenais.

    imprensa vermelha fdp. UM ESCANTEIO! UM ESCANTEIO!!!!

  20. 1. Com relação ao Mauricio, em determinadas circunstâncis se corre o risco de se machucar o pé: por exemplo, chutar gato morto ! O cara entra aqui sem nada a perder e na verdade não se trata de apresentar um fundamento vazio, se trata de simplesmente não ter fundamento. Ai não há como discutir, não há como debater, diante da ignorância do suposto oponente no tema. Ignorância no sentido literal da expressão. Veio de franco atirador e atirou na torcida do clube a pecha que a mídia enrustidamente vermelha adora fazer.

    2. Neste ponto eu gostaria de trazer uma recordação aos amigos. Durante mais ou menos 3 meses, eu acompanhei isto muito de perto, neste assunto fiquei catedrático, até porque me interesso por ele, houve intensa campanha na imprensa, e dos dois meios de comunicação mais conhecidos e influentes, que a torcida da geral era TODO O SANTO DIA acusada de racista de manter SETORES NAZISTAS em suas fileiras. Eu sabia que isto era uma ESTUPENDA MENTIRA, uma canalhice, porque conheço o pessoal da Geral desde a sua formação. Como eu conheci de perto a formação desta torcida, aquilo me engasgava profundamente. E lutar contra a mentira todos os dias praticadas e lutar justamente contra a teoria mais utilizada no Nazismo: repete a mentira exaustivamente que ela vira verdade. Ai o que aconteceu, a mídia passou a acreditar na sua própria mentira, coisa de doente, enfermo, o 171 é exatamente assim, ele mente tanto que passa a acreditar no que diz. Acreditando na própria mentira a mídia incentivou a Policia para investigar a Geral. E montaram um esquema para documentar o ARROMBAMENTO de uma sala da Geral no Estádio Olimpico aonde supostamente seria encontrado MATERIAL DE CONTEÚDO NAZISTA E DE PRECONCEITO RACIAL. Pois documentaram a invasão com policia militar, federal, civil e o raio que o parta, fotos, páginas de jornais no dia…. Agora pergunto pra vcs: FOI ENCONTRADO ALGUM MATERIAL DE CONTEÚDO NAZISTA OU DE PRECONCEITO RACIAL NA SALA ARROMBADA ? FOI ? EU RESPONDO = NADA ABSOLUTAMENTE NADA, NEM UMA SUASTICAZINHA SEQUER FOI ACHADA. E quantas linhas a midia dedicou para isto ? Quantas linhas a imprensa dedicou para este ´achado`. NENHUMA SENHORES. NEM UMA MEUS AMIGOS NEM UMA ZINHA SEQUER. O assunto simplesmente desapareceu do noticiário e nada mais foi falado. Na sala encontraram SOMENTE MATERIAL ALUSIVO AOS JOGOS e à TORCIDA, como faixas, trapos, papel picado, escudos, adesivos, bandeiras ISTO FOI O QUE FOI ACHADO MAIS NADA E A MIDIA SE QUEDOU SILENTE SOBRE ISTO. C A N A L H I C E !

    2.1. Tenho, pela minha mãe, origens judáicas. Me chamar de Nazista ou Racista é mais ofensivo do que me chamarem de Ladrão ou Assassino ! Ninguém vai me dizer isto e ficar sem resposta.

    3. Hélio. Vou te dizer o seguinte. Aqui o que está em foco especialmente é algo diferente do que por em discussão o debate racismo. Não vi neste o propósito do post. A mim me pareceu claro que o propósito do Post foi demonstrar como CRIMINOSO é tachar a torcida Gremista de RAcista ou Nazista como até naquela porcaria do Wikepédia q qualquer merda faz já encontrei. Não se discute aqui se a foto REPRESENTA UMA PIADA DE MAU GOSTO OU UMA DEMONSTRAÇÃO EXPLICITA DE RACISMO, o que se discute com ela é = e ainda nos chamam de racistas ? Quer ver ? Quer a prova ? Te dou:

    – pega a mesma foto
    – esquece este post
    – estamos no dia de ontem ou de dois ontonti como diria um peão lá de rio grande
    – ai inverte, põe o menino com a camisa vermelha e a nossa bandeira no lugar da que está lá e põe isto na mídia

    TU SABE, TU TENS ALGUMA IDÉIA, DO QUE ALGUNS COLUNISTAS E ANALISTAS DO ESPORTE BRETÃO IRIAM DIZER ? TU TENS ALGUMA DÚVIDA DE QUE OS BENFIQUINHAS DA VIDA CAIRIAM DE PAU NA TORCIDA GREMISTA MAIS UMA VEZ ? TU TENS ALGUMA DÚVIDA DE QUE OS MESMOS DE SEMPRE REPETIRIAM O QUE HÁ ANOS REPETEM ????????

    Eu te respondo: eu não tenho nenhuma dúvida que se seguiria o mesmo cmentário do Hino Argentino.

    Isto, senhores, é que é o debate do post ! Este é o foco da questão ! Conosco é racismo, com eles é PIADA DE MAU GOSTO !

    É o famoso colírio ….

    E é isto e bem isto !

  21. O extenso comentário do Hélio foi perfeito!
    Um dos seus melhores que eu já vi!

    Enquanto a instituição Grêmio não se posicionar fortemente e com ações práticas, essa imagem falsa de racismo será transmitida ao longo dos anos. Infelizmente é assim que somos vistos, o clube violento e racista…
    Nesse ponto a culpa é nossa. Poucas campanhas abordam o assunto no Grêmio e quando abordam não tem o impacto adequado.

    Em menor proporção foi o que aconteceu no caso Arena. Até o clube lançar um site oficial, o que valeu foi a especulação e os comentários desinformados.

  22. Ia me esquecendo. Grato pelos moderadores excluirem os comentários. Aplausos. Já é dificil aturar os mal intencionados que distorcem os nossos valores e atiram a nós todos torcedores do clube pechas deploráveis e ainda me aparece um idiota dentro da trincheira para tal qual Judas bancar o beijoqueiro contemporâneo. Não faltava mais nada.

    Helio. No artigo sobre o macaco sem pretensão de lecionar capítulo da história brasileira faço menção das nossas origens escravocratas; todos neste país um dia foram racistas ou estiveram muito próximo de quem foi; como disse lá, o co-irmão não é nem mais nem menos racistas do que fomos e do que ainda pode ter sobrado de herança maldita deste período, tanto que nunca tiveram um Presidente Negro, não possuem dirigentes negros e penso que nunca possuiram, e tiveram raríssimos conselheiros negros. Um dia num programa perguntei a um ilustre conselheiro colorado quantos negros tinha no conselho e a resposta foi: poucos. Dá o nome, retruqei. Silêncio, ele não sabia. E a história conta, tb contei aqui, que a não é verdadeiro o fato de que o TEsourinha teria sido nosso primeiro jogador negro e isto somente na década de 50, porque até então era proibido negros no clube. Mentira, 5 anos depois da fundação o Grêmio teve um jogador negro – eles nem registro disto tem na época. O Tesourinha foi o primeiro negro famoso, não o primeiro negro … Então evidente que em sendo um país escravocrata, repito, natural que ainda hoje haja racismo e não menos natural, num país essencialmente capitalista como estamos, que a questão passe pelo poder econômico e financeiro sobretudo. Isto, na verdade, reforça ainda mais o que penso sobre estas pechas que nos jogam de forma LEVIANA, IRRESPONSÁVEL E CANALHA, SIM SENHORES, CANALHAS, e lamentável que um que outro Mauricinho ainda ou caia nesta ou se enfileire na lista dos CANALHAS.

    Me perdoem, mas tem temas que tem de ser tratados com energia sob pena de sermos engolidos pelo mau caratismo dos dolosos ou pela ignorância dos idiotas.

  23. Doró, torcedores que nem tu, que desistem de lutar pelos ideais e em melhorar o Grêmio, não merecem mesmo ser torcedores de time nenhum.
    Aliás, pode torcer para o coloradinho.
    Alias, deve torcer pelo coloradinho, afinal, nunca vi tanta enfase em proteger a “democracia e luta cotidiana para crescer” do time da beira do guaiba, tudo que os companheiros citaram da história preconceituosa do co-irmao são mentiras?
    E o que dizem do Grêmio é tudo verdade?
    Deixe de ser alienado pelos veículos de comunicação e realmente estude a história dos fatos com o senhor Carlos Josias.

    “o sangue azul tricolor me enoja”, uma pessoa que diz isso JAMAIS foi gremista de verdade.

    Nunca vi o tal vendedor negro de cachorro quente com a camsia do gremio ser tratado mal ou com precocneito, aliás, conheço e percebe-se muitos que são amigos destes homens, pra falar sobre racismo é necessário saber o REAL significado de racismo.

    Conheço torcedores gremistas de milionário a mendigos,que são igualmente humildes, gremistas, brancos ou negros, que se dão bem e não sentem hostildiade racial nenhuma vindo da nossa torcida.

    IMPORTANTE:
    Não se deve generalizar em nada, não pode se dizer que a torcida do gremio é racista, e nem que nenhum torcedor do gremio é racista, pois, como em todos meios sociais, semrpe há exceç~eos de comportamento.

  24. acho que os moderadores podem pegar o IP do dóro (aka maurício) e tomar as providências cabíveis. acusação de racismo é crime, tanto quanto racismo em si, e esse sujeito está fazendo isso…

  25. Parabéns, Josias. Brilhante em teus relatos e na defesa do nosso Tricolor, da mesma forma que no entendimento do post e sua discussão. Parabéns, nada mais a acrescentar.

    Aos Maurício’s e Doró’s da vida, e mais os coiós e saguis também, nos encontramos em breve nas Finais do Gauchão. Ahhhh, se vocês passarem. E serão bem recebidos em nossa casa. Aguardem!!

    Aos moderadores do blog, faço das palavras do João Luiz as minhas…e mais, parece que tem um grupo de mal intencionados e invejosos, com problema cromossômico (gazelas do beira-lago), que estão tentando minar e atacar o blog. Se faz necessário providências para proteção deste espaço tão rico.

    .
    Cláudio Medeiros

  26. meu deus!!!
    Doró, vai torcer pro inter então e sua grande democracia, a mesma que praticamente não elege negros pro seu corpo de conselheiros!

    E por acaso não há “vendedores de cachorro quente negros” na frente do aterro???
    E não há os abastados colorados que passam na frente deles com suas caminhonetes importadas, com seus vidros fechados, ignorando as desigualdades sociais???
    Lá é só povão né?
    Fernando Carvalho nasceu na vila e eu não sabia!
    Por favor, que bela argumentação a sua…

  27. DEsisti de ler o ´Doró` na primeira linha. Quem desiste de ser Gremista, nunca foi ! Nem mais uma linha será gasta no tema.

  28. Este é um assunto extremamente delicado e vale o debate. Colocar o peso do racismo sobre o Grêmio e dizer que o inter é do povo, dos negros, beira a leviandade.
    Uma história muito triste tenho ouvido nos últimos tempos, a de que o inter foi fundado por negros que não foram aceitos no Grêmio. Isso, inclusive, vindo como justificativa para se torcer pelos vermelhos.
    É este um dos combustíveis para um racismo imbecil que acomete os negros gremistas. Estes se sentem envergonhados de usar abertamente camisetas e adereços do Grêmio porque são atochados por outros negros colorados afirmando que “este não é time de negão” – e isto eu já presenciei!
    Como assim???
    O inter foi fundado por brancos tão racistas quanto os outros brancos que fundaram outros clubes do Brasil. E isto não é problema de “a”, “b” ou “c”. É problema da podridão histórica do Brasil, que tem no RS o principal e mais racista estado da federação. A revolução farroupilha está aí pra provar isso, a traição dos porongos, que os generais e outros “heróis” que hoje dão nomes às ruas das cidades gaúchas entregaram os lanceiros negros de bandeija para serem dizimados pelas tropas federalistas.
    Esse papo de racismo não pode ser tratado irresponsavelmente através de bandeiras clubísticas.
    Se há racistas na torcida do Grêmio – e há, muitos! – não é em virtude da história do clube. Se há racistas na torcida do inter – e há, muitos! – a mesma coisa.
    Esse preconceito ridículo está arraigado na história do RS.
    E isto precisa acabar!

  29. Josias, eu li todo o texto do Doró.
    É de uma tristeza sem igual.
    Que coisa horrível. Ele deve ter algum problema sério para ter escrito tais linhas.
    Lamentável…Profundamente lamentável.
    Só não consegue ser pior do que a foto no Haiti.

  30. Agora escancarou. Tá na cara que o Doró não é daqui. É vermelho e até pode ser caso do Mauricio. Isto é de uma evidência tão lógica que beira ao absurdo. Tem macaco no pedaço. A moderação deve evitar isto, estão fazendo para tumultuar. Coisa de macaco, é mais do que óbvio que este imbecil não é Gremista. Não há na torcida do Grêmio ninguém com pensamento tão tacanha e tão retardado. Alô Moderação, corta esses.

  31. O estado mais racista do Brasil??????
    Porra.
    Somos o único Estado com um Senador negro, ja tivemos um governador que foi prefeito da Porto Alegre, negro
    E ja tivemos um miss Rio Grande do Sul negra…
    O que resta para os outros estados?

  32. PERDI ESTA…….NÃO CONSEGUI LER O POST DO TAL DE DORÓ…..VOU TER QUE TOMAR UM LEXOTAN PARA PODER DORMIR DEPOIS DE TER PERDIDO ESTA CHANCE MARAVILHOSA DE APRENDER ALGUMA COISA NOVA.

    SE BEM QUE DE UM SUJEITO QUE SE ASSINA “DORÓ” NÃO DÁ MESMO PARA ESPERAR NADA QUE PRESTE.

    AMIGOS, NÃO ACHAM QUE ESTAMOS GASTANDO MUITA PÓLVORA EM CHIMANGO? (como diz o ditado popular antigo da provincia de S. Pedro….e antes que alguém comece outro debate, não sou Maragato nem Chimango, tá legal? Aliás, nem era nascido naquele tempo…hehehehehe)

  33. Queridos! Como militar, sinto-me envergonhado com o que os colegas fizeram; antes de mais nada, não é verdadeiro que essa imagem represente todos os militares pois as forças armadas são a antítese do racismo, somos um dos maiores exemplos de união racial. Tenho verdadeiros irmãos negros, louros, mestiços de todas as raças tudo isso graças ao salutar convívio diário da caserna. Entendo que a imagem não deva ser considerada apenas brincadeira de torcedores; num ambiente de tragédia como a ocorrida no Haiti não se devem fazer brincadeiras como se estivéssemos num ambiente de fraterna rivalidade como um bar, numa arquibancada de estádio de futebol ou num churrasco após uma partida de futebol sete na beira da praia de Capão; lá no Haiti morreram milhares de pessoas, todos sabemos. Usar uma criança como símbolo de uma atitude estúpida,irracional e de rara infelicidade, torna o fato ainda mais grave.
    Ao finalizar, quero reforçar que a imagem não representa o pensamento de todos os militares brasileiros, muitos dos quais morreram naquele país quando trabalhavam em prol daquele menino que foi utilizado como símbolo da idiotice de um torcedor estúpido no seu fanatismo clubístico;não sou gaúcho, não torço para nenhum dos dois grandes clubes do meu estado adotivo, estado que me acolheu por duas vezes e que é a terra natal de um dos meus três filhos, o que me dá mais credibilidade em criticar esse ato infame.
    Reajo com veemência: não aceito a intolerância racial num país formado, na sua grande maioria, por mistura de raças diversas e que produziram o povo mais belo do mundo.

    Marcos Roberto

  34. Aiquel, discordo temos que falar e amplificar esse assunto exatamente pelo que foi exposto pelo Josias e se a bandeira e camisa estivessem invertidas?

    Provamos assim que não há (ou há)racismo de ambos os lados…

  35. Excelente o nível do debate. O tema é instigante, afinal ser racista é ser burro e achar que é superior. É um ser humano mais aproximado do macaco. Ser racista é não ter luz e viver na ignorância.
    O único caso em concreto de racismo em nível de direções, ocorreu em 1979. Um alto dirigente do SCI (já falecido) chamou o juiz Luís Lourus de ” negro safado” , ao final de uma partida contra o Esportivo em Bento, após um empate.

  36. Anderson,

    Basta estudar História e Sociologia à vera como dizem os italianos pra constatar que, sim, o RS é o estado mais racista e reacionário do país. Ao contrário do que o “campo de distorção da realidade” do Galpão Crioulo ou do “aqui o Rio Grande se vê”, onde se dá valor até mesmo a fatos estúpidos como um gaúcho que tira 3º lugar num campeonato de peidos na Estônia e vira notícia.

    A letra do hino farroupilha é tão chauvinista quanto os hinos da França, da Alemanha e da Itália – todos com componentes que levam a entender que seus povos são superiores e até mesmo ‘puros’.

    Embora insano e – felizmente – nunca levado a sério pela maioria, o separatismo é resultado dessa visão torta, que faz com que muitos vivam em um mundo à parte que não enxerga que o Brasil inteiro está melhorando e que os investimentos federais pesadíssimos são travestidos como se fossem investimentos municipais e estaduais. A corrupção aqui é comprovada, as improbidades administrativas se acumulam, o volume de dinheiro desviado do Detran e pela Operação Solidária é bem maior do que o de qualquer falcatrua recente verificada nos maiores antros da corrupção, que são Brasília e São Paulo.

    Desconstruir e enxergar a arrogância do gaúcho médio (que se acha mas não é o mais culto, o mais inteligente, etc.) é apenas uma questão de ser honesto consigo mesmo e fazer um esforço pra enxergar a nossa sociedade com outros olhos. O ano em que morei no Rio de Janeiro e a viagem de ônibus que fiz por um mês para o Nordeste passando pelo sertão foram um puta choque pra mim que, até então, ainda acreditava nesse constructo hipócrita da mídia e dos “nativistas” (que são os latifundiários e seus herdeiros de terras improdutivas que sempre mamaram nas tetas de todos os governos, contribuíram com todas as ditaduras responsáveis pela dispersão de uma subcultura racista, machista e sexista travestida de ‘costumes campeiros’ e conseguira tornar as pessoas as quais quase sempre escravizavam e endividavam dóceis o suficiente pra acreditar nessas asneiras).

    O RS, hoje em dia, possui poucas virtudes e é escravo por opção. Eu não me identifico com isso aí. Eu gosto da simplicidade e da solidariedade das pessoas. Eu acho bonita a geografia do nosso estado. O RS é multicultural: há trocentas etnias, culinárias, costumes, arquiteturas e histórias por aqui. A bombacha não é nem traje típico! Sabes de onde veio? Veio como refugo da Inglaterra, que vendeu um monte dessas calças para uma guerra na Turquia e distribuiu esse calhau por aqui, para os trouxas… Revolução Farroupilha?! Libertar o RS do que, se veio de cima para baixo e a oligarquia agrária conseguiu tudo o que queria?!

    O RS foi quem mais produziu ditadores. E ditaduras são inadmissíveis sob qualquer ideologia. O autoritarismo e o insano gosto por armas (que não defendem mas apenas multiplicam mortes) são características daqui.

    Os preconceitos do RS são muitos: dizem que paulista é metido (bem menos do que os gaúchos), que carioca é malandro, que nordestino é lerdo, que ninguém fora daqui e dos estados onde houve imigração gaúcha trabalha… Isso é tão absurdo quanto um adolescente sair de casa em Caxias ou em algum outro lugar da Serra e os pais dizerem “Cuidado com ‘os negrão’!”.

    Talvez isso explique por que, de 3º em educação, somos o 19º estado. De 5ª economia, somos 13ª.

    Enquanto não apenas o país como o mundo inteiro vê menos televisão e lê menos jornal, aqui se vende mais jornal. Além disso, tudo é muito polarizado: ou se é vermelho, ou se é azul. Portanto, não vejo essa falsa naturalização de um povo rico e multicultural reduzido a uma subcultura de dominação como algo melhor do que uma religião caça-níqueis e ilusionista como a Igreja Universal.

    Desculpem aqueles que discordam de mim, mas sou um cientista social. Minha função é pôr o dedo na ferida pra fazer as pessoas pensarem. Podem até discordar redondamente em um primeiro momento. Mas, com o passar do tempo, se parte dessas informações levá-las a uma reflexão e a pelo menos algumas mudanças em suas crenças e atitudes, já terá valido a pena ter dado a cara a tapa.

    []’s,
    Hélio

  37. Depois das novas manifestações do Josias e do Guga, apenas reforço que é fundamental que o Grêmio trate de se antecipar institucionalmente a partir de um agir comunicacional franco, sem sequer citar o T.A., sem generalizar nenhuma manifestação racista ou sexista para toda a torcida adversária.

    Também já falei que o jornalismo é um pretexto: o que importa é agradar aos anunciantes. O serviço de informações capazes de orientar a sociedade rumo a um futuro melhor é negligenciado por interesses comerciais. Essa é a mídia corporativa que, no Brasil, está nas mãos de apenas 11 famílias, sendo que quase todas possuem centenas de afiliadas com concessões ilegais, irregulares e vencidas do espectro eletromagnético (ondas de rádio, que transmitem o áudio do rádio e o áudio e o vídeo da TV) e nenhum governo tem coragem de meter a mão nas concessões que a ditadura militar e, posteriormente, o Sarney, deram para um contingente que sempre gira em torno de 35% dos congressistas (deputados federais e senadores).

    País sem pluralidade de expressão não é democrático: mesmo sem armas e sem repressão coercitiva, existe a ditadura daquilo que Paulo Henrique Amorim chama de PUM (Pensamento Único da Mídia), representada pelo PIG (Partido da Imprensa Golpista). Segundo ele, um dos raríssimos jornalistas das antigas que passou pelo PIG e não se vendeu (assim como Luiz Carlos Azenha, Rodrigo Vianna e Mino Carta):

    “Em nenhuma democracia séria do mundo jornais conservadores, de baixa qualidade técnica e até sensacionalistas, e uma única rede de televisão têm a importância que têm no Brasil. Eles se transformaram num partido político — o PiG, Partido da Imprensa Golpista”.

    O exemplo do Josias sobre não terem noticiado que nada foi encontrado na sala da Geral é idêntico à “guerra preventiva” de George W. Bush, que fez a cabeça da Gringolândia a partir da CNN, da ABC, da TNT e da CBS. Foram ao Iraque, mas liberaram o espaço aéreo para a família Bin Laden inteira sair dos EUA. Por que? Porque não foi o Osama, parceiro da família Bush no Texas, que mandou explodir dois aviões nas Torres Gêmeas. E cadê as armas de destruição em massa no Iraque?!

    Se houvesse crítica não-sistemática, isto é, não-baseada na patrulha e no vigilantismo, e se não se inventasse fatos, não haveria nenhum problema em expor até mesmo os assuntos de economia interna. Afinal de contas, quem deixa vazar a notícia sabe que notícia não tem hora nem lugar pra acontecer e que tudo o que foge à normalidade pode ser explorado. A bem da verdade, não existe amizade nem segredo por parte do jornalista em relação ao objeto trazido pela sua fonte.

    []’s,
    Hélio

  38. Helio. A história é muito longa e se quiseres te forneço material suficiente para q dela te inteires. Mas em 1989 começaram a ser editados livros e publicações de conteúdo racista incentivando e pregando o preconceito e ódio racial.Pois neste Estado, segundo o amigo, o mais racista da República, foi criada uma ONG de nome MOPAR. MOVIMENTO POPULAR ANTI RACISTA. Ela era composta pelo MOVIMENTO DE JUSTIÇA E DIREITOS HUMANOS, MOVIMENTO NEGRO E MOVIMENTO JUDEU. Tive a honra de ser procurado para ser o advogado desta ONG e iniciar uma epopéia. Tirar de circulação o escritor e o editor dos tais livros de incentivo ao ódio racial. Imensa dificuldade, imagina, não havia legislação a respeito e ainda tinha que enfrentar a adversidade dos pseudo intelectuais da praça sobre ´censurar a opinião, censurar obras de pseudo literatura etc etc etc.`. Vai provar que era crime vai provar que o livro pode ser uma arma e que isto não seria depor contra uma constituição que assegurava o livre convencimento arbitrio ideiais pensamento manifestação etc…. Fizemos um trabalho hérculeo, no primeiro caso da América Latina, sem precedentes por aqui. Unico caso semelhante, no Canadá, o Guru do Escritor havia sido expulso daqule país pela mesma linha editorial e condenado… Reviramos a literatural mundial sobre o tema, sob a visão doutrinária do direito e da sociologia entre outras ciências. O primeiro grande aliado ? O consulado Alemão, pela incrível capacidade de insurgência do inesquecível cônsul de então, Alex Gutman. Vou te resumir anos de estudo, pesquiza e luta: o editor foi condenado, suas ´obras` foram consideradas criminosas, aprendidas, e somente depois de uma década a mídia se rendeu à tese e a todo estudo feito. O editor escritor continuou a prática, propusemos outra ação e novamente foi condenado. Hoje está em lugar incerto e não sabido, e condenado não só criminalmente como civilente deve uma vela para cada santo. Ouvimos no processo judeus sobreviventes ge guerra, marcados pelo holocausto, negros, minorias enfim. O caso ganhou repercussão nacional quando o escritor levantou a teste de que o judaismo não era raça era religião e que teria ocorrido, por este suposto filigrana juridico, a prescrição: ele não negava a prática criminosa, apenas queria um enquadaramento que lhe desse o direito de se socorrer da porta da prescrição e neste fndar nosso trabalho já estava concluído no seu objetivo principal: era crime ! O caso permanece único na América Latina e hoje é objeto de estudo de direito no mundo todo e em especial na alemanha, juntamente com o do Canadá. Não dá prá em 12 linhas resumir mais de 15 anos de luta. Este levante, amigo Hélio, começou aqui no RS , neste estado tido como o mais racista da nossa República. Devo registrar que um parecer, do Ministerio Publico, do ilustre Dr. Ocatviano Bremmer de Morais, a meu juízo, é a peça mais linda do processo, se quiseres, te forneço.
    Então meu querido amigo, este ´dedo na ferida` não é função apenas da tua profissão e de ti, preclaro comanheiro. É de muitos. E acho que nós, do MOPAR, lá em 1989 começamos a por. E mais do que reflexão sobre o tema, tivemos resultados exitosos da iniciativa que passa pelas mãos ´santas` de alguns ilustres gauchos, como Luis Milman, Mauro Juarez Nadvorny, Luiz Francisco Corrêa Barobsa – o Barbosinha, ex Juiz de Direito – Jair Lima Krischke e do grande represntante da Sherit Hapleitá no Brasil, Ben Abrahan. Acho que a reflexão sobre o assunto já existe há muito tempo e o nosso Estado é pioneiro nisto, com toda a certeza, historicamente e comprovadamente é ! Grande abraço e, com te disse, todo o material que quiseres posso te fornecer, tenho certeza que irá enriquecer teus conhecimentos e terás nas mãos uma história verdadeira, apaixonante e que até hoje percorre o mundo e que colocou o RS no mapa mundi de perseguição aos RACISTAS.

    Até a pé.

  39. Hélio, a história “ruim” pode ser mudada; está sendo mudada por cidadãos de boa índole, dignos e de caráter, gaúchos ou não, que escolheram esta terra adorável para viver. Realmente há muitos mitos e fatos históricos distorcidos (a causa da Revolução Farroupilha), no entanto, em todos os movimentos sociais de luta por uma “vida melhor”, há pessoas que acreditam estar fazendo o melhor, “para um mundo melhor”. Sim, há manipulação, no entanto a imensa maioria do ser humano é “boa”; solidária! Talvez o problema resida nos “caciques”; naqueles que, visando a seus próprios interesses, manipulam a “massa” formada por pessoas decentes, necessitadas,…Mesmo diante de tudo que escrevestes, com fundamentação histórica, o RS e seu povo, gaúcho ou não, são maravilhosos. AQUI, HOJE, NÃO HÁ RACISMO! O racismo não tem cor; não está no vermelho, tampouco no azul. A intolerância pode estar presente em qq lugar ou grupo sem ser percebida. Qdo notada, tem de ser combatida. Somos todos pois “gente”! Para concluir: amo o RS, pela história sim – pelo trabalho, pela economia,pelo clima, pela qualidade de vida, mas especialmente pelas pessoas que aqui se estabeleceram – gaúchos ou não – por aqui residir o MAIOR CLUBE DO SUL DO BRASIL! Nós, cidadãos que aqui nos manifestamos, comprovamos o que ora comento. Claro que há os “dorós” da vida! Vamos perdoá-los, pois o que lhes falta é educação, cultura e um pensar solidário!!

  40. A propósito, se tiveres interesse, posso te colocar frente a frente com os verdadeiros protagonistas desta história toda e que viveram passo a passo tudo que aconteceu, entre eles o Jair, o Barbosa, do Movimento Negro, e o Milman, que é um filósofo, tenho certeza que terás muito a aprender e certamente a colaborar, mas o certo é que deves saber que há uma considerável diferença entre fazer, particpar da história, e lê-la. E penso que o aprendizado direto com quem fez a história, é bem mais enriquecedor do que conhecê-la pelas fontes de leitura disponiveis.
    Estou à tua disposição.

  41. TE faço até uma sugestão. Se me permites. Programa um debate, um evento com palestra, sei lá, dá o nome que quisres. E eu levo eles. Abraço.

  42. Josias,

    Isso é lindo, excelente. Tu não postaste esse teu trabalho aqui pra ganhar confete e não precisas disso, mas eu faço aqui um espetáculo pirotécnico virtual em tua homenagem, sem esquecer todos os amigos que citaste. É uma lição fantástica de cidadania, que não pode se esgotar!

    Por outro lado, a resistência que tu descreveste e a necessidade dessa articulação complexa ter que se dar justamente aqui no RS demonstra que, infelizmente, tamanho esforço torna-se imperioso porque a ofensiva é muito forte.

    O maior alento é que não estamos sós. Tudo o que eu defendo não tem nada a ver com desmerecer pessoa por pessoa que gosta de CTG ou que é descendente de alemães e de italianos, ou que se criou de uma maneira privilegiada no campo. O problema é que, nessas culturas, infelizmente existe uma transmissão de pai para filho de valores deturpados.

    Qualquer um pode andar pilchado, beber chimarrão, gostar de música campeira, comer carreteiro, churrasco, etc. Só precisa saber discernir que os valores impostos por quem criou e determina regras para esses movimentos procura dividir os outros para conquistá-los. É um processo de dominação que se torna introjetado e se naturaliza, causando prejuízos incalculáveis às boas relações e também à economia, pois somente alguns ficam com o grosso do bolo e não há distribuição de renda equilibrada.

    É muito bom sentir-se incluído, possuir identidade cultural e sentir-se à vontade em um determinado lugar. Contudo, a familiaridade e a defesa das suas crenças, dos seus interesses e dos valores do seu chão não pode jamais se basear na exclusão nem no “poder divino”.

    Essa ótima discussão começou com uma simples foto infeliz que remete à compreensão sobre como se dá o racismo a partir do mau uso da imagem que certos torcedores fazem da imagem dos nossos clubes. Isso se desdobra naquilo que a mídia define como será noticiado e comentado e como o Grêmio poderia agir positivamente, fazendo desse limão uma limonada.

    Mais uma vez, reitero meu apelo: há sócios e conselheiros inteligentíssimos, conhecedores de diversas áreas do conhecimento, que poderiam fazer parte de uma (aí, sim, verdadeira) iniciativa de marketing que eu chamaria de GRÊMIO CIDADÃO, oferecendo palestras gratuitas na capela ou na sala do CD.

    Abração, amigo!

    []’s,
    Hélio

  43. Conselho do Gremio: vejo varios negros, escolhidos em épocas diversas, alguns já quase nos 80 anos.

    Agora:
    procurem negros no conselho deles.
    Em anuncios de TV.
    Locutores RBS. comentaristas. concursos de miss, que eles fazem tanto.
    tem algum negro por esses lugares?

    onde mesmo está o racismo?

    cbimbi

  44. Josias,

    O Guga Türck é cooperativado do Coletivo Catarse de Comunicação que, dentre tantas atividades ligadas ao jornalismo independente, programas sobre homofobia e sobre a questão quilombola veiculados na TV Brasil e ensina a criatividade a partir do ensino da produção audiovisual em várias comunidades carentes de POA.

    Todos são gremistões ali: o Guga, o Jefferson, o Valentim e tantos outros. O espaço deles na Protásio Alves está sendo reformado, para a instalação de ar condicionado e de isolamento acústico. Lá, gravamos várias edições do podcast (programa de áudio não ao vivo para ser baixado para computadores e MP3 players) BOTECO TRICOLOR.

    Neste ano de eleições tricolores, a ideia é levar jogadores, ex-dirigentes, ex-jogadores, falar sobre a historia do clube, sobre as eleições, apresentar os movimentos, discutir várias questões como a do associado na Arena, problemas que não são resolvidos pela Ouvidoria, críticas dos jogos e assim por diante.

    Participei como convidado várias vezes e acho que seria ótimo se vários dos amigos deste blog também participassem ao longo do ano. Assim que a Catarse terminar as reformas e aumentar o volume de trabalho em POA novamente (nos últimos meses, está havendo a gravação do primeiro longa metragem principalmente em Pelotas, sobre a arte do Sopapo, um instrumento e um estilo musical negro que tem em Pelotas o seu principal pólo), tudo isso pode ser bem esquematizado.

    http://almadageral.blogspot.com/
    http://www.coletivocatarse.com.br/

    Aliás, o Guga anda muito triste com a perda de identidade do Grêmio. Em parte, concordo com ele, embora espere ajudar a demovê-lo do seu desgosto. Sugiro que os moderadores postem aqui o seu último post, que fala sobre esse tema.

    []’s,
    Hélio

  45. As candentes e inflamadas manifestações de repúdio dos colaboradores e a sumária exclusão de algumas inoportunas postagens por parte dos moderadores, dizem bem do clima que se estabeleceu no blog entre gremistas e “gremistas”. O racismo, infelizmente, ainda hoje faz parte de nossa cultura. Negá-lo é querer tapar o sol com a peneira. No Brasil, está em toda a parte – que o digam os negros, os indígenas, os asiáticos, etc. Nas ruas, nos campos de futebol, nas escolas, etc. Ainda nos dias de hoje nos deparamos com casos e mais casos que não são apenas exceções à regra como dizem alguns, mas reflexos de uma cultura que historicamente segrega irmãos pela raça e que ainda hoje está enraizada em todos as classes sociais, ainda que em menor escala nos segmentos menos favorecidos, uma vez que a pobreza comum coloca em segundo plano e miniminiza todo e qualquer preconceito. O que mudou na verdade, foi a embalagem. Não somos nem os “santinhos” nem os “vilões” desta triste história. Talvez não saibamos o porque ou nem exista um porque. Somos os protagonistas da hora, apenas. Não entendo como manifestação de racismo a foto acima – a população do Haiti náo é de maioria negra? – assim como não entendo como racismo os cantos e algumas expressões da Geral e de outras torcidas organizadas. São, isso sim, ações que tem por finalidade enaltecer e dar visibilidade á agremiação de sua predileção e ridicularizar o adversário. São eventos episódicos que não fazem parte da rotina diária das pessoas. Apenas chamaria isso de gozação, “tirar sarro”. Faz parte do folclore do futebol. Na internet rola tanta coisa efêmera. Amanhã só “eles” se lembrarão. Porque que se dar tanto valor e demasiada importãncia a algo tão banal? Não acho que o Gremio tenha que se manifestar oficialmente sobre o assunto. Nós é que podemos dar o troco com sutileza, criatividade e um pouquinho de “maldade” para ficar no mesmo plano. Já vi tanta coisa de “macaco” na internet também. Não foi a primeira vez nem vai ser a última. Esta dor-de-cotovelo não vai terminar nunca. Como sempre eles precisaram usar o Gremio para ter maior visibilidade. Imagina a pouca ou quase nenhuma repercussão na internet que teria aquela bandeira vermelha o escudo e a ridícula coroa dourada. Pensariam os “gringos” tratar-se de alguma bandeira de escola de samba no carnaval. O Gremio continua sendo a única fonte de inspiração do marketing “deles”. Sabem disso e fazem gosto de valorizar e preservar esta benéfica (para eles) exposição conjunta do que viver permanentemente num segundo plano.

  46. Tsc, retirado pelos moderadores. Bom, aos que pensam que sou colorado, enganam-se muito. Inclusive sou administrador de um site e um blog vinculado ao Grêmio e já negociei projetos junto a diretoria. Por conviver com o clube que escrevi sobre os erros cometidos pela elite tricolor.

  47. Quanto orgulho em pertencer a uma “legião de tricolores” quando conhecemos e lemos irmãos gremistas como Hélio, Bimbi, Artur, Josias, Minwer, Guga, Marcos Almeida e Darcílio, para não citar outros. Impressiona a inteligência, a cultura e a capacidade de expressão dos mencionados tricolores. Nosso Grêmio tem o dever de aproveitar esse “manancial de conhecimento, capacidade e espírito de dedicação”! Cada novo dia, traz-me sabedoria da arte desses valores do nosso Grêmio. Como eu gostaria que os nossos dirigentes responsáveis pelos departamentos de MKT, COMUNICAÇÃO E IMPRENSA chamasse ao Minwer (o Hermann já o fez), ao Hélio e ao Guga para siplesmente trocarem idéias! Estou realmente impressionado com a capacidade e diversidade de “dons” existente entre nós gremistas! Fico a imaginar nosso clube mesclando paixão, “amadorismo”, voluntariedade, capacidade e conhecimento (características dos referidos torcedores) com profisionalismo (pessoas contratadas para determinadas áreas – especialistas). Creio no futuro do tricolor!! Mas portas terão de ser abertas!! Parabéns a vocês todos citados e a todos que aqui se manifestam pelo bem do Grêmio! FINALIZO concordando com o Darcílio: levemos a foto como uma gozação inoportuna e de mau gosto! O Grêmio é grande demais e é de todos: brancos, negros, amarelos, cafuzos, mamelucos, pobres, ricos, “remediados” (nosso sou velho, mesmo),…

  48. nós podemos fazer esse debate no programa do Vidarte na Pampa. 19 as 21 hs
    não sei o que acham disso, mas posso agitar e conseguir
    abçs

    cbimbi

  49. Colaborando: não tem consistência o conceito de raça, em nenhum sentido. Logo, não há porque o uso do termo racismo. Se há, é só uma, a raça humana. Assim como também resulta equivocado o uso de sinônimos animais para caracterizar aquilo que é especificamente humano, até porque jamais saberá o homem o que significam para os animais os seus comportamentos, ainda que possamos tudo saber sobre os animais. O termo correto é preconceito, com seu derivado intolerância. E isso só acontece com e entre humanos.

    Assim, as leis, que combatem o preconceito, as que promovem uma possível equidade, por mais necessárias que sejam, não poderão fazer, nunca, com que uma pessoa possa ou tenha de gostar de outra. Isso só o conhecimento da diferença, o respeito por ela, poderão resolver. Caso contrário, não estaríamos escrevendo aqui

    Quem sabe deixamos de nos pautar pelo Internacional, eles lá e nós aqui, e cuidemos do tanto que temos por fazer?

  50. Vitor: Meu querido amigo, obrigado pela consideração, mas acho que não tenho nada de especial – apenas penso, associo e me expresso demais. E muitas vezes, sem sucesso. No geral, há muitos gremistas brilhantes que querem e não sabem exatamente com quem falar pra poderem expor suas ideias. Acho que o Sempre Imortal é um começo!

    Cesar: Se não for em uma noite de quarta ou quinta, sou parceiro!

    []’s,
    Hélio

  51. Raul,

    Concordo 100% contigo. Inclusive cansei de dizer que o T.A. e a mídia corporativa não deveriam estar entre nossas maiores preocupações. Aliás, mesmo que um dia viesse a querer, duvido que a minha maneira de encarar a rivalidade meramente local pudesse me ajudar a ser presidente do Grêmio um dia. Prefiro ganhar um Brasileirão de braçada levando 6×0 em cada Grenal do que ganhando um Grenal e terminando o campeonato em 10º lugar.

    []’s,
    Hélio

  52. 1 Sr. Raul, sua definição é perfeita e vem ensinada in TEORIA GERAL DO ESTADO de SAHID MALUF, leitura obrigatória aos iniciantes do curso de direito. Esta conceituação, no processo que citei, passou a ser o mote central da tese no STJ e no STF aonde espertamente os advogados do editor Siegfried Ellwanger e de sua Editora Revisão objetivavam demonstrar em que em não sendo um crime ´contra a raça` não poderia se enquadrar no artigo que fundava a condenação e que tinha pena pesada ( crime de racismo ) e como cnsequencia seria desclassificado para outra tipificação penal e, com isto, cairia consideravelmente a pena o que remeteria para outra contagem do prazo prescricional e por ela haveria a extinção da punibilidade justamente por ter ocorrido a prescrição. O STF e o STJ não aceitaram esta tese. Os votos foram longos, aliás todo o julgamento foi transmitido ao vivo, e os conceitos foram minudentemente debatidos. Em síntese apertada, os julgadores consideraram que a conceituação popular de raça tal qual o cidadão comum capta era o alvo do legislador ao capitular como crime racial a discriminação e o preconceito, consequentemente o incentivo ao ódio semita e aos negros era recepcionado pelo dispositivo de lei justamente para coibir a atividade que acusado desenvolvia. Interessante de registrar que quando começamos o processo, pela via do pedido de instauação do Inquérito Policial, não havia artigo legal que definisse como crime o tipo. Como todos sabem há um ditado em direito penal que diz que não há crime sem lei anterior que o defina. Assim foi que construimos uma tese inicial sobre o delito praticado com fundamento na declaraçao dos direitos do homem, no direito comparado internacional – inclusive o Canadense, aonde havia o único precedente – na nossa constituição que vedava a discriminação e o ódio racial ainda que asseguradas a livre manifestação do pensamento, credo religioso, etc. Estas ultimas proteções constitucionais amparavam a tese defensiva. Foi quando resolvemos atacar uma a uma das proteções constitucionais para demonstrar que na verdade era uma imposição de limites, não de porta aberta à criminalidade, por exemplo: o culto religioso livre não autorizava nenhum credo a praticar o sacrificio humano tanto quanto a livre manifestação de pensamento não poderia autorizar o incentivo ao preconceito e ao ódio racial de qualquer espécie; um livro é um livro, mas pode ser uma arma se eu bater com ele na cabeça de alguem e o matar. É permitido o livre comércio, mas não posso transportar cocaína. O objeto, portanto, tinha que ser licito. Se o que eu tansporto é crime, o transporte é crime, se ao escrever um livro faço a apologia do racismo, do ódio, ou da droga …. crime é ! Durante ao processo, em meio à esta discussão, surge a Lei que expressamente tipifica o crime em questão e estabelece a pena. Ai a discussão passou a ser diferente, se se aplicaria esta lei ou não porque em tese não pode retroagir a lei penal que desfavorece o acusado. E ai volta o conceito, a constituição prevê que o crime de racismo é IMPRESCRITIVEL e se chega a cnclusão de que houve o delito, ainda que nao regulamentado à época do fato …. e ai vai… Enfim, esta decisão é muito interessante, mas ela é pontual porque discute o conceito para efeitos de prescrição se teria havido ou não. Independentemente do que ela definiria a condenação não seria alterada no seu mérito, iria apenas haver decretação ou não da prescrição o que não houve e o acusado teve mantida a condenação do nosso tribunal de justiça do RS cujo relator foi o Des. Fernando Mottola que proferiu um voto extraordinário. Quem tiver interesse nisto me fale, o processo é um documento histórico mas mais do que isto é uma aula de humanismo espetacular. Mas voltando ao inicio, o Sr. tem toda a razão.

    2. Cesar, não acho que o programa do Vidarte seria bom para uma discussão do tipo. Este tipo de programa tem alvo de audiência e seria bombardeado por intervenções apaixonadas pelo clubismo ensejando chingamentos, deboches etc.

    2.1. Acho isto sim que os Moderadores poderiam, com a ajuda do Helio entre outros, promover um encontro ou dois, sobre o tema. O alcance deste blog é um negócio estupendo. Esses dias recebi um email de uma amiga que está em Barcelona há horas, e me diz que postou no artigo sobre o Hino Argentino seu comentário. Como lhe cheogou às mãos ? Por uma comunidade de Gremistas do Orkut.

    2.2. Poderia ser um encontro para contar a história deste processo que cito aonde se debate amplamente os conceitos de racismo, e eu poderia levar, se não todos, alguns dos componentes do MOPAR ao debate, como o Jair LIma Krischke, o Luis Milman, o Barbosinha. Infelizmente o Ben Abraham jornalista judeu que nos ajudou muito no feito, sobrevivente de Guerra, andava muito mal de saúde e não sei se já nos deixo ou não perdi o cntato com ele há uns 2 anos quando para a infelicidade dele perdeu um filho numa tragédia. Enfim, mas os nomes citados foram os mais atuantes e subscreveram a petição que dá inicio ao IP num ato de coragem pq sequer legislação especifica haiva, e obtiveram do delegado, na época o Newton Muller, o despacho para apreensão dos livros que estavam sendo comercializados na feira do livro.

    2.3. E talvez depois outro, especificamente sobre o que se discute aqui.

    2.4. Hélio, segunda feira vou te enviar por email o excelente e premiado trabalho do promotor Ocatviano Bremmer de Morais que lançou o parecer pelo MP pertinente ao Recurso de Apelação que fizemos ( sim, em primeiro grau a sentença foi de absolvição, a condenação veio somente no tribunal ) e que foi recepcionado pela Câmara Julgadora. Ele é um primor.

    3. Por fim, estou com o Marcos. Se levarmos 6 x 0 não precisa implodir o olimpico. A torcida ´pica` ele todinho.

    abraço a todos e fom findi !

  53. Vou colar algumas das anotações na internet sobre o PRIMEIRO CASO ( teve duas demandas penais ), mas ao que já pesquizei, não encontrei o conteúdo das decisões nem no site do tribunal, apenas registros e comentários sobre elas. Tenho a sentença de absolvição o acórdão do TJRS da lavra do Des. Fernando Mottola que deu provimento ao nosso recurso de apelação, o parecer do MP como já dito acima – Vejamos alguns:

    http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2003/05/254979.shtml

    http://noticias.terra.com.br/brasil/interna/0,,OI145429-EI306,00.html

    http://www.aggio.jor.br/jornal20/nazismo.htm

    ATENÇÃO:

    APÓS A CONDENAÇÃO SUPRA, O EDITOR CONTINUOU COM A PRÁTICA DELITUOSA. NOVAMENTE ACIONAMOS A JUSTIÇA, REPRESENTEI MAIS UMA VEZ O MOPAR E NOVO PROCESSO FOI PROPOSTO. NOVA CONDENAÇÃO, A SEGUNDA CONDENAÇÃO, QUE TB FOI CONFIRMADA PELO TJRS …. A SENTENÇA SEGUE ABAIXO. O EDITOR NÃO FOI AINDA ENCONTRADO PARA CUMPRIR A SENTENÇA.

    http://www.conjur.com.br/2004-set-10/editor_nazista_condenado_dois_anos_reclusao

    após o tribunal confirmou … com esta nova decisão, em tese, o acuado não teria direito à sursis …. hoje, em lugar incerto, ele deve estar com 80 anos ou mais

  54. Eu prefiro ganhar mil grenais de 1X0 e ser multicampeão. Lógico que isso nem sempre será possível, mas é a meta a ser perseguida. O futebol é competição e o tradicional adversário também está no mesmo barco que nós. É nosso maior adversário, aqui e fora daqui, porque os reflexos de uma derrota para “eles”, seja onde for, tem desdobramentos distintos e repercussão muito maior do que uma derrota para um outro adversário qualquer. Vejam os exemplos de Real X Barça, Inter X Milan, Boca X River, etc. O tombo é muito maior. Também concordo que a prioridade são as coisas do Gremio, mas fiquemos de olhos abertos, porque basta uma vacilada e tudo pode ir por água abaixo. Exemplo: Se perdermos os próximo Grenais, nem quero imaginar o que de ruim pode acontecer. Portanto, me desculpem os amigos, mas ficar num segundo plano aqui na aldeia, por mais consistentes que sejam os argumentos, não é uma boa pedida. Eu, fora!

  55. Prezado Marcos Almeida

    Não mudo um centímetro da minha interpretação.
    Creio que o amigo não a entendeu, pois ao dizer que o assunto da foto (E NÃO DO RACISMO COMO CRIME) estava sendo levado muito adiante.
    E expliquei que não vejo CONOTAÇÃO RACISTA OU DE PRECONCEITO SEXUAL nas brincadeiras entre as nossas torcidas, exemplo os termos MACACOS e GAYMISTAS.

    Foi focando este assunto específico que dei a minha opinião.

    Não pense que sou do tipo que prefere varrer para baixo do tapete o enfrentamento de temas realmente importantes, como a prática deplorável de RACISMO.

    Esperando ter sido, finalmente, compreendido pelo amigo, esclareço que o inverso nas cores da foto igualmente teriam – para mim – a visão de uma brincadeira. De muito mau gosto, é verdade, mas uma brincadeira.

    Quando sugeri a punição aos soldados, o fiz em razão dos mesmos estarem a serviço e vestindo uniforme militar brasileiro ao resolverem ser “engraçadinhos”, seja com a bandeira vermelha, seja com a nossa.

    Abraço

    Marcelo Aiquel

  56. Aiquel penso como tu, sobre o assunto, mas insisto que esse episódio serve exatamente para isso colocar tudo em termos de brincadeira futebolísica e acabar com o falso moralismo. Quanto aos autores que o exército os puna

  57. Mandei o link do blog com essa foto lamentável e escrevi um texto onde perguntei se por ato isolado de alguns idiotas,taxam a torcida gremista de racista, então por essa foto posso falar que a torcida colorada é racista? Mandei para todos blogs esportivos do clicrbs, pro Vidarte e pro Hiltor…
    ATÉ AGORA, NINGUÉM REPERCURTIU OU APROVOU O MEU COMENTÁRIO. AH SE FOSSE AO CONTRÁRIO, OS “MESTRES DA MORAL” JÁ ESTARIAM ARMADOS COM DISCURSOS MARAVILHOSOS….
    EU TENHO NOJO DESSA CRÔNICA GAÚCHA.

  58. Amigo Vitor, obrigado pela referência,você é um grande coração.
    Amigo Bimbi, essa discussão deve acontecer na imprensa. Se não for no Vidarte, pode ser no blog do Hiltor ou em outro espaço.
    Em 1970 durante um jogo da canarinho na copa, eu estava em um restaurante de Gravataí, bebendo minuano limão, e presenciei um sujeito negro ser ofendido por um branco e colorado. O branco não aceitava que o outro fosse negro e gremista. Era a época do “Ame-o ou deixe-o”. O Brasil mudou e o Grêmio também. À época um negro gremista era uma raridade.
    Essa discussão deve ser feita com urgência.

  59. o vesgo pigmeu devia pagar ingresso , no minimo,cada vez que entrasse no Olimpico.
    e sofrer um processo por dano moral ao clube ,partindo da torcida.
    infelizmente não temos, mas deviamos criar uma organização da torcida pra tomar atitudes assim.

    cbimbi

  60. Helio, me passa um e-mail porque não tenho o teu, aí discutimos o assunto. pode ser 3a feira, quem sabe? não precisaria formalizar o controle do blog, bastaria se identificar como participante

    cbimbi

  61. Artur. Me desculpa a sinceridade. Mas desconfio desta discussão na mídia com esta inclinação que ela tem contra a torcida do Grêmio até pelo mico que pagaram na invasão da sala da geral onde toda aquela fanforronice de nazistas na torcida e etc caiu por terra; aquilo foi um fiasco, um mico histórico, plantaram isto, e os desinformados e ou mau intencionados sairam atrás; nunca houve isto a não ser na cabeça deles que se esforçaram e ainda se esforçam ao máximo para demonstrara que O RACISMO É PRIVILÉGIO NOSSO E QUE NÓS GREMISTAS SOMOS POR NATUREZA RACISTAS…..Por isto tal discussão com eles seria propiciar que nos ataquem como costumam fazer entre outros este projeto de repórter que é o Benfiquinha e que agora ganhou um adepto vesgo e máu caráter, porque que diz o que ele disse sobre o hino argentino é sim MAU CARÁTER prá não dizer mais. Com este tipo de gente eu não trataria o assunto. E me desculpem quem gosta do Vidarte. É muito vermelho pro meu gosto. Já disse aqui e vou repetir: quando era narrador da pampa foi suspenso porque narrava os jogos dos vermelhos de um jeito e os nossos de outro. Não tenho nada pessoal contra cronista, jornalista, etc, ser gremista ou colorado. Aqui todo mundo tem time, o que me irrita é quando o cara sai do terreno da parcialidade e entra na área da intencionalidade tendenciosa. Eu não exijo imparcialidade ou isenção porque isto não existe, o que eu exijo é que o cara não seja tendencioso. E estes citados são, eu os escuto há tempos, e ele não resistem ao microfone, na hora se entregam. Não resistiriam ao teste da máquina da verdade. Falar o que falou do torcedor do Grêmio sobre o hino argentino, é coisa de gente tendenciosa. Se referir ao torcedor da geral como se refere o benfiquinha é ser tendencioso. Até porque racista tem em todos os cantos, e se tem em todos os cantos, tem inclusive lá dentro da rede familiar, lá no beira rio, lá no governo do estado, lá na prefeitura, na igreja, em tudo quanto é lugar tem, como tem gente boa, gente ruim, competente, incompetente,ladrão e honoesto. Mas os tendenciosos só enxergam num lugar. Deus me livre destes caras e dos covardes. Eles são traiçoeiros. Eu não arriscaria debate com gente deste tipo. Jamais. Querem ser arrriscar, vão, vai ser pior. ATé porque termina o programa, termina a opinião de vcs e eles ficam falando horas e dias sem parar e ai dizem o que bem entendem. Não. Esta não.

  62. Se querem propiciar este debate com a sociedade, façam eventos com representantes efetivos dela, com a presença de historiadores, de sociólogos, psicologos, antropologista, filósofos, e com represntantes da mídia escolhidos a dedo … e não creio que será muito fácil encontrar alguém na mídia esportiva q possa encarar isto com a seriedade necessária, exceção feita, me perdoem, ao Professor Ruy que possui uma visão ampla de sociologia e filosofia. Mas me digam o que poderíamos aprender levando um benfiquinha por exemplo ? Ele não possui capacidade para ensinar uma tartaruga, o que poderá ele nos dizer de novo ou aprender com o que vive dizendo de nós ? Nada senhores, absolutamente nada, seria um exercício de incentivo à nossa burrice adormecida. Este debate tem que ser feito com gente que tenha discernimento suficiente para enfrentar o debate com inteligência e cultura, sem tendencias pré estabelecidas, e longe da brutalidade da ignorárica pré conceituosa ! É isto.

  63. Em relação a esse tema, realmente, concordo com o Josias: não existe preparo técnico, prático e tampouco intelectual. Essas pessoas não possuem histórico de ação cidadã, da construção da autonomia de sujeitos em comunidades carentes ou da comparação séria e profunda da complexidade das relações históricas, políticas e econômicas. Nenhum programa precisa ser acadêmico. Contudo, depois que eles permitem um debate proporcionado por especialistas, ou convidam apenas aqueles que pensam do seu jeito, ou não deixam quem pensa diferente falar muito.

    Um exemplo é aquele programa calhorda do Lasier Martins, o Conversas Cruzadas: pergunta apenas bolas quicando para seus convidados prediletos chutarem para o gol vazio e aperta e pressiona quem pensa diferente por todos os lados. É assim que eles agem.

    O pior de tudo é que eles têm a oportunidade de entrevistar e de investigar, mas não o fazem. Assim, a informação entra por um ouvido, sai pelo outro e o serviço de esclarecimento e de orientação para a sociedade que o jornalismo deveria oferecer simplesmente inexiste.

    []’s,
    Hélio

  64. 1. Helio. O programa do Lasier revela toda a fragilidade das nossoas instituições. Menos de uma semana depois do assassinato do Eliseu, foi ao ar um debate em que participou integrantes da policia civil, ministério publico e um renomado advogado. Tema da discussão: foi latrocinio ou execução ? Amadorismo, a P C e o M P se prestaram para expor publicamente uma investigação que começava e que se perquiria se era isto ou aquilo. Puro amadorismo que nenhuma das duas instituições poderiam se submeter a ele. Outra, o Caso Daudt. Antes do julgamento a Imprensa debateu amplamente e condenou o indiciado. Entre tantos da imprensa, o próprio Lasier. Mico histórico da nossa Midia, o indiciado foi absolvido e até hoje não se sabe exatamente quem foi o assassino. Pior do que isto, o Judiciário mandou a P C reabri o caso. A P C = cagou e andou, mandou o processo para o arquivo. E ficou o dito pelo não dito.

    2. Quando cmeçou o caso Siegrfied Ellwanger, o Wianey escrevia na coluna que hoje é do Hiltor no CP. E fez uma critica severa sobre quem ´perseguia`a dita livre manifestação do pensamento.

    2.1. Quando houve a cndenação, eu mandei um email para ele relembrando a crõnica que ele fez, e que eu guardei, e o resultado do processo. Ele disse que não se lembrava e até fez uma peroração interessante sobre o caso.

    2.1.1. O que ele não falou e eu não lhe relembrei, foi que na ocasião a sua coluna tinha um patrocínio que vinha inserido em cima dela: da Editora Revisão, a mesma do condenado.

    ETA MUNDÃO ESSE MINHA GENTE !!!!!!!!!!!!!!!!

  65. PESSOAL,MUDANDO UM POUCO DE ASSUNTO, CHEGOU A HORA DA VERDADE!!!!
    ACABOU AS FÉRIAS DO NOSSO TRICOLOR!!! AGORA VAMOS VER SE O GRUPO MARAVILHOSO MONTADO PELO MEIRA VAI LEVANTAR ALGUMA TAÇA ESTE ANO. ESTA SEMANA PROMETE.

    OBS. ME CONTARAM UMA QUE EU REZO PARA QUE SEJA MENTIRA. QUE O GRÊMIO PAGOU UM VALOR DESNECESSÁRIO PARA UM EMPRESÁRIO FRANCES QUE INTERMEDIOU A RENOVAÇÃO DE CONTRATO DO SOUZA.TUDO PORQUE O MEIRA QUE NÃO SABE FALAR FRANCES QUIS FAZER A NEGOCIAÇÃO SOZINHA SEM A AJUDA DE UM INTÉRPRETE.

  66. Um dos maiores problemas que enfrentamos é o silêncio dos capazes. Geralmente os que debatem, falam na mídia, lideram programas são os mais despreparados. Mas eles simplesmente vão lá e falam, azar se estão falando bobagem ou não eles falam. Cabe a quem tem conhecimento lutar pelo espaço e dizer o que tem de ser dito.

  67. Bem. Agora não tem mais volta. Vamos para os Grenais. Segundo alguns colaboradores do blog, estas partidas não valem nada. Sugiro que façam um apelo à direção, para que o treinador escale um time qualquer de garotos da base e, ao mesmo tempo, que mande os “endinheirados” para casa descansar. Afinal, as equipes do interior estão exigindo demais destes “pobres atletas”, e para que desperdiçar energias com algo que não leva a lugar algum? Tenho uma sugestão melhor: quem sabe a equipe não comparece e perde por WO, pois assim não passaria pela angustiante perspectiva de uma possível derrota por goleada. Além do mais, poderia se preparar com mais calma para a próxima etapa da Taça Brasil, isto se conseguir passar pelo Avaí. Pessoal! desculpe a brincadeira de mau gosto. Mas o que aqui foi dito e discutido nos últimos dias, acabou acontecendo. O Gremio deixou o adversário chegar e agora está na “obrigada” de superá-lo. Estou curioso para saber o que o Hélio vai fazer nos próximos domingos… Na quarta, sei que estará torcendo pelo Gremio contra o Avaí, talvez na companhia de outros gremistas. Afinal, um bom resultado permite continuar sonhando com o penta da Taça Brasil e com a Libertadores de 2011. Eu já sei o que vou fazer: vou continuar valorizando o Gauchão, pois eu quero é ganhar Grenal sempre. E eles estão aí nos nossos calcanhares por uma incompreensível e inesperada “rateada” do imortal na reta final. E, enquanto não acabarem com o nosso “ruralito’ não passa pela minha cabeça perdê-lo, ainda mais para “eles”. Helio! não me leve a mal. Na falta de uma coisa nova – já que o Simon confirmou sua aptidão para decidir jogos a favor do co-irmão – resolvi fazer essa gaiatice. Entenda tudo o que aqui foi dito como uma brincadeira, apenas.

  68. esclareço:
    o Ricardo Vidarte é meu amigo de fé.
    O programa dele tem aberto muito espaço igual pros 2 lados, tem vários conselheiros indo e a audiencia pelo q sei tá crescendo, até pq quem aguenta escutar o Brito e o esporte da Band fazendo as mesmas piadas.
    O TEMA NÃO VAI SER RACISMO!! trata-se de entrevistas informais mas sempre de bom nivel, escutem e me digam depois.
    quanto a restrições, todos temos a todos porque todos erramos, mas o Vidarte é bom caráter e não tem rabo-preso, além de ser um cara fácil de relacionar.
    o tema vai pintando na hora…
    me esquecí: é uma alternativa a cronica esportiva tradicional, assim como o A.Augusto tbém é.
    cbimbi

  69. César Bimbi, o Vidarte pode ser teu fraterno amigo e uma ótima pessoa, e realmente parece que é, mas ele fede de colorado, não consegue mais disfarçar, tanto é, que ano passado, no dia do aniversário do Grêmio, ele publicou uma palhaçada feita por um colorado amigo dele no blog. Levou tanto pau que tirou. Ah, e tem a clássica foto dele com o rosto triste atrás do gol do flamengo, após a bucha do Carlos Miguel na final da Copa do Brasil-97.

  70. Darcilio, estou incomodado por ter que decidir contra o TA. E por quê? Porque ainda não aceitei o fiasco do jg contra o pobre lobão. Porque senti q os jogadores simplesmente não respeitaram o clube e a torcida, do contrário teriam “comido a grama” para vencer o “grande” Pelotas. Chateado porque, mesmo não sendo um grande time, o Grêmio não é inferior ao SCI, todavia parece q tudo dá certo para eles. Lembro do jg contra o Quito no Equador, do jg contra o NH e contra o Emelec. Escaparam de 3 derrotas, pois os adversários foram superiores a eles. E o Grêmio? A impressão q tenho é que entramos no Grenal com medo. TEmos ainda uma GUERRA contra o Avaí. Pqp poderíamos ter resolvido o jg no Olímpico, mas a atuação do segundo tempo foi HORRÍVEL. Além disso, lembro da ARBITRAGEM. Hj o primeiro gol do SCI foi um ESCÂNDALO. Será q a mídia dará destaque? Quero muito vencer os DOIS GRENAIS e o Gauchão, mas estou preocupado. Muito preocupado!

  71. Vamos pra ganhar, é lógico!
    O pensamento não pode ser outro. Também não temos motivos pra botar reservas e poupar pra Copa do Brasil. O grupo é grande e aguenta.
    Se não ganharmos as finais, será o campeonato mais ganho que perdemos. Estava tudo nas mãos do Grêmio e não soubemos nos impor.
    Contudo, o estadual segue não sendo parâmetro pra nada. Se ganharmos não seremos o melhor time e não vamos a lugar algum. Se perdemos, não seremos o pior time e os campeonatos fortes ainda estarão por vir.
    Pra mim o gauchão só atrapalha e o Grêmio se atrapalhou em chegar nas finais com 2 gre-nadas.
    Agora vamos à luta, mas que o foco principal não seja perdido, a Copa do Brasil!

  72. Olha aí….
    Estamos presos em uma arapuca que nós mesmos criamos. SOMOS obrigados a ganhar!!Não vencemos GREnadas a muito tempo e o gauchão, mesmo não sendo nada (coisa que discordo) não vencemos desde 2007.
    Ontem por pura incompetência nossa o Fábio Koff te de entregar novamente a taça com seu nome ao “nal”, nunca teremos essa taça pq agora nãoe existe mais copa com esse nome.
    Espero que o time se mobilize mesmo! Temos uma guerra na quarta, o Avaí está preparando uma batalha, não esqueçam que se fosse o contrário ninguém daria o jogo por perdido…

  73. me preocupa é o discurso mole de vestiario, prá mim tem tudo a ver com nossos problemas.
    o time é bom.
    esses dias o piffero disse em alto e bom som q queria grenal prá arrumar a casa. se fosse noutros tempos, haveria utilização dessa declaração ( e muitas outras dele ) prá agitar o animo dos jogadores.
    ouvir o meira, com aquela fala desconexa, representar o Gremio é castigo demasiado!

    cbimbi

  74. nossa torcida anda desanimada e quieta demais.

    nossos jogadores, ou desandam a falar bobagem em microfones, ou se mostram preocupados com a crise técnica de jogadores deles. E DECLARAM ISSO EM MICROFONES!

    não tem ideia da reprecussão junto a torcida

    saudades do Cacalo, Odone, prá não dizer outros, o fato é que o cargo de presidente ou diretor de futebol EXIGE saber se expressar

    cbimbi

  75. Agora é Gre-nada e vamos pra cima, eu queria um jogo assim, só pesso que os jogadores lembrem da comemoração do baitola`s brother lá em Erechim.
    A torcida vai a ferro, quero ver jogadores e diretores!!!!!!!!

  76. Edison Patta, meu caro, o momento requer “chamamento”; evocação do “gremismo desesperado” (verddeiramente apaixonado), porquanto a humilhação a que torcida e clube estão sendo submetidos é intolerável. Dirigentes do SCI e parte da imprensa estão unidos no intuito de “empurrarem o TA”. A hora de “gritar” é agora!! BIMBI, tomara que teus comentários (avisos) estejam longe da razão!! Que momento complicado! Apesar de meu “amadorismo”,minha passionalidade, meu gremismo “desequilibrado”, como gostaria de ESTAR DIRIGENTE neste cenário atual!!! O que eu faria? Simplesmente chamaria minha torcida; suplicaria que ela estivesse ao lado do Grêmio “PARA O QUE DER VIER”!! E a arbitragem do SIMON ontem? Onde está o sr. Chico Garcia, o sr. Nando Gross, ….para dizerem o óbvio: IMPEDIMENTO ESCANDALOSO que somente SIMON não poderia enxergar!!!

  77. Nossos dirigentes de uns tempos prá cá, são adeptos de oferecer a outra face prá bater.
    O Pifio esse já chamou o Gremio de tudo q possa ser ofensivo ( ele deve ter tido problema de infancia com alguem vestido com a camisa tricolor ) e nunca ninguem rebateu.
    Aliás, gostaria que o Meira não abrisse a boca esta semana, pq os reporteres vão implorar alguma declaração infeliz, e eles já sabem de onde tirar…
    Vitor, se qiseres ir no Vidarte, ele está abrindo espaço, aí me liga. Não tô ganahndo nada com isso, a não ser o desejo de colaborar, digo isso pq já levei umas patadas com isso.

    cbimbi

  78. BIMBI, meu estimado amigo, tu és dos mais caros e nobres gremistas que conheço. Não percebo uma única palavra ou expressão tua que não contenha amor e compromisso pelo Grêmio. Independente de qq convergência política, faço questão de lhe reconduzir ao Conselho, mas como TITULAR. Dizes tudo que queremos dizer, dentro da Instituição, de uma forma singela, pura e HONESTA. Fico feliz por te conhecer, caro amigo, e por reconhecer o quanto és gremista de verdade. Para nos martermos “atualizados”, exponho o seguinte registro, EMBORA O FOCO SEJA A GUERRA DE FPOLIS (que a RBS ajudou a construir):

    “Noveletto afirma que Simon pode apitar primeiro Gre-Nal da final
    Árbitro irá encerrar a carreira após participar da Copa do Mundo”. De bom é que ele não apitará os dois. Temos alguma chance num dos Grenais portanto!!

  79. Sem dúvida, Rafael. Jogo terrível, pelo bom time e do Avaí e pelo cenário de “guerra” que parte da nossa “isenta” imprensa ajudou a construir, a partir de um erro relativa a um simples ESCANTEIO. Depois vem pênalti (que sequer foi falta),….expulsão injusta de um cara q ofende à arbitragem (mas a do Douglas foi corretíssima, para essa mesma parte da imprensa isenta,…).

  80. http://esportes.terra.com.br/futebol/brasileiro/2009/interna/0,,OI4089606-EI13759,00-Veja+erros+marcantes+da+carreira+de+Carlos+Eugenio+Simon.html

    Veja 10 erros marcantes da carreira de Carlos Eugênio Simon:

    Campeonato Brasileiro 2009, Fluminense x Palmeiras
    Obina marcou gol legal, subindo firme e cabeceando para as redes. No lance, Maicon segurou o palmeirense, que mesmo assim foi superior na jogada e marcou o gol. Simon anulou, alegando falta do palmeirense.

    Campeonato Brasileiro 2009, Santos x São Paulo
    Depois ser expulso, Rogério Ceni, segundo mostrou cronometragem, levou mais de cinco minutos para deixar o gramado da Vila Belmiro. Pressionado pelos são-paulinos, Simon apontou três minutos de acréscimo, em jogo que teve seis alterações. A partida terminou 4 a 3 para o São Paulo.

    Copa do Brasil 2009, Fluminense x Corinthians
    Não foi lance que definiu a partida, mas Simon foi omisso. Tenso em partida que valia vaga nas semifinais da Copa do Brasil, o atacante Fred deu praticamente uma voadora nos pés do zagueiro William e deveria ter sido expulso.

    Campeonato Cearense 2009, Ceará x Fortaleza
    Provavelmente, o maior erro de arbitragem do futebol brasileiro em 2009. Na decisão do Campeonato Cearense, Edu Sales, do Ceará, corre com a bola dentro da área, tropeça no gramado, e cai de queixo no chão. Longe do lance, Simon aponta a penalidade, que claramente não existiu. Ao menos, a decisão não influenciou o resultado final do torneio, vencido pelo Fortaleza.

    Campeonato Gaúcho 2009, Grêmio x Internacional
    Um lance difícil de ser visto, mas capital. O Gre-Nal de Erechim, marcando 100 anos do clássico, estava empatado. Jonas recebeu em condição legal, marcou para o Grêmio, mas Simon anulou o lance. Em seguida, Nilmar colocou o Inter em vantagem e confirmou vitória por 2 a 1. Após o jogo, o árbitro reclamou da iluminação no estádio e minimizou o erro.

    Brasileiro 2008, Cruzeiro x Flamengo
    Cruzeiro e Flamengo lutavam por título e vaga na Copa Libertadores, na 36ª rodada do Brasileiro. Os cruzeirenses venciam por 3 a 2 e, aos 46min, Diego Tardelli foi claramente derrubado por Léo Fortunato, dentro da área. Na reclamação, Simon, que virou inimigo do Flamengo, expulsou Tardelli e Fábio Luciano. Desde então, o árbitro gaúcho não foi escalado em nenhum jogo dos rubro-negros.

    Copa do Brasil 2007, Botafogo x Atlético-MG
    Um erro que o próprio Simon admite. No Maracanã, o Atlético-MG buscava o empate e a vaga nas semifinais da Copa do Brasil. Tchô foi derrubado dentro da área por um defensor do Botafogo e o árbitro gaúcho nada marcou, em erro que custou a classificação atleticana.

    Copa do Mundo 2006, Itália x Gana
    A atuação de Simon na Copa 2006 provocou revolta em Gana. Na estreia contra a Itália no Mundial, o árbitro gaúcho não deu penalidade clara para os africanos, em falta de De Rossi em Asamoah Gyan. O lance se deu no momento em que jogo estava 1 a 0 para os italianos, que acabaram marcando o segundo gol nos acréscimos.

    Copa do Brasil 2002, Corinthians x Brasiliense
    Até hoje, Carlos Simon é apontado por torcedores do Brasiliense – e rivais do Corinthians -, como responsável pelo título da Copa do Brasil em 2002. O gol da vitória corintiana no jogo de ida, no Morumbi, foi irregular, com Gil derrubando zagueiro adversário. No fim, com o empate em 1 a 1 na finalíssima, o lance decidiu o torneio.

    Copa do Mundo 2002, Inglaterra x Suécia
    Em seu primeiro jogo de Mundiais, Simon deixou marca negativa. Henrik Larsson, da Suécia, foi derrubado pelo inglês Rio Ferdinand, mas o brasileiro deu sequência. Os ingleses ainda permitiram o empate e o jogo terminaria empatado em 1 a 1.

    Fora aquela prorrogação na final do gauchão XV de Novembro e SCI2006 e também a recuada que o Clemer segurou com a mão e valeu, em 2006.

  81. E ainda existe o sr. Leonardo Gaciba, em relação ao qual ainda somos devedores por aquele lance em que o Ronaldinho dominou a bola com a mão (intencional??) na intermediária do Grêmio e, após percorrer toda a extensão do gramado da beira-lago, fez um golaço. A cada grenal a impressão que tenho é que “resgatamos” um pedaço dessa dívida que, pelo visto, jamais será saldada (Grenal do 1 turno de 2009 – pênalti não marcado em Léo e pênalti marcado para o SCI qdo Nilmar cai e levanta rapidamente com receio de ser amarelado – Tiego teria feito a falta. Detalhe: o próprio jogador informou – em círculo fechado – que não foi tocado pelo Tiego). Fazer o quê? “Somos ruins e eles são campeões de tudo” com o apoio de “TODOS”!!!

  82. Darcilio, Cesar, Vitor, Anderson, Edison, Rafael e demais,

    Me atendo única e exclusivamente ao contexto atualíssimo, hoje, se eu fosse conselheiro ou dirigente, teria que fazer um esforço para poder me manifestar a jogadores, comissão técnica, dirigentes, funcionários e conselheiros de uma maneira diametralmente oposta à que meu sentimento ora me induz a pensar.

    Com sinceridade, este é o pior momento possível na temporada para se ter um Grenal. Confesso estar pessimista e, de certa forma, temeroso. Claro que teremos que cruzar com eles no Brasileirão, que não se escolhe adversário e que somos grandes. Todavia, os amigos percebem que a diferença EMOCIONAL e TÉCNICA em relação ao MOMENTO em que considerávamos válida e quase certa uma vitória nossa num clássico infelizmente hoje está totalmente contra nós?

    Vejamos: técnico por técnico, tanto o nosso quanto o deles possuem um certo currículo (não necessariamente expresso sob a forma de década de trabalho ou de títulos relevantes mas, sim, de uma certa experiência que, bem ou mal, precisa ser considerada). A bem da verdade, nem Silas nem Fossati pode ser considerado amplamente superior um ao outro.

    Jogador por jogador, não creio que caiba fazer essa comparação. Porém, enquanto demonstramos um crescimento CLAUDICANTE confirmado pelas imensas dificuldades contra adversários que não são nenhuma Brastemp, mesmo empatando em casa ou vencendo por um gol de diferença e sendo amplamente criticados, eles passam por um momento em que estão visivelmente mais PREPARADOS PARA DECIDIR.

    Hoje, quem está com vários problemas físicos é o nosso plantel e não o deles. Além disso, a suspensão de Douglas pesa muito mais contra nós do que a de um zagueiro deles (Bolívar, se não me engano). E, decisão por decisão, a deles na quinta-feira TENDE A SER anos-luz mais fácil do que a nossa. Mesmo com um dia a mais para nos recuperarmos, o nosso desgaste TENDE a ser muito maior.

    Penso que o momento de ter ganhado o Gauchão era o de liquidar o 2º turno. Agora, demos sopa para o azar. Agora, o angu tem caroço. Agora, há algo de podre no Reino da Dinamarca.

    O que mais dói é que a torcida está desunida. Há uma série de fatores que já enumerei em outras oportunidades. Porém, não custa nada repeti-los:

    – A divisão da Geral acabou com aquele volume enorme de jovens “puxando o bonde”: eles atraíam, sim, público para o Olímpico;

    – Mesmo em um montante menor e com uma fiscalização maior (via Exército Gremista e Quadro Social, por exemplo), já começo a pensar diferente do que pensava há algum tempo atrás e passo a considerar equivocada a decisão da gestão Duda de não subsidiar ônibus para a Geral. Inclusive o Exército poderia mobilizar gincanas cidadãs com ingressos para jogos fora de casa como premiação;

    – O ingresso na Geral foi majorado: isso pesa BASTANTE para o enorme contingente de Sócios-Torcedores que está em seu primeiro ou segundo emprego, com escolaridade de 2º grau e salário mínimo. A Geral deveria custar 20 reais no Gauchão, 30 no Brasileirão e 40 em qualquer mata-mata, sem aumentar o valor para a semifinal e a final. 30 no Gauchão e 40 no Brasileirão é, para os padrões atuais, caro;

    – Eu prefiro não ter placar eletrônico e garantir mais cerca de 1000 lugares na Social do que ter aquele aparelho (cuja instalação, diga-se de passagem, já está mais do que atrasada) ocupando um espaço bastante nobre, que é justamente onde pais de filhos pequenos não correm o risco de se acidentar em função da avalanche mas que, ao mesmo tempo, podem sentir aquela emoção cantando alto bem ao lado da Geral.

    A falta de carisma de Duda e Meira (digo isso com todo o respeito, apesar de gostar muito da pessoa do Duda – mas é o estilo dele) e a eliminação da ajuda de custo aliadas à majoração do ingresso da Geral influem muito mais do o resultado de campo. Se quisessem investigar os sujeitos que vendiam produtos piratas do clube na sala cedida no estádio ou verificar quem transgride a lei e age com violência tanto em Porto Alegre como nas viagens, BASTA APENAS CONFERIR OS B.Os das delegacias próximas, eliminá-los do quadro associativo e até mesmo processá-los, se for o caso.

    É nessas horas que me pergunto: qual a função de um departamento de Segurança dentro do clube, mesmo?!

    []’s,
    Hélio

  83. e eu acho que o Duda Kroeff tem que parar de jogar sujeira prá baixo do tapete.
    assumir as broncas. tbém gosto dele mas gosto mais do Gremio e da torcida gremista. ficar com o meira e o pacheco como conselheiros particulares é dar chance demais a infelicidade.
    tem qe ter gente competente e dinamica prá ajudar.
    eu – se fosse presidente – pro meu bem, escolheria pessoas inteligentes, capazes e atualizadas prá me assessorar.
    esse enfoque com a geral foi mais outro erro.

    cbimbi

  84. Percebo que muitos estão preocupados com a arbitragem. Sinceramente, considero absolutamente exageradas essas manifestações.

    Ninguém admite quando o Grêmio é ajudado. E, contra o Avaí, foi, sim, bastante ajudado: não foi apenas um escanteiozinho marcado a nosso favor e, sim, um lance capital, pois abrimos o marcador. Certas pessoas, ao serem injustiçadas, não conseguem manter-se equilibradas. O jogador do Avaí só foi expulso porque foi veemente em sua manifestação. Além disso, o técnico Silas teria evitado todo o auê do presidente do Avaí caso não tivesse se intrometido naquela discussão que, até então, era apenas problema dos jogadores do Avaí com o trio de arbitragem.

    Com ou sem dinheiro da máfia russa a favor do Corinhtians (sim, o T.A. foi o “campeão moral” de 2005) já fomos beneficiados zilhões de vezes ao longo do tempo. Não nego que também fomos severamente prejudicados em várias decisões. Contudo, acho extremamente infantil e contraproducente pensar que o Grêmio é a maior vítima de arbitragens “comprovadamente” mal intencionadas e que todos os nossos feitos são sempre mais épicos do que os outros.

    Acho que falta um esforço maior pra tentar enxergar de fora. Procurar evitar não se contaminar pela emoção em excesso. Quem tem cacoete de boleiro e quem já leu as regras do futebol e acompanha as entrevistas dos árbitros em situações que não se referem a nenhum lance polêmico mas, sim, à técnica da interpretação dos lances segundo as recomendações das entidades arbitrais aprende a enxergar de longe quando o cara se atirou ou quando foi falta.

    A última atuação de Carlos Simon contra o Grêmio foi, a meu ver, perfeita – não apenas porque ganhamos.

    Ontem, ele beneficiou o T.A. Mas isso não é motivo para afirmar que:

    – Simon seria “colorado” e colorado não pode apitar jogo de colorado nem de gremista porque irá beneficiar a seu clube do coração e prejudicar ao outro;

    – Simon está gagá ou é prepotente: do contrário, não passaria nem nos testes físicos, nem nas provas de interpretação da FIFA;

    – Simon é “comprado”: que se prove ou que se arque com as consequências dessa afirmação.

    Pra quem acompanha futebol na TV em qualquer canal e em qualquer campeonato, a arbitragem está horrorosa NO MUNDO INTEIRO. Os campeonatos espanhol, italiano, inglês, alemão, russo, argentino, francês, português e turco passam toda hora no SporTV 1 e 2, na ESPN International e na ESPN Brasil e na BAND Sports. Dos árbitros iniciantes aos mais consagrados, TODOS, SEM EXCEÇÃO, cometem erros bisonhos.

    Mas o pior mesmo é o COMPORTAMENTO DO JOGADOR BRASILEIRO E DO ÁRBITRO BRASILEIRO EM GERAL DENTRO DO PAÍS: os jogadores gostam de bater boca, de provocar, de se jogar no chão, de plantar um verde pra colher maduro, de conversinha pra lá e pra cá… Já os apitadores gostam de aparecer, de exagerar no gestual. Muitas vezes, ele contemporizam, perdoam a primeira trauletada pra dar o cartão somente na segunda ou na terceira. Pior: zilhões de toquezinhos no corpo eles dão falta. E eles não têm critério algum na hora de deixar o jogo correr ou, então, segurar um pouco (o que considero altamente condenável).

    O próprio comportamento do torcedor se reflete nas opiniões de vocês. Mas isso não aconteceria caso houvesse algo como o desafio do tênis, que é um tira-teima instantâneo.

    Dinheiro e tecnologia existem. A FIFA é que prefere considerar o erro de arbitragem como sendo “do jogo”. Para a CBF e para as federações estaduais (que são os tumores do futebol brasileiro), isso é tão cômodo…

    Enfim… Sem neuras: afinal de contas, nada garante que um erro de arbitragem realmente decida um resultado, já que, caso não fosse marcado, o jogo correria de uma maneira que jamais teríamos como saber.

    Por exemplo: se está 0x0 aos 40′ do 2º tempo; temos um contra-ataque a nosso favor, nosso atacante recebe um lançamento na mesma linha e o árbitro dá impedimento, mesmo assim, nada garante que o jogador irá dar uma de Jonas nos seus piores momentos e errar cara a cara com o goleiro. E, se for o contrário, se estivermos perdendo por um pênalti que não houve, caso esse não-pênalti não tivesse sido marcado, quem garante que o desenrolar da ação não nos reservaria uma entregada bisonha do nosso zagueiro e, na saída de bola após esse gol, levarmos um outro por desatenção e aquela derrota mínima poderia se transformar então em um vexame.

    O SE NÃO EXISTE, assim como a “sorte” só persegue os bons e os persistentes e o “azar” só persegue os indolentes e os incompetentes.

    []’s,
    Hélio

  85. Então digamos que há tão somente “maior número de coincidências” nos erros do Simon favoráveis ao TA. Mas que são bem relevantes, são! Ah, se são!! E esses erros ocorrem geralmente em jogos DEFINITIVOS. O que não foi o caso do “erro capital” relativo ao escanteio, pois ainda há o segundo jogo. O estranho é que a REVOLUÇÃO do Avaí ocorreu somente após o gol. E os erros favoráveis ao Avaí durante o 1 jg? Nem eu os citei!!! Mas sigamos em frente, com ou sem medo de Grenal, pois o jg contra o Avaí será terrivelmente difícil, até porque a “isenta imprensa gaúcha” interveio para cria o “clima”. Talvez por nova coincidência.

  86. Existir, o “se” existe. E tem várias funções. Mas a aqui invocada é a da condicional: ganharia “se”…, faria “se”…, vale dizer, é preciso que uma coisa anterior que não houve (condição) ocorra para que uma posterior que aconteceu (fato) tenha validade. Futuro do passado é o seu tempo verbal (antigo tempo condicional).

  87. Quanto a “sorte” ou “azar”, são os dois lados da mesma moeda, duas dimensoes da mesma realidade, são a mesma coisa. Dizemos “sorte” quando o acaso deu certo para nós e “azar”, quando o mesmo acaso deu errado. Mesmo com esforço, dedicação e competência, nem sempre temos o resultado esperado; e, por semelhante modo, sem esforço, dedicação ou competência, podemos alcança-los; o que varia aqui é a maior ou menor chance ou probabilidade de obte-lo.

  88. OBRIGADA MODERADORES!!! EU FICARIA MUITO TRISTE SE VISSE ESSES COMENTÁRIOS MALDITOS, ACHO QUE AQUI É SÓ PRA GREMISTA!!!”ELES” NEM IMAGINAM QUE ESSE MENINO VAI SER MUITOOOO! GREMISTÃO LÁ NO HAITI !! MAS NÃO FALO DELES POIS, NÃO PERCO MEU TEMPO COM ESSA GENTE.
    OS MEUS COMENTÁRIOS SÃO SÓ PARA O MEU GRÊMIO !

  89. Raul,

    Concordo contigo! No caso do futebol, apenas acrescentaria que a probabilidade da “sorte” cair é maior para quem treina mais, calcula o seu risco, apresenta menos lesões e suspensões e possui uma estrutura mais profissionalizada.

    Nada de Cuca ou Andrade: se cair Silas, o mercado só nos oferece hoje Vagner Mancini.

    []’s,
    Hélio

  90. Caros, para encerrar o chororo da arbitragem, registro que recebi de um colega de trabalho cópia da mensagem q enviou aos jornalistas da RBS, a fim de comunicar o encerramento de sua assinatura de ZH. Justificou com base na gritaria qdo os erros eventualmente favorecem ao Grêmio, mas que, qdo auxiliam ao SCI, a omissão é TOTAL. Exemplificando, registrou que, no jg de ontem, em 2 gols do SCI, houve 2 IMPEDIMENTOS e , para encerrar a série de ERROS CULPOSOS do sr. SIMON, no segundo tempo, o Clodoaldo faria o 3 gol (estava 1 x 2), mas o bandeira assinalou impedimento. Não se trata então de tendência pelo Grêmio, mas os ERROS CULPOSOS passaram do limite. Por que WC e cia GRITAM qdo favorecem ao Grêmio (escanteio), mas SILENCIAM qdo são a favor (a grande maioria) do TA. Estou tb ENOJADO! Lembro do TRIO ABC na década de 70. Éramos literalmente FURTADOS e nada se fazia. Hoffmeister, Perondi, Noveletto,….APENAS COINCIDÊNCIAS….

  91. …..escrevendo sério e agora encerrando mesmo. Não acredito em erros deliberados (nem na década de 70 – trio ABC), todavia, por sermos humanos, há a questão da relação entre dúvida e tendência (ação do inconsciente, talvez). Penso que as decisões deveriam contar com arbitragem de fora. Mas tudo bem. Vamos pensar no Avaí, pois estou com muita preocupação em relação à atitude dos jogadores do tricolor. Terão determinação, raça e suor? Esses sentimentos deveriam estar presentes em cada jogador, mas, na dújvida, o “vestiário” terá de transmiti-los; dizer a cada um sobre a grandeza do nosso grande Grêmio! Boa noite!

  92. Silas cair???
    Que é isso?
    Deixem o cara lá, o problema não é o técnico!
    Silas tem que permanecer, ganhando ou perdendo gauchão!
    Desse jeito não tem como formar time ou uma base para os próximos anos….

    E trocar por Mancini, Cuca, Andrade, Abel Braga, Joel… muda alguma coisa?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.