Santos x GRÊMIO

Hoje, ed contra o time da baleia, o Tricolor dos Pampas faz a sua estréia na Copa do Brasil, torneio que é uma de nossas obsessões.

A peleja começa às 19h30min e passará no canal à cabo Sportv (ou naquele boteco de sua preferência).

Quem sabe, será o começo do fim destes 12 anos sem um grande título. Fazer uma boa estréia é fundamental.

AGUANTE GRÊMIO!

A Gerência.

P. S.: aproveitando a estréia, segue abaixo um belo texto do Feg Rish sobre o reencontro do Grêmio com a Copa do Brasil.

O velho e o mar (Retirado do Blog do Torcedor).

Há certos momentos na vida de um homem, no qual ele olha pra trás e só o que consegue ver é uma sombra que outrora foi. O melhor. Imbatível. Invencível. A Copa do Brasil começa para o Grêmio, e como o velho pescador Santiago, de Ernest Hemingway, o Grêmio se vê um velho fraquejado, mas que outrora foi um deus entre os demais na competição.

Santiago, o velho Grêmio, é tido pelos outros pescadores da região como um amaldiçoado, que não consegue nada além de pequenos lambaris de raso pra que possa matar a própria fome. Santiago sabe que algo o aguarda, mesmo quando todos não acreditam nele. Pois Santiago, ao gozo de sua avançada idade e experiência abundante, é o único que tem coragem de desbravar águas que nenhum outro pescador anima-se a pôr os pés.

Contrariado pelos fugitivos olhares desconfiados dos outros dezenove pescadores que ali ajeitam suas tralhas de pesca, Santiago sobe no seu barco – apelidado de Hernan, um grande amigo do passado – em busca do precioso peixe, que teima em não cair na rede do velho homem há mais de doze anos. Ele iça a vela, fazendo com o que o barco mova-se em direção ao horizonte azul celeste. Dando uma última olhada pra trás, ele vê o que deixava em terra firme: nada.

Santiago avança com seu barco longe da costa, dando remadas firmes com seus braços velhos, indo pra águas mais profundas onde dormem os dourados, os grandes dourados. Sentindo-se fatigado pelo esforço das braçadas, parou, deixando apenas que a vela carregasse o barco lentamente naquele dia de vento fraco. Virou-se, quase girando trezentos e sessenta graus para tentar localizar-se, e viu que já não havia mais terra em nenhum de seus pontos cardeais, muito menos dos covardes outros pescadores que resolveram embrulhar-se em localidades mais próximas: o caminho mais fácil, o caminho dos fracos.

Era a hora da verdade. Era à hora de lançar as linhas n’água e aguardar pelos gordos dourados, com sua coloração púrpura. Onze linhas foram jogadas ao mar. Uma delas, a sua linha da sorte, apelidada com o mesmo nome do seu velho amigo, que também dá nome ao barco, foi mais fundo, chegando alcançar quarenta e cinco metros.

Mais de cinco horas se passaram e nada sequer beliscou uma linha. A paciência era uma das virtudes de Santiago, mas ele já se questionava o quanto mais poderia esperar para fisgar um peixe. Afinal de contas, quando se passa doze anos sem fisgar um sequer, a impressão é que mais doze virão. Mas paciência é necessária e ela não pode se esvair junto da esperança. E Santiago está confiante. Algo o diz que ali pode ser o fim de sua seca, mas ele sabe que não será fácil, os dourados são fortes.

Passaram-se mais duas horas até que a primeira linha fisgasse. Era a linha especial, a linha da sorte. Com um tranco abrupto, o animal fisgado quase fez com que o velho pescador caísse n’água, que por sua vez tentava segurar a grossa corda que queimava, a ponto de sangrar, a palma de suas mãos. “Os dourados são fortes”, pensou o velho, que seguia fazendo força puxando o animal. E Santiago seguiu ali, firme, forte, segurando. Passaram-se uma hora, duas horas, sete horas, doze horas. Dois dias.

Dois dias de uma briga de resistência. O velho questionava-se o quanto mais poderia agüentar e temia pela própria vida. “Posso morrer aqui, esperando esse animal”, dizia pra si mesmo. A luta, contra o que velho Santiago dizia ser, “o maior dourado que já vira”. Mas até agora, mesmo depois de dois dias de confronto de queda de braço, ele sequer havia visto o animal. Até que, com o peixe combalido pela falta de paciência – fator que sobrou pro lado do velho pescador – ele se aproxima do barco, saltando no ar, reverberando água que balançava o barco, e mostrando sua verdadeira face. Era um espadarte, com seu bico esguio e afiado, como a espada de um mosqueteiro. Seu tamanho era monstruoso.

“Isso não pode ser um peixe, só pode ser um filhote de baleia”, enganou-se o velho, muito pelo cansaço da briga. Mas ela estava chegando ao fim. Firmando a linha entrelaçada entre uma mão, passando-a pelas costas, ele livrou a outra mão para pegar o arpão e, com um golpe certeiro, flechar o cérebro do imenso peixe adormecido, que fora derrubado pela impaciência.

O Grêmio, como o velho Santiago, é um pescador que há muito não fisga seu sonhado peixe, mas que, nas águas onde pesca, não há outro igual para encontrar o caminho do sucesso, o caminho da glória. O caminho do grande espadarte. Nossa pesca começa nessa quarta, em mares que nós sabemos navegar. Não vai ser fácil, vai ser difícil e cansativo. Mas nem que o jogo demore dois dias inteiros, não vamos nos entregar. Que venha Peixe da Vila!

Os venceremos na paciência ou morreremos tentando.

Dalhe Grêmio!

Feg Risch.

Participe da discussão

40 comentários

  1. do post anterior ainda:

    “Alguns gremistas, entre estes eu, pensam que o clube precisa criar um título simbólico para estas pessoas influentes fazerem parte da vida do clube sem precisarem ir às reuniões – além do mais, é impossível (num primeiro momento) tirá-los do Conselho. Até pelos serviços prestados.”

    Concordo. Esses ilustres gremistas não precisam ser Conselheiros pra ajudar o clube. Conselheiro serve pra deliberar nas reuniões e comissões do clube, precisa ser atuante. Quem não participa não tem serventia alguma, como Conselheiro. Que se crie então um título alternativo para esse grupo de empresários e políticos, com poder de voto nas questões importantes, como a Arena, por exemplo.
    Aí se o Sirotsky ou o Gerdau quiserem votar uma vez na vida eles mantêm o direito e ainda abrem espaço pra quem quer ajudar mais frequentemente o clube.

  2. com relação às chapas… olha… é de pensar…. esse ano se superou a coisa, sete chapas, sendo que o mínimo é 20%, duas, em tese, estariam fora. mas o mais impressionante é que em todos esses anos só cresceu o número de grupos e praticamente nada mudou. nada contra a diversidade, a pluralidade de ideias, pelo contrário, tudo a favor. Mas quando o voto vai fazer a diferença? eu quero motivos para votar, por favor, quem puder me dar um motivo bom, eu agradeço.

  3. 1 – Hoje é dia de Grêmio. Saio mais cedo do trabalho e vou curtir uma grande atuação do tricolor pela TV. Logicamente, com uma(s) ceva(s)” e uns petiscos que ninguém é de ferro. Estou tranquilo, ainda que não leve o jogo de “barbada’. O Grêmio é mais time que o “peixe” e tem tudo para sair vencedor. Só não podemos perder. Mas, isso está fora de cogitação. Dá-le Grêmio! Rumo ao penta da Copa Brasi!l

    2 – Ao contrário do que pensam alguns, sou de opinião de que quanto mais eleições, quanto mais candidatos, melhor. O processo fica mais aberto, competitivo e transparente. O clube só tem a ganhar com isso. Vejo com tranquilidade o advento de segmentos emergentes dentro da política do clube. Faz parte do jogo democrático e é um evidente sinal de que novas lideranças estão pedindo passagem.
    Nada contra a permanência de “figurões” nas chapas. Representam segmentos importantes que merecem o nosso respeito por tudo que fizeram e ainda fazem pelo clube.
    Mas, é evidente que existe uma necessidade urgente de oxigenação institucional que inevitavelmente passa por uma profunda renovação de lideranças e de mentalidade.
    Não conheço a maioria dos candidatos. Tampouco sei o que os motivou a se candidatar e que tipo de colaboração pretendem dar ao clube. Esse tipo de informação deveria ser a maior preocupação das chapas concorrentes. Afinal, somos convocados a eleger quem?
    Sem ter o conhecimento sobre estas questões – mesmo que de modo suscinto – fica ainda mais difícil para o associado, que não acompanha o dia-a-dia da poliítica do clube, a tarefa de escolher.

    Mas, independentemente de quem venha ter a honra de fazer parte do colegiado mais importante do clube, tenho a esperança de que a tão prometida e esperada “Reformulação Estatutária” seja uma das pautas prioritárias do futuro Conselho. Está mais do que na hora de dar um “banho de modernidade” na nossa Carta Magna, livrando-a, definitivamente, dos históricos e indesejáveis”penduricalhos” que teimam em atravancar a sua nobre missão.

  4. Renato vem arrumando o time e esquema, que Luxa bagunçou, esta no caminho certo, cada jogador na sua posição e se tiver mais uma vitória, o time embala de vez. O Grêmio inicia mais uma caminhada em outro torneio, Copa do Brasil, e tenho certeza que este título é tricolor. No jogo de hoje se o Grêmio mantiver o mesmo esquema de jogo vence, não com muitas facilidades, mas vence. Ao meu ver, trocaria o Para pelo Tinga ou Moisés, e o Souza pelo Matheus Biteco, ai ganha mais qualidade. Mas vamos todos torcer hoje por mais uma vitória tricolor.

  5. Vou no jogo na Vila. Boa sorte para nós.

    Acredito que o time está ganhando confiança e criando uma defesa sólida, que era nosso maior defeito.

  6. O Grêmio continua com o mesmo problema fundamental: Criação. Ganhamos 3 partidas de times que vieram para cima. Mas esta escalação do Renato não creio que vai funcionar contra times que fechem bem a defesa. O fraco Santos está sendo uma amostra disto. Quando perdem a bola se fecham bem.
    O Ramiro, em várias oportunidades que poderia partir para cima, fez o que todo volante faz. Jogou para trás.

  7. Vocês repararam como ninguém no time está mais acreditando no Pará? Até mesmo o Kleber e o Barcos preferiram cruzar na área (tendo só um jogador do Grêmio lá dentro) do que passar para o Pará que estava livre na ponta.
    Com um ala de verdade e um bom armador (qualquer, não precisa ser craque, nível Tcheco ou Douglas seria suficiente) teríamos um time muito mais competitivo.
    Tem lugar para o G. Biteco neste time

  8. Retranca, preparo físico e muitos jogadores deficientes …
    Com esse time limitado, só por milagre alguma conquista em 2013 …
    GRÊMIO pensando equivocado futebol …

  9. ” covardia 1 X 0 gremio !!!!!!!!!!!!!!! pq o gremio ADORA se COMPLICAR . ( por favor = cobrem via FACE / instragan ok ) estes COVARDES ! era jogo pra GANHAR bemmmmmm TRANQUILO , tranquilo , FACILZINHOOOOOOOOOO ! pressao NELES ! senao TCHAUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUUU ano .

  10. Dida, Rodolfo, Barcos ( com um meio competente ), Vargas, Zé e talvez o Alex …
    Mais o Elano para 60 minutos …
    Inúmeros bons reservas …

  11. conseguimos a proeza de jogar melhor e perder pra um time que não vencia há 7 jogos, com gol de um piá que não tinha feito gol ainda.
    Falha do Bressan, que ficou olhando o atacante virar e bater. Gabriel deveria ter sequência no time, Bressan vem mal já há alguns jogos.

    Vai ser uma pedreira reverter na Arena pois o time vai ter que jogar de forma diferente, não dá pra ficar esperando o Santos mais. Acho que o Renato foi muito cauteloso e jogou fora o gol qualificado, era jogo pra atacar e o Santos deu todo o espaço pra isso.

  12. mais uma pra coleção das coisas que só acontecem com o Grêmio. Nunca tinha visto um jogador ser julgado duas vezes, mesmo depois de absolvido.

  13. Resultado muito ruim. Esse placar é sempre perigoso pois qualquer gol tomado em casa, será preciso fazer dois.

    Honestamente, acho mais fácil o Grêmio se acertar e ir melhor no Brasileiro de pontos corridos cheio de jogos mornos, do que na Copa do Brasil de jogos mata-mata decisivos, não temos um time de personalidade pra jogos de decisão, isso tenho dito desde o inicio do ano e o problema segue, maior prova disso é que pra compactar e dar mais combatividade ao time Renato se vê obrigado a encher o time de zagueiros e volantes.

    E mesmo assim, no segundo tempo de hoje contra o Santos, deixamos eles jogarem demais. Alguns jogadores cansaram e Renato, como tem sido seu costume, DEMORA demais a fazer alterações na equipe.

    Fizemos um primeiro tempo de fechamento de espaços mas sem muita chegada a frente. Não tivemos os mesmos espaços que no jogo contra o Vasco onde nossos volantes jogaram mais soltos e Santos foi um time muito esforçado e aplicado na marcação.

    Não gostei dos volantes nessa partida. Não tiveram a movimentação necessária pra um jogo de menos espaços. Daí faltou articulação ao time e o melhor lugar na defesa do Santos pra entrar era justamente a direita através do Pará que tem enormes dificuldades em fazer jogadas, até cruzou duas boas bolas, mas sem força, no que fica mais difícil pros atacantes cabecearem pois tem de colocar no canto se não fica fraca pro goleiro pegar. Ou seja, é o tipo de cruzamento ruim, vai na direção certa mas não tem força ou efeito procurante.

    Renato poderia ter explorado a direita colocando um atacante por ali, preferiu centralizar o jogo com o Lucas Coelho. Muita demora nas substituições e faltou enxergar melhor o jogo e as brechas do Santos. Foi mal o Renato desta vez.

    Bressan foi o furo da nossa defesa. Está comprometendo demais a equipe e continua com um cartaz junto a direção muito além do futebol
    que vem apresentando. Já cansei de repetir da necessidade de um zagueiro melhor. Direção teima e sofre as consequências. Werley tb foi afoito em alguns lances, apenas Rhodolfo tem mantido a regularidade e boas atuações. Foi bem de novo.

    Alex Telles inciou bem e foi se apagando. Souza, desengonçado e sem contribuição efetiva nos desarmes ou saída de jogo. Vem jogando um futebol muito comum e escancarando a necessidade da direção investir forte no William Farias (aliás, espera-se uma posição mais contundente e resolutiva da direção no caso Welliton-SP-Coxa, direção comeu mosca nessa… eh, Chitolina!)

    Agora vamos pra um jogo de volta precisando reverter resultado com um time que geralmente conta muitos jogadores que sucumbem em decisões, mais um vez contra um adversário pouco abaixo de nós tecnicamente. Já vi esse filme com Luxa. Complicou, mas ainda nos vejo como favoritos contra esse limitado Santos.

    Problema é superarmos a mentalidade coletiva frágil que até deu uma melhorada com Rhodolfo, Riveros e o esquema três volantes, três zagueiros pra segurar as pontas dos inseguros do time, mas não temos jogador que chame a responsabilidade e cresça na adversidade e isso pode ser decisivo agora ou mais lá na frente.

  14. Problema do ZR10 não lentidão, é um jogador rápido mesmo com quase 40 anos, o problema realmente é que ele joga muito pros lados, não tem tanta objetividade. Não é um meia vertical, não na maior parte das vezes, quando consegue ser, chega com qualidade.

    Neste atual elenco ainda não podemos prescindir de seu futebol pra mim voltaria ao natural ao time. Ganharíamos em qualidade técnica e transição mais rápida mas nos faltaria objetividade e mais chegada a frente, além de perda de poder de marcação.

    Tiraria o Souza, vem jogando muito pouco até mesmo na marcação.

    O esquema de três zagueiros com dois volantes e ZR10 cercando teria de segurar as pontas.

  15. 1- A realidade bate a porta novamente
    2- Bressan não pode ser titular
    3-Não consigo acreditar que a direção não consiga trazer um lateral um pouco melhor que o para.
    4-Ramiro não passa de um jogador comum
    5-Riveros de participação quase nula no jogo de ontem,foi substituido somente aos 31 do segundo tempo.
    6- Sai riveros entra G.firula biteco,naõ acrescentou nada.
    7- Santos time medio para fraco,mas não consigo ser otimista na virada do grêmio.

  16. Esse Bressan é o furo do time….há vários jogos esse cara vem falhando e furando em bola. Venderam a idéia para ele que seria o Beckenbauer e ele acreditou!

    Quer dizer que o Paulo Schimia quer levar o ZR10 e novo julgamento?

    Quanto ao Deco, Sobis e Leandro Euzébio que pisou na cara do Kleber nada?

    Dalebiba fez gestos que o arbitro estaria “roubando” nada?

  17. Eu não sei quem é mais covarde, se o time do Grêmio ou o Movimento Gremio Vencedor. Degolaram o Evandro Krebs e o grupo aceitou sem nenhuma reação. Se a chapa é do Danrlei e do Cacalo, o que o Gremio Vencedor está fazendo lá e porque dizem que é apoiada por Koff. Mas o Danrlei pode ter chapa? Ele não é candidato. Ou é mais um estelionato eleitoral?

    Já pesquisei e não encontrei o nome do Saul Berdichevsski em nenhuma chapa. Será que ele também foi vetado? O motivo do veto do Evandro seria o mesmo do Saul?

    Evandro e Saul, com amigos assim, nem precisa inimigos.

    E a chapa do Belini, que tem um vice presidente da atual administração? Qual vai ser o discurso? É aposição ou situação?

    Eu morro e não vejo tudo.

  18. o Renato vai precisar ousar no jogo da volta. Zé Roberto volta e eu trocaria Pará por Zé, mantendo quem tá jogando e colocando o Ramiro na ala. Colocaria o Gabriel também, que já mostrou que tem melhor saída de bola e posicionamento.
    Acho que é mais provável o Grêmio passar por causa da pressão da Arena do que pelo seu futebol. Reverter dois gols com esse time que sempre amarela na hora h não é fácil.

  19. Não sabem porque ganham e nem porque perdem. Qualquer torcedor com um minimo de racionalidade sabe que o gremio achou as três vitorias seguidas no brasileiro. Ganhar jogando mal é BOM! é muito melhor do que perder jogando bem. Mas nas tres vitórias seguidas a unica partida que o gremio jogou razoavelmente bem foi contra o vasco. Contra Bahia e Cruzeiro foi filme de terror!! As tres vitorias não podem mascarar a falta de qualidade de alguns jogadores. Bresan e Ramiro são apenas razoaveis…A escalação de Para somente se justifica porque contrataram um concorrente muito PIOR que ele (tive a mesma impressão do amigo ali de cima, nem seus colegas de time lhe passam a bola, pois sabem que a ineficiencia impera). Não existem NENHUM meia de qualidade no elenco (Zé e Elano são ótimos volantes e razoaveis meias). Pelo menos alguns jogadores começam a se firmar como barcos, kleber, dida e rodolpho. Werley melhorou um pouco embora na média em 2013 tem sido muito menor do que foi em 2012 (o mesmo vale para o Souza).

  20. Grêmio ganha = 5 comentários, 3 deles sobre o tempo.

    Grêmio perde = 134035453402041524 comentários, o time é péssimo, covarde e tudo tem que mudar.

    ontem perdemos porque erramos 2 gols feitos e tomamos um gol de uma falha. simples! nada ocorreu de forma diversa dos últimos jogos, só ontem a bola não entrou e falhamos!

    e sobre eleição: quase certo que não vou votar, porque não gosto nenhum nome dos cabeças das chapas (quem de fato entra) ou não gosto da chapa inteira.

  21. Gremista que sou e a exemplo do presidente e demais dirigentes, tenho a maior boa vontade e otimismo quanto as possibilidades do Grêmio emplacar um título este ano. Mas, se o próprio treinador, Renato, em recente entrevista, claramente discordou de Koff quanto a essa possibilidade – ele que conhece melhor do que ninguém o material humano que tem sob seu comando e analisando friamente os resultados de campo e o desempenho de alguns jogadores – fica cada vez mais difícil, para nós torcedores, acreditar. Não posso deixar de analisar racionalmente o “mercurial” desempenho da equipe, cuja causa, na minha opinião, é a falta de qualidade de algumas peças que comprometem substancialmente o trabalho coletivo, o que carreta uma onda de instabilidade pelos diversos setores.
    Quero um Grêmio competitivo e vencedor, mas, embora otimista, não posso ser ingênuo a ponto de não enxergar o óbvio.
    Renato faz o que pode. Algum errinho aqui, outro acolá, mas, no “frigir dos ovos”, tem tirado tirado “leite de pedra” de um plantel irregular e carente de soluções de qualidade. Sem ter reposições à altura, é notória a diferença de resposta de uma formação para a outra, principalmente no setor da meia-cancha onde tateamos em busca de uma composição mais equilibrada e competitiva. Ainda assim, é o setor que apresenta uma melhor evolução. A zaga, se por um lado melhorou a bola aérea com a chegada do Rodolfo, tem alternado bons e maus momentos, principalmente pela instabilidade do Werley e pelo péssimo momento por que passa o Bressan, que, na minha opinião, ainda não está pronto para assumir a titularidade no Grêmio.
    Os laterais: Pará é isso que a gente conhece e sabe. Não tem mais condições para evoluir tecnicamente. Muito esforço e pouco resultado.
    O Alex Teles ainda está em formação . Embora tenha alguma qualidade e velocidade, falta-lhe o lampejo do jogador inteligente que antevê e simplifica a jogada, além de ter que aprimorar alguns fundamentos.
    Barcos e Kleber estão isolados. Tem que lutar contra três ou quatro zagueiros. No modelo tático atual, se ressentem da falta de companhia de um meia de aproximação com qualidade e veloz , uma vez que os laterais não passam da intermediária.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta para daniel silva Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.