Roth e seu amor pelo 4-2-3-1

A praga do futebol atualmente é esta mania de jogar só com um no ataque.

Roth, price um apaixonado por este esquema maldito, viagra sale não abre mão dele ao escalar o Grêmio, prostate o que é um erro.

O 4-2-3-1 só dá certo se os três homens de meio campo que atuam atrás do centroavante são rápidos e têm uma qualidade de passe acima da média, o que não ocorre no Tricolor.

Se Marquinhos e Douglas são bons passadores, devem em velocidade.

Escudero tem velocidade mas peca no passe, ou seja, Roth poderia testar o time com dois na frente e uma dupla de criação atrás dos atacantes.

Ao escalar só um no ataque, Roth força os meias a chegarem na área para cumprirem o papel de um segundo atacante, e colocar, principalmente, Douglas e Marquinhos para jogarem de tal maneira, é um desperdício.

Não é mais simples e eficaz que os meias apenas sirvam os acatantes?

Por que não escalar Marquinhos/Escudero, Doulgas, Miralles/Leandro e André Lima?

É proibido jogar com dois atacantes?

Creio que o Grêmio renderia um pouco mais se o Douglas, por exemplo, tivesse duas opções para pifar na cara do gol.

Mas o amor é lindo, e Roth ama o 4-2-3-1.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.