QUEM?

Muito se tem escrito nos comentários em nosso Blog sobre a saída do atual assessor de futebol Luiz Onofre Meira e sobre QUEM poderia vir a ser o seu substituto.

O nosso colaborador CARLOS JOSIAS no post online Final 1º Turno: GRÊMIO 1×0 Novo Hamburgo” rel=”bookmark” href=”http://sempreimortal.wordpress.com/2010/02/28/gauchao-2010-final-1%c2%ba-turno-gremio-1×0-novo-hamburgo/”>Gauchão 2010, viagra Final 1º Turno: GRÊMIO 1×0 Novo Hamburgo , sem intenção de querer derrubar o Meira, nos reforçou essa dúvida, mostrando o quando é difícil encontrar possíveis nomes, relacionando os grupos políticos gremistas e seus integrantes.

Longe de apoiarmos uma política de terra arrasada, pedindo a substituição do atual responsável pelo futebol tricolor, queremos trazer a reflexão de todos quanto a dificuldade de encontrar um nome qualificado, com trânsito no Clube e com disponibilidade ampla, total e irrestrita de tempo para se dedicar a essa tarefa fim do Grêmio.

A pergunta que fica é: QUEM?

Participe da discussão

63 comentários

  1. A minha proposição lá, no post d jogo, não foi derrubar o Meira, foi: ok, ele tem que sair, bem, então quem vamos por no lugar dele ?

    Minha posição sobre o tema não é nova: http://gremioimortal.blogspot.com/2009/11/reflexao-sobre-um-dos-temas-cruciais.html

    Fiz um apanhado grupo por grupo politico do clube para ver quem poderia, consta lá no post. E indaguei: quem ? Me ajudem, vamos ver quem PODE e quem QUER assumir, ou quem QUER e PODE. Há os que querem, e não podem ( por ´n` motivos, inclusive por falta de condições para a tarefa … ) e há os que podem, mas não querem.

    Continuo com a mesma indagação e me reporto aos comentários que fiz lá.

    Tentem. Boa sorte !

  2. Embora ache que o Meira, assim como o Pacheco, é extremamente dedicado, inteligente e possui serviços prestados ao Grêmio como muito poucos possuem, considero que ambos estão no lugar errado e na hora errada.

    Hoje, o Juliano Ferrer indagou o Renato Moreira sobre a necessidade da profissionalização para não termos mais que depender da boa vontade de conselheiros com tempo disponível porém não-especializados.

    Em diferentes contextos de resultado e sob diferentes perfis de gestão, já tivemos péssimas experiências com vice-presidentes ou diretores de futebol remunerados. Pra quem não lembra: Dênis Abraão, Mário Sérgio POntes de Paiva e Mauro Geraldo Galvão.

    Em diferentes contextos de resultado e sob diferentes perfis de gestão, tivemos (ainda temos) dois vice-presidentes ou diretores – muito bem – remunerados de renome e sem relação com o Conselho Deliberativo no Marketing sem dedicação exclusiva e que, quando o seu trabalho dá (ou deu) certo, até o reino mineral saberia que poderia ter sido amplamente superior caso tivessem dedicação exclusiva ao clube: Wesley Cardia e Caco Keller.

    Nenhum de nossos maiores presidentes é formado em Administração e nenhum dos dois foi dono ou executivo de empresa alguma: Hélio Dourado e Fábio Koff.

    De modo geral, a maioria dos vices ou diretores de futebol bem-sucedidos tiveram passagem pelo Jurídico (o que não quer dizer que todo bom advogado que defende o Grêmio seria um bom dirigente de futebol ou vice-versa): Nelson Olmedo, Rafael Bandeira dos Santos, Raul Régis de Freitas Lima, Cacalo, Renato Moreira.

    A esmagadora maioria dos exemplos citados trabalhou no Grêmio em um contexto MUNDIAL (do qual o Brasil jamais esteve fora inclusive no auge da incompetência e da corrupção administrativa nos clubes) no qual ser executivo era estar no topo da cadeia alimentar (lembram da cultura yuppie dos anos 80?) e, logo mais adiante, com a explosão das megacorporações do neoliberalismo a partir da década de 1990.

    Voltando ao início, os exemplos do Meira e do Pacheco são de cargos ocupados por abnegados que necessariamente significam não apenas a disponibilidade de ambos mas, sobretudo, a importância de se ter alguém com a cultura de décadas de Grêmio para dar a cara a tapa – coisa que um dirigente remunerado não pode fazer com total conhecimento de causa por não necessariamente refletir a palavra da instituição. Afinal de contas, o seu trabalho pode durar de um mês a dois anos sem volta e sem vínculo cultural, afetivo ou institucional nenhum com o clube.

    Portanto, a despeito das vaidades e dos temores de cada um, considero que a situação de Pacheco no Marketing e de Meira no futebol poderia ser extremamente mais agradável para ambos, mais proveitosa para o clube e bem menos preocupante para o CD e para a imprensa caso houvessem instâncias informais porém sempre presentes semelhantes ao Conselho Consultivo dentro das principais diretorias do clube: Futebol Profissional, Categorias de Base, Finanças, Jurídico, Patrimônio, Quadro Social, Marketing e Comunicação.

    Conselheiros e profissionais de renome ligados ao Grêmio que já tenham passado por esses cargos. Seria algo fixo e não eventual como o foi a recém desapontada comissão de Marketing. Também não teria exatamente um papel fiscalizador como as comissões especializadas do CD.

    O importante é evitar que seja um órgão infrutífero, isto é, que não é ouvido. Ao mesmo tempo, não pode ser ingerente e deve ser composto por pelo menos cinco conselheiros especializados nessas áreas – de preferência todos de movimentos diferentes.

    Fora os conselheiros que trabalham em algum departamento e estão todos os dias no clube, será que a maioria sabe MESMO como funcionam esses departamentos? Quais os seus resultados? Quais os parâmetros de medição do desempenho desse trabalho?

    A assessoria de imprensa não deveria divulgar as ações de cada departamento?!

    Cada departamento não deveria apresentar as suas ideias e os seus resultados além de ouvir sugestões e críticas do CD?

    Assim como abnegados de diferentes movimentos em diferentes gestões deram certo em vários departamentos ao longo do tempo, não é em qualquer um desses departamentos que sobra verba suficiente (pelo menos hoje; deve-se concentrar esforços para que seja possível mais adiante) para se pagar um especialista – muito embora fosse necessário.

    Ainda não há um curso específico de formação de dirigentes para o futebol. Estávamos conversando no Copacabana em diferentes momentos eu, Vitor Ruschel, Eduardo Bernardon, Guido Spengler, Paulo Deitos, Artur Ferreira e outros mais exatamente sobre isso: tem que ter vivência de clube.

    Um belo exemplo dado pelo Paulo Deitos: Rodrigo Caetano não surgiu do nada. Ele passou pelo RS Futebol e estudou Administração. Porém, nem a modesta oferta de recursos do RS nem o mero acúmulo de conhecimento técnico da faculdade seriam suficientes para que ele se tornasse o diretor reconhecido que hoje é.

    E as críticas que são feitas ao Cícero não levam em conta que ele chegou no Grêmio bem depois, apesar de conhecer bastante e de ter trabalhado com o Rodrigo.

    De minha parte, aprendi muito hoje. Como venho de uma área do conhecimento muito nova e que é vista com desconfiança tanto pela ciência clássica como pelo lado mais conservador do mercado de trabalho, entendo muito bem que existe um enorme valor na multidisciplinaridade. Normalmente, se fala muito que a formação especializada é fundamental, assim como o mítico, imensurável e subjetivo “dom”, “tino” ou “vocação”. Também se fala na máxima do pato: que essa ave aquática nada, voa e canta, mas faz as três coisas mal.

    Na verdade, cada caso é um caso. E tanto o que dá certo com o que não funciona precisa ser diagnosticado e documentado pra ser passado adiante e servir de exemplo.

    Nunca se sabe se, um dia, qualquer um de nós, menos experientes, não iremos estar ou na posição de um Rodrigo Caetano, ou na posição de um Cesar Pacheco. A gente vai acertar e errar. Só que é preciso descobrir com rapidez e – de preferência – jamais sozinho quando dá pra seguir adiante e quando é hora de pedir o boné.

    Isso independe de ser maragato ou pica-pau, de ser abnegado ou remunerado.

    []’s,
    Hélio

  3. 300 e tantos conselheiros, outros tantos colaboradores, ex dirigentes, outros tantos ex jogadores experientes e desempregados, milhares de torcedores anônimos e só o Meira pode….
    Isso é incrível!

    Bota um Danrlei lá, um Espinosa, qualquer um é melhor, não tem desculpa!

  4. se ninguem quer pegar, tudo bem…

    mas isso não justifica manter de diretor – executando muitas contratações e descartando outras – uma pessoa digna mas que nada entende do assunto.

    lembro de uma entrevista do Maxi muito reveladora: dizia que parecia que a palestra do Meira era gravada, pois antes de qualquer jogo era sempre o mesmo papo…

    enfim: que se contrate alguem ( não o Galvão ) , ou se profissionalize com o Cicero – que trabalhou com o Caetano.

    Mas não se pode deixar no clube uma pessoa executando erradamente só porque não tem outra.

    Repito que se trata de um gremista digno, o Meira.

    cbimbi

  5. QUEM???
    Essa é a grande pergunta…
    Vamos passar o dia inteiro pensando e vamos sempre cair nos mesmos nomes que já passaram pelo futebol e tiveram sucessos/fracassos.
    Hoje ainda estive falando com o Hélio sobre a grande e imensa necessidade de capacitação de novos dirigentes.
    O Josias mostrou como é difícil encontrar um nome qualificado e com tempo de assumir o esporte bretão.
    E como o assunto é futebol, quem não pode comparecer a reunião do MGAT com o Renato Moreira, perdeu um grande evento.

  6. Tá, e o nome ?
    A questão é simples, a meu juízo. O Estatuto estabeleceu isto, um CA de abnegados que tem de contratar profissionais e cobrar resultados; se derem certo ficam, se derem errado, troca-se. O Juridico tem lá o seu controlador abnegado, antes o Guerra, agora o Rui, e o remunerado ta lá um fixo, tá dando certo, fica – foi o primeiro setor do clube a cumprir o estatuto. O financeiro idem, Irany e Mauro Rosito -segundo setor do clube a cumprir o Estatuto. A administração tem o abnegado, M Herman, e tinha o remunerado que foi embora para o Vasco, pois o Herman tem de achar outro para o lugar que tá vago. O MKT, ainda não acertou, sabemos, tá lá o abnegado do Pacheco ( que nesta área não soube contratar o profissional certo e ao que parece quer fazer às vezes dele e por isto dá sempre errado, aqui temos o caso de errado abnegado e por via de consequencia o rumerado … ), e por ai vai.
    Ai vem o Futebol. Temos o abnegado, o Meira, e não se pode abrir mão de um ´camarada` politico ali, só o profissional deu errado, M Sérgio ( até porque ele dura 3 meses em qqer lugar que vá ). Pelo que sei com a saída do Galvão a vaga continua, e tem que ser preenchida.
    Não acho que o Denis tenha dado errado, ao cntrário, o azar dele foi estar na epoca da ISL, mas até hoje acho que ele entraria ali numa boa. O melhor ali foi o R Caetano, ele era o remunerado do R Moreira abnegado.
    Quem entra, abnegado, estabelece a politica do resultado, cobra, fica em cima, exige, se o cara não engrena, manda embora, como em qualquer empresa, se o responsável pelo setor não dá conta e o setor vai mal, rua, e busca-se outro no mercado. O ente politico é o controlador, o fiscal, para que a politica do clube seja cumprida, para que o plano estratégico seja cumprido.
    O que queremos aqui ?
    Indispensável o abnegado e indispensável o profissional.
    Temos o abnegado mas a proposta é trocá-lo, depois ele, o novo, que busque o profissional faltante.
    Bem, então temos que saber quem será o abnegado ?
    Quem ?
    É a pergunta do post. Sem esse nome, não se vai adiante.

  7. Cesar.

    Para que função os teus nomes ? Para a de profissional remunerado ? Goiano, bom nome, Danrlei, excelente … como disse, ali, no profissional, fica mais fácil de encontrar, bons nomes, sem dúvidas.
    Mas a procura primeira é o tal de abnegado e este que escolha o nome, um cara para o setor ( isto quando já não tem um, como é o caso, se já existisse e tivesse dando resultado, ficaria … )- embora o Presidente possa fazê-lo e encerrar a disucssão ai, o abnegado que vier que trabalhe com ele que será funcionário do clube, não cargo de confiança.

    Rafael,

    destes tantos quem PODE e QUER. Te dou o nome de 100 que querem e te digo logo depois não podem ( dou um entre tantos motivos que poderia sustentar, mas dou um só, não reunem condições minimas, experiencia, etc … e ai trocariamos por trocar em 20 dias começaria tudo de novo, campanha pra tirar o cara … foi assim com o Krieger, queriam a cabeça dele, ele saiu, ficou o Meira, agora querem a do Meira, amanhã entra eu, em menos de 10 dias querem a minha, depois tu ……. ).

    Quem quer ? Quem pode ?
    Não é ninguém quer pegar, Cesar, é tá dificil de apontar um nome, tanto que o amigo não aponta,os que deu, penso, nestes teus 60 segundos de cogitação, deve ser o profissional remunerado né ? Ou tu acha que o Sandro Goiano seria um bom assessor no lugar do Meira ?

  8. Cesar: tu aceitarias ir para lugar do Meira ? O profissional já tens e os nomes são bons ?

    Rafael, e tu ?

    Podem e querem ?

  9. ponto de exclamação e não de interrogação no e os nomes são bons; repetindo, os nomes que em um minuto de cogitação te surgiram, são bons, mas tu aceitarias dirigir o futebol ?

  10. Será que o Paulo Paixão não poderia desempenhar essa função. Como a maioria dos colegas que aqui se manifestam, meu registro não tem a inteção de “derrubar o Meira”. Tenho o maior respeito por esse grande gremista, no entanto penso que o vestiário terá de ser “sacudido” e com “palavras e expressões novas”.

  11. RAFAEL
    Ainda para esclarecer em meio a 300 conselheiros e etc…
    O que eu estou propondo, não percam isto de mira, é: apontem um nome e vamos ver se há aprovação deste nome escolhido.
    Assim, tem que apontar o nome ou nomes de quem PODE e QUER e
    vamos ver a aprovação dos demais ! Ai é que tá. Em 300 nomes tu encontras 200, talvez que podem e querem uns 15, e a aprovação ?

  12. Paixão. Outro bom nome, mas para PROFISSIONAL no setor, não como ente politico para estabelecer a politica de futebol. Ex jogadores e pessoas como o Paixão, servem para ser comandados, cumprir ordem, empregado do clube, cumprir a meta politica que vai traçada porque está dirigindo o setor, como em qualquer outro, juridico, financeiro, adm, etc.
    O HOmem de futebol tem que ser um Homem do clube da entidade, não remunerdo, um traçador da politica no ramo. Um conselheiro, ou um sócio ! Ai é que repousa a questão.
    Não se pode confundir o profissional remunerado com o abnegado.
    Parece que esta confusão vem sendo feita aqui e o problema agrava.
    O hmem do futbol tem que sair de DENTRO DO CLUBE, não de fora. Para profissional, como o nome já estabelece, pode até ser um cara que já trabalhou nos vermelhos, é empregado …

  13. O Josias está mostrando que a coisa não é tão fácil como se pode imaginar.
    Aí, eu volto ao tema da minha conversa com o Hélio, a necessidade de formação de novos dirigentes. E quando escrevos “novos” não fala em idade.

  14. JOSIAS, concordo contigo. Então, pensando, lembrei de um cara que está fazendo um extraordinário trabalho (voluntário, por puro gremismo e comprometimento com a Instituição Grêmio), é sócio e acredito que tem disponibilidade para trabalhar 24 horas pelo Grêmio. PAULO DEITOS, Diretor das Categorias de Base. E aqui, faço um reconhecimento público a Mauro Rocha e Edson Aguiar que, junto com o Deitos, formam um timaço nas categorias de base do Imortal! O que acham?

  15. Tá lá um tal de CÍCERO. Assumiu a posição que era do M Galvão. Ouvi dizer que é muito competente. Já estava no Depto de Futebol. Conhece. Vem subindo.

    Não conheço mas ouvi falar muito bem

    No planejamento já assumiu uma engenheira com experiência em planejamento em grandes empresas. Foi o que me contaram. Não sei o nome, mas vem com um currículo de experiência invejável.

  16. Que foi mesmo que o Pelaipe ganhou ? Ele disse que o Boca era o Caxias com Grife e que a torcida do Boca era eletrônica. Levamos 5 em dois jogos e não fizemos nenhum.
    Ele disse que o Nunes era o Gatuso.
    Tá de sacanagem comigo é ? Virou profissional, lembram ? Foi pro Fortaleza ou Ceará, sei lá, e tiraram ele correndo, demitiram o cara. Não.

  17. O caráter do abnegado é um e do executivo especialista é outra e ambos são fundamentais. E é preciso formar novas lideranças dentro do Grêmio.

    Senti hoje que o Renato Moreira aparenta não topar nenhum cargo direto (presidência ou futebol) porque o desgaste pelo qual passou em 2005 é imensurável. Dou toda a razão a ele, ao mesmo tempo em que lamento. Da mesma forma, o Paulo Deitos, amplamente capaz de realizar com extrema competência e dedicação uma série de funções, certamente prefere a base. E em time que ganha sempre de goleada e jogando bonito não se mexe.

    Acho que está longe o momento de Danrlei ter a sua chance. É outro nome que não pode ser queimado. Sugiro que ele termine primeiro o seu curso de gestão esportiva e comece auxiliando algum departamento como abnegado e entre para o CD. Ele é o tipo de pessoa que não pode ser detonada, assim como acho que não se deve mais trazer Felipão para técnico e muito menos o Portaluppi (com o agravante do último ser incompetente).

    Barcelona (Txiki Beguiristáin, ex-lateral esquerdo da década de 1990, daquele timaço c/Zubizarreta, Nadal – o tio do tenista – Laudrup, Romário e Stoichkov); Real Madrid (Alfredo Di Stefano, Emilio Butragueño, Jorge Valdano) e Bayern München (Franz Beckenbauer, Karl-Heinz Rummenigge, Gerd Müller) são os maiores exemplos de aproveitamento de ex-ídolos como funcionários altamente capacitados.

    Todos estudaram. Talvez o Gerd Müller não, pois passou muitos anos atirado às traças em função do alcoolismo.

    Danrlei e Roger são o início de uma promissora virada de mesa nesse sentido. Eles podem proporcionar ao Grêmio o ineditismo do aproveitamento de ex-ídolos CAPACITADOS no Brasil.

    []’s,
    Hélio

  18. Já que meu nome pintou ( de sacanage,é verdade ) evidente que eu não assumiria nada para algo que me sinta incompetente; aí é que reside a ronha: temos na presente situação alguem como eu seria, caso aceitasse um cargo do qual depende a felicidade da nação gremista.

    cbimbi

  19. Mas só uma questão:

    precisa mesmo a figura do abnegado, nesse caso?

    por ex.: no mkt, bastaria o presidente Duda contratar uma agencia de publicidade ou equipe de publicidade.

    no futebol não se poderia fazer o mesmo?

    cbimbi

  20. Cesar. Não tava de sacanagem, nem falei por ironia, indaguei direto para ver e para ti ver ocmo é dificil. Sim, precisa de uma figura politica, um abnegado, este assunto já foi debatido à exaustão no CD, qdo da elaboração do Estatuto, e em todas as rodas é questão superada. Não vou espichar isto aqui. É questão superadissima e ficou definitivamente provada em 2005 quando só o Mario Ségio deu errado, ai veio o Renato Moreira …E a proposta aqui foi sobre o abnegado, claramente, porque nasceu de um post anterior em que eu percorro as grandes figuras no clube para ver quem poderia assumir, todos abnegados. Então se o post nasce de lá, claro que a figura que se discute e se procura é politica.

    Mas a mais espetacular de todas foi: bota qualquer um ! Inacreditável que um Gremista pense assim, então põe de DE CANELA já que qualquer um serve …

    Interessante, aqui somente um nome novo e interessante surgiu: PAULO DEITOS, e ninguém abordou se era bom ou não.

    Lá no mesmo post anterior, ou noutro, não me lembro, precorri todo o RS, Brasil e fora atrás do nome de um treinador que merecesse aprovação e que ao menos a maioria dissesse, oba, este é o cara, claro, entre aqueles que estivessem ao alcance. Somente um nome surgiu também, pelo Sr. Raul. Nome interessante, mas ninguém fez mais qualquer comentário nem sobre outro nome nem sobre a sugestão do Sr. Raul.

    É fácil não ?

    Nós não sabemos nem temos quem indicar para o futebol e para treinador, mas metemos o pau em quem está lá.

    É bonito isto ?

  21. completando Cesar faltou eu registrar que se um comentarista vem aqui e diz, com razão, que somos mais de 300 conselheiros … logo tu estás entre os 300, logo serias um candidatável se quisesse, mas não queres, e ou não podes não sei … é isto

  22. Se no Grêmio não tem ninguém com competência ou tempo disponível para o cargo, porque o “homem” forte do futebol precisa ser um conselheiro? Porque não pode ser um profissional? O que eu acho inadmissível é a posição do tipo “temos que ficar com o Meira porque não temos alternativa no conselho do Grêmio”.

    Acho que o Meira até vai bem nas contratações, mas ele não tem comando nenhum no vestiário. Ele não tem perfil de líder. O Meira me parece mais um avô benevolente, amigo de todo mundo, sempre de bem com todos.

    O Silas não pode ser a referência do vestiário do Grêmio. Na verdade, nenhum técnico pode assumir essa tarefa sozinho. Ela tem que ser dividida, com alguém que represente o clube, que cobre e dê respaldo quando isso se faça necessário. Muito do que o Koff fez na época do Felipão.

  23. Ah, respondendo a pergunta: o último “bom” vice de futebol que tivemos, na minha opinião, foi o Pelaipe. Não sei a que grupo ele pertence, mas eu acho que isso nem deveria interessar.

  24. Bueno, a conclusão então é que não existe ninguém melhor para assumir?
    Salve Meira, o único gremista abnegado, rico e com tempo…
    Vou ali me matar e já volto…

  25. Prezado Josias,

    Em primeiro lugar gostaria de dizer que sou teu admirador, acho você um dos debatedores mais habilidosos que eu já vi. Ter coragem e “bala na agulha” para encarar sozinho uma bancada inteira de colorados é para poucos.

    Na condição de discípulo, gostaria de ponderar uma questão: será que não deveríamos contextualizar o período que o Mário Sérgio comandou o Grêmio antes de definirmos que o modelo falhou? Eu até acho que ele não é talhado para o cargo, foi um erro do Odone, mas a situação do Grêmio era caótica. Ele teve que sair pelo Brasil pedindo favor para conseguir 24 jogadores para poder fazer coletivos? Lembra que quem bancou o De Leon foi o Odone, e não o Mário Sérgio? Será que é possível avaliar se o modelo é bom (ou não) baseado apenas em uma unica experiência que foi justamente realizada no pior momento da vida gremista?

    Apenas para deixar claro, eu não sou a favor de um modelo ou outro. Na verdade eu até acho que é melhor para o Clube um abnegado. Mas desde que ele tenha condições para exercer esse cargo. Se não há ninguém no conselho capaz e/ou disposto a assumir o cargo, então temos que nos contentar com o menos ruim?

    Abraço

  26. Meu Amigo andré, eu não diria que a conclusão é essa.
    Com certeza, temos nomes capacitados entre milhões de gremistas. Mas encontrá-lo não é fácil.

    Se nós, torcedores abnegados que não vivemos a pressão diária da direção do Clube não chegamos nem perto de um ÚNICO NOME, imaginemos o que poderia passar o Pres. Duda caso cogitasse pela substituição do Meira.

    Achar um nome capaz, com tempo e dedicação e, como disse o post, com trânsito livre pelo Clube não é uma tarefa fácil.

    Mas se for de sacanagem, apresento o meu nome para o cargo. Mas só depois que eu me aposentar, pois preciso labutar para alimentar o meu filho. Mas como eu sempre dise, quero amplo poderes para contratar jogadores, técnico e dar meus palpites na escalação.

  27. Alguém lembra que o Preiss estava com o Eduardo Maluf do Cruzeiro contratado?

    É o melhor e mais experiente Gerente de futebol do Brasil.

  28. como eu vou saber quem pode e quem quer?
    posso no máximo indicar quem é apto para o cargo, mas baseado em que?
    baseado no histórico e baseado nas idéias expressas sobre futebol, na mídia corporativa, como gosta de dizer o Helio

    vou de Homero Belini

  29. Enquanto vejo o jogo, sofrivel, digo ao Leandro: De Leon foi indicado pelo Mario Sérgio. Poucas sugestões, para não dizer nenhuma. A do Marcos eu já referi, Belini, sugeri ao Odone antes do Renato Moreira, o Odone não quis pq era oposição … Não creio que o Belini hoje tope, nem sei se toparia na época. A lembrança do Carlos é bem pertinente, mas ainda repousa sobre profissional remunerado, que seria o ´fixo`. Mas façamos o seguinte, vamos enumerar os poucos nomes sugeridos e vamos ver a aprovação. Leio somente três nomes sugeridos. VAmos supor que todos eles QUEREM … ( acho que poder podem … ) Vamos lá;

    Pelaipe
    Paulo Deitos
    e
    Beline.

    Quem aprova e quem não aprova !

  30. O último bom, LEANDRO, foi o Renato Moreira. O Pelaipe, repito, o que ganhou mesmo ? Chamou o Boca de Caxias com Grife, levou 5 no lombo, disse que o Nunes era o Gatuso e depois se tornou profissional não foi ? Teve no Ceará, foi corrido de lá e morreu para a profissão. Nada feito com ele. O Paulo Deitos não conheço direito, sei que quando começou nas bases andou levando pau aqui, ai se firmou por lá. Seria uma aposta. Se é para escolher um dos três vou de Beline, mas tb nada sei dele além do que falam aqui.
    André, antes de te matar, diz um nomezinho só. Ou já te matou ?

  31. Prezado João.
    Como já falei outras vezes aqui, sou um mero torcedor, sem trânsito no clube. Não teria essa capacidade de indicar nomes pq esta tarefa é, a meu juízo, dos dirigentes eleitos pelo torcedor. Eu confesso a minha ignorância política! Tanto que pouco me manifesto nesses assuntos. Sobre futebol sim dou os meus pitacos. Para assuntos como esse (política) deixo para o mestre Josias, que tenho uma grande admiração por tudo o que conhece e sabe sobre Grêmio.
    Mas João, antes de me matar, prefiro que tu te identifique com teu verdadeiro nome e não um fake, ok?!
    Abraçoss

  32. Já comentei bastante no outro post citado, post Gauchão 2010, Final 1º Turno: GRÊMIO 1×0 Novo Hamburgo, porém foi mais direcionado visando o futuro próximo, eleições que se avizinham. Porém, infelizmente, a pessoa que citei não se pronunciou se pode e/ou deseja.

    Para agora…Fora Meira, Fora Silas!!

    Sugestões para direção de futebol: Renato Moreira, Homero Bellini Jr. ou Paulo Deitos, exatamente nessa ordem de preferência. Estão aí os nomes.

    Sugestão para Técnico: Marcelo Rospide. E sobre esse, muito do que foi comentado aqui neste blog, inclusive pelo próprio Carlos Josias, de que não teria comando de vestiário, também respondi no outro post. Não concordo. Ao meu ver é mais uma questão de falta de respaldo da direção para iniciar um projeto com Marcelo Rospide, do que propriamente um problema de personalidade do próprio Rospide. Será que o Felipão teria dado certo sem um homem forte no futebol?? Alguém consegue lembrar o que aconteceu na época?? Saiu o Cássia, muito querido pela torcida e entrou Felipão de veras contestado por todos.

    E, agora, quero deixar uma indagação, que talvez soe mal para quem já é Conselheiro: se não quer ou não pode, quando solicitado para contribuir/trabalhar para o Grêmio, porque ser Conselheiro?? Ainda pior fica quando não comparecem sequer as reuniões… por favor, não é pra ofender ninguém.

    Ainda há tempo para ganharmos essa Copa do Brsil. É só começar AGORA. É início de Março.

    Saudações.
    Cláudio Medeiros

  33. sei disso, Carlos, que mkt e publicidade são distintos.
    Concordo contigo que o Maluf do Cruzeiro ( não tem nenhum parentesco com o Paulo ) é o melhor gerente de futebol do país. Já viu jogador ruim no Cruzeiro? ( tem exceções sim, mas eles não contratam pencas de Williams ( não ficam 3 anos com ) Jonas, Rochembachs, Joilsons e outras ruindades.

    E tem mais contatos.

    Inicio do ano passado o Gremio estava fechando com o Wellington Paulista, que interessava a eles, o Meira anunciou na imprensa sem fechar contrato, eles correram pros empresarios e acertaram.

    Nem mais titular é, mas é mais jogador q um William…

    cbimbi

  34. Senhores, divergir é saudável e incentiva a novas idéias e pensamentos. Estou muitíssimo satisfeito com tudo que estou lendo (mesmo sem concordar com alguns comentários) e o JOSIAS tem de ser parabenizado por tão enriquecedora discussão em prol da Instituição Grêmio. PAULO DEITOS: confesso-lhes que não o conheço profundamente, mas o pouco que sei de suas virtudes, fazem-me crer que ele tem condições sim (tempo, competência e vontade) para assumir a “bronca do futebol”. Acho inclusive que o DR. SAUL (pela experiência), poderia postar-se ao lado do DEITOS, a fim de unirmos o ideal para um clube do tamanho do GRÊMIO: novos dirigentes e experiência (histórico). Mas reitero: não quero aqui detonar o MEIRA. Como escreveu um colega acima: as contratações deste ano estão excelentes. Penso que ao dedicado e correto MEIRA falte “discurso NOVO de vestiário” (como referiu o BIMBI: o MAXI que diga). Apenas isso!!

  35. Andre. Meu nome é JOão Caetano Paranhos Menna de Oliveira. Sou filho do Josias, já disse isto aqui muitas vezes e ele tb. Falei no antes de te matar porque tu mesmo referiu que te mataria. No mais não me parece importante o sobrenome de quem escreve se quem escreve não ataca ninguém, e eu não ataquei ninguém. Sem ofender tanto faz o cara ser ou não um fake, o ruim é quando o cara chinga alguem e se esconde sem nome, não é o meu caso, vou passar a assinar Joao C para facilitar e não haver confusão com outro João que frequenta aqui tb.

  36. Só prá completar, sou filho do Josias o que não quer dzer que concorde com ele em tudo, ao contrário, acho até que ele pega muito leve com esta direção de futebol

  37. Blz João, sem estresses. Só que não me agrada esse tipo de ironia na qual fizeste! Até pq não ataco ninguém, apenas dou minha modesta opinião sobre o que penso!
    Abraçoss

  38. João, o Pelaipe não ganhou nada, só dois campeonatos gauchos e foi vice da libertadores. Trouxe o Diego Souza, Lúcio, Schiavi para o Grêmio. Incompetente ele não é, conhece sim futebol e jogadores.
    Além disso, o vice de futebol não ganha titulo sozinho, depende do tecnico, do presidente, dos jogadores, enfim, de toda estrutura e do momento do clube.
    Podes não gostar do jeito do Pelaipe, tb não me agrada, mas inegavelmente ele conhece do riscado. Além do mais, se queres um padre como vice de futebol chamemos o Bento XVI ou o Giovani Luigi.
    Não entendo porque tamanha rejeição ao nome do Pelaipe.

  39. André, qual a ironia que fiz ? O post pede um nome, tu deu um pau geral, não deu nome e disse que ia te matar. Pedi que antes disto, te matar, desse o nome. Aonde está a ironia. Me diz ? Eu tenho 17 anos e toco na banda da geral, dia de jogo perco 2 dias, um antes e o do jogo, e o velho quase me mata porque não estudo, a mãe nem se fala, picando papel e preparando trapos. Que eu não cnheça nomes para indicar acho que tudo bem, não vou dizer o alemão rodrigo da geral. Mas tu é conselheiro, isto é irônico. Não t entendi.

    Claudio. Os campeonatos gauchos ganhos pelo Grêmio era o Renato Moreira o cara do futebol, o Pelaipe assessor. Não tenho nada contra ele, sou amigo do filho dele e ele é amigo do velho, mas acho que ele já passou e não ganhou nada. O Silas também não está indo mal sozinho, nem o Meira, como tu disse, ninguem ganha e ninguem perde nada só.

  40. João, prá encerrar:

    Andre Peixoto – Sta Maria Disse:
    03/03/2010 às 21:48

    Bueno, a conclusão então é que não existe ninguém melhor para assumir?
    Salve Meira, o único gremista abnegado, rico e com tempo…
    Vou ali me matar e já volto…

    Não sei de onde tá o “pau geral”.
    Outra: não sou conselheiro…
    Abraçoss

  41. Na verdade, concordo com o que o Hélio escreveu no outro post. Deixem o homem trabalhar. Acho que é cedo para pedir a cabeça do Silas e do Meira. Meira vem contratando bem esse ano (Borges, Douglas, Edilson pelo menos até o momento, são incontestáveis). Não adianta tirar o Meira e colocar alguém que não entenda nada de futebol.
    Qto aos Silas, discordo de algumas opções dele, mas não acho que ele seja um treinador ruim, que não saiba formar um time. No Avaí ele criou um time com um esquema bem definido e tinha jogadores de menor qualidade. Então o argumento não pode ser falta de capacidade de formar um padrão de jogo. A menos que digam que é tecnico que não sabe lidar com fartura, o que acho uma bobagem imensa. Isso não existe. faz time com jogadores ruins sabe fazer com jogador bom.

  42. Josias,
    Não escrevi pra botar qualquer um, escrevi que um Danrlei ou um Espinosa, ou até outros que foram citados depois como Goiano ou Roger são melhores que o Meira. Ao menos estes tem histórico vencedor e já conhecem o clube (não que o Meira não conheça…)
    Não acho que seja vital a presença de um abnegado ali do jeito que tá, contanto que o clube tenha procedimentos, códigos e condutas documentados, que transmitam uma cultura de clube e que sejam identificadas na figura do presidente. Isso não há.

    Não conheço profundamente todos conselheiros do Grêmio como tu deves conhecer, então não possa te dizer quem pode ou não.
    Mas dúvido que algum conselheiro negasse o cargo do abnegado caso ouvesse um bom e reconhecido profissional remunerado atuando ali.
    Hoje está o Cícero, que acaba não atuando na linha de frente. Esse trabalho fica com o Meira, que visivelmente não tem capacidade para atuar ali. É o Meira que dá a cara a bater. Por que o Profissional não poderia fazer a do Meira e o abnegado fazer a do Cícero, só nos bastidores?? Não ficaria mais fácil pro abnegado aceitar essa função???

    Mas se é pra indicar alguem dos 300 ou sócio, me indico primeiro! Porém, como eu sou um mero sócio proprietário, e não teria muito aceitação da torcida, então indico:

    Josias (sei que tu não quer, mas seria um bom nome)
    Belini
    Moreira
    Deitos
    Pacheco (não dizem que ele é melhor no futebol?)

  43. Que bom que surgem jovens inteligentes e com opinião. Vai firme João Caetano.
    Vitor Ruschel, parabéns pela lembrança do querido amigo Saul Berdchewski. O Saul é competente, tem tempo e uma sabedoria diferenciada. Ele e o Paulinho Deitos formariam um vestiário maravilhoso.
    Mas acredito que vamos ganhar títulos importantes neste ano. O plantel é bom.

  44. Vitor, quando nos conhecemos eu respeitava em ti aquele lado da paixão azul. Porém, com o passar do tempo eu descobri que tu tens sabedoria. Ontem no Copacabana eu gostei de conversar contigo. A lembrança do nome do SAUL e do DEITOS, é mais um ponto em teu favor. Finalmente encontrei um ruschel que eu pudesse admirar.

  45. Ehehehehe me deliciei com a chinelada que o João deu no André Peixoto. O André veio aqui, baixou o sarrafo, baixou sim, não sugeriu nada e disse que ia se matar. Pois que se mate.
    Olha se eu tivesse que escolher um homem pro futebol entre os nomes sugeridos, e acho que a escolha ficou entre Paulo Deitos, Pelaipe e Belini, eu aguardaria mais um pouco. Parece que há uma unanimidade aqui, o Meira é bom em contratações, não vi ninguém duvidando disto. Este não é o forte do Pelaipe ou pelo menos dá pra discutir as dele, me perdoem, mas Schiavi aquele ogro foi uma medonha, Rodrigo Mendes bixado, foi outra e ainda nos deixou uma divida horrorosa com o flamengo, teve o Morales, Marcel, enfim ele errou muito ai, e realmente não ganhou nada como homem de futebol, os poucos titulos de 2005 prá cá vieram com o Renato Moreira, 2 gauchões e a segundona que valeu pela Batalha dos Aflitos, se não fosse aquele jogo do jeito que se deu nossa passagem teria sido vergonhosa, o Grêmio é predestinado e Deus não deixou que a segundona fosse só um ano para apagar da memória e nos encomendou aquele final que nem o maior gremista poderia ter capacidade de escrever o roteiro, e agora este primeiro turno com o Meira que virou campeonato, na verdade desde o ano passado, eles também fizeram volta olimpica. Não saiu muita coisa daqui. Acho bons os nomes do Paulo Deitos e do Belini, se Podem ou Querem, como tanto insiste o Josias no tema, eu não sei, mas prá mim tenho que entre eles, por enquanto,eu aguardaria um pouco mais. Sem medo de errar, este meio campeonato ganho agora pelo Meira, é o de melhor desde o segundo gauchão ganho com o Renato Moreira. Ele já fez mais que o Pelaipe. É o que eu penso, e se me atirarem pedras, por favor, atirem com força, e aumentem as sugestões porque foram poucas, para não dizer pobres.

  46. Bueno, não sei o porquê de tanta polêmica pelo que escrevi, mas, deixa prá lá! Cara nem me conhece sai disparando para tudo quanto é lado. Façamos o seguinte, prezado Alex. Vá a algum dos encontros que o blog organiza (só fui no primeiro, pretendo ir no próximo)e vamos conversar numa boa, sem ataques!! Pergunte a quem esteve no primeiro sobre minha pessoa (Josias até me deu carona pro hotel, ehehhehe)!!
    Como escrevi lá em cima, não tenho como dizer um nome pq não participo da política do clube. Deixo as indicações para quem conhece. Mas já que os jovens querem um nome, lá vai: Paulo Deitos…
    Abraçoss

  47. SENHORES. Acho que este post chegou ao fim. Não chegamos a grandes conclusões, e as poucas indicações feitas chegaram a poucos nomes e não sabemos, entre os ´indicados´ que teria disponibilidade para QUERER, em que pese achar que todos PODEM ( quanto à capacidade, não quanto à disponibilidade ).
    E nem vou computar, porque não tem como, quantos visitaram aqui, leram, pensaram ou não, mas não se atreveram a opinar. Certamente mais do que os que opinaram.
    Os nomes chegados:
    Pelaipe: iriam querer ? não sei, pelo que conheço dele, não, até porque ( e isto tem muito no Grêmio e em qualquer clube ) quando o cara não afina muito com a direção, não vai. Poucos nestas circunstâncias aceitaram, exemplos Saul e Preis convocados por Cacalo e estavam em lados opostos na politica do clube. Krieger, com Odone, em lados opostos, Krieger aceitou e foram opostos até o fim. Não é comum isto, então acho que o Pelaipe não iria querer talvez não só por isto.
    Me parece que o mesmo serve para o Homero, embora ache que ele tenha motivos de outra ordem principalmente, como profissional.
    Renato Moreira, já se falou isto, não iria querer, tb por razões profissionais.
    Todos nomes bons, Iriam querer ?
    Acho até que é o caso de investigarmos, quem for chegado a qualquer um deles, pergunte e terá a resposta que sria bem vinda aqui, penso.
    Eu, que não indiquei nenhum nome, e, repito, acho que todos os indicados são belos nomes, agregaria o nome do Cesar Cidade, que me parece ser um belo nome, e tem experiência boa na base.
    O Paulo Deitos talvez seja o que mais ´possa` porque já tem seu nome na base e ela exige dedicação e tempo e ele esta dedicado e entregue, logo posso deduzir que poderia assumir, se quisesse, o profissional. Mas também não sabemos com certeza e não sei se seria interessante despir um santo para tentar tapar o outro.
    O fato certo é que aqui não se chegou, repito, a conclusão definitiva e mais do que isto, a uma aprovação total. Há divergências de nomes, uns gostando de uns e outros desgotando de outros. A própria permanencia do Meira foi votada !
    Viram ?
    Futebol parece simples, mas não é. Quem está de fora, olhando, parece ter a solução mágica prá tudo, lá dentro a coisa aperta.
    Fiz o mesmo noutro post com treinador, quem ? E só um nome novo apareceu, dado pelo Sr. Raul, os demais, quer do RS quer de fora, esbarraram na desconfiança e no veto.
    Logo, vamos parar com esta de fora fulano fora beltrano, porque isto não leva a absolutamente nada e só aumenta a insegurança e com ela nenhuma contribuição efetiva ao clube. Se o blog se propõe a auxiliar a ajudar, o caminho não é este.
    O Meira pode não ser a melhor solução do mundo, mas está lá trabalhando, se dedicando, com compentencia ou não, está lá. Goste ou não dele, nem entro no mérito.
    Quem tiver a solução, que grite, e jogue as segundas pedras, porque as primeiras já foram jogadas, aqui, à exaustão.
    Frigir dos ovos, não temos indicação que aprove a todos, e quem quer que seja que entrar no lugar do Meira, em um mês, sem resultado, irá ouvir FORA !
    o MESMO serve para o Silas.
    Eu como todos vcs ou como a maioria não estou satisfeito com o que anda havendo, quero mais bem mais, mas como vcs não sabemos como alcançar isto.
    Então, vamos fazer o seguinte:deixem eles trabalharem, será, certamente, melhor para todos.
    Ao contrário dos outros departamentos aonde é bem mais fácil acertar e mais fácil apurar erros, porque não lidam com o impoderável ( marketing é uma ciência, as finanças, tb, a administração, idem ) o futebol é todo Impoderável. Hoje, como dizia o Mano, tá tudo bem, amanhã não se sabe: e vice versa serve, hoje está mal, amanhã, tudo pode estar bem. O futebol do Grêmio já passou por fases muito piores do que esta e o clube nunca desceu de sua grandeza.
    Soluções mágicas seriam ótimas – como disse Odone no futebol seria ótimo, Cacalo, idem, e por ai vai – mas elas não se criam.
    Então, vamos dar um tempo, se não atrapalha. Isto não impede, óbvio, desabafos e criticas que muitas vezes geram trocas ásperas de debates, faz parte. É do jogo ! E jogo senhores, é jogo. Nossos melhores batedores de penalidades erraram em tókio, e o João Antônio, aquele tosco centro médio, fez um gol no Maracanã não sem antes dar uma janelinha no defensor do Flamengo com 100 mil torcedores em campo. Nosso grande idolo, Danrlei, engoliu um frango numa semifinal de Libertadores e nos tirou a chance do tri, no ano 2003 e um apagado atacante meteu o segundo na Portuguesa e fomos bi do brasil. Esta paixão que nos move nos dá sim o direito de chingarmos quem dirige, mas não dá o direito de atormentarmos a direção o tempo inteiro como se todo mundo que tivesse lá fosse um bando de incompetentes, pernas de pau, que não sabem nada do que fazem no vestiário. Queiram ou não esta é a nossa realidade. Não vai faltar um leitor apressado de texto para repetir que sou um encantado ! Al á nos Proteja ! E vamos em frente que vem gente com panela de água quente.
    Falta um 5 !

  48. Alguém por aí (Josias?) poderia me perdoar a ignorância e me dizer porque o sujeito que contrata tem que ser o mesmo que fala no vestiário? Isto não é um paradigma a ser questionado? Eu penso que cada um tem que fazer o que sabe! Se o sujeito conhece os boleiros que existem no mercado. sabe fazer a proposta e trazer bons jogadores, mas é desengonçado para falar, porque esta tarefa não é dada a outro? Em que hieróglifo da antiguidade está escrito que o vice de futebol tem que contratar e atuar no vestiário? Desculpem, não quero ser irônico. Talvez seja a mais crassa ignorância, mas eu só queria entender….

  49. Marcos, não seria essa a função que queriam do Mauro Galvão? Se falei asneira, me perdoem…
    Abraçoss

  50. Ai Marcos, me rendendo na madrugada, esse G é de tirar o sono. Vai te deitar cara. E o João = vai estudar guri !
    Tens razão. Falar é uma arte. Especialmente quando vivemos num meio em que qualquer palavrinha ou frasesinha mal posta ( olha a história do Café ) rende matéria pra semana inteira. O café rendeu mais que o argentininho anão querendo boxear com o Willian, pra vcs verem.
    Não sou jornalista, mas vou preservar a fonte. Já que os jornalistas dizem o que dizem e não entregam a fonte, e nunca se fica sabendo ao certo se é verdade ou não o que dizem, vou cntar uma deles e, como disse, não vou entregar quem deu e que é bem conhecido. Segundo um amigo ´nosso` quando o Sr. Diogo Olivier – o secretário do Benfica no caso Ovelhinhas – foi intimado pela rede para fazer Jornalismo Esportivo, e deixar o Politico, que era o que ele fazia, fez o seguinte comentário a esse nosso amigo, e entre outros: ” vou para a boca do lixo do jornalismo ” ! Não é isto qu eu penso do Jornalismo Esportivo, mas é isto que ´ele` e muitos deles pensam. Então caro amigo, tu tens razão, é imperioso que o homem do futebol seja bom de lata e tenha reflexão e cuidado com as palavras. O discuro do Meira parece ser a grande queixa de todos, mais do que qualquer outra coisa, acho que tu colocou o dedo na ferida. Vou até fazer uma recordação. Ao tempo do Evandro e do Saul, o meu querido amigo Saul, em que pese uma pessoa muito esclarecida e que fala bem, cedia mais espaço ao Evandro que tem um discurso mais sofisticado e mais próprio ao enfrentamento com a reportagem. O Guerra presumidamente deve ter mais facilidade com as palavra, digo isto porque não o escuto quase e o meu conhecimento dele não inclui manifestações públicas, mas até pela profissão é de se presumir que possa desempenhar este papel com mais desenvoltura. Realmente o Meira que contrata bem, isto aqui todo mundo ou quase todo mundo já acordou, possui imensas dificuldades com a ´latinha` e ai a jornalistama se lava. Mas cá prá nós tb, falta assessoria para orientar melhor, salvo se tem e ele a despreza.

  51. GRANDE ARTHUR, “meu procurador”! Arthur, os RUSCHEL, em seu estrondosa maioria, são pessoas maravilhosas e “com sangue azul” (não de nobreza, mas de puro gremismo). Na realidade, somos um tanto passionais por natureza, razão pela qual criamos polêmica gratuita ou aborrecemos grandes amigos. Releve, caro Arthur, caso tenha havido algum problema com um RUSCHEL. Tenho certeza de que, caso voltes a fazer contato com um dos RUSCHEL, com o qual eventualmente tenhas tido problema, tudo se resolverá. Convivendo com gremistas como tu e outros, que conhecem profundamente o clube, aos poucos, vou “lapidando-me”. Continuarei crítico (minha natureza), mas conhecendo mais e mais o clube e as pessoas, “pegando leve”!! O JULIANO, no post acima, asseverou: NÃO É NECESSÁRIO SER CONSELHEIRO PARA TRABALHAR PELO GRÊMIO! É exatamente isso que levo comigo: estou feliz por, de alguma forma – minima e modestamente, “acreditar” que estou sim trabalhando (conversando com todos vocês, de todos os movimento; com a Direção;…) pelo clube que AMO!

  52. Vitor, passional, apaixonado, com personalidade, mas correto. Esse é o Vitor Ruschel.

    Vitor, eu prefiro conviver com figuras transparentes como você. Quando criticas é para contribuir.
    Um dia eu ti explico a questão. Não aceito oportunistas. Quando eu estava na Ouvidoria, resolvi homenagear o amigo Saul, primeiro ouvidor de um clube brasileiro.
    Um colega buscou para si os méritos da homenagem.
    Vitor, talvez esse assunto não interesse a ninguém.
    Gremistas honestos e fervorosos como você é que o tricolor cada vez maior.

  53. O Pacheco no futebol já vimos em 1997, quando o vestiário ainda rugia Cacalo ele deu certo no primeiro semestre pq não tinha como dar errado, recém saido F Kof da Presidencia e Cacalo do Futebol,aquele timaço perdeu Jardel na centro avancia mas ganho o goleador Paulo Nunes, foi só terminar o rugido do Cacalo e o Pacheco afundou como elefante em areia movediça, foi corrido do vestiário. Deus nos livre. Com ele a questão é simples e já foi dita e redita: excelente segundo homem. Se eu fosse um Herminio de Moraes contrataria ele para ´caixa` do meu grupo empresarial, jamais para Presidente ! E é isto. Cada um no seu lugar. Tem pessoas que são excelentes naquela função é péssimas na outra, o Pacheco é assim, comandado sem poder de mando e decisão, funciona bem, aonde deixou para ele ´mandar`, desastre. Quem disse que ele seria um excelente Verardi, acertou. Por sinal de ´lata` ele tb é ruim. Veja o banho e a surra que tomou do Cacalo no enfrentamento em período eleitoral, não cnseguia nem falar. Como dizia a minha mãe, cada um com suas coisinhas no seu cantinho e com cristo no barco tudo vai muito bem …

    Obs.: a frase, não é preciso ser conselheiro para trabalhar pelo G, o Juliano colou de mim….

  54. O problema, segundo corre, é que ele se mete em tudo, quer mandar em tudo, não entende as coisas e atrapalha.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.