Participe da discussão

7 comentários

  1. Anderson!
    Tenho sido um crítico do Grêmio aqui no blog. Diga-se de passagem, mais dos dirigentes do que da equipe, porque da qualidade de um depende a qualidade do outro. Mas, não posso deixar de reconhecer que, mesmo com todos os problemas decorrentes dos equívocos da atual gestão de futebol do clube, a volta do Felipão foi a única coisa sensata que ocorreu este ano, tanto é que se constituiu no “carro chefe” da vitoriosa campanha eleitoral da situação. Em se falando no futebol, o Grêmio mudou para melhor, dada a reconhecida capacidade do treinador que promoveu radicais mudanças no grupo e no sistema de jogo, e que, na minha opinião, é o maior responsável por tudo de bom que aconteceu nesse segundo semestre. Logicamente que alguns equívocos foram cometidos por parte do treinador, mas, nada que possa ser maior do que a estabilidade, a confiança e o padrão de jogo que gradativamente foi implementado e que tomou conta do grupo. Ainda estamos no páreo. Não fosse o treinador, não sei se estaria eu hoje, aqui, comentando uma derrota sem a contundência e a indignação de alguns meses atrás. Não estou feliz com a derrota. Para mim, ela se explica pela qualidade de decisão dos jogadores adversários. Tivemos mais chances e não soubemos definir a jogada. Não tenho como culpar A ou B. Todos deram o seu máximo e nós sabemos, não é de hoje, aonde cada jogador pode chegar. Ainda temos chance. Nenhum dos concorrentes às vagas ao G4 ou ao G5, ainda em disputa, pode se considerar dentro.
    Na próxima rodada teremos jogos de “vida ou morte” e que definirão os verdadeiros candidatos a uma vaga na LA 2015.
    O Grêmio ainda depende só de suas forças. Uma vitória, em São Paulo, coloca novamente o Grêmio na parada. Vencendo, tenho certeza que nada poderá nos tirar a vaga. Se perder, daremos adeus ao campeonato, porque aí, dependeremos exclusivamente de resultados paralelos o que é uma loteria. Hoje, vejo nossa equipe com outros olhos. O Grêmio melhorou dentro do campo. Falta tesão fora de campo. O discurso oficial não empolga e até atrai, com suas “mancadas”, os negativos holofotes da imprensa local. Mas, eu ainda acredito que vamos dar a volta por cima. O futebol jogado é a nossa única esperança.

  2. Penso que chegamos num estágio tao ruim nesses 13 anos que nao vamos sair no nada e vamos conseguirmos ganhar um brasileiro, libertadores direto. Ou seja, do nada ao tudo.
    Temos que manter um time, uma base e ir melhorando paulatinamente. Ganha um gauchao, ganha uma copa do brasil e assim por diante.
    De que adianta ficarmos com vagas na libertadores, o time montado e pobre e no fim das contas somos eliminados por times que mantém uma base de alguns anos.
    grêmio é igual aquela pessoa que sofreu um acidente e ficou anos na cama. Vai ter que aprender a ficar de pé para depois andar.

  3. Não podemos ir do 08 ao 80, ou melhor do 80 ao 08. O nosso treinador apesar de ter momentos de teimosia e até de irracionalidade, demonstrou ser capaz de montar um bom time. O time saiu de uma zona intermediária e está muito próximo da classificação para a Libertadores.Nos dois jogos contra o Cruzeiros apesar de termos perdido, jogamos melhor e esta última derrota tem pouco de incompetência, mas tem muito de azar. Poderíamos ter tirado uma vantagem maior no primeiro tempo e administrar melhor o segundo. Mas não deu, acho que Felipão demorou em fazer as substituições, mas a base para 2015 é boa se mantida e alguns ajustes podem deixar o time competitivo, especialmente se chegarem atacantes de mais qualidade. Apesar de ser o goleador do time e um dos goleadores do campeonato, acho que o Barcos deveria ser vendido e substituído por um jogador de mais qualidade.

  4. Que venha 2015, depois de ontem acho que não temos mais chances.
    Que venham os jogadores que decidem, como os do Cruzeiro, que não perdem gols dentro da pequena área.
    Só pra lembrar que o Barcos já havia perdido um igual contra o San Lorenzo…

    Fizemos um baita jogo no 1º tempo, mas deixamos de matar o campeão e isso custa caro.
    Ramiro na frente do Fábio, Dudu e Barcos dentro da pequena área. Não por acaso os jogadores, que junto do Pará, são os mais contestados no grupo.
    São jogadores úteis ao time, mas não decidem.
    Barcos fez um grande jogo, participou, fez pivo, lançamentos e tudo mais, menos o gol decisivo.

    O Grêmio não pode depender de jogador que perde gol decisivo, é frustração demais pro torcedor!

  5. Podemos até nem ganhar Libertadores, é mais possível até que não ganhemos. Mas que ela é importante pras finanças, é. Não tem como montar um time sem dinheiro

  6. Enquanto o G escancara suas limitações pela má formação do grupo, enquanto o limite gremista impõe-se – chegaremos apenas no G10, o SCI é escandalosamente favorecido por 3 erros capitais: 2 pênsltis não marcados e a marcação de um impedimento no final do jg, qdo o Galo faria o 2 gol! Grêmio desce mais um degrau da série interminável de 13 anos de vilipêndios, graças a gestões pífias formadas por amigos e confrades! Koff não cansa de iludir a torcida!ou assume o futebol oi cai fora e leva esse RC! Pobre Grêmio!

Deixe um comentário

Deixe uma resposta para Mateus Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.