Problemas Típicos de um Time em Transição

Só quem não tem experiência em futebol poderia imaginar que o Grêmio sairia vencendo exacerbadamente “a tudo e a todos”, prostate engatando uma série invicta nunca vista na história futebolística. Ora, buy isso é humanamente impossível. O Imortal Tricolor trocou de treinador, healing logo, vem sendo implementada uma nova filosofia de futebol no grupo. Ademais, houve mudanças significativas em todos os setores do time. Assim não há como se falar em entrosamento e estrutura tática em tão pouco tempo de treinamento. Isso é fato.

O Grêmio é um time em transição, ainda procurando a sua identidade. Por óbvio, não ficarei “mascarando” os problemas apresentados pelo time até o momento. Após 2 jogos-treinos e 3 jogos oficiais, resta clarividente que a zaga gremista segue sendo a grande dor de cabeça (tal como fora em 2011). Saimon é demasiadamente explosivo e vem errando muitos passes, além de perder jogadas no mano a mano. Grolli é extremamente esforçado, raçudo, mas lhe falta calma e tranquilidade para definir as jogadas aéreas. Como se não bastassem essas questões individuais, ambos são muito jovens. Nitidamente, tem faltado experiência para os integrantes do setor. É preciso contratar 1 zagueiro experiente para ser titular e testar o último contratado (Naldo).

Caio Jr. ainda não encontrou a disposição tática ideal. FONTE: Uol

A propósito, Victor fez uma estupenda partida ante o Juventude neste domingo passado. “Victor voltou a ser Victor”. Que brilhante partida! Há tempos não via nosso arqueiro jogar tão bem. De laterais e alas o Grêmio está bem servido. Quanto ao ataque, temos um dos melhores do Brasil (Kléber e Marcelo Moreno) e os reservas são bons (André Lima, Leandro e Yuri Mamute). Miralles precisa ser vendido.

Finalmente, no que tange ao meio de campo, a meu ver, eis o grande problema. Notadamente, o meio de campo é “a alma de um time”. Fernando não vem tendo boas atuações individuais, além de estar sendo sacrificado pelo treinador Caio Jr., visto que não sabe armar e chegar à frente. Leo Gago tem se mostrado (até o momento) um volante deficiente: cobra muito bem faltas, é raçudo, é rápido, mas erra passes de meio, não tem a mobilidade ideal para iniciar as jogadas e defende de maneira irregular. Douglas não tem conseguido desenvolver todo o seu futebol e, como é o coração do time, o ataque não vem sendo municiado corretamente. Com isso, Kléber vem recuando demais para poder fazer as jogadas. Aliás, Kléber vem sendo sacrificado também. Moreno ficou isolado. Caio Jr. precisa definir urgentemente um meio de campo titular e arrumar um jeito de abastecer o ataque, mas sem se descuidar da defesa. Faz-se necessário contratar jogadores para o meio de campo também. Marco Antônio (até o momento) me lembra um outro jogador que já esteve pelas bandas do Monumental e passou sem deixar saudades: Luciano Ratinho.

Não podemos fazer “terra arrasada”. O Gauchão foi feito para se fazer os testes devidos. A hora de errar é agora. Não é o momento de ficar criticando o trabalho de Caio Jr. A continuidade e o tempo de trabalho andam lado a lado. Mas é preciso corrigir os erros, contratar jogadores e correr contra o tempo. Quinta-feira a vitória é obrigação…

 

 

Tchüss, fussballteigers!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.