Eu sou um gremista bem simples, viagra 40mg sabe?

Gosto de ver meu time jogar, treatment beber cervejas (Se for no estádio, melhor!) e me divertir com os amigos.

Mas eu sei que tem torcedor que quer mais, não tem problema nenhum nisso. O problema é o custo desse “mais“, tem torcedor que veste uma camiseta e está disposto a tudo, até atacar outro torcedor! Não existe nada pior que torcedor atacando torcedor, porque todo torcedor é igualmente importante quanto outro torcedor. Então a opinião do torcedor X é tão importante do torcedor Y, mas mesmo assim eles se atacam como se um fosse mais importante que o outro.

Não me importo com dirigentes se atacando e explico porque: Depois que todo esse processo “democrático” passar, esses mesmos caras que abertamente se esfaqueiam entregam a chave do carro para o manobrista de um bar bacana e sentem na mesma mesa e conversam, sobre assuntos variados e falam toda sorte de bobagens possíveis.

Entendem o que quero dizer? Não adianta a torcida tomar partido com ardor quase talibã, sendo que depois os maiores interessados vivem suas vidas normalmente.

Eu sou a favor de mudar o Grêmio mais uma vez e de forma definitiva!

Feliz é o torcedor que tem o time comprado por um milionário ou xeique das arábias. Tudo que é besteira, tudo que é politicagem, tudo que não é o mais importante fica de lado, a frente de nós ficará apenas o mais importante, o futebol.

Então congelem o período eleitoral, congelem as candidaturas e vamos colocar o Grêmio em um classificados da TIMES e esperar para ver se o milagre não acontece conosco.

A vantagem da monarquia gremista é simples, sem o processo eleitoral o time não vai sentir e no terceiro ano não vai começar a desmoronar.

Ano par, entra gestão. Grêmio frágil e reaprendendo tudo de novo.

Ano impar, ano final. Grêmio embala aos poucos e se perde por causa de um processo eleitoral.

Ano par. Grêmio perdido, muda-se algumas peças e muitas contratações…

Ano impar….

Outra vantagem é que a mudança de presidência não assustaria investidores, opa, para quê investidores? Nosso monarca é milionário, ele é o investidor!

Politica tinha tudo para ser maravilhosa, mas falhou. A politica do clube virou uma guerra onde irmão mata irmão e nessa guerra o vencedor terá as mãos sujas de sangue e a cabeça cheia de ódio.

 

O clube, o Grêmio, é maior que a sua torcida, que seus dirigentes, que seus jogadores! Vamos fazer uma vaquinha e colocar um anúncio nos maiores jornais do mundo!

Publicado por Fane Webber

Minhas redes sociais. @faneinbox no Twitter. /faneinbox no Facebook. faneinbox@gmail.com é o e-mail de contato.

Participe da discussão

3 comentários

  1. Belo texto… algumas pessoas criticarão, provavelmente as mesmas pessoas que se engalfinham por causa da política… Muitos massas de manobra de alguns que vão ganhar alguns cargos lá dentro… exatamente como na prefeitura, ou no governo do estado, ou no governo federal… cuide para não tornar-se massa de manobra… escolha seu candidato, se quiser, externe sua posição, mas tenha em mente que somos todos torcida do mesmo time… devemos nos irmanar e não nos matar… pelo menos não por causa de alguns que vão assumir o poder amanhã e em 2 ou 3 anos, vão dar de ombros…..

  2. Nós já vivemos uma monarquia no Grêmio, um coronelismo, um império, ditadura, chame como quiser, vários nomes pra uma mesma coisa. Basta ver o modo como o clube vem sendo usado há tempos e muito mais ainda nessas eleições de forma personalista, populista e sectária.

    Só não vê quem não quer ou é alienado. E o pior tipo de torcedor e cidadão é o alienado, preguiçoso e acomodado.

    E esse texto, infelizmente, faz apologia a alienação!

    Uma invocação a volta da ditadura ou da monarquia, só que no futebol. Triste ter de ler tamanho absurdo retrógrado em pleno 2012. Isso sim é ser massa de manobra. E das mais mansas e adestradas.

    O autor parece não suportar conviver e nem ter escolher ou discernir entre os contrários, entre as diferenças, com o antagonismo, que dirá então com o pluralismo ou um pensar complexo. Seria muito esforço. Muito uso dos neurônios.

    Imagina se ter de escolher entre certo ou errado, moral ou imoral, ético, ou antiético, mlehor ou pior, já demanda trabalho e pensamento crítico, como vamos exigir de torcedor que gosta de ganhar seu “pão e circo” de cada dia sem muita demanda crítica, algo além do que seu direito a ilusão e desilusão ou sofrimento passivos.

    Infelizmente, ainda tem muito torcedor que não sabe porque ganha, nem porque perde. Mas o pior tipo ainda é aquele que nem quer saber! Afinal, deve dar muito trabalho…

    Vergonha alheia desse texto, embora reconheça que represente legitimamente um parte não só da torcida, mas do povo brasileiro.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.