Domingo, view dia 20 de outubro de 2012, vialis 40mg o Grêmio deu um passo muito importante rumo ao futuro: escolheu democraticamente o presidente que irá dar o pontapé inicial da “era Arena”. Para tamanha responsabilidade foi eleito o presidente mais vitorioso da história do clube, buy cialis Fábio André Koff. A vitória de Koff veio cheia de expectativas em torno de uma retomada da grandeza do Grêmio como instituição. Abaixo algumas reflexões sobre o futuro tricolor:

A volta dos títulos

É urgente que o Grêmio volte a vencer um campeonato de expressão nacional ou internacional. Lá se foram 11 anos desde que ganhamos aquela Copa do Brasil. Sempre fomos conhecidos como um bixo papão de taças. De tempos para cá viramos méros coadjuvantes e comemoramos apenas alguns títulos gaúchos e vagas em raras em Libertadores.

O time

Há uma frase que os diretores do Miami Heat, atual campeão da NBA, usam como lema antes de cada contratação: “aquele que por compulsão não se entrega nunca, que aprimora dia a dia os seus talentos, que tem a necessidade de ganhar os mesmos títulos que o clube para reafirmar a carreira ou para iniciar uma trajetória vitoriosa, esse é o nosso homem”. Este tem que ser o perfil dos jogadores do Grêmio a partir de hoje.

O treinador

Vanderlei Luxemburgo mudou o Grêmio. Desde Mano Menezes não tinhamos um técnico tão qualificado e competente. Luxa parece à vontade no clube e os méritos pela boa campanha no Brasileirão e Sul-Americana passam muito por ele. Um profissional, na minha opinião, tem que entender de futebol, saber montar um grupo, ser bom estrategista e lidar com o emocional/psicológico dos jogadores. Luxemburgo é tudo isso.

A Arena

Por mais que eu sinta saudades do velho Olímpico, a Arena é um passo gigantesco na vida do Grêmio. Um estádio de primeiro mundo, que vai colocar o clube em outro patamar ao atrair investidores e parceiros. Odone pode ter dado o início da “era Arena”, mas será com Koff que poderemos potencializar todos os benefícios que ela trará para a instituição a curto, médio e longo prazos.

Foto: Ricardo Giusti

Categorias de base

Já passou da hora de termos um centro de formação de atletas. O ideal é que Koff contrate um gestor para as categorias de base, alguém que entenda muito de futebol e que possa implantar este projeto. O maior exemplo é o Barcelona que forma seus craques na base, buscando jovens atletas em outros estados e países para lapidar em seus “laboratórios”. Tudo isso integrado com o time principal para que os novatos não sintam tanto o peso de subir para o time de cima.

Marketing

Faz tempo que nosso departamento de marketing anda bem falho. A transição do Olímpico para a Arena é um exemplo de quão pouco eles conseguem explorar o potencial da torcida e do time. Koff deveria ir ao mercado buscar executivos experientes e que possam comandar o setor, cada vez mais importante na vida de um clube do tamanho do Grêmio. Antigamente qualquer um servia, hoje é impossível gerir a questão sem planejamento, atuação e estrutura profissional.

Torcida

Por fim, o mais importante de tudo: a torcida gremista. Os cerca de 6,6 milhões de tricolores identificam em Fábio Koff o Grêmio vencedor que sempre foi. Não vamos ter títulos, vitórias, dinheiro e grandeza se a torcida não abraçar o clube com mais força do que sempre fez. Quando esteve no papel de protagonista, o torcedor tricolor ajudou o clube a conquistar suas maiores vitórias. Sem deixar de criticar, cobrar e apontar erros, mas apoiando até o apito final.

SAUDAÇÕES TRICOLORES!!!

@ottohnetto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.