Participe da discussão

16 comentários

  1. Eu acho o time do Grêmio razoável, no mesmo nível do Corinthians, Atletico, Internacional, Fluminense e um pouco abaixo do São Paulo e Cruzeiro. Se tivesse um meia e um atacante mais qualificados, acho que estaria hoje disputando o título. Tem sido assim nos últimos anos, quase chegamos lá. Sempre falta alguma coisa. Não dá para dar desculpa por falta de dinheiro. Com os salários pagos a Kleber, Moreno, Barcos, Edinho, Felipe Bastos, Riveiros dá para contratar coisa melhor. Eu acho que o Arouca arruma o meio de campo do Grêmio e está em litígio com o Santos e não teve custar caro, pois parece que tem só mais um ano de contrato.

  2. O Grêmio está nessa situação por vários motivos. Não são um nem dois, apenas, os causadores dessa instabilidade. A própria pergunta traz, no seu bojo, a explicação. O Grêmio se transformou numa “Babel”. A proliferação de grupos e a falta de uma política voltada estritamente para os interesses institucionais, tem sido a causa de um conflito de idéias e de apetites vorazes que se contrapõem, internamente, há vários anos. Não há paz no Grêmio e não havendo paz, faça-se a guerra! Ora, é elementar que onde não existe uma convergência de interesses, a tendência é o gradativo acirramento da disputa e, como consequência, o foco deixa de ser o clube em si para se voltar às questões de conveniência de pessoas e grupos. Se a coisa está instável e desordenada no alto da pirâmide, a tendência é de que seus reflexos negativos se espraiem, tal qual “efeito dominó” e naturalmente, pelos demais setores. Dividem-se os corações entre as paixões e o fazer bem feito, mas, quando se procura servir a dois senhores ao mesmo tempo, não há como dar certo. Ou se cuida do futebol ou se cuida das vaidades. Quando o objeto principal de um clube de futebol deixa de ser o futebol, algo está errado. Invertem-se os papéis. Não existe uma receita para o sucesso. Se assim não fosse, não haveria perdedores. O que realmente conta transcende o imponderável, a sorte, o azar, o mau olhado, a arbitragem, etc. Quando não alcançamos nossos objetivos é tempo de reflexão e de se perguntar: afinal, aonde foi que erramos?. Um pouco de humildade faz bem e pode ser o estímulo para um recomeço promissor.

  3. Mais um ano no quase, sinceramente, perdi as esperanças.
    O que vier é lucro em 2015, nossa realidade é disputar estadual, nada mais.
    Dessa vez o inter estará na libertadores, não tem desculpa pra não vencer o gauchão!

    Depois que ganharem gauchão talvez dê pra acreditar em algo mais, senão nunca formaremos um time de grandes disputas…

  4. É muito otimismo! Já eu penso diferente: nossas chances são mínimas. Vou comemorar muito se acontecer, mas o fracasso já não me surpreende. É caso de já começar a planejar 2015.

    Não tenho problema com otimismo, acho até saudável. O problema mesmo é ler às vezes alguns dizerem ao já calejado torcedor gremista que seu mau humor é responsável por 14 anos de insucesso. Aí é de doer! Não bastava sermos esmagados pelos fracassos do nosso time, temos de ser culpados por 14 anos de incompetência. Gremista só apanha!

  5. Time?
    Sim, mal formado a partir de um grupo de jogadores com carências em termos de qualidade. Dois laterais com defíciência (técnica e ou física), um zagueiro sem condições para ser titular (Rodolfo), pois não sai jogando, falha em bolas aéreas apesar de seus 2 metros de altura e é facilmente driblado (molengão). Não há um armador, nem um atacante para fazer gols junto com Barcos.

    Técnico?
    Também, pois errou em momentos decisivos como nos jogos contra Cruzeiro (demorou para mudar e trabalhou mal o vestiário no intervalo) e CUrintia (escalou errado Ramiro na lateral – teria de ficar no meio e pôr um zagueiro para na lateral com a missão de defender; substituiu Luan, o único jogador q retinha a bola e tentava algo…).
    Direção: sim, a maior responsável! Não planejou o futebol, contratou e gastou absurdamente mal, buscou jogadores tão somente (impressão) através de empresários (não garimpou o mercado da bola – interior de SP….). Enfim, dificilmente haverá uma Direção de Futebol mais incompetente. Koff e os 3 Diretores (os 2 mais o saído) não possuem “características” (perfil) para pensar o futebol de HOJE. Aliás, temos uma GESTÃO ruim em TODAS áreas: Patrimônio, Administração, MKT e FUTEBOL. A recuperação do clube será extremamente difícil, ainda mais com o “continuísmo” de um novo político (e eu votei nesse cara, pois acreditei em Felipão e na compra da gestão – MENTIRAS!?).
    NOVAS RESPONSABILIDADES:
    Torcida: omissa , sequer associou-se ao clube. Poucas críticas, pois a máxima (desde 2001) é “torcer de forma incondicional”, jamais apontar erros e responsáveis (pessoas que dirigem o clube).
    Blogs gremistas: omitiram-se ao não apontarem os agentes dos erros. Fácil o esconderijo na “abstração”. Grêmio errou, Grêmio agiu equivocadamente,……Grêmio não, senhores: foram DIRIGENTES que foram incapazes de fazer um bom MKT, uma boa administração do clube, um bom planejamento de futebol. Koff, Rui, Chitolina, tal de Beto Carvalho,…
    GOSTARIA de entender o porquê da “abstração”?? Acho que entendo!!

    Brigas políticas?
    Talvez, embora sejam praticamente “mais do mesmo”. Trocam-se as moscas, mas a m…………….OBJETIVO COMUM: fazer do clube uma espécie de quintal de suas propriedades (nomear amigos, remunerar simpatizantes,…..).

    Abraços!

  6. Colocar a culpa nos grupos políticos é o mesmo que colocar a culpa na imprensa, na arbitragem. Não foram os grupos políticos que contrataram mal, não foi a imprensa que contratou ou escalou mal e os juízes erraram, mas tínhamos que ter passado por cima de tudo. Falei aqui que o Grêmio tinha feito mal negócio em trocar o Souza pela Rodolpho. Souza era o grande maestro do meio campo e chegava com qualidade na frente e fazia alguns gols importantes. Já Rodolpho mostrou que é deficiente. Agora só vejo uma solução. O Grêmio não tem dinheiro para bancar esta folha de pagamento no início do próximo ano. Tem que reduzir pela metade e apostar na base para o gauchão. Depois, para o Brasileiro, se a base não se firmar, faz as contratações necessárias. Para o meu gosto, tem que dispensar ou vender, Rodolpho, Zé Roberto, Edinho, Fernandinho, Kleber, Barcos, Marcelo Moreno, Felipe Bastos, Riveiros, Ruiz, Werlei. Juntar o que sobrar com a base e formar um time jovem, com vontade de vencer. É impossível que entre os 40 zagueiros da segunda divisão não tenha um melhor que o Werlei. Acho que tem uns 10 melhores que ele e ganhando 40 mil ou menos.

  7. Fernandinho e Werley libera logo pro Flamengo pra saldar a dívida que eles tanto falam. O time deles é péssimo, capaz de gostarem. Se não gostarem, incluir o Marco Antônio.

  8. Lembro q é dos grupos políticos de onde sai a maioria dos conselheiros e dirigentes abnegados! Grupos formam portanto a constelação de “confrarias”! O problema é q somente 9000 sócios comparecem em eleições. Resultado: os mesmos revezam-se em gestões autocráticas, as quais se distanciam do anseio dos sócios (pecam por omissão, comodismo)!

  9. Concordo que grupos políticos não são culpados por esse time, mas são culpados por esses 14 anos sem títulos. E um título não vem somente devido ao time que está em campo, muita coisa deve conspirar para ganharmos algo importante…

    Engraçado é que se falarmos para um cara lá do Uzbequistão a estrutura que o Grêmio tem, sua torcida, sua história, ele nunca entenderá como estamos a tanto tempo sem ganhar, ainda mais num Brasil, onde, se um clube se organiza um pouco para ganhar o campeonato, já fica entre os 4.

    Grêmio precisa investir na base, essa é a solução tão batida por todos, chega a ser chato repetir isso. Não sei se foi devido a lei pelé, mas nós se encagassamos e a base não é mais solução, mas sim, complemento.

    Só que estamos a 14 anos sem ganhar e como começar de um quase zero ? Como dizer isso para um torcida que precisamos achar o caminho da roça ? Nós nos perdemos ao longo desses anos, e ai sim, devido a briguinhas políticas, a troca de poder entre 2 partidos.

    As moscas mudam, mas a merda sempre é a mesma, e se bobiar, nem as moscas mudam.

  10. Cansei de sugerir a direção do Grêmio a contratação do lateral direito Renato, do ABC. Mandei vários emails. Não deram a mínima. Hoje, o jogador está no Fluminense. Lateral que fez 4 gols na série B. Mas a direção gosta de jogador caro e ruim.

  11. Mateus!
    Me desculpe, mas, vou discordar de ti. Os “pais da criança” são os que dirigem o clube e que são selecionados dentro dos grupos.
    Refletem o pensamento de seus pares, comungam da mesma filosofia ou, se quiseres, do mesmo “modus operandi”, tanto é verdade, que os escolhidos para dirigir o futebol, ainda que sejam empresários e/ou profissionais liberais bem sucedidos, nem sempre estão preparado para responder às múltiplas exigências de comandar o Departamento mais sensível e importante de um clube de futebol, mas, fala mais alto, nessas ocasiões, o corporativismo. Os exemplos não se restringem ao Grêmio. Outros clubes compartilham dessa situação.
    Como competência não se delega e que é preciso estar constantemente alerta e preparado para enfrentar a complexidade do “negócio futebol”, as soluções caseiras, ainda que abnegadas e despojadas, já não conseguem mais dar conta do recado.
    Vide, só para citar os casos mais recentes, as escolhas de Meira e Chitolina.
    Ora, esses mesmos grupos que em outros tempos acertaram na mosca, se esqueceram que o mundo dá voltas e que “nada do que foi será”. Continuam marcando passo.
    No pensamento mágico da “imortalidade” constroem suas fantasias, como se o mundo vivesse do passado.
    Silenciam quando o vento não lhes é favorável e vislumbram, em cada canto, um “bicho papão” para justificar seus “medos”.
    Essa pandemia só vai acabar quando e sonho cravar novamente seus pés na terra e voltar à realidade.
    Nos desacostumamos aos novos tempos. Criamos um mundo paralelo e ainda não nos demos conta que chegou ao fim.
    Como tudo na vida, o futebol mudou… mas… “nossos “deuses” ainda são os mesmos e as aparências não enganam não”… (Belchior).
    Tudo tem principio, meio e fim. O Grêmio está numa encruzilhada. É preciso ter coragem e desapago para seguir adiante. O próximo passo tem que ser para frente. Retroceder, jamais!

  12. O Grêmio vai começar 2015 com um grupo mais qualificado do que iniciou 2014.
    Temos uma zaga afirmada, não consigo entender a restrição repentina ao Rhodolfo, que até então era nosso melhor zagueiro na opinião pública. Geromel está dentro da seleção do Brasileiro e Bressan é um bom reserva.
    Temos um baita goleiro e o lateral esquerdo também está entre os melhores do Brasileiro, cada vez melhor fisicamente.
    Na volância temos muitas opções, Walace está afirmado e com um grande potencial de melhorar. Bastos caiu um pouco de rendimento mas tem bola no corpo. Riveros e Biteco são boas opções.
    No meio temos Giuliano e Luan e no ataque temos um dos artilheiros do campeonato, Barcos, apesar de não ser meu centroavante dos sonhos.

    Se o Felipão conseguir extinguir os 3 volantes e trouxermos um lateral direito, um atacante veloz e um meia poderemos montar um time pra disputar títulos.

    Mas a direção precisa começar a acertar, mesmo com poucos recursos. Em último caso que invistam no Erik e no Everton e que tragam de volta o Maxi Rodriguez.
    Invistam na base pelo menos pra estancar a gastança com tanto jogador caro e ruim que já trouxeram!

  13. Só pra lembrar que com o Souza no Grêmio em 2013 a saída de bola era um terror, com passes errados em profusão.
    Walace não fica devendo em nada a ele e ainda por cima ganhamos um zagueiro, parem de reclamar!

    O problema do Grêmio definitivamente não foi a perda do Souza e a vinda do Rhodolfo

  14. e mais, Moreno, campeão da Copa do Brasil e do Brasileiro ainda vinculado como jogador do Grêmio, pena que foi campeão longe daqui!
    Mas é nosso jogador. Quem não o quer não entende porcaria nenhuma de futebol!!

  15. Como minhas esperanças de títulos são pequenas no curto prazo, muito em função do quem dirige o futebol do Grêmio, me contento já de em 2015 não ter que aguentar mais os tais 3 volantes.
    Tem gente que acha que o Grêmio encaixou com 3 volantes, tanto em 2013 quanto em 2014.
    Lembro que na Copa do Brasil 2013 fizemos 2 gols em 6 jogos, jogando fechadinho nesse esquema maldito. Não ganhamos porcaria nenhuma com isso e praticamos um futebol paupérrimo nos últimos dois anos.
    Em 2014 tivemos um dos piores ataques do Grêmio na história do Brasileiro e de novo nenhuma conquista.

    Chega de jogar pela mediocridade! Se ao menos voltarmos a jogar futebol de qualidade já estou feliz.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta para Impzone Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.