Feitoria!

178

Mais uma edição do podcast mais ouvido sobre o tema, treatment segunda a Itunes. Fane Webber, Anderson Kegler e Rodrigo de Azevedo são os participantes dessa edição e além de falar do jogo contra o Glória, que o tricolor venceu por 4×2, Libertadores e um pouco de Grenal, também fizeram um comparativo do time que pode jogar quarta contra a equipe que jogou contra a LDU, em 2013. Também questionam se não está na hora de Roger tentar algo diferente na equipe.

Ouça e espalhe a palavra do Mesa de Bar do Grêmio!!

Se quiser, faça o download do programa clicando aqui com o botão direito e escolhendo salvar como.

Participe da discussão

14 comentários

  1. Não comentei antes, mas vale deixar o registro, parabéns pela ideia dos drops, torna mais dinâmico o mesa de bar e com bons convidados ‘externos’.

    Obviamente é opinião, para mim o Lincoln lembra bastante o estilo de jogo do Douglas Costa, acho que ele renderia mais jogando pelo lado de campo, em velocidade e driblando. Não sei como é a finalização dele, desenvolvendo este atributo de média e longa distância, entrando em diagonal, teria tudo para dar certo. Acho que o Lincoln ainda não está pronto para ser titular, vamos com calma, recém é seu primeiro ano de profissional, ele tem potencial para ser um grande diferencial na equipe, talvez no segundo, mais provável é no terceiro.

    Escutando a múmia do batista desmaiado, ele comentando que os laterais do Grêmio não chegam ao fundo, pensei em como ele é fraco, ir no fundo para que? Cruzar? Só muito burro para não perceber que o Grêmio não tem atacantes cabeceadores. O problema do Grêmio passa pelas laterais, mas não é somente isso, não é só a defesa, é toda a estrutura de marcação que precisa ser ajustada.

    Comparam o Roger com o Guardiola, porém acho equivocada essa comparação, a atual formação, mesma do ano passado, a mim lembra a montada pelo Brendan Rodgers no Liverpool, e em algum tempo pelo Jurgen Klopp no Borussia Dortmund e agora no Liverpool, com o jogador de meio mais avançado centralizado, Phelipe Coutinho seria o Douglas. Acho equivocada, pois como foi dita no podcast, o ataque tem jogadores rápidos e colocam um que destoa desse contexto. Fazendo uma tentativa de escalação, teria duas alternativas:

    1. Tiraria o Douglas, colocaria o Miller no seu lugar e jogando pelo lado, recuaria o Giuliano volante pela direita, Maicon pela esquerda e o Wallace centralizado. Faria com que o Miller e o Everton (ou Pedro Rocha) recuassem ajudando na marcação.

    2. É uma pequena pequena variação da proposta anterior, colocando o Maicon centralizado e atrás dos volantes, Giuliano e Wallace, quando o Grêmio está sem a bola, e a frente quando o Grêmio tem a bola, fazendo uma função parecida com a do Pirlo na Juventus, jogando de área a área.

  2. Peñarol x Huracan. De um lado Maxi Rodrigues, do outro Miralles. Os adoradores dos castelhanos perebas devem estar em êxtase! O sofá deve estar todo molhado.

  3. TEMOS QUE FAZER ( PRESSAO ) NA GLORIOSA ” EPTC ” PRO JOGO CONTRA O SAN LORENZO OKKKKKKKK . PEDIR VIA UNICAAAAAAAAAAA NA VOLUNTARIOS DA PATRIA NE . ##### ACORDA GREMIO / AJUDE O TERCEDOR tbm .

  4. As escolhas de hoje vão dizer muito sobre o que esperar do Roger no futuro.
    Hoje ele pode escolher entre Edinho ou Kaio. O primeiro um volante experiente, vencedor, mas que não tem qualidade no passe. O outro um volante jovem, que sabe sair jogando e que vem sendo destaque.
    No meio/ataque pode colocar Miller na função do Douglas ou do Everton.
    Veremos se vai falar mais alto a qualidade técnica e tática dos jogadores ou a administração do grupo…

    Sobre o podcast, concordo com a ideia de montar o Grêmio de uma forma diferente, usando a velocidade que temos.
    Pra mim faria no 4-1-4-1, com Walace mais preso, Maicon e Lincoln pelo meio, Everton e Bolaños nos lados e Luan na frente.
    Já há o Maicon pra fazer esse papel de segurar a bola e tranquilizar, não precisa mais o Douglas pra isso.
    Aproveita a velocidade pelo lado e ainda por cima consegue fechar melhor o buraco que tá nas duas laterais.

  5. Acho que o Fane queria dizer o jogo de ida contra a LDU em 2013, esse sim foi uma desgraça, olhem essa defesa:
    Dida (Marcelo Grohe), Tony, Saimon, Cris e Pará; Fernando, Souza, Elano (Marco Antônio) e Zé Roberto; Willian José (Vargas) e Marcelo Moreno.
    Foi nesse que o Dida sentiu lesão e saiu logo no início do jogo.

    jogo na Arena:
    Marcelo Grohe; Pará, Saimon, Bressan e Alex Telles; Fernando (Willian José), Souza, Elano (Jean Deretti) e Zé Roberto; Vargas e Marcelo Moreno (André Lima)

  6. Pois eu acho que devem iniciar o jogo Douglas e Edinho. Como não aguentam mais de 45 minutos e caso o jogo esteja complicado, entram Bolanõs e Kaio no segundo tempo para, possivelmente, dar mais dinamismo a equipe. Ao contrário de muitos que acham que vai ser um jogo fácil, digo que o adversário também é cancheiro em Libertadores e sempre tem complicado a vida do Grêmio quando dos enfrentamentos. O restante da equipe deverá ter a formação dos últimos jogos e as alterações ocorrerão, se preciso, no decorrer da partida. A não escalação de Kaio e Bolaños desde o início, na minha opinião, é porque é um jogo da Libertadores e devemos manter a equipe que – em termos – está mais entrosada. Acho que com o decorrer dos jogos e para o meu gosto, Bolanõs assumirá a titularidade no lugar de Douglas e Kaio cederá lugar a Wallace.

  7. Minha projeção de equipe para os próximos jogos com o atual grupo:
    MARCELO GROHE
    WALLACE OLIVEIRA – GEROMEL – FRED – MARCELO OLIVEIRA
    MAYCON – WALLACE
    GIULIANO – BOLAÑOS
    EVERTON – LUAN
    Reservas Imediatos:
    Na zaga: Bressan e Kadu (nessa ordem)
    Lateral D: Wesley
    Lateral E: Marcelo Hermes
    Centro-Medio: Kaio e Edinho (nessa ordem)
    Meias: Lincoln, Douglas e Tontini (nessa ordem)
    Atacantes: Ricardo Almeida, Bobô e Pedro Rocha.

    Em algumas posições há a necessidade de contratação imediata principalmente nas laterais e na zaga ou apostar criteriosamente nos jogadores da base.

  8. Time apareceu em 2016. Muito bem. Bolanos joga muito. Luan bem, Douglas jogou bem. Geromel monstro. Todo time esteve bem na noite. O W.O ainda não está rendendo o suficiente, leva muita bola nas costas. Entrou o M.H e a avenida acabou.

    O time para o Grenal, na minha visão, deve ter Bolanos e H.A no ataque. E os laterais devem ser M.H e Wesley. O resto vai afu pra cima deles.

  9. O time do Grêmio foi muito bem no primeiro tempo. O Miler realmente é um jogador diferenciado. Joga muito.

    Após o segundo gol, o time começou a ceder espaços para a LDU tocar a bola e entrar muito no nosso campo. A estratégia era aproveitar o contra-ataque. E aí o time pecou. O Grêmio começou a se livrar demais da bola num jogo que estava sob controle.

    No primeiro tempo, o adversário levou mais perigo em jogadas aéreas de bola parada ou algum lançamento nas costas dos laterais.

    O segundo tempo, a equipe jogou mal. Após a expulsão do jogador da LDU, o time tirou o pé e só a LDU tocava a bola, mantendo-se mais tempo com a posse da bola.. O Grêmio rifou a bola, entregando sempre para o adversário.

    Era para ter o total domínio da partida e tocado melhor a bola como fez no final da partida quando saiu o gol do Éverton.

    O Grêmio apresentou virtufes ofensivas com o Miler. Grande jogador. Mas também demonstrou alguns defeitos defensivos. O lateral direito foi muito mal no segundo tempo. Marcelo Oliveira às vezes batia cabeça. Realmente, os laterais têm grandes dificuldades.

    O Fred é um jogador inconfiável. Ele não é bom na bola aérea e se apertar ele é capaz de entregar a rapadura.

    No mínimo, teremos que fazer duas contratações para solucionar esses problemas.

    Sobre a escalação, era previsível que Róger tiraria o Éverton. O contracheque pesou mais salto. E não só em relação ao garoto, mas também ao jogador Kaio que nem no banco ficou.

    Mais uma vez, o time teve um decréscimo na parte física.

    Pedro Rocha e Moisés tiveram lesões no joelho. O W.Oliveira saiu lesionado. Luan teria sentido uma algum problema. Percebe-se que o trabalho do preparador físico precisa ser melhor avaliado.

  10. Fred, para mim, teve uma atuação apenas razoável, nada mais que o feijão-com-arroz costumeiro. A surpresa foi que a defesa, no primeiro tempo, se superou coletivamente. Em contrapartida, a parte ofensiva da equipe, com a entrada de Bolaños – que joga fácil – mostrou muita qualidade e criou inúmeras oportunidades de gol. Como tem sido neste ano de 2016, as laterais ainda são o ponto fraco da equipe por sua baixa produção e, também, pela necessidade de alguns ajustes na cobertura. É visível a dificuldade individual do Marcelo Oliveira e do Wallace Oliveira na marcação. Disse o comentarista Guerrinha que Geromel fez sua pior partida no ano. Discordo plenamente. Se meus olhos não me enganaram, Geromel foi um “patrão” dentro da área do Grêmio. Sua garra e espírito de liderança foram fundamentais para que a equipe não levasse gol na partida. Fechou a entrada área pelo seu lado, cobriu, com muita desenvoltura, o “buraco” às costas do lateral direito e ainda teve forças para sair jogando campo afora e se fazendo presente na área adversária. Giuliano, embora errando muitos passes, cumpriu uma importante função tática à exemplo de Edinho que se saiu bem na contenção. Douglas procurou cadenciar o jogo e fazer o que é sua maior virtude: “pifar” os atacantes. Luan é o cérebro do Grêmio. De seus pés quase sempre se pode esperar uma jogada refinada, um passe açucarado ou mesmo o gol. Tem muita visão de jogo e é o atacante mais regular da equipe. Everton e Henrique Almeida tem sido eficientes quando entram. Ambos têm faro de gol. Bolaños merece um elogio especial pela estréia auspiciosa,
    de muita qualidade e pelo gol marcado. Com o volta de Wallace, a equipe retoma sua formação ideal na meia cancha. Roger, então, só terá uma preocupação: arrumar a defesa, principalmente as laterais. Definido o grupo, o futebol coletivo tende a melhorar sensivelmente. Todos à Arena! O Grenal vale muito.

  11. Pedro Geromel jogou muito bem ontem. Não acredito que alguém tenha dito que foi a pior partida dele. Ele jogou por 4. Jgou por ele, pelo W.O, pelo M.O e pelo Fred também.

    Fred foi razoável. Erazo não é um grande zagueiro, mas passava mais segurança do que Fred. Ao menos, era mais confiável nas bolas aéreas.

    Fred foi o zagueiro que levou a lembreta do Damião.

    Então, precisamos de um zagueiro mais confiável.

    O Miller deu uma nova dinâmica. Parece que é o jogador que faltava para dar uma nova vida ao esquema do Róger.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.