Saudações tricolores!!

170

Mais uma edição do podcast Mesa de Bar do Grêmio chegando! No programa de hoje, ampoule  Fane Webber, stuff  Anderson Kegler e Rodrigo de Azevedo batem um papo sobre o empate fora de casa contra o Vasco e o próximo jogo contra o Flamengo, look na Arena.

Ouça e espalhe a palavra do Mesa de Bar do Grêmio!!

Se quiser, faça o download do programa clicando aqui com o botão direito e escolhendo salvar como.

 

 

Participe da discussão

5 comentários

  1. Amigos, gostaria de me manifestar acerca do meu comentário lido no podcast. Creio que ele foi mal interpretado.

    Quando falei sobre deixar 5 jogadores no máximo, referi-me somente ao elenco titular e não ao grupo inteiro. Deixo claro que não sou contra a continuidade nem à manutenção essencial da base do elenco, só acho que a expressão “manutenção de elenco” tem ganhado contornos absurdos por aí, talvez por causa da mídia, a ponto de se falar em renovar contratos de jogadores como Vitinho e Schuster, o que para mim não tem o menor cabimento.

    Pera lá. Para se manter o elenco, não precisamos manter 100%. Para falar a verdade, nem mesmo 80% é realmente necessário. Afinal, pensemos bem e façamos aqui uma lista de jogadores, entre titulares e reservas utilizáveis, que são unanimidade (e chamarei de “primários”):

    Primários: Grohe, Geromel, Walace, Luan

    Alguns mencionariam alguns outros jogadores que hoje são essenciais ao time, mas que não são unanimidade. Chamarei de “secundários”:

    Secundários: Marcelo Oliveira, Douglas, Giuliano, Maicon

    Aqui lhes explicarei por que esses últimos não são unanimidade.

    Marcelo Oliveira: usado sempre na lateral-esquerda, suas deficiências ficam óbvias. É lento e tem cacoete de volante. Não evita cruzamentos, em vez disso vai pra área esperá-los. Creio que vale a pena mantê-lo, mas para a volância. Tem boa saída de bola.

    Douglas: o “maestro pifador” é, para falar com sinceridade, o que trava a velocidade e a marcação do Grêmio na frente. Seus lapsos podem decidir partidas, mas é muito irregular. Também nunca chuta à distância, embora seja inexplicavelmente sempre mencionado como sendo um perigo nisso. Poderíamos estar no mínimo em buscar de um armador para atuar ao seu lado. Depender só dele é dose. Nem falta direito ele bate mais.

    Giuliano: é o cara que deveria estar ajudando o Douglas na armação, mas que não é armador. É um atacante, praticamente. E muito irregular. Mantê-lo será inevitável. Mas preferia que ele fosse opção para o ataque ou fosse banco de algum meia mais inspirado.

    Maicon: Eis a questão. Gostamos muito desse rapaz, e ele muito do Grêmio. Mas Maicon… eles, do São Paulo, não ligam pra gente. Querem um valor absurdo. É realmente preciso desembolsá-lo? Vejam bem… Maicon é um armador recuado. Não um marcador. Vou repetir: o Grêmio precisa de um ladrão de bola (um “agressor”) praquela posição e hoje ele não tem. Só roubamos bolas que o adversário passa mal e por isso passamos horas sem pegar na bola e ir ao ataque! Walace por enquanto não oferece a segurança defensiva necessária para o Maicon prescindir um pouco de fazer o que não sabe, que é marcar. Qual é, vejam os vários botes errados que ele dá. Possui qualidades, mas poderíamos gastar esse dinheiro com um jogador de maior utilidade (ofensiva, de preferência). Walace e Marcelo Oliveira têm qualidade suficiente para dar conta da boa saída de bola sem ele.

    Dito isso, temos ainda a situação do Galhardo (um lateral mediano no máximo) e do Erazo (um zagueiro absolutamente comum, que não fará partidas geniais se não estiver ao lado do Geromel). Só aí já perdemos três do elenco titular, a menos que o presidente esteja louco e resolva investir isso tudo. Se der para fazer um acordo sobre o Galhardo, que é o mais fácil, que seja, mas francamente? Ninguém acha que precisamos de alguém melhor pra posição? Galhardo poderia muito bem ser um bom reserva. Chega de escanteios e bolas cruzadas à meia altura.

    E na frente, então? Nada contra o guri, mas alguém imagina disputar a Libertadores com Pedro Rocha na posição de goleador? Vai dar certo? Se não for ele, será o Bobô? E Fernandinho? Sério que não tem jogador no mercado que faz o mesmo que o Fernandinho faz por um salário bem menor?

    Em outras palavras, expondo tudo isso, digo que minha intenção não é que o Grêmio gaste mais para trazer gente boa e tirar as peças ruins para montar um elenco todo novo. Muito pelo contrário. A não manutenção de certas peças é que chega a ser uma economia, visto que pedem absurdos, e elas nem valem tudo isso. Poderíamos melhorar o elenco só gastando o que estão pedindo por toda essa turminha aí, que é não mais do que normal.

    Minha ideia é deixar somente o que é fundamental (todos os listados como “primários” e alguns “secundários”) e buscar alternativas para o resto. Na base, em times estrangeiros da América Latina ou até em times da série A que entrarão em política de corte de gastos, talvez. Existem muitos jogadores por aí que podem fazer igual ou melhor ao que certos atletas supervalorizados do nosso elenco fazem, recebendo menos. Basta garimpar.

    Com 60 ou 70% desse elenco mantido, certamente haverá liga para uma continuidade, sem precisar fazer loucuras para manter uma porcentagem maior que essa. E as outras peças que chegarem, Roger terá tempo de sobra para integrar ao jeito de jogar do Grêmio. Afinal, se ele ajeitou nosso time, que era qualificado como absolutamente inepto, em dois meses no meio da temporada, tenho absoluta certeza de que será capaz de entrosar novos jogadores no início da temporada que vem.

    P.S.: O mencionado Parazinho provavelmente não jogará contra a gente, pois nesta semana foi afastado do elenco do Flamengo junto com outros jogadores por frequentamento de baladas fora de hora.

  2. Ah, e vou só deixar aqui um exercício de reflexão. Chamem de pessimismo, corneta, o que for.

    Imaginem um Grêmio acomodado no G-4, como está agora e como estava o Inter há um ano, jogando apenas para se manter. Chegando num Grenal na casa deles, com eles motivados, brigando pelo G-4, tentando se aproximar ou nos ultrapassar e mordidos ainda pela derrota passada, como estava o Grêmio há um ano, antes do Grenal dos 4 a 1.

    Óbvio que o técnico deles não vem fazendo um trabalho melhor que o nosso. Mas o futebol tem suas ironias. Espero que essas ironias não caiam sobre a gente justo no Grenal.

  3. Impzone,concordo sobre o douglas, deixa lento um time rápido.

    E parece, repito, PARECE que domigo contra o fla o roger vai de chester no meio campo. Se acontecer, a direção tem que intervir o quanto antes, sob pena de perdemos o jogo e o treinador, que tá endoidando.

    Espero que seja mais uma barrigada da IVI, oremos…

  4. Certeza de que é barrigada. Outras mídias que ando lendo apontam que a tendência é Marcelo Oliveira e Moisés na volância.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.