Mesa de Bar do Grêmio #139

Feitoriaaaa!!

139

Mais uma edição do podcast oficial da torcida tricolor, cialis #139, advice contou com a ancoragem de Fane Webber e dos comentários de Anderson Kegler e Rodrigo de Azevedo. O programa falou sobre mais uma derrota do Grêmio no Gauchão, o início conturbado da temporada e muito mais.

Confere aí, ouve e espalha a palavra do Mesa de Bar do Grêmio!!

—-

Se quiser, faça o download do programa clicando aqui com o botão direito e escolhendo salvar como.

Participe da discussão

23 comentários

  1. Ouvi o mesa do bar. Como sempre, é bom ouvir os comentários de vocês, embora as análises sejam mais amenizadas e otimista. Digo mais, especificamente, os comentários do Anderson kegler.

    Está esclarecido a questão do patrocínio. Como o nome do programa é “Mesa do bar do Grêmio”, pensei que vocês tivessem uma licença de uso da imagem do clube. E, por força contratual, não pudessem tecer críticas mais contundentes.

    Foi uma impressão que eu tive, já que, durante outras gestões, as críticas aos antigos dirigentes eram mais contundentes, pois comento aqui há algum tempo.

    Também pensei que, se não envolvia nenhuma relação contratual, fossem puxa-sacos da direção em razão de alguma amizade e, quando se trata de criticar amigos, poderia criar uma relação conturbada e, por isso, comentários críticos justificadamente estariam sendo evitados.

    De qualquer sorte, o programa é bom. Aceito o convite de participar um dia do programa e será um honra ter 60 segundos para falar do Grêmio, nenhum milésimo de segundo a mais ou a menos.

    Em relação ao programa, discordo na questão do planejamento. O Grêmio não tem planejamento. Mas se realmente tiver um planejamento, urgentemente, necessita ser modificado.

    O Gauchão até pode ser uma espécie de laboratório para os garotos. No entanto, não podemos esquecer que o Grêmio joga no segundo semestre uma c0ompetição contra equipes profissionais, utilizando a equipe de juniores no segundo semestre. O campeão joga a Recopa.

    Os garotos já são testados ali.

    Assim, não podemos ouvidar que o Gauchão deve ser utilizado apenas como laboratório.

    O Grêmio precisa utilizar o Gauchão para, primeiro, montar uma base, segundo, verificar eventuais carências e, terceiro, preparar para a Copa do Brasil e Campeonato Brasileiros, duas competições de ponta.

    Reconheço que o Grêmio perdeu um time inteiro, com excelção de quatro jogadores: Grohe, Rodholfo, Geromel e Felipe Bastos. O resto foi mandado embora.

    A análise feita pelo Anderson Kegler quando comentou do Douglas está correta e comprova o desatino da atual direção.

    Douglas não deu certo em nenhum grande clube que passou. Por que o Grêmio contratou??

    O técnico pode pedir, mas quem deve aprovar e desaprovar é a direção. E também deve expor ao técnico as razões

    As atitudes da atual direção não deixa os torcedores tristes, mas com raiva, eis que a dimensão do tamanho e da grandeza do Grêmio é imensurável.

    Parabéns pelo programa, embora, tento assim como os demais companheiros gremistas participantes do blog democraticamente concordar ou discordas das opiniões de vocês.

    Eventuais divergências, não retiram a iniciativa e o brilho do programa.

    abraço,

    Cristiano Ferreira

  2. discordo que o gauchão seja laboratório de guris. até agora, foi apenas o crematório da gurizada, que tá igual peneira, tem 5 min pra jogar muito bem ou já era. a não ser que tenha alguém na direção pra te indicar, aí tu tem todas as chances do mundo.

    e parece que o cesar pacheco vai voltar. será que ele vai acabar com o marketing, porque é “frescura”, segundo suas próprias palavras?

    e a volta do pacheco faz parte do plano de novos dirigentes, que o koff disse que o Grêmio estava implementando?

    essa direção não deixa nem eu aproveitar as fiasqueiras da macacada em paz…

  3. e agora o rogério belke (ou boelke, ou sei lá) tá reportando que os jovens foram reclamar pro presidente do felipão, e que ele não gostou.

    acho que isto não é um bom sinal, se for verdade. ele queimou os guris, e os guris tão queimando ele. se ao menos tivessemos um diretor de futebol pra fazer o meio-campo e não um injustiçado milionário engravatado…

  4. O Rui Costa é um office boy. Felipe Neri o considera um despachante.

    Continuo com a opinião que o Grêmio precisa de um profissional como executivo e alguém que conheça o mercado.

    Rui Costa fez boas contratações, sabe trabalhar em silêncio, tem bons atributos. Entretanto, ele se defende que só cumpre ordens e executa o que lhe determina a diretoria.

    O Grêmio, no futebol, está muito desorganizado. E Rui Costa parece exercer atribuições maiores do que ele afirma que possui. Se o papel dele é apenas executar as tarefas, então, não seria recomendável dar entrevistas e participar dos anúncios, papel que deveria ser somente dos dirigentes.

    Colocar um ex-dirigente como executivo remunerado gera vários tipos de comentários.

    Isso virou ações entre amigos. Ocorreu com Pelaipe e com o Rui Costa.

    O Cruzeiro contratou o executivo que estava no América-MG, Alexandre Mattos, uma pessoa sem qualquer vínculo político dentro do clube.

    O Grêmio é um dos clubes que faz esse tipo de coisa e, nas duas tentativas, não deu certo e não está dando certo em relação ao Rui Costa.

  5. Os setoristas que cobrem o Grêmio estão todos constatando aquilo que venho afirmando aqui que o clima de vestiário está péssimo, intoxicado, ruiu a relação de Felipão com os jogadores da base e o clima está tenso.

    Isso ficou escancarado no jogo contra o VEC, oras quando dois ou três jogadores vão mal ou algum setor ou outra apresenta problemas é uma coisa, quando todo o time vai mal, quando todos os setores não funcionam, quando há uma bagunça tática e coletiva, então pode-se dizer sem medo de errar que o o treinador é responsável e perdeu o grupo. Ou melhor, rachou o plantel. E muito dificilmente quando chega a esse a ponto, as coisas se revertem. Felipão se escora em seus indicados experientes: Douglas, Galhardo, M. Oliveira, Erazo e outros já mais estabelecidos no clube e de sua confiança como Rhodolfo e Felipe Bastos, mas a verdade é que o gringo em sua prepotência está pedindo pra sair a tempos, apenas ainda não reconhece isso, bem como a cúpula de desgoverno gremista.

    Felipão há tempos vem apresentando sinais de esgotamento, de que não tem mais paciência pra nada, está sempre de cara fechada, na defensiva, cara de cansado, intolerante com a imprensa, com tudo e com todos. Basta saber ler os gestos e atitudes nas entrelinhas. O Grêmio é dirigido por gente sem feeling, sem timing, sem intuição, sem criatividade, um bando de tapados ou distantes (omissos!), só pode, para não ter detectado isso no dia a dia.

    A teimosia, a soberba e a omissão dessa direção ainda podem nos custar caro esse ano. Temo até pelo Grenal nesse clima de clube rachado e sem a mobilização necessária para o clássico, a hora de mudar é AGORA.

    O presidente Fábio Koff indicar César Pacheco é mais um sinal de que quer neófitos marionetes a sua volta para prestar-lhe vassalagem. Pacheco não é do ramo, Koff quer continuar no poder depois dos 60 dias de férias.

    Está instalada uma hierarquia do avesso na instituição, Bolzan é a rainha da Inglaterra, quem continua mandando é Koff. E o que o ex-presidente melhor podia fazer pra si e pelo seu clube é se afastar, largar o osso!, largue, Dr. Koff, ple asua saúde e a do Grêmio. O senhor já entendeu muito de futebol mas já não é o mesmo, a idade chega pra todos, as forças vãos se esgotando, a medicação vai entorpecendo um pouco a percepção dos fatos, a velocidade da mente não é mais a mesma, mas o mundo não pára nem por um segundo, as mudanças não cessam de se produzir e os tempos são outros.

    Vá pra casa, Dr.Koff. Cuide de sua saúde. Assuma a bronca, sr. Bolzan, foste eleito pra isso. Aconselhe-se com o Dr Koff, mas não paute-se por ele. Ponha sangue novo e velho no departamento de futebol, a mesma mistura azeitada que está se almejando no plantel e no time em campo. Escolha dirigentes de personalidade, pois é o que tanto tem nos faltado, homens com brios e indignação. Pode ser até gente de outros grupos políticos, unindo mais o clube, superando ranços. Isso já foi tentado e deu certo outras vezes. Nenhum grupo politico está acima do outro neste momento, nem moralmente, nem futebolisticamente, todos fracassaram copiosamente e é hora de colocar quem tenha aprendido algumas lições com gente nova, revigorando o clube.

    Ou precisaremos fracassar mais, sermos mais humilhados ainda, talvez com outra queda pra segunda divisão para fazer as reformulações necessárias?

  6. Grêmio estaria contratando o centroavante Lisandro Lopez. O jogador está livre e rescindiu com o clube Al-Gharafa.

    Geralmente, jogador que vem de lá, não vem com boa preparação física.

      1. Constava a informação, por isso, coloquei. As informações sobre o atleta foram modificadas, mostrava inclusive quantidade de gols.

  7. Time vai com Junior na esquerda e Pedro Rocha no ataque. Melhora um pouco a situação, ao menos ganha velocidade sem o Coelho e com um lateral melhor na esquerda.
    Falta agora a saída do trio desgraça do meio, Bastos, Oliveira e Douglas!
    Com as entradas de Walace, Giuliano e Luan

  8. melhorou um pouco, vi uma atitude maior do time, talvez pela cobrança no vestiário e pressão.
    Mas melhorou a movimentação do ataque, acertou o Felipão com Rocha e Everaldo, mais confiantes que Coelho, Everton e Luan.
    Gostei demais do Junior, não é possível que haja dúvidas ainda na sua titularidade!
    No meio não gostei de Araujo e Oliveira, muitos erros de passe e falta de posicionamento. Bastos um pouco acima, chegou bem na frente.
    Acho que o Walace é o único que guarda a posição nesse grupo, não pode ser banco.
    Galhardo segue uma vergonha, assim como Matias. Se o Raul não jogar precisaremos contratar, de novo, agora sem errar!
    Melhor em campo foi o barriga de cadela, mas nem sempre ele terá tanta liberdade como hoje, não dá pra se iludir

  9. Sobre o esquema de 3 volantes, corre-se o risco de achar que o time melhorou por isso, mas o que eu vi foram falhas seguidas no meio e na zaga e o Passo Fundo só não marcou pq falta qualidade.
    Falta melhor saída de bola no meio, dos 3 que jogaram só o Bastos pode fazer isso.
    No próximo jogo não teremos o Oliveira, quem sabe o time começa a acertar sem as feridas

  10. A vitória foi merecida mas o desempenho segue muito abaixo do minimo aceitável diante de um adversário bastante precário tecnicamente. Nitidamente o grupo de bruxos do Felipão se mobilizou em campo para aliar-se ao treinador, basta ver como foi a comemoração do primeiro gol. Aliás, até o nosso gol de bola parada o Passo Fundo com toda sua ruindade incrivelmente vinha melhor.

    Mais preocupante ainda é a convicção do treinador em jogadores que não apresentam futebol pra titularidade de um time que aspire algo mais e que formam uma espinha dorsal irregular e que tende ao fracasso. Se jogarem juntos Galhardo, Matias, M. Oliveira, Douglas, entre outros, não fariamos frente a ninguém na série A.

    Os três volantes novamente são invocados para sustentar a precariedade técnica da equipe. Felipão continua escolhendo com dedo-podre o ataque, jogando com dois centroavantes apesar de Pedro Rocha até tentar se movimentar mais que Everaldo, esse, pra mim, até agora não disse a que veio, é o preferido do Felipão, o que mais teve chance e o que mais tem demonstrado falta de condições de vestir a camisa tricolor. Everaldo não empolga e nem dá esperança, Pedro Rocha foi um pouco melhor, mostrou alguma habilidade, mas precisa ser mais observado na sua posição, pois como segundo atacante acho muito pouco participativo.

    E o menino de ouro do Felipão, Araújo? Foi péssimo. Muito mal. Assustador de ruim, diria.Já havia ido muito mal no segundo tempo da partida em que foi expulso e isso em duas partidas em que time venceu e não foi tão desorganizado taticamente, então, será que o olho clínico do Felipão pra ruindades acertou mais uma vez? Fiquei com a impressão que sim, nunca vi um volante tão atrapalhado quanto esse rapaz, mas não vou avaliar definitivo, certo é que o Walace ficar no banco pra ele é mais uma das excrecências do nosso combalido treinador.

    Menos mal quele voltou atrás do que treinou e escalou o Júnior que por sinal jogou muito bola e mostrou novamente personalidade como já se antevia já que tem sido elogiado desde a Copa SP. Aliás, o menino – mesmo sem parceria pra triangular no apoio – foi o melhor do time ao meu ver.

    Enquanto isso Douglas segue e seguirá enganando com sua lerdeza e indolência. Ao menos na bola parada faz alguma coisa, mas n meu conceito fez outra partida abaixo da crítica. Galhardo foi uma avenida só superada por Matias que consegue ser pior e ainda mais deficiente na marcação. Marcelo Oliveira fez o básico e segue a linha Pará, de esforçado carregador de bola e Bastos pra mim foi o melhorzinho apesar de que se torna um problema quando muito voluntarioso… mas não vejo nele todo esse dilema que estão criando, tem coisas bem piores ao seu redor. Coisas que num nível de exigência maior podem nos levar ao rebaixamento.

    Por último, um crédito ao equatoriano Erazo de atuação simples e correta hoje. Será perigo nas duas áreas? Sigo desconfiado do seu futebol, mas hoje foi bem, ainda que o ataque do Passo Fundo tenha colaborado.

    Essa vitória alivia o ambiente mas a continuar nesse compasso e com essas convicções do treinador não será por muito tempo, Juventude e Inter vão exigir bem mais do que esse futebol pobre e deficitário que Felipão e seus bruxinhos (espinha dorsal nota 4) vem mostrando.

  11. Lisandro Lopez me serve. Mesmo sendo um jogador já acima dos 30 é um legitimo camisa 9, centroavante de ofício. Espero que nossa penúria financeira e técnica e o discurso de coitadismo da direção não atrapalhe a negociação. Esse, em tese, chegaria para resolver. Nesse atual time, joga com um pé nas costas.

  12. As análises dos companheiros gremistas foram bem feitas.

    O Grêmio enfrentou um adversário fragilizado assim como o Grêmio.

    O sistema com três volantes não é o meu preferido, dependendo de quem for os volantes. O Douglas jogou um pouco mais, porque ficou descompromissado na marcação.

    O sistema de marcação apresentou desorganização, eis que o time deixou vários espaços para o adversário que criou oportunidades não aproveitadas. Grohe salvou o Grêmio.

    o Grêmio iniciou muito nervoso e conseguiu certeza estabilidade a partir do gol. ali, o Grêmio começou a equilibrar o jogo e a jogar melhor do que o adversário.

    Gallardo e Matías Rodrigues são fracos tecnicamente.

    É incompreensível que o Grêmio não dê oportunidade para o Raul. Ao menos, coloca o garoto no segundo tempo para se habituar aos jogos dos profissionais.

    O Macelo Oliveira não foi mal na partida. É um jogador coringa, mas acho que sai muito do lugar e conduz demais a bola.

    Felipe Bastos não vem guardando posição, erra alguns passes bobos.

    O Araújo foi muito irregular na partida e o sistema com três volantes dificultou seu posicionamento, ficou um pouco perdido na marcação e não fez uma boa partida.

    O Grêmio precisa trabalhar melhor a compactação entre a defesa e o meio de campo. Deixou vários espaços para o adversário explorar.

    Alguns passes errados deixavam o time exposto ao contra-ataque.

    O Júnior jogou bem todos os jogos. Hoje, foi a melhor partida dele. Ele mantém uma regularidade de boas atuações.

    Citei o Júnior Tavares no ano passado.

    Penso que os dirigentes poderiam acompanhar mais os jogos da base para identificar os bons jogadores.

  13. Os torcedores de direção e os crédulos no mito do salvador estão em polvorosa com a vitória sobre o glorioso Passo Fundo, como se as críticas fossem feitas não por um conjunto de atuações e resultados, mas por um outro resultado isolado. Menos, bem menos, há que se avaliar não só o resultado mas a atuação, o contexto, o adversário, as perspectivas; enxergar as virtudes e os defeitos de uma equipe exige visão crítica para diminuir a margem de auto-engano, principalmente nas vitórias.

    A atuação do Grêmio em considerando o nível de futebol do adversário foi ruim e insuficiente, criamos pouco, não houve triangulações e o nível de futebol apresentado está muito aquém do necessário. Melhoramos na marcação pelos três volantes e pela equipe (a espinha dorsal dos preferidos do Felipão) ter fechado com ele (até porque sabem que com outro treinador podem ir treinar em separado) e se esforçado mais. A bola parada funcionou melhor com Douglas e Erazo. Júnior foi um desafogo pela esquerda e o menino Pedro Rocha tentou se movimentar bem, mas vai parando por aí, não mostramos nada para além disso e é muito pouco para as exigências o Grêmio. Ficar satisfeito com isso é estar mais preocupado em defender a direção do que com a grandeza do clube e o tombo pode ser feio mais adiante.

    Felipão ganhou fôlego mas isso não invalida as críticas, talvez até demonstre que em parte estejam sendo assimiladas, tanto que a direção está mais atenta e mobilizada, inclusive em busca de reforços, revendo a politica de austeridade e a estrutura do dep. de futebol. Mas ainda não há sinais de mudanças mais significativas que mudem o cenário ruim que se avizinha, vão precisar mostram bem mais trabalho do que até então. Muitas mudanças urgem. Espero que consigam, mas desconfio que a tendência a repetição dos principais envolvidos na gestão ainda seja nosso maior oponente.

  14. O Grêmio deve anunciar o Pacheco. Fez parte do grupo de dirigentes “campeão” em 1997 pela Copa do Brasil, porque pegou a herança bendita da gestão Koff.

    Mas o segundo semestre foi desastroso.

    Dirigente fraco e entende pouco de futebol.

  15. Sobre o Lisandro Lopez, não tenho uma opinião formada, sua média de gol no auge da carreira foi de 0,5 por partida.

    Tenho tenho preconceito em razão da idade. A preocupação que eu teria é a condição física.

    Geralmente, quem joga no Catar costuma vir com uma preparação física abaixo.

    Estamos trocando Barcos pelo Lisandro Lopez. Aparentemente, ele pode ser mais jogador do que o pirata.

    Vamos ver na prática.

    Já o Caraglio está mais para Amato.

  16. Ainda sobre o Lisandro, possui 1,74 de altura. Não é um jogador alto.

    O Grêmio admite interesse e fala em exceção para abrir os cofres.

    Na realidade, o time carece de alguém que entenda de futebol e fique menos dependente das indicações de empresários.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.