drops8

Olá!

Oitava edição do MBG Drops falando sobre a derrota para a equipe do Palmeiras em São Paulo. Na edição Fane Webber recebe primeiro Gabriel Pinto, viagra order webmaster (hue) da MBG corp, buy e depois Igor Natusch, order jornalista e grande apreciador de futebol.

 

Ouça e use os comentários para deixar a sua opinião.

Agradecimento especial aos Padrinhos e Madrinhas do programa. Quer ajudar? padrim.com/mbg

 

Participe da discussão

29 comentários

  1. Pelos próximos 20 anos, a construtora Andrade Gutierrez tem o direito de explorar as áreas que construiu: camarotes, lojas, garagens, suítes e cadeiras VIPs. Também pode usar o estádio para eventos, como shows, e explorar os naming rights e a publicidade estática, menos as placas que ficam ao redor do gramado … INTER + AG …

  2. Escutando entrevista do técnico do nosso sub – 20 , entendendo que fomos muito bem contra o Juventude 4 x 6 … fiquei preocupado …

  3. Gremio acertou a troca de Edinho por negueba
    Bom, eu não traria o negueba. Prefiro o keno do santa cruz. Mas, enfim que tenha sorte.

  4. Facundo Bertoglio de volta me serve. Rápido e driblador. Se não fosse as lesões, teria ido muito melhor. Joga de meia e atacante. Baita acréscimo.

    Emanuel Mas, fica sem contrato com o San Lorenzo agora no meio do ano, lateral defensivo com 1,83 de altura. Faz muitos gols de cabeça, é bom na defesa e tem boa técnica e saída de bola. Tornaria nosso sistema defensivo mais sólido e melhor na bola alta. Tanto defensiva, quanto ofensiva. Contratação-chave para equilibrar nossa defesa e o time.

    Damian Musto, volante do Rosário, o “Dinho argentino”, volante mais defensivo, marca muito, tem personalidade, liderança e é meio bandido. Me serve. Caíria como uma luva nesse time de temperamento morno do Grêmio.

    São jogadores que preenchem carências técnicas e de temperamento na equipe, reforçando defesa e meio, principalmente, Bertoglio pode jogar de meia para transição rápida para o ataque. Musto seria o volante para o lugar de Wallace, incluisve se for vendido e Emanuel Mas resolve a carência da lateral esquerda, principalmente defensiva e na bola aérea.

    Traz esses três e as chances de sairmos da fila aumentam consideravelmente, além de trazer a torcida para junto do time. Sinto cheiro de títulos com jogadores dessa estirpe na equipe, só a falta a direção se movimentar, nenhum desses é inacessível, ao contrário, precisamos mesmo é de mostrar interesse, vender o projeto de um time para ser campeão brasileiro e jogar a LIbertadores de 2017.

  5. Força política sempre nos falta …. Deixar colorado Zanini fazer a tabela, Barretinho na comissão de arbitragem da cbf do Perondi, Noveleto
    … imprensa vermelha …

  6. Tudo bem que o Grêmio foi operado lá no Rio. Poderia ter saído vencedor. Agora, não dá para levar livre Ramiro e Maycon. que mostraram como não deve se comportar um jogador profissional. Ramiro, na minha opinião, foi corretamente expulso. Maycon mostrou que não está preparado para ser capitão. Agiu com total descontrole emocional e deve ter dado graças a Deus por também não ter sido expulso. Mais uma vez o treinador mostrou que não sabe o que fazer quando a equipe fica em desvantagem numérica em campo. O Grêmio simplesmente se retraiu, não conseguiu trocar mais de três passes sem perder a bola e só não perdeu o jogo pela falta de pontaria do adversário e pela superação de Geromel que foi imbatível por cima. Não é a primeira vez que na equipe não sabe o que fazer quando está em inferioridade. Tanto é verdade que a equipe não conseguiu sequer fazer um ataque decente e chutar uma bola em gol durante todo o segundo tempo. O Grêmio se apequenou e deixou o Fluminense, um time sem muita criatividade, tomar conta da partida sem esboçar um mínimo de reação. Falta ao treinador e, por extensão ao seu time, a ambição dos vencedores. A continuar assim, a nossa participação nas competições será de inconstância e sem perspectivas de mudança. Falta um discurso forte no Departamento de Futebol. Até agora o que se ouve é a aceitação tácita de tudo que está sendo feito. Falta aquele algo mais de exigência e um chamamento forte às responsabilidades. Como no trato com os políticos, a relação com os jogadores tem que se dar por pressão, senão, a acomodação toma conta, ainda mais quando o dirigente demonstra falta de pulso. A resposta da equipe é consequência da competência do comando. Quando ele (comando) “não dá as caras”, os “pintos” tomam conta!

    – A exemplo da seleção nacional que está à “Bangú”, o Grêmio, embora tenha jogadores razoáveis, tem oscilado nas competições. Está na hora de se fazer o “mea culpa” dentro do clube, porque a instabilidade, que perdura há muito tempo, não acontece por acaso.

  7. CEF ……… Com a OAS, já existe acordo. Em e-mail enviado ao clube, a construtora autorizou a conclusão do negócio. O atual impasse seria com a Caixa Econômica Federal, com quem o Grêmio poderia obter um aporte que lhe permitiria comprar a dívida do financiamento, cujo valor cai de R$ 170 para R$ 113 milhões

    O atual impasse seria com a Caixa Econômica Federal, com quem o Grêmio poderia obter um aporte que lhe permitiria comprar a dívida do financiamento, cujo valor cai de R$ 170 para R$ 113 milhões

  8. A expulsão do Ramiro foi injusta. Se fosse justa, meio time do Grêmio deveria ter sido expulso. E outro meio time do Fluminense também, pois da mesma forma reclamaram do árbitro.

    Ramiro reclamou porque foi falta clara no Edilson. E o time todo estava irritdado porque o árbitro não assinalou um pênalti, sendo que ele estava a dois metros do lance.

    O Grêmio levou um gol onde o jogador usa o braço para ajeitar a bola. Ficou claro que a bola baste no peito e desliza no braço.

    Os árbitro cometem erros. Mas, no jogo contra o Fluminense, o árbitro só errou para um lado. E não foram erros discutíveis que a velocidade do lance dificultaria melhor análise pelo árbitro. Foram erros que colocam em dúvida o retorno da maracutaia.

    Concidentemente, o campeonato que teve maracutaia e anularam 11 jogos, o Inter estava na frente.

    No Gauchão, tem sido fácil aplicar a favor do Inter. No campeonato brasileiro, será coincidência?

  9. Cristiano!
    Os erros do árbitro, inclusive a não expulsão de outros jogadores que também reclamaram, não justifica a atitude impensada e prejudicial – somente ao Grêmio – de Ramiro. Ora, quem defende a má conduta de atletas, que lá estão para jogar bola e não para discutir e ofender o árbitro com palavras de baixo calão, está dando um salvo conduto para que atitudes iguais proliferem. Algo muito grave foi dito ao juiz para que tomasse atitude tão drástica. Esta história de que o jogador estava de cabeça quente com as decisões não lhe dava o direito de agir como agiu. O juiz foi omisso ao não dar um penalty claro a favor do Grêmio e por cometer outros erros, mas Ramiro excedeu-se na crítica, o que não lhe cabia e sua expulsão foi justa. Maycon escapou ali, ali. Temos que ser coerentes: se pedimos a cabeça do juiz pelos erros, temos que ter a mesma atitude com Ramiro que deixou seus companheiros na mão. Acredito que com onze em campo conseguiríamos vencer a partida, porque o adversário mostrou-se uma equipe mediana. Jogar mais e reclamar menos, como disse Roger. Guerra vai ter muito trabalho para controlar o ânimo exaltado de alguns jogadores. Espero que não deixe atitudes semelhantes tornarem-se rotina, porque o único prejudicado é o clube.

  10. Se o Alisson não fosse acintoso na reclamação e aceitasse omisso a marcação do árbitro, não parariam 5 minutos o jogo quase mudando a decisão … Argel e seus comandados reclamam forte sempre… até de lateral …
    Não entendo, a comissão de arbitragem da cbf que escala e orienta os árbitros, não ser divulgada … Quem são e Barretinho faz parte ?

  11. Darcílio,

    Eu entendo tua colocação. Penso que o Ramiro poderia levar cartão amarelo e não ser expulso. Se for olhar as imagens, Ramiro faz um gesto de indignação e fala um palavrão como ele mesmo confessa. Mas nada relacionado ao árbitro. Depois todos os jogadores xingaram o árbitro.

    O árbitro ao cometer inúmeros equívocos atrapalha o clube prejudicado e os atletas.

    Há erros que ocorrem no futebol sem dúvidas. No entanto, tem erros que beiram o absurdo.

    Eu não tenho dúvida de que o árbitro de sábado agiu mal intencionado. Recuou um pouco após receber uma forte pressão dos jogadores do Grêmio que foram pra cima e quase partiram para a agressão física. A sorte dele é que ficou nas agressões verbais.

    Depois, o árbitro ficou mais comedido após aplicar no Grêmio. Depois, todos os jogadores xingaram o árbitro no segundo tempo.

    Foi um peso e duas medidas diferentes. Se o árbitro fosse coerente na sua má arbitragem, a incompetência seria reconhecida. Agora, quando o peso é apenas para um lado, estamos falando algo obscuro, a parcialidade do árbitro que de alguma forma se esforçou para participar no resultado da partida.

  12. E por falar em árbitro tendencioso, alguém viu a ESPN?? O pessoal andou falando da lambança do Chico Colorado. E, por ironia do destino, todos reconheceram que ele é o Chico Colorado. O apresentador e os convidados o chamaram de Chico Colorado.

    O sujeito é tão colorado que ele anulou um pênalti em favor de um time de cor vermelha.

  13. A minha opiniao: Não condeno o Ramiro, nem qualquer do Gremio que reclame da arbitragem. O Gremio há anos, e põe anos nisso, era um time de donzelas em.campo. Ninguem reclamava, ninguém abria a boca, ninguém peitava o árbitro. Perdíamos passivamente, tal qual um.boi vai para o matadouro.
    Tudo que é time reclama e o juiz fdp foi expulsar o Ramiro.

    Que essa atitude de passividade que nos persegue ha anos tenha acabado até que em fim . Por mais jogadores que reclame e peitem os juízes, pois eles vão pensar em roubar duas vezes. Tanto que depois da expulsão e do pênalti não dado o cafajeste goiano inverteu várias faltas, não deu faltas claras ao fluminense, pois ficou cagado.
    Por um gremio mais bandido dentro de campo.

  14. Pois eu prefiro um Grêmio jogando muito mais do que vem jogando. As grandes equipes vencedoras do clube tinham na garra e na qualidade dos jogadores seu maior trunfo. Ganharam inúmeros títulos “brigando” com seus adversários na base da raça e impondo um futebol coletivo competente e de muita entrega. Fomos inúmeras vezes campeões, apesar de algumas más e imparciais arbitragens. Ao invés de achar – como sustentam alguns – que nossos insucessos estão diretamente relacionados ao comportamento dos juízes, deveríamos, isso sim, cobrar, com veemência, dos dirigentes, uma solução imediata para a carência de jogadores de qualidade em determinadas posições, o que é, a meu ver, o ponto nevrálgico da questão e que impede um melhor desempenho da equipe. Mais do que uma possível imparcialidade da arbitragem, pesa sobre o Grêmio o incontável número de gols perdidos. Os chamados “gols feitos”, que são sistematicamente desperdiçados por imperícia ou açodamento e que sobrepõem-se a qualquer motivo . Digo, sem medo de ser contestado, que somos vítima de nossos próprios erros e que a solução dos mesmos só depende dos dirigentes. Vez por outra seremos “garfeados” e Isso faz parte do futebol, infelizmente. Mas, não estamos sós. Durante as competições, outros clubes engrossarão este “interminável “chororô” que, na maioria das vezes, serve como desculpa de dirigentes para justificar a própria falta de iniciativa e de agilidade na resolução dos problemas. Devemos, sim, nos preocupar com a arbitragem, mas, bem antes, é preciso estar atento ao que está sendo feito para melhorar a qualidade do futebol praticado nas diversas categorias. Senão, ao invés de atacar as verdadeiras causas, continuaremos empurrando com a barriga os velhos problemas e estaremos condenados à punição: ou pela arbitragem, ou, por paradoxal que possa ser, pela bola!

  15. Pois eu sempre disse e não me arrependo: A Arena é do Grêmio! Eu, como milhares de gremistas que pagamos regiamente nossas mensalidades e que acompanhamos, ano após ano, a gloriosa trajetória do tricolor gaúcho, o fazemos por um sentimento maior: a paixão pelo clube do nosso coração e não apenas pelo prazer de assistir a um jogo de futebol em um belíssimo e confortável estadio. O Grêmio, clube que motiva os gremistas a fazer enorme sacrifícios para acompanhá-lo, percorrendo milhares de quilômetros nos mais variados meios de transporte e até a pé, como diz o hino, deve, acima de tudo, ao torcedor, a sua centenária existência. É essa força que o mantém de pé. A Arena, queiram ou não, é consequência dessa idolatria que supera os desafios e que conquistou o mundo. O Grêmio é dos gremistas! De todos, indistintamente, que construíram sua gloriosa caminhada! É elementar que a Arena só deixará de ser nossa se deixarmos de honrar nosso compromisso com o clube e isso, certamente, não passa pela cabeça da grande maioria de seus torcedores, que jamais abdicarão de seu compromisso de impulsionar o clube para a frente. Os dirigentes passam e o clube segue seu caminho levado pelas mãos das novas gerações. Assim é a vida. “Arena do Grêmio”, não e apenas um título colocado na fachada de um portentoso e maravilhoso estádio de futebol. É o reconhecimento de que aquela magnífica obra tem um dono, sim senhor, e que este dono que representa milhões de torcedores espalhados pelos quatro cantos do mundo chama-se: Grêmio de Futebol Porto Alegrense!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.