MBG Drops #2

Feitoria amigos gremistas.

Novo  Mesa de Bar do Grêmio Drops chegando!

MBG Drops é um podcast mais rápido com um bate-papo individual com convidados e membros do site falando do jogo importante da semana.

Nesse programa, look falamos com o Anderson Kegler, try aqui do site mesmo, salve e com o Vicente Fonseca, jornalista, apresentador do programa Carta na Mesa da Rádio Estação Web, escreve no blog Carta na Manga e é um dos autores do livro Grêmio Hoje e Sempre.  O assunto foi o jogo em casa contra o Novo Hamburgo.

Espero que vocês gostem!

Ouça e espalhe a palavra do Mesa de Bar do Grêmio!!

Se quiser, faça o download do programa clicando aqui com o botão direito e escolhendo salvar como.

Participe da discussão

14 comentários

  1. Sobre o Drops, camisa do Grêmio de passeio, treino ou comemorativa pode ter a cor que quiser para fins lucrativos, excetuando a cor vermelha.

    Já a de jogo tem que preservar as cores oficiais do clube.

    No mais, foram analisados o desempenho da equipe. Nada muito diferente do que foi comentado aqui.

    Penso que deveria ser analisado o trabalho do treinador Róger de modo mais crítico. De um lado, ele deu um padrão ofensivo ao Grêmio ano passado. Por outro, esse padrão não dá resultado contra equipes que fechadas como referido nas entrevistas. Acontece que, até o momento Róger, encontra dificuldades em equacionar os problemas da equipe. Há falta de objetividade, a marcação está frouxa, o sistema defensivo está fragilizado.

    Quando os três setores não vão bem coletivamente, a responsabilidade é do técnico.

    O barco está desandando. É nesse momento que os dirigente precisam conversar com o treinador e colocar os pontos de vista a respeito do rendimento da equipe.

    O Grêmio com a atuação gestão vem fracassando desde 2013. Já era a hora de ter essa percepção e agir para solucionar os problemas do time. Quem comete os mesmos erros, obtém os mesmos resultados.

  2. Se o grêmio jogar essa bolinha cagada que vem jogando vai tomar um sapeca iaiá vergonhoso em Quito.

    O 10 da LDU destruiu com o San Lorenzo. Parece o nosso maestro pifador…..sqn

  3. Terminou, LDU 2×0 San Lorenzo. Nenhuma das equipes é extraordinária, mas jogam com algo que a muito falta no Grêmio: vontade.

    LDU tem um ataque rápido e um camisa 10 que joga muito (que me faz ter ainda mais pena de nós com o barriga de cadela…), vale ficar observando, fez os dois gols em jogadas individuais em que driblou 3 ou 4 adversários. San Lorenzo pouco mostrou, não dá para fazer uma avaliação.

    Pelo que vem apresentando, o Grêmio é a pior equipe do grupo, precisa evoluir bastante para passar de fase. Agora é a hora do treinador Roger fazer por merecer toda a confiança que a torcida deposita nele, esse ano esta devendo.

  4. O San Lorenzo não jogou coisa alguma. Teve muitas dificuldades e pareceu despreparado em relação a altitude.

    LDU é um time perigoso. Seu camisa 10 desequilibrou com as jogadas individuais.

    Penso que não falta vontade ao time do Grêmio. Ninguém vence jogos só na vontade é preciso ter qualidade técnica individual e coletiva.

    O Grêmio tem que jogar a Libertadores com espírito de Libertadores. Não existe bola perdida. E não é qualquer trombada que será marcada falta.

    Tenho preocupação com o Grêmio. Estamos jogando bem menos do que ano passado. Estamos correndo bem menos do que ano passado. Estamos tomando muitos gols. Não temos poder de reação. E faltam jogadas individuais. Também faltam jogadas pelo flanco.

    Se colocarmos na balança, falta muita coisa.

    E, ao invés de treinar o grupo da Libertadores para o jogo do final de semana, Róger envia parte dos atletas para o jogo de quarta.

    A preparação do Grêmio precisa ser repensada. Dá impressão que eles fazem isso para depois justificar o cansaço. A falta de tempo de recuperação dos atletas.

  5. Muito bom o programa. Trouxe uma variedade legal de pontos de vista.

    Sobre a questão dos laterais: pelo jeito o Roger se ligou que não há jogadas de linha de fundo e já tá cobrando isso do W. Oliveira.

    http://globoesporte.globo.com/rs/futebol/times/gremio/noticia/2016/02/entre-laterais-roger-da-atencao-especial-wesley-apos-treino-veja.html

    Segundo a matéria o Wesley não pega “certo” na bola e não consegue fazer cruzamentos altos.

    #Oremos

  6. O trabalho de fundamentos com os atletas é o que se espera de um técnico. Róger está cumprindo com sua obrigação.

    Falta ensinar os laterais como deve ser posicionar para marcar.

  7. San Lorenzo pra mim é o time mais “batível” fora de casa, não joga em estádio caldeirão, não tem altitude e tá remontando o time, com novo treinador. A LDU é o pior time pra jogar fora, pois tem time bom, tem altitude e os caras criaram uma mística nos últimos anos.
    Vai ser muito difícil classificar nesse grupo, tem tudo pra ser disputado até a última rodada, podendo inclusive ter time classificado com 9 ou 10 pontos.
    Vencer os 3 em casa não é comum, não lembro de outras Libertadores recentes em que fizemos isso, ainda mais com um grupo tão equilibrado.
    Resta vencer a LDU e torcer pro San Lorenzo vancer o Toluca, pra empatar tudo e recomeçar na 3ª rodada.

  8. hoje é dia de dar chance pro Lincoln, afinal é jogo de gauchão, fora de casa, em campo ruim, com time desentrosado.
    Jogo clássico pra queimar guri, em caso de mal rendimento.
    No próximo jogo, em casa, com time titular, pra jogar no tapete da Arena, volta o titularíssimo Douglas, pra dar seus toques errados de letra.
    Caso o Douglas não jogue nada, pra variar, com certeza o Lincoln terá 5 ou 10 min no final do jogo pra entrar e fazer um milagre.
    Viva a base!

  9. Só para informação: Pedro Rocha nem fardou nos últimos dois jogos, pois está com problema no joelho! Pra mim, mais eficiente que Fernandinho.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.