MBG #123 – Pré Jogo Grêmio x Nacional COL

Saudações tricolores!

Podcast mais cedo ESPECIAL DA LIBERTADORES!

 

podcast123

Neste programa focamos 100% no jogo de logo mais contra o Atlético Nacional de Medellin e sob a ancoragem de Rafael Pinto, viagra 100mg temos as opiniões de Anderson Kegler, cheap  Rodrigo de Azevedo, pill  Gabriel Pinto e a participação mais do que especial de Richard Ducker.

Relembre com a gente os grandes momentos da libertadores, jogos emocionantes e o Ducker falando sobre a torcida do Grêmio nos momentos mais afudês!

—-

Para fazer o download do programa, clique aqui com o botão direito e escolha a opção de salvar como.

Participe da discussão

23 comentários

  1. 19 anos depois daquela final em 95!
    Faz tempo já, tá na hora de vencer de novo!!!

    Me surpreendi que o Angel ainda joga no Nacional

  2. Bah, TORRENTE de nostalgia nesse programa. E a verdade foi dita: aquele clima de loucura e caldeirão não tem como voltar sem os materiais e sem a CERVEJA. Coloca a cerveja no estádio e libera os brinquedos pra ver se a pressão não se cria. Claro, um time não bunda mole(como era o do Luxa) ajuda.
    Dá-lhe!

  3. Grande resultado e empolgante atuação ofensiva com Luan jogando muito e fazendo todo o time jogar, mais ou menos como fazia o Jonas naquela time do Renato. Que baita jogador esse rapaz está se tornando e pensar só entrou no time porque o Bundiador se lesionou… Outro destaque: Wendell, atento defensivamente, combativo e preciso na frente. Ramiro, boa recuperação nesta partida, vinha mal, em declínio e fez boa atuação. Do mesmo modo Rhodolfo na defesa, um patrão. E Edinho nas roubadas de bola, um leão.

    De preocupante a postura morna e defensiva que o time entrou no jogo numa partida de Libertadores, o que pode ser fatal em jogos de mata-mata. Tem que jogar pra cima nos 15 min iniciais, avançar a marcação na saída de bola do adversário e marcar gol ou ao menos se impor dentro de casa. Mais preocupante ainda: nossa marcação não encaixou mesmo com três volantes, não achávamos o Nacional que parecia estar jogando em seus domínios e tocou bola e virou jogo e se tivesse um ataque melhor (o veterano Angel não jogou pra nossa sorte) poderia ter nos complicado mais.

    Grêmio empolga tecnicamente com Luan ajudando o time crescer, Barcos fazendo gols apesar de ter ido mal na partida de hoje, não gostei de sua atuação desta vez, mas vem bem. Até ZR10 fez boa partida, foi aplicado e até tentou ser mais vertical em alguns lances mas quando Alan Ruiz entrou por ali, vimos o que é um verdadeiro camisa 10 em ação. Que golaço. Apresentando credenciais de grande jogador, lembrando o Riquelme, mostrando que em breve pode seguir o caminho Luan e se tornar titular absoluto.

    De resto, achei Riveros discreto, Werley vacilante em alguns lances não capitais, Pará bem na defesa e inútil do meio pra frente, praticamente um terceiro zagueiro. Dudu não teve muito tempo pra mostrar seu jogo e Maxi menos ainda, pareceu ter saído chateado até. Marcelo Grohe, muito seguro.

    Se Enderson conseguir fazer com que Alan Ruiz e Dudu façam recomposição defensiva, creio que em breve poderemos ver eles de titular ao lado de Luan e Barcos, oferecendo alternativas ofensivas muito interessantes e aumento do repertório de jogadas. Se tivéssemos um quarto-zagueiro de mais respeito e lateral-direito melhor, as perspectivas já melhorariam muito. Ao menos agora muito devido a Luan, já vemos um time que joga bom futebol. Isso pra mim já um alento. Embora a postura morna do time (siga refletindo insegurança) e falta de mais personalidade forte sejam fatores que me deixam com os dois pés atrás pra pensar em título.

  4. Querendo muito ver esse time jogando junto e sendo testado no Gauchão:

    4-3-3

    1 Grohe, 2 Ramiro(Tinga), 3 Rhodolfo, 4 Werley(Geromel), 6 Wendell, 5 Edinho, 8 Riveros, 10 Alan Ruiz, 7 Luan, 9 Barcos e 11 Dudu

  5. Nem vou falar do gol do A. Ruiz, mas aquela metida de bola deixando o Barcos na cara do gol é a tipica jogada de um verdadeiro articulador. É isso que se espera de Zé Roberto….A. Ruiz em menos de 10 minutos fez mais do que Zé Roberto o jogo inteiro..Não entendi os elogios a atuação do Zé que tirando aquele belo voleio não fez absolutamente nada. Um camisa 10 que quase não chuta a gol e não pifa ninguém não pode ser titular.

  6. Esse Alan Ruiz é o cara. O que ele fez ontem em 10 min foi de tirar o chapéu. Parabéns para quem descobriu ele.

    Não ganhamos nada, mas o Grêmio está fazendo aquela velha receita da vovó que sempre deu certo para nós, mescla de gurizada da base, apostas e experientes… SEMPRE FOI ASSIM.

    Agora pergunto, porque não repetir isso todo ano ??? Óbvio que não irá dar certo sempre, mas as consequencias de não dar certo são muito menores.

    Força Grêmio, próximo jogo em casa novamente e 50 mil pessoas nessa Arena maravilhosa que está cada vez melhor.

  7. Sim, Hugo Santos, é isso, sou corneteiro mesmo. Capitão não, General Corneta… hehehe

    A postura morna a que me refiro foi no inicio do jogo. Não gostei mesmo.

    Sim, os 60% de posse de bola do adversário e os espaços dados ao Nacional me preocupam muito. Pois se fizer o mesmo contra adversários mais qualificados com maior poderio de ataque já era, ainda mais em mata-mata.

    Na minha corneta, antevejo.

    Pior que quem nem ver consegue, que dirá antever… torcedor faceirinho tá cheio, são os mesmos que vão aos extremos do ufanismo a terra arrasada. São péssimos avaliadores.

    Se os dirigentes e jogadores vão na onda desses sobem no salto e tombo geralmente é feio. Se ler direito a minha avaliação vai ver que destaco os pontos positivos e negativos. Torcedor Poliana não deve ler o que escrevo, é um conselho, não percam tempo com corneta. Corneta é pros resilientes, não pros fracos.hehehe

  8. hehe, como tem gente que se engana fácil, tão achando que o time já é campeão!

    Muita calma. Concordo com o Felipe, até agora não pegamos um time jogando defensivamente, tanto inter como os dois Nacionais sairam pro jogo e nos deram espaço pro contragolpe. Os 3 gols de ontem não mostram o que foi o jogo, pois fomos dominados a maior parte do tempo, mas soubemos aproveitar muito bem os espaços dados. O Nacional é o típico time colombiano, muita qualidade técnica e movimentação, porém pouca objetividade. Tenho medo dos times que virão pra se defender e aí o Grêmio terá que propor o jogo.
    Em 2013, com essa formação de 3 volantes e Zé, não conseguíamos ter volume de jogo contra times retrancados. Esse ano ao menos temos o Luan, o que já me dá uma esperança. Mas acho que essa formação vai acabar mudando aos poucos e teremos um ataque mais perigoso.
    Se o Ruiz conseguir manter essa qualidade e ficar ligado no jogo vai ganhar fácil a posição do Zé Roberto. Barcos foi a notícia ruim da noite, muito abaixo dos outros jogos do ano, pouca movimentação.

  9. vencemos o melhor time do grupo e isso agora nos dá tranquilidade e nos coloca como o time a ser batido. O jogo contra o Newell’s ganha esse aspecto agora, teremos menos espaço pra jogar e marcação mais forte no Luan. É a hora de pensar opções pro Zé, pros 3 volantes e até pro Barcos.

  10. esse time está me lembrando o de 2007. Forte na esquerda, meia atacante rápido e habilidoso e um centroavante que mais perde gols feitos do que faz. Lúcio, Carlos Eduardo e Tuta. Com um meio forte e que chega na frente, dois volantes, um falso volante e um meia cachorro cansado. Sandro, Lucas, Diego Souza e Tcheco.
    Lateral direito limitado e brigador. Patrício.
    A zaga que ainda me traz preocupação, principalmente pelo histórico de amolecidas do Werley.
    Ainda não está no nível das atuações de Willian e Teco naquela Libertadores.

  11. Parabéns a todos que contribuíram de uma forma ou de outra para a grande vitória do Grêmio ontem na Arena.
    Dirigentes, equipe técnica, jogadores e torcedores. Foi demais.

    Arthur Ferreira!
    Estamos nos tornando “pés quente”, eh, eh, eh.

  12. Melhores figuras do jogo de ontem:

    1. Luan: Desnecessário explicar.
    2. Enderson: Time com defesa, meio campo e ataque conectados e organizados. Parece óbvio, mas no ano passado não tínhamos.
    3. Torcida Geral: Comportamento exemplar, contagiando todo o estágio. Ao contrário da Libertadores do ano passado em que a Geral foi dispersada, por culpa dela própria, da OAS, da Brigada, dos Bombeiros e da omissão da Direção.

    Com Luan, Wendel e Ruiz, podemos sonhar, por que não.

  13. Felipe, qual time tu acha que tem chance de ser campeão? Por que se o Grêmio não tem, é porque alguém tem, não?

    Targa, ao comparar o Grêmio de 2014 com o de 2007 (vice da América), tu também pensou em quem seria o Boca de 2014?

    Libertadores é mais baixo nível que o Brasileiro. Os times da parte de baixo da tabela do Brasileiro são substituídos pelos de cima do Gauchão.

  14. Nem bem Luan e Wendell saíram dos cueiros e sequer completaram seis meses na equipe principal do Grêmio e já se cogita sua venda? Por favor, assim é fácil ser dirigente. Quero ver vender o Bressan, o Werley, o Pará, o Kleber o Léo Gago.
    Essa relação, como foi instituída, só é boa para o investidor e para o jogador. E o clube como é que fica? Como poderemos almejar algum título se não conseguimos sequer reter os bons jogadores por uma única temporada? Só com jogadores medianos não iremos a lugar nenhum. A se concretizar essas especulações, nos tornaremos a maior “barriga de aluguel” da história do futebol moderno. A “generosa incubadora” que faz a alegria de “empresários” e especuladores.
    Se hoje valem dez, após a LA valerão cem. Aí sim será o momento do clube se desfazer do jogador, ainda que o prejuízo técnico seja visível. Mas, são os “cavacos do ofício”. É sabido que os interesses do clube e os de seus parceiros são diametralmente opostos, por isso é que há que se ter muita calma nesse momento.
    O Grêmio é uma janela privilegiada, pronta a dar grande visibilidade às ambiçoes tanto de jogadores quanto de investidores e isso tem que ficar evidente na mesa de negociações e ser muito bem recompensado.

  15. Que vitória. Como eu já esperava, nosso time esse ano está mais forte e não mais fraco, como muitos torcedores achavam. E creio que nem a venda dos meninos pode mudar isso.
    O placar, no entanto, creio que não demonstra o que foi o jogo. O Grêmio entrou totalmente desligado no segundo tempo, eles tiveram boas oportunidades de fazer ao menos dois gols, mas nós podíamos tranquilamente ter feito uns 6.
    Sei que o importante é a vitória, porém a defesa e o desempenho do nosso “centroavante” ainda me preocupam. Sigo esperando, também, que o técnico veja que Zé Roberto é um elemento um tanto prolixo no time.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.