Foto: Lucas Uebel / Grêmio F.B.P.A.

De cabeça fria é muito mais fácil escrever sobre o ocorrido do último domingo, help mas a minha opinião sobre o jogo não mudou em nada, viagra buy desde que deixei pela última vez as arquibancadas do Olímpico Monumental. Continuo achando que foi um jogo lixo com um Grêmio medroso e covarde que não soube se impor da maneira que o estádio merecia. Só a torcida do Grêmio salvou a despedida de velho casarão.

Luxa, sale pra variar, foi muito aplaudido antes da partida e mesmo após ter sido expulso em mais um GREnal, eximiu-se da culpa na coletiva pós jogo como quem diz: “eu sou bom demais pra ser culpado nesse fracasso”. Mas peraí, o Grêmio esse ano quase ganhou o gauchão, quase ganhou a Copa do Brasil, quase foi campeão da Sulamericana e quase conquistou a vaga direta pra Libertadores, o time do quase, chegamos perto sempre e faltou uma peça aqui, um craque acolá e também faltou, sim, um treinador com MAIS CULHÃO em determinados momentos.

Os TRÊS VOLANTES e apenas um atacante neste último GREnal foi para homenagear Celso Roth na despedida do Olímpico, só pode. É a única explicação para um Grêmio que lutava pelo vice-campeonato abdicar de atacar um time de cagões vestidos de vermelho. Luxa SE CAGOU, isso sim. E mais uma vez esse ano, isso sim. Papelão, isso sim. E o que mais me preocupa para o início da próxima temporada, é o que o nosso treinador está longe de admitir seus erros e suas escalações rotheanas equivocadas neste final de ano e que isso venha a ser rotina para a Libertadores.

Perdemos mais dias de férias, ganhamos mais 1 jogo na Arena. Que a comissão técnica e diretoria pense muito bem como vai conduzir a árdua tarefa de jogar a Côpa e o Gauchão ao mesmo tempo, para que não se cometa erros que nos custaram muito anteriormente.

Sigamos.

Participe da discussão

1 comentário

  1. De pleno acordo. Eu esperava outra postura tática. Grêmio e Inter estavam CAGADOS, com medo de perder o histórico último Gre-nal do Olímpico Monumental. Luxemburgo tinha de ter entrado com Leandro e André Lima no ataque. O esquema 4-5-1 já havia sido reprovado em partidas pretéritas. Luxemburgo insistiu no erro, segundo ele, porque falta qualidade. Nesse ponto ele até tem um pouco de razão. Leandro não é o atacante dos sonhos. E o que dizer de Bertoglio (o argentino chinelinho)???

    Ponho muita fé em Fábio André Koff. Ainda ponho muita fé em Vanderlei Luxemburgo. Meu medo chama-se Rui Costa, o “neófito” vice-presidente de futebol que já participou da mal fadada gestão de futebol de Antônio Vicente Martins, quando fomos conduzidos ao fundo do poço da divisão de baixo. Paulo Pelaipe era um homem enérgico, de brios, personalidade forte, que buscava incessantemente trazer aqueles atletas solicitados pelo treinador. Torço pelo sucesso de Rui Costa, porém com uma ponta de desconfiança face ao seu passado obscuro. Precisamos contratar E BEM, se quisermos ganhar alguma coisa em 2013…

    Abraço, Gabriel!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.