Participe da discussão

32 comentários

  1. Se o problema é porque a palavra MACACO subtende preconceito,
    Em vez de cantar: ‘chora macaco imundo”…
    Cantar: Chora ……. imundo (fazendo silêncio e não cantar a palavra macaco)
    Aí, só falta o MP (que é “imparcial”) rotular como ofensivo e preconceituoso o SILÊNCIO.

  2. werley e o zagueiro macarrao, pois qdo o jogo ferve ele amolece.
    O segundo tempo do gremio foi constrangedor. Enquanto nao recuperarmos a indole de time bandido nao vamos ganhar nada.

    Vergonhoso segundo tempo.

  3. time não jogando nada, empatando, e o treinador tira o melhor do time mas mantém os 3 volantes.

    até quando vamos ser cagões? eu pensei que isso tinha acabado, mas é só ter um jogo decisivo e o Grêmio se borra todo. chega disso, não aguento mais time cagão!

    e o chega de werley, ele consegue ser pior que o bressan e o geromel. o cara falha em todo jogo, só cego não vê! e ainda, pra esse naba jogar, tem que deslocar o rhodholpho pro outro lado.

  4. A muito tempo não se impomos em GREnais. Os aterrados se sentem a vontade jogando contra nós em qualquer estádio.

    Koff deveria impedir o Werlei de fardar.

  5. Sempre preferi Bressan a Werley. Bressan é ruim? Sim. Mas é boi brabo.
    E em Grenal zagueiro não sair com cartão amarelo é porque tem alguma coisa errada.

  6. Infelizmente Grêmio mostra seu limite! A nola do 2 tempo foi vexatória! Temos individualidades sem qualidade – Werlei e Pará – treinador muito mal no 2 tempo. Ñ enxergou a avenida q se tornou o lado esquerdo de defesa, ñ viu q Riveros estava sem função no 2 tempo, substituições erradas e demoradas….
    No mais, grupo bom, mas carente, construído ao acaso em relação a Luan e Wendel, Dudu veio pelo treinador ,……Ñ há planejamento nem garimpo de jogadores…..
    Muito triste o q jogamos hoje!

  7. bingoa! que haveria a papagaida do racismo.
    Pq o paulao nao vai na delegacia e faz queixa?
    E facil fazer a denuncia, faz a revolucao no ar, queima a instituicao gremio, a ivi faz manchete do assunto, enxovalha o gremio e vai deixar por isso?

    Algum amigo aqui do blog q seja do direito pode esclarecer, se cade chamar o paulao juridicamente por calunia?

  8. JJ esperar ação, ousadia, com essa Direção, com eternos perdedores?
    Estão – mídia e simpatizantes dia vermelhos – conseguindo ferrarem o clube no campo e agora vinculando-o a racismo!
    E nossos dirigentes….ouvi-los (sobre futebol e clube) é de chorar!
    Estamos órfãos! Pobre de nós gremistas! Pobre Grêmio! Ñ há saída: Odone ou Perdedores!
    Boa noite!

  9. Não dá para botar a culpa em um jogador só. Mas, dá pra ver que o lado direito da defesa, principalmente o Werley que é um zagueiro medroso; tem medo de errar e, mesmo assim, erra e está sempre fora do lugar. O Grêmio cansou realmente, mas, a queda de rendimento coletivo no segundo tempo foi visível.
    Acho que Abel fez uma leitura correta do jogo e “fechou” as saídas pelos lados, O Enderson demorou para encontrar uma solução, não soube sair da armadilha e começou a empilhar atacantes sem nenhum sentido.
    O Grêmio foi oitenta no primeiro tempo e oito no segundo. Na minha opinião, escapou de tomar mais graças ao Marcelo Grohe. Creditar somente ao preparo físico a queda de rendimento é enxergar pouco o jogo.
    Não dá para fazer “terra arrasada”, mas, o treinador tem que rever alguns conceitos. O vestiário, no intervalo dos jogos, não tem feito bem para o Enderson.

  10. Mais uma vez o time decepcionou nestes mais de 10 anos de derrotas.Vejam quantos gauchões o inter ganhou nos últimos anos.

    Uma coisa que tenho convicção por que assim mostra a história é que enquanto não tivermos um time superior ao inter para bate-los no regional não vamos ganhar nada de grande.Primeiro se começa batendo o adversário local para ai alçar vôos maiores.

    O segundo tempo foi uma vergonha. O engraçado é que antes do jogo ninguém falava em cansaço.Ai bastou perder para o técnico e a direção falar em maratona de jogos.Pela lógica então iremos mal na Colômbia,já que a maratona continua e com uma longa viajem.

    Nunca gostei do Werley.Já cansei de ve-lo falhar em jogos importantes.Até quando vamos ver o time tomando gol de cabeça,principalmente no setor do Pará e Werley?Quantos gols de cabeça tomamos esse ano?

    No segundo gol,entao,o zagueiro(não sei qual era)ao inves de colar no Rafael Moura ficou olhando a bola,como se ela pudesse entrar sozinha sem que alguem precisasse coloca-la para dentro.Não entendo como esses erros primários se repetem.

    O time tem problemas sérios.Não acredito em time sem meias de qualidade. Melhorou um pouco pelo surgimento do Luan,mas ainda é pouco.Como não tem meias o time fica vivendo com essa gambiarra de usar 3 volantes.

    O Maxi,em quem apostava muito,é uma sonora decepção esse ano.O Ruiz é muito lento.Coim aquela lentidão só tendo muita qualidade,tipo o Alex do Coritiba.

    Enfim,falta qualidade,nosso banco é fraco.E o técnico piora a situação quando não deixa nem no banco o Everton.

    Teria que surgir um grande meia na base ou contratar.Olho para a frente e acho que não temos time para grandes conquistas.

    abraço.

  11. O Grêmio escapou de se goleado nesse Grenal.

    Time com três volante não pode dar tantos espaços assim.

    Não sei se os jogadores entraram a fim de se preservar para a Libertadores. Se não foi, realmente, foi catastrófica a atuação, especialmente no segundo tempo.

    O Inter foi amplamente superior e mereceu ter vencido.

    Se o Grêmio continuar com essa mentalidade dos três volantes, não irá ganhar coisa alguma. Será mais um ano perdido.

    Treinador que dá desculpas, não merece credibilidade. Se o time estava cansado, não entra em campo com os titulares. Entra com os reservas.

    Ele sempre tira o Luan. Os jogadores que não joga coisa alguma ele não tira. Então, tem mais que perder mesmo.

    Ramiro não jogou absolutamente coisa alguma. E ficou.

    Realmente, o técnico não sabe substituir. Não sabe as razões da vitórias, nem as razões das derrotas.

    Teve mais sorte do que juízo. Se não fosse o Marcelo Grohe, seria uma vergonha.

    Direção de futebol frouxa, treinador frouxo, time mais frouxo ainda.

  12. Grana? Mas e variáveis como criatividade, conhecimento de mercado, pesquisa, viagens,….O q ñ há nessa graça direção é talento,…Vejam o Santos! Gurizada….Ficam em gabinetes contando com “olhos” de empresários!
    Luan e Wendel foram “achados”, pois se dependesse “dessa” turma, trariam mais Mamutes,….
    Mais um ano de calvário! Infelizmente!

  13. Uma coisa que como torcedor não suporto mais é ver o time do grêmio sair na frente a ai recua e só quer sair na boa.

    Ai tu olha e o lateral começa fazer cera para bater uma lateral,o goleiro idem.Quer dizer,o time todo se contamina e começa a fazer tudo lentamente,desacelerando o jogo.isso jogando em cada e só com um a zero no placar.

    Sem falar que como o inter tem mais qualidade o que eles querem é um jogo lento de toque de bola,pois é o jogo deles.

    abraço.

  14. Infelizmente aquilo que temia e que alertei reiteradamente neste blog aconteceu, o fator psicológico foi decisivo na hora do vamos ver.

    São os três pilares básicos de montagem de uma equipe vencedora: o físico, o técnico e o psicológico e neste último o nosso time é frouxo mesmo.

    Fisicamente estamos bem, temos boa preparação física. Tecnicamente melhoramos muito do ano passado pra cá apesar de que há posições onde precisaríamos ter mais qualidade como zaga, lateral-direita e centroavância, isso num jogo onde Pará novamente acertou um cruzamento preciso e Barcos teve presença de área ainda que ambos não tenham tido boa atuação e esse lance foi a exceção de ambos no jogo todo.

    Porém quase ninguém foi bem, salvaram-se Grohe, milagroso, Rhodolfo e Edinho, um leão que marcou sozinho enquanto Ramiro e Riveros passearam em campo. Mas ninguém foi tão mal e comprometedor quanto Werley. Agora apontar Bressan como solução que vinha comprometendo até contra times do interior é piada de mau gosto. Tenham dó.

    Há tempo pedimos um zagueiro melhor e há tempos afirmo que jogadores como Pará e Werley são insuficientes, bem como, a observação que o malemolente Barcos não poder ser nosso capitão e a notória frouxidão e insegurança da direção de futebol que passa aos jogadores em campo.

    Como pode um time que almeja algo mais num jogo de final entrar tão apático e manso num segundo tempo, marcando a distância, assistindo os experientes jogadores do Inter trocarem passes a vontade em plena Arena?

    Somente um time de temperamento fraco com comando fraco psicologicamente entraria tão morno num Grenal decisivo.

    Alguns se irritavam comigo aqui quando afirmava que nossa resiliência é fraca e por isso não via o Grêmio candidato a títulos ainda, aos que contestavam restou assistir ao nosso segundo tempo e perder mais uma contra eles pra atestar da pior forma o que vinha afirmando. Não foi por falta de aviso a essa direção. Derrota justa e merecida.

  15. O problema não foi o esquema.

    Com esses jogadores e essa comissão técnica e direção e essa POSTURA mansa e passiva de TODOS perderíamos de qualquer forma. É preciso ATITUDE de vencedor, disputar cada palmo, ser guerreiro como fomos contra os argentinos lá mas sabia que essa atitude não era natural, lá foi nosso jogo de exceção, não tendência, basta observar o somatório de temperamentos do nosso plantel pra ver que nesse quesito ou a direção contrata ou a Libertadores já era.

    Temos potencial técnico pra ganhar. Temos ótima preparação física. Mas ou essa direção acorda e trás pelo menos dois ou três jogadores sanguíneos, sendo um xerifão pra jogar ao lado do Rhodolfo ou não ganharemos nada. Hoje se tivéssemos pelo mais um ou dois jogadores com mais INDIGNAÇÃO e sangue nos olhos, alguém pra gritar pra todo o time acordar e comer a grama quando nos acomodamos, poderia ter sido bem diferente.

    Do jeito que foi, perdemos ao natural e passivamente pra eles em frente a nossa torcida. Pela forma que se deu, achei fiasquento o nosso desempenho principalmente no segundo tempo e vejo que faltou maior FIRMEZA e MOBILIZAÇÃO por parte de treinador e direção nesse sentido.

    A frouxidão rolou solta de fora pra dentro do campo.

  16. E o problema também não foi o cansaço de jogos decisivos, muito menos de preparo físico como afirmam direção e treinador. Se esse é o discurso pra fora, compreende-se, agora se é o que pensam, não sabem porque perderam e isso é o mais preocupante de tudo.

    Cansado de decisões deveriam estar os jogadores do Bayern de Munique… que atropelam os oponentes quarta e domingo em jogos decisivos… oras, é muito mimimi pra justificar derrota. Pior, típico dos fracos de temperamento.

  17. Três cabeçadas dentro da pequena área e dois gols. Bola aérea na pequena árena TEM que ser do goleiro…..e mais uma vez o dalessandro comando o ritmo do grenal…temos que admitir que nos falta um 10 clássico como ele em nosso meio campo..nosso camisa 10 nos últimos anos sempre é um volante adiantado ou uma atacante recuado, ou seja, sempre uma improvisação…anos a anos sem passam e ninguem tem a competência de contratar um camisa 10 que resolva dentro de campo.

  18. Se esses jogadores tivessem a noção de como 65% do RS acordou hoje. Torcida tinha certeza que o Grêmio estava voltando a ser Grêmio.
    Mas esses jogadores tem medo jogar GREnal.

    Que fase vive esse nosso Grêmio, que locura..

  19. era pra ter sido goleada!

    A bundamolice voltou com tudo, atingiu seu ápice com o Enderson. Grêmio respeitou demais os coloridos. Ganhava o jogo, jogava bem e tinha espaços pra entrar na fraca defesa deles. Mas depois que fez o gol passou a administrar o resultado, como se 1 x 0 fosse garantia de título!
    Faltou ambição, faltou gana de mostrar quem manda em casa e amassar o inter. Respeitaram um time que estava perdido em campo, com buracos no meio. Deixaram eles crescerem no jogo e dominarem o meio. Depois de consagrar o podre do Fabrício, conseguiram consagrar o he-man!

    A moça Werley só fez o que todos já sabiam. Repetiu as atuações pavorosas que teve contra o Millionarios e contra o Santa Fé. Quando o bixo pega ele sempre entrega. Zagueiro cagalhão, não chega junto nunca!
    Bressan pode ser fraco tecnicamente, mas é muito mais zagueiro. Além do mais, a saída de jogo do Werley é péssima, tanto é que sempre tem liberdade dos adversários pra jogar.

    Luan não pode sair jamais do time! Dudu era outro que estava jogando bem e foi sacado, era o único que conseguia botar velocidade, algo que a defesa lenta deles não conseguia parar. E aí o Enderson tira um veloz pra botar o Alan Ruiz pra prender a bola. Querem me enlouquecer!
    Barcos fez o gol, mas foi uma das piores partidas dele no Grêmio, perdeu todas as outras bolas. Consagrou o Paulão!
    E o treinador não tira nunca o Barcos.
    Em outros jogos tirava um dos volantes. Ontem não, teve medo de vencer.

    É o Grêmio dos anos 2000 de volta com tudo, com medo de vencer. Medo de atropelar, mesmo jogando melhor.
    Merece perder!!

  20. gols que levamos quase sempre saem no lado de Pará e Werley.
    Mas nada vai mudar, afinal não temos ninguém melhor no banco né, esse é o discurso!

    Geromel passou na frente do Bressan. Como tem empresário bom no futebol!

  21. Quando se ganha, todos ganham. Quando se perde, todos perdem. Assim se faz uma leitura sensata dos jogos.
    Portanto: direção, comissão técnica e jogadores, tem, sim, sua cota de responsabilidade na retumbante derrota de ontem em plena Arena.
    Direção: acha que a equipe está bem servida de jogadores em posições em que salta aos olhos, do mais inexperiente observador, a precariedade técnica de quem a ocupa.
    Comissão Técnica: Enderson – que estava ao lado da linha lateral de campo – assistiu, passivamente, o tempo todo, Alessandro e Cia. fazerem o dois-um em cima do Wendell sem tomar nenhuma providência. Quanto à condição atlética dos jogadores, ficou uma interrogação do porquê da baixa resposta física da equipe. Terá sido o estresse emocional ou a sequência de jogos a razão da desaceleração da equipe no segundo tempo? Perguntem – como já disseram aqui – ao Bayern de Munique, ao Barça, ao Chelsea e a todas grandes equipes do mundo que disputam decisões a cada jogo, intermeadas por longas viagens pela Europa.
    Jogadores: Faltou o “sangue nos olhos”, aquele algo mais de atitude e de superação que diferencia uma equipe comum de uma equipe vencedora.
    O baixo rendimento da equipe no segundo tempo não se explica só pelo cansaço ou pela qualidade do adversário. Há uma responsabilidade coletiva onde cada setor deixou a desejar. Humildade, antes de tudo, para reconhecer os erros é o que está faltando ao Grêmio. Depois do “mea culpa”, há que se fazer um grande esforço de superação e ir à fundo em busca das soluções que todos nós sabemos quais são e que estão sendo “empurradas com a barriga”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.