Participe da discussão

8 comentários

  1. O mais importante foram os 3 pontos. Gostei da vitória e da atitude mais aguerrida de alguns jogadores que peitaram os adversários e mostraram indignação, o que há tempos não se via nesse Grêmio acadelado… jogadores como Felipe Bastos e Rhodolfo foram guerreiros e se impuseram em seus setores. Mas não gostei da atuação, jogamos pouco.

    O time é deles é forte, é verdade, mas ganhamos o jogo num espasmo de bom futebol no inicio do segundo tempo e foi só, no restante Timão foi superior e teve um certo domínio das ações da partida. No segundo tempo, Grohe, o travessão e o juiz (que não marcou pênalti na mão do entregador Werley, sempre ele, quando esquenta…) nos salvaram do empate que não seria injusto.

    Alguns jogadores criticados foram bem como Dudu (apesar de sua falta notória de acabamento) e Barcos (fez gols apesar de não ter jogado bem). Outros fizeram o que se espera deles como Matias Rodriguez, uma avenida, fraco demais, e Werley que só não entregou por pouco, além do Ramirinho errador de passes. Estes os pontos frágeis do time.

    Zé mesmo veterano vem dando conta do recado na esquerda, foi dele a jogada para o primeiro gol. Giuliano está irreconhecível, parece nervoso. Tá mal. Luan algumas iniciativas mas tem que se ligar mais e entrar menos molenga nos lances. Felipe Bastos tem sido o dono do nosso meio e Rhodolfo o patrão da zaga, esses nossos melhores jogadores.

    Mas de resto, Felipão tem insistido com jogadores que estão muito mal como Ramiro, Werley, Giuliano, etc, o próprio Matias não é solução ao Pará (que felizmente não jogou! aplausos ao Felipão por isso!), enfim são jogadores que estão atrasando a formação, a compactação do time e a mecânica de jogo. Jogadores que nitidamente irritam a torcida pelos burburinhos na Arena e que quebram a confiança do próprio time e do torcedor. Com isso o futebol apresentado vem sendo insuficiente para aspirar algo mais. Grêmio segue sem empolgar, minimamente.

  2. Ganhar é sempre bom, jogamos com um esquema ofensivo para ganhar, mas que não criou tantas oportunidades assim. O esquema mesmo era chama derrota, e não perdemos por detalhes. Achamos dois gols e o Corinthians perdeu várias oportunidades e Marcelo nos salvou. O Grêmio tem um plantel milionário e pode ter uma equipe mais equilibrada. Se perdesse hoje não teria sido nenhuma injustiça.

  3. Outra iniciativa do Felipão que merece aplausos: Rhodolfo continuou com a braçadeira de capitão mesmo com presença de Bracos, e isso parece ter feito bem a ambos. Pequenos detalhes que vão fazendo diferença… e nós pedindo isso há mais de anos…

    Agora avanços como equipe vão demorar e nem vir se insistir com algumas nabas e com quem vem mal…

  4. Ainda acho que Ramiro é o menos pior pra lateral direita do Grêmio, abrindo espaço ao Wallace de volante.

    Ruiz vinha bem antes da chegada do Giuliano, hora de dar sequencia ao argentino e deixar passar a pressão e o nervosismo do Giuliano no banco.

    Cadê os jovens da base para zagueiro e lateral-direito? Se não tem ninguém melhor que Pará, Matias, Werley, Geromel tem que que fechar e demitir seus dirigentes. Aliás, pelos resultados da base…

  5. LUAN e CRAQUE do RURALITO ne , mais respeito OK ! TIME LENTO / MEDO DE ATACAR / E QUE NAO MARCA da pequena AREA PRA ” FORA ” . ( DANDO AO ADVERSARIO TODO seu CAMPO e + A grande AREA ate ! E OS TECNICOS NAOOOOOOOOOOOOOO veem esta MARCACAO CHAMA DERROTA 100% NE .

  6. Achei que hoje jogou menos do que contra o Cruzeiro. Só que o problema de não concluir as jogadas foi uma constante em ambos os jogos.
    Giuliano péssimo. Ainda não sei o que veem nele. Alán Ruiz ainda é melhor para a posição, embora eu o ache lento.
    E Matías Rodríguez cometeu um erro grosseiro na jogada do gol do Corinthians. Se o Grêmio tem tanto problema com laterais, talvez fosse melhor tentar um esquema sem laterais.

  7. O Grêmio melhorou apenas na marcação como já havia observado no jogo contra o Cruzeiro. O primeiro tempo foi morno. Não conseguiu se impor tecnicamente e foi controlado pelo adversário.

    No seguindo tempo, aproveitou a sonolência corintiana e fez dois gols. Depois, o Corinthians foi se estabilizando em campo e o Grêmio foi recuando, tentando aproveitar os contra-ataques.

    O Corinthians foi pra cima até fazer um gol. O Grêmio foi se protegendo, especialmente após as substituições do Felipão.

    Acho que o Felipão trouxe o Corinthians demais para o campo do Grêmio. Encheu de volantes. Foi um risco demasiado, pois o Grêmio se abdicou de atacar ou contra-atacar.

    Quase encaixou um contra-ataque com o Maheus Biteco.

    O Grêmio foi brigador, mas sem consistência técnica.

    Os três pontos são bem-vindos e a meta do Felipão é garantir o Grêmio na primeira divisão. Deixou bem claro quando disse que ficará tranquilo com 45 pontos.

    Na realidade, o grupo do Grêmio é muito limitado em razão de algumas carências.

Deixe um comentário

Deixe uma resposta para Impzone Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.