GRÊMIO x Chapecoense – 18h30 Arena do GRÊMIO

O Tricolor enfrenta hoje na Arena a Chapecoense pelo Dilmão 2014.

Precisamos da vitória se quisermos manter chances reais de classificação para Libertadores de 2015!

O juiz será André Freitas de Castro os bandeirinhas serão Fabrício Vilarinho da Silva e Cristhian Passos Sorence (goianos).

Avante GRÊMIO!

A Gerência.

Sempre Imortal, troche o blog da torcida GREMISTA!

Participe da discussão

22 comentários

  1. O mínimo que se espera é uma vitória. Que construam resultado consistentemente pra não depender novamente de um milagre no fim do jogo. Afinal, pelo amor de Deus, é a Chapecoense. Não tem desculpa!

  2. Vitória! 3 pontos!
    Nem sei como. Na verdade nem sei como conseguimos fazer gols. Não temos cruzamentos, cabeceios, finalizações, passe final, bolas paradas. O time segue num marasmo técnico que parece evoluir pra um marasmo emocional. Torçam para não terminarmos o campeonato empatados em pontos com algum outro time, pois não podemos confiar no saldo de gols.
    Vamos agora para uma maratona complicada e precisaremos continuar vencendo. Não podemos abrir mão de atacar como hoje.

  3. Só pra não dizer que não elogiei nada, com essa zaga conseguiríamos muitos títulos se tivéssemos ataque. Contratem esse Geromel.

  4. mais um jogo horroroso! Virou padrão do Grêmio jogar mal, já são dois anos acostumado a ver péssimas partidas. Tento lembrar a última grande atuação e vem na memória aquele 3 x 0 no Flu, pela Libertadores 2013.
    O time está bem organizado, como era o time do Renato. Não levamos gols, ótimo! Mas por outro lado cada jogo é uma tristeza, temos um meio ofensivo e um ataque que não funcionam. Cada vez tenho menos vontade de ir nos jogos pq fico com a certeza que não vai ser diferente, o Grêmio se acostumou a jogar mal e a valorizar isso como virtude.
    Até a vinda de Felipão tínhamos 4 meias no grupo. Hoje só um deles joga e de lateral esquerdo. Maxi foi mandado embora e Alan e Rodriguinho nem banco pegam.

    É claro que vencer sempre é bom, mas vendo esse time me dá a certeza que seguiremos mais 5 anos, 10 anos, 15 anos… na fila. Time que não tem armação e ataque não é campeão!
    Próximo jogo volta o tranca rua do Ramiro e volta o macarrão!!!!
    Preparem-se!

  5. Querem que o ataque funcione se o técnico não escala os meias. Mas como?

    Não sei se o meias resolveriam.

    O Grêmio não tem qualidade de jogo. Tem um sistema de defesa protegido. Desarmar é mais fácil do que construir.

    Faz dois anos que temos nosso sistema de ataque é ruim!!

    Hoje, o Goiás fez 6 no Palmeiras. O Grêmio tem um dificuldade imensa para marcar um gol.

    Que inveja!!

  6. Ontem não fui ao campo. Vi o jogo em casa, pela televisão. Infelizmente, nada mudou. Vendo a atual equipe jogar, dá uma saudade imensa do Grêmio dos bons tempos. Menos mal, que meus comprimidos para pressão alta ficaram mais à mão. Mas, é isso aí que temos e devemos ao Felipão a nossa atual colocação na tabela que, trocando em miúdos, é muito superior à qualidade dos jogadores que ele tem para treinar. Chega a ser um paradoxo, mas, não fosse sua experiência, já teríamos atirado a toalha. E assim vamos, esperando por um tropeço dos concorrentes para seguir aspirando uma vaga no G4, ao mesmo tempo em que elevamos as mãos para o céu, como que agradecendo a ajuda divina por mais uma sofrida vitória por 1X0. Mas, como dizem sabiamente os dirigentes: o que importa são os três pontos! Esse discurso conformista foi absorvido pelos jogadores que justificam as insatisfatórias atuações da equipe com o mesmo argumento. Agora, é esperar pra ver o que vai acontecer nos dois próximos jogos fora de casa. Dependendo dos resultados o ano pode acabar em Setembro para nós. Mas, como temos vivido ultimamente de otimismo, quem sabe a sorte continue a nosso favor e que meu estoque de comprimidos para a pressão seja suficiente para aguentar o restante do campeonato. O meu receio – tendo em vista o que nos reserva o resultado das urnas nas próximas eleições – é que essa onda de “apequenamento” do futebol do clube se transforme em algo institucional, haja vista o “perfil” dos últimos dirigentes. Parece que a chegada de Felipão provocou uma drástica mudança no planejamento do futebol com demissões e remanejamento de pessoal. Realmente, somente uma exemplar “vassourada” pode fazer o clube voltar a pensar grande e colocar as coisas no seu devido lugar.

  7. O Grêmio (investidor) botou 6 milhões de euros no Giuliano e mais 2,5 milhões no Fernandinho (29 anos).
    Com uns 5/6 milhões de euros levava e Marcelo (22 anos) do Atlético-PR e resolvia nosso ataque.
    Mas esse não jogou no inter né, então não tem o perfil desejado pela direção.

    Agora temos dois encostados no grupo. Giuliano, o meia/volante/atacante que não sabe onde joga e o Fernandinho, que joga 10 minutos por partida e tem o mesmo perfil do Dudu, o qual o Grêmio quer investir pra ficar em 2015!
    É uma loucura o que pensa essa direção!

    Em 2015 teremos que buscar um meia de verdade, um 10, que não temos desde que o Zinho foi embora.

  8. Comentar cada “jogo” do Grêmio, está muito fácil, basta fazer “Ctrl C / Ctrl V”. Time, grupo de jogadores e futebol = HORRORES! Que termine logo 2014! O problema é que pouco se pode esperar para 2015, haja vista a manutenção da atual equipe que “dirige” futebol! Assisti a uma entrevista de um desses “dirigentes” na sexta: um sujeito dedicado, sem dúvida, fica mais de 6 horas por dia no clube, etc…….mas há um problema: “NÃO É DO RAMO”. Somente isso, “amigo”! Exerça outra função, “amigo”: cuide do Patrimônio, do Marketing,…..MAS TU NÃO ÉS DO FUTEBOL. POR FAVOR, “AMIGO”, PELO BEM DO GRÊMIO! Largue a gestão de futebol, junto com o teu “parceiro”!!! MATHIAS RODRIGUES: seria causa para DEMISSÃO dos dois “dirigentes”!!!

    Assistindo a cada horrível jogo do Grêmio, percebe-se que, pelo menos, há unanimidade em relação à falta de um armador: e lembrar que boa parte da torcida – os técnicos em futebol – vaiava, debochava e detonava o “BARRIGA DE CADELA”. Afirmo: DOUGLAS – gordo, fumando e tomando TODAS – joga mais do que QUALQUER UM – QUALQUER UM – que hoje “atua” (cumpre hora de trabalho) no meio do vilipendiado Grêmio. G4? Brincadeira! Com essa bola???
    FALTAM SEIS PONTOS! OU MAIS!

  9. a instituição Grêmio vai deixar barato esses ataques covardes que estamos sofrendo? tá na hora de começar a reagir fora de campo, porque dentro já deu pra ver que não vamos conseguir, de novo.

    e o que mais me indigna é ver site de “gremista” fazendo texto aplaudindo os ataques e dizendo que somos racistas mesmo, e que nosso estádio é a arena da intolerância, ou discriminação, ou outro termo que agora não lembro.

  10. pois é João Luiz!
    Eu esperando uma forte mobilização do Grêmio para denunciar todos os impropérios ditos contra o clube e a torcida, além de uma fiscalização rigorosa junto ao tribunal nos casos de homofobia e violência (aconteceram em todas as rodadas desde o julgamento e ainda mais fortes no final de semana), mas o que se vê é que parece que tudo passou e o Grêmio aceitou os fatos como naturais.

    O Rafael Moura sofre uma corneta na rádio e solta nota oficial.
    Já o Grêmio é tachado como racista pro Brasil todo e fica por isso mesmo. Uma nota oficial após a partida condenando os fatos e nada mais…

  11. Eu sempre dou os meus palpites baseado numa lógica. Pois se o Movimento Grêmio Vencedor não está disposto a fazer a coligação em torno do nome do Romildo Bolzan e toda a hora surge a notícia de que Cacalo vai ser candidato, eles tem que sair da atual gestão e Chitolina tem que pedir demissão. Se ele não pedir, provavelmente vai ser demitido. O Rui Costa é oriundo do Grêmio Vencedor, mas como deve ter saído do movimento, ou pedido licença, e é um executivo, deve ser preservado, mas se ele se sentir “ofendido” pelo rompimento, poderá também pedir para sair.

  12. Eu quero ver o que Cacalo vai fazer. Ficou fazendo pressão, ameaçando lançar outra chapa para barganhar espaço. Agora vai ter que concorrer e enfrentar Fabio Koff. Acho que ele vai arrumar uma desculpa e cair fora.

  13. Saiu não por resultados em campo, mas pela política.
    O Grêmio de Eleições Porto-Alegrense se fortalece, mas só por interesses políticos.
    É isso o que virou nosso clube, o futebol não é a prioridade.

  14. Me parece que o desencanto pelas candidaturas anunciadas é geral. Não há quem esteja satisfeito com as opções que estão sendo colocadas na mesa. Logicamente que falo como um sócio-torcedor que se surpreende com esta “corrida pelo poder”, principalmente dos que pregam, aos quatro ventos, as dificuldades financeiras do clube. Que mistérios tem o Grêmio para causar tanta preocupação e, ao mesmo tempo, atrair a atenção de tantos homens de boa fé? Impossível explicar.
    Vamos para mais uma eleição onde os candidatos não empolgam. Dois candidatos são a representação atualizada do “mais do mesmo”, já que são oriundos dos grupos dominantes que nada de novo apresentaram no futebol nas últimas gestões. Além do mais, representam uma arcaica forma de administração que se esgotou no tempo. São os adeptos do “culto ao personalismo”, onde a palavra do “guru” está acima do bem e do mal. Os demais, cuja capacidade de sobreviver num ambiente dominado por velhas raposas, não sensibiliza o eleitorado, carecem de uma representatividade consistente e pouco se sabe sobre sua capacidade administrativa. A “pièce de résitence” do seu discurso, é de promover uma gestão inovadora e colegiada, livre dos vícios do “caciquismo” que privilegia os amigos em detrimento do profissionalismo, além, é claro, de promover ações mais enérgicas e atuantes na área do futebol. Nosso amanhã é incerto. Vivemos das promessas de campanha que, passado o pleito, jazem no esquecimento. Afinal, fica a impressão de que o que passa na cabeça dos candidatos é que o importante é chegar lá. Depois, se faz o que dá na telha e se vai empurrando com a barriga até a próxima eleição, como tem sido ultimamente.

  15. Koff estava refém dos grupos políticos e não achava uma maneira de demitir algumas pessoas que na sua avaliação não estavam correspondendo, mas que certamente iria bater de frente com algumas lideranças que sustentavam seus indicados. O primeiro foi o diretor consular, que montou dentro do departamento um comitê dos ex-jogadores Danrlei e Jardel. Precisou o diretor fazer uma nota oficial e receber críticas da oposição para ser demitido. Agora o movimento de Chitolina, cujos “chefes” são exatamente Danrlei e Cacalo, começaram a fazer pressão para ter mais espaço e acabaram rompendo com a situação, e aí o presidente teve motivos para demitir Chitolina. Pela mesma lógica acho que serão demitidos outros diretores, a não ser que eles rompam com seu grupo político e manifestem apoio ao presidente. Isto não é surpresa, porque é assim que funciona na política partidária e alguns clubes de futebol estão agindo da mesma forma. É a democracia plena chegando no futebol. Se é bom ou ruim, vamos saber logo alí na frente, mas parece que aquela política dos caciques, que apresentavam uma nominata pronta para o conselho e depois diziam quem seria o presidente, acabou, e não volta nunca mais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.