Apesar de todo o contexto, não dá pra negar que ganhar GREnal sempre dá uma sensação de alívio e orgulho.

Foi um jogo estranho, ao meu ver. Corrido, brigado e truncado como geralmente são os GREnais, mas ontem estava meio nebuloso, com uma torcida virtual, com aquele gramado ruim e com uma transmissão de tv pior ainda. No campo, a superioridade do Grêmio, veio à tona apenas no resultado, mantendo uma série de invencibilidade nos últimos clássicos e que nos anima por estarmos no “alto da gangorra”. Mas o jogo fluído do Grêmio ainda não é perto daquilo que acho melhor. A entrada de Darlan no intervalo foi fundamental pra dar mais mobilidade ao meio de campo, Maicon hoje, tem que ser reserva.

Guilherme Guedes fez uma ótima estreia e não deu nem tempo de lembrar que perdermos Caio Henrique. Se sou o Renato, mantenho o guri como titular na lateral esquerda.

Everton, apesar de ter perdido o Pênalti, segue sendo o diferencial do time. Matheus Henrique cada vez melhor, Alisson corre, se entrega, marca, passa… Mas o Pepê continua pedindo espaço. Jean Pierre mostrou o que sabe. É us guri.

Diego Souza nem sei o que tá fazendo ali. É hora de rever essa titularidade. O time tá abusando de chutões e saídas de bolas longas pra tentar explorar a força do jogador, mas não é essa a maneira que chegamos no melhor futebol já jogado.

Esse GREnal não valeu praticamente nada, foi um amistoso de luxo, mas que rendeu mais uma vitória e confiança para o time começar bem o Brasileirão. Que sigamos melhorando para, quem sabe, no meio desse contexto todo de 2020, não tenhamos algo para celebrar ao final do campeonato.


Gabriel Pinto

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.