Tá certo que era sexta-feira. Tá certo que era antes de uma viagem longa para o México. Tá certo que é gauchão e tá certo que ninguém vai se matar em uma partida com medo de lesão (o elenco já possui o exemplo de Wallace, order sem falar de Moises e Ramiro), drugs mas entrar em campo tão passivo assim acendeu um alerta de perigo em mim.

O São José não é uma equipe excepcional, no rx é uma equipe bem estruturada e que sabia o tipo de futebol que o Grêmio iria aplicar na sexta, apenas isso. Aliás, se o zeca merece elogio e na inteligencia de saber o seu lugar e contar também com uma pitada de sorte.

Mas o Grêmio não fez por onde também. Teve boas jogadas com Pedro Rocha e Lincon durante o jogo, Henrique Almeida mostrou vontade, mas só. Aliás, dos citados, o único que começou a partida foi Pedro Rocha, então…

Dá para comentar muitas coisas sobre essa derrota para de dois a zero contra o São José, mas vou destacar algumas coisa pontuais apenas. A partida tinha um caráter atípico e espero muito que esse Grêmio que entrou em campo não seja o mesmo que entrará na Libertadores. Ou seja, é uma partida que temos que tomar conhecimento de o que aconteceu para que não se repita novamente.

24892366951_ebd60545ce_o

Notei durante a partida inteira um Douglas fora dela, com cabeça em outro lugar. O meia escolheu a vida fácil nessa partida, delegou a função de armação para os volantes. Douglas não estava com uma marcação especial nem nada, o jogador que é alvo é cada vez mais Luan, mas mesmo assim o camisa dez procurou jogadores ao seu lado e não que estavam a sua frente. Distribuiu a bola para o lado e para Maicon, sobrecarregando o jogador e esperando que consiga um passe bom, deixou para o resto do time a ligação da meia com o ataque. Foi preguiçoso e insuficiente para esse jogo.

Outro foi Marcelo Oliveira. Nos comentários aqui do blog vocês alertam sobre esse jogador desde o ano passado. Eu realmente não acho ele tão ruim quanto vocês pintam, mas começo cada vez mais a concordar com as opiniões mais moderadamente pessimistas que aparecem. Não fez por onde nessa partia e ainda deixou-se envolver pelo São José em alguns momentos.

Como já dito, Maicon foi sobrecarregado por Douglas e teve que tentar fazer acontecer durante o primeiro tempo e segundo tempo, até a saída do armador.

Quando Lincon entrou na partida, sua função era criar alguma chance para o Grêmio e até pareceu que seria promissor. Fez bons passes e com isso o Grêmio começou a descobrir o caminho do gol, mas parou por aí.  Depois de cinco ou dez minutos jogando bem desapareceu e começou a fazer bobagens.

Henrique Almeida entrou bem, mas faltou grupo e coletivo para estar com a mesma vontade dele.

Kadu. Ah, Kadu. Meu deus, Kadu. Por quê, Kadu? Furou cabeceio, chute e o brinde da incompetência foi afastar uma bola que estava na lateral do campo para escanteio. Não sei o que esse cidadão tem em mente. Não tem mostrado nada de positivo e cada vez que encosta na bola meu coração teme o pior.

Coletivamente, o Grêmio fez o pior jogo na mão de Roger. Não acho que o resultado seja uma culpa do treinador, não coloco isso na conta dele. Aliás, acho que justamente que a equipe não jogou como ele queria. No popular, o Grêmio “se atirou nas cordas”, e não fez esforço algum e jogou quase nada como o Grêmio que Roger já mostrou. Se a equipe entrar em campo contra o Toluca dessa maneira, e espero muito que não, só com um milagre.

 

Volto a repetir que é um jogo merda de gauchão, mas a equipe precisa dar liga e entrar no espírito competitivo. Já cansei de ver a conversa de “competições diferentes, motivações diferentes” se provar falsa. A equipe motivada, mas que está se preservando joga muito mais sério do que o Grêmio fez na sexta-feira.

Publicado por Fane Webber

Minhas redes sociais. @faneinbox no Twitter. /faneinbox no Facebook. faneinbox@gmail.com é o e-mail de contato.

Participe da discussão

10 comentários

  1. CALMA com o KADU . vamos dar mais TEMPO ! MENOS CORNETA E OUVIDOSSSSSSSSSSSSSS pra IVI 69 amarga . QUE JAAAAAA LIGOU as TURBINAS SECADORAS pra quarta OK . ######### NAO DOU OUVIDOS a IVI 69 !!!!!!!!!!!!!!!!!

  2. Só espero que o Róger e a direção não dêem ouvidos a thurminha do Sinpof. Mas já ouvi o César “poção mágica” Pacheco aderir o pontinho fora de casa.

  3. Eu espero que o douglas esteja com os dias contados, até pq temos 2 pro lugar dele, miller e lincon.

    Já pro lugar do marcelo “pará” oliveira não temos ninguém. O hermes é um medíocre igual a ele, e o júnior ouvi falar que não quer nada com nada.

    Se o time encorpar o pará canhoto não vai atrapalhar tanto, mas até vamos penar com ele ali. Tomara que a direção tome juízo e não renove com ele final do ano…

  4. Será que dependeremos de uma lesão do Douglas para o Lincoln finalmente ganhar a posição?
    Isso enquanto o Miller não estiver disponível, depois não terá desculpa.

    Com Luan foi igual, seria reserva do Kleber em 2014, se o Bundiador não tivesse se lesionado no início da temporada.

  5. A respeito do post, penso que o Róger tem culpa, pois é ele quem escala. E é ele quem tem que achar as soluções e corrigir ou amenizar os problemas da equipe.

    Não temos jogadas ensaidas. Nossa bola parada não encaixa, mas a do adversário entra fácil.

    Em relação ao Marcelo Oliveira, Felipe Neri definiu muito be, esse jogador.

    Ele pode ser jogador para grupo e não para titularidade do Grêmio. Possui alguns atributos como a arrancada para o ataque e eventualmente chuta bem de fora da área. É um jogador que se entrega na partida.

    Mas depois do Maicon, Marcelo Oliveira é o capitão. Sempre ganhar a braçadeira.

    Alguém lembra do jogo Grêmio X Novo Hamburgo? Marcelo Oliveira jogou como zagueiro. Um dos jogadores do Novo Hamburgo interceptou um passe errado do Luan no meio de campo quando quase todo o time estava no ataque, entregou para o atacante que saiu rápido no contra-ataque. Passou como quis pelo Marcelo Oliveira e marcou o gol.

    E a cena se repetiu durante o ano todo. Por mais esforçado que seja, Marcelo Oliveira tem muitas dificuldades.

    Acerca do Lincoln, ele entrou bem. Mas depois do segundo gol do São José, não só ele, mas o time todo sucumbiu. Isso demonstra que o time não possui equilíbrio emocional.

    Se tomarmos um gol na Arena durante a Libertadores e o adversário sair na frente, correremos o risco grande de perder.

    E a responsabilidade maior recai sobre o técnico.

  6. Sobre o Júnior, impossível ele não querer nada com nada. Ao lado do Raul, foi o melhor lateral da Copa São Paulo de 2015.

    Ele simplesmente foi arquivado após ter renovado o seu contrato. Foi de uma hora para outra.

    Até o momento, não existe informação oficial. Se a avaliação for a parte técnica, então, Marcelo Hermes não poderia fardar, tampouco Moisés. Se for o fator extracampo, configura incompetência da direção e da commissão téncnica em administrar o atleta.

    Ele foi sacado do time por causa do contrato. Após a renovação, chegou a receber alguma chance num time desfalcado do Grêmio e não apresentou o mesmo futebol, pois já estava sem confiança. E também dividiu o tempo de campo com Marcelo Hermes.

    Jogador precisa de apoio também para ter confiança e realizar o seu trabalho.

  7. Pois estou preocupado é com o momento atual da equipe do Grêmio, que nos dá uma ideia do motivo da queda de rendimento nos jogos finais do ano passado. Vejo o condicionamento físico como um dos fatores da instabilidade da equipe. O desgaste no final do segundo semestre de 2015 e a preparação física em estágio intermediário no primeiro semestre de 2016, ao que me parece, foram e são as causas do decréscimo de produção na segunda etapa dos jogos. Exatamente nos períodos onde o forte calor exige muito dos atletas e a técnica e o conjunto, depois de um grande esforço inicial, vão para o espaço. Some-se a isso as baixas na equipe e as reposições num plano bem inferior. Roger tem procurado suprir, com improvisações em posições-chave a falta de um meia e um atacante de qualidade que se enquadrem no seu esquema de jogo. As alternativas de que dispõe no plantel, embora tenham dado uma resposta razoável quando chamadas, estão aquém das necessidades de uma equipe que almeja vôos mais altos. Os laterais têm deixado a desejar e isso compromete o trabalho coletivo. O mesmo se pode dizer do Douglas que se arrasta em campo e inviabiliza muitos contra-ataques com sua lentidão. Libertadores é outro departamento. Concorrem as melhores equipes de cada país. Quem não se preparou e não souber nadar, inevitavelmente vai morrer na praia.

  8. Já falei antes, até entendo o Junior ser reserva do Marcelo Oliveira, que é mais experiente e tem alguns atributos no ataque.
    Só não dá pra entender o Junior ser reserva do Marcelo Hermes!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.