O vice-campeonato do Brasileirão 2013 não foi muito festejado pela torcida gremista. Todos queriam apenas o título. Contudo, não se pode menosprezar “a grande conquista tricolor em 2013”: a vaga direta na Copa Libertadores da América 2014. Tudo bem, pegamos aquele considerado o “Grupo da Morte”, formado por Atlético Nacional/COL, Newell’s Old Boys/ARG e Nacional/URU (eu não conto com a zebra Oriente Petrolero/BOL), nosso time está sofrendo uma forte reestruturação em termos de nomes, mas há esperanças de um ano melhor.

Dida teve grande participação neste ano, pediu cerca de R$ 400 mil mensais, está com 40 anos e Grohe iria embora, caso não tivesse sua chance (gize-se merecida) como titular. Marcelo Grohe é um grande goleiro, tem as características de Danrlei, é gremista fanático e por vezes “opera milagres”. Acerto da direção.

Vargas está acertado com o Santos/SP, era muito caro (10 milhões de euros a compra do passe ou empréstimo de 1,5 milhão), quase não jogaria no Grêmio em razão da Copa do Mundo 2014, não foi efetivo em momentos cruciais (gol incrível perdido sem goleiro no final do jogo com o Santa Fé/COL). Acerto da direção.

Elano está quase acertado com o Palmeiras/SP, tornou-se lento, sempre cansado, altíssimo salário e reserva. Novo acerto da direção. Zé Roberto eu considero que a direção deveria fazer um esforço para mantê-lo, assim como nosso treinador Renato Portaluppi. A política adotada pela direção é correta, mesmo assim, se for buscar um treinador e um camisa 11 à altura (não considero Zé Roberto um camisa 10). Se formos contratar, de fato, Enderson Moreira para ser nosso treinador e apenas jogadores medianos ou promissores de clubes como Juventude/RS, Londrina/PR, estaremos colocando em risco a grande conquista de 2013, todo o trabalho árduo desenvolvido para obter essa nova chance de titulo da Copa Libertadores.

Em resumo, é preciso fazer contratações pontuais, readequar salários, dispensar/emprestar/vender alguns jogadores de nível técnico ruim (Pará não pode fardar no Grêmio!!!) e trazer um treinador em condições de tirar o máximo do grupo de atletas. Se não for Portaluppi, acredito que Celso Roth e Enderson Moreira não sejam os nomes mais adequados. Já conhecemos o Roth e tudo o que ele pode fazer. Ele bate de frente com ídolos, é retranqueiro, desdenha competições e tem sérias dificuldades em admitir seus erros. Enderson Moreira não é ruim, porém não tem títulos, só fez boa campanha com o Goiás, não teve convívio com grandes jogadores e não tem toda a experiência necessária. Particularmente, agradam-me os nomes de Tite (1 º lugar), Gilmar Dal Pozzo (2º lugar) e Lisca (3º lugar). Os dois últimos são treinadores emergentes, que já tiveram algumas conquistas consideráveis pelos clubes do interior gaúcho, conhecidos de nós gremistas e agora surgem em fase de amadurecimento, naquele momento ideal para pegar um clube grande – como ocorreu com Mano Menezes, Luiz Felipe Scolari e Adenor Leonardo Bacchi em relação ao Grêmio.

Bueno, aguardemos o anúncio do nosso novo comandante de casamata para a semana que vem. Os outros times do grupo do Grêmio na Libertadores também estão apavorados por ter o Imortal Tricolor em seu grupo, indubitavelmente. É hora de baixar a cabeça e trabalhar, direção.

Tchüss, fussballteigers!!!

 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.