E calam-se as cornetas

 

É assim mesmo que os deuses do futebol aprontam para torcidas que insistem em avacalhar com jogadores tecnicamente bons que passam por má fase. Assim, dessa maneira sutil e traiçoeira, travestida de chuva, frio e murmurinhos corneteiros. Enquanto todos no estádio (não todos, obviamente) começavam a pegar no pé do Marquinhos, uma bola colocada milimetricamente por Lúcio na esquerda da área, o catarina loiro invadiu-a e com o pé esquerdo TENTOU CRUZAR, mas aí, amigos, os deuses colocaram uma canela de zagueiro na frente e a bola estufou a rede para delírio dos incautos torcedores chatos que ousavam vaiar este jogador até o momento derradeiro. O primeiro gol de Marquinhos com o manto tricolor veio na hora em que mais precisávamos e na hora em que a torcida mais pegava no seu pé.

Mas não bastava o empate contra o time do cachaceiro e dos bebedores de saquê, o Grêmio tinha que vencer e a vitória não poderia sair dos pés de outro que não fosse este EMBURRADO jogador, que clama por um lugar no time e conseguiu provar para si, para o técnico, para o time e principalmente para essa torcida IMPACIENTE do Grêmio, que ele merece sim uma chance de prosseguir na equipe, se não subsituindo o outro BODE EXPIATÓRIO da torcida, mas quem sabe jogando ao seu lado colocando mais ACONCHEGO no meio de campo.

O Grêmio não marcava um gol de falta desde 1923, quando JOAÇABA fez 2 x 1 contra o TAMOIO de Viamão. E lá estava ele novamente, Marquinhos, o homem-gol de ontem, preparado para uma cobrança de falta aos 44’do primeiro tempo. Alguns pediam por Bruno Collaço, outros clamavam por Rochemback, ainda existiam aqueles que exclamavam por SÁIMON, mas não, o homem daquela bola era Marquinhos, o INJUSTIÇADO. E assim ele foi e com extrema CATEGORIA botou a bola no cantinho, sem chances pro goleiro adversário, e lá foi ele correr para a torcida como quem diz (e eu gritei por ele na social): “VAO TOMAR NO ** SEUS CORNETEIROS DE M***A”.

Enfim uma vitória no Olímpico, de virada, com sofrimento, com gol de falta e gol do MAGUARY Marquinhos. Era tudo que o Grêmio precisava para respirar aliviado e finalmente conseguiu. Sigamos.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.