Direto do Grêmio Sempre: Enfim, a Grêmio Empreendimentos

Ela existe na prática há mais de um ano, viagra 40mg mas agora vai existir de direito também. Nos próximos dias, uma reunião do Conselho Deliberativo será convocada para aprovar o estatuto e a razão social da Grêmio Empreendimentos. Após o aval dos conselheiros, o registro oficial da empresa será providenciado de imediato. O início das obras da Arena segue mantido, na área cercada por um tapume no bairro Humaitá (foto): segundo semestre. É algo formal, aparentemente burocrático, mas que tem significado importante. Depois de registrada, a Grêmio Empreendimentos poderá trabalhar com mais fluidez. Uma assessoria de imprensa – Camejo Comunicação – está contratada. Um site entrará no ar em breve, para facilitar o acesso a todo tipo de informação, inclusive dos projetos relacionados ao novo estádio.

Fonte:  ZH 17.02.2010 – Bola Dividida, por Diogo Oliver.

http://www.gremiosempre.com.br/?id=441

Participe da discussão

46 comentários

  1. Afinal, quanto deu a avalização do terreno da azenha, pedida ha mais de 90 dias…………
    estranho silencio………………..

  2. Me perdoe o gremista Nilton Santos, mas o que interessa – a esta altura do campeonato – a avaliação do terreno (que não é 1 terreno, mas vários terrenos com matrículas distintas) da Azenha, onde está o Olímpico?

    Este assunto já foi debatido quase à exaustão, mas parece que ainda restam fortes dúvidas plantadas por pessoas que, ou não conhecem o Projeto Arena, ou preferem interpretá-lo ao seu bel prazer e visando interesses pessoais/políticos dentro do clube.

    Para esclarecer àqueles que ainda não tem conhecimento sobre o tema, tomo a liberdade de explicar que o terreno (ou terrenos) da Azenha somente terão um acréscimo de valor (valorização) devido á concessão de índices construtivos especiais, EM CASO (E EXCLUSIVAMENTE) DA CONSTRUÇÃO DA ARENA E DA TRANSFERÊNCIA DO GRÊMIO (ENTIDADE, CLUBE) PARA A NOVA CASA.

    SE isto não ocorrer, a(s) área(s) da Azenha, hoje de propriedade do nosso clube, não gozarão da concessão especial que dá este percentual especial de índices construtivos.

    Portanto, uma avaliação (e não avalização!) destes terrenos (ou da área global) terá um resultado “x” sem a Arena, e um resultado “y” com a Arena.

    Desnecessário salientar que a diferença entre “x” e “y” representa um valor considerável, eis que sem os índices referidos, o preço de mercado do(s) imóvel(eis) despenca em muitos milhões de reais.

    É isto que foi acertado; é isto que consta no Projeto; é isto que vai acontecer; e é esta a verdade sobre a super avaliação da Azenha, noticiada e badalada pelos que não querem o negócio como está contratado.

    Infelizmente, para estes, os termos do contrato foram aprovados quase à unanimidade (se não me engano com apenas UM VOTO CONTRÁRIO na Assembléia), estão legitimados e, segundo palavras do Dr. Preis, que lidera as negociações por parte do Grêmio, já em fase de início das obras (aprovação de projetos técnicos e outros trâmites burocráticos).

    Depois da sessão do Conselho, no final do ano passado, quando o argumentos apresentados pelo grupo contrário foram dizimados – um a um – nos debates entre os Conselheiros, imaginei que o assunto havia sido colocado na prateleira.

    Vejo que não……..lamentavelmente, pois esta discussão inócua não traz benefício algum ao clube e ao Projeto Arena.

  3. Meu caro Marcelo Aiquel!
    Meus parabens pela maneira didática com que abordou o assunto em referência. Só não aceita a realidade dos fatos quem não quer.
    Pela insistência do senhor Nilton Santos, acredito que o mesmo seja um profissional do ramo imobiliário (sem afinidade com o futebol) interessado em especular na região (Azenha). Parabenizo também aos moderadores do blog por possibilitarem aos eternos insatisfeitos o “jus esperniandi” numa demonstração inequívoca de sua isenção. Até quando, Senhor?…

  4. escrevam, SE começarem as obras do SCI, nós entre o s grandes seremos os únicos a manter o fator local em PLENAS condições de uso e lotação. Isso terá reflexos maiores ainda nos resultados de campo

  5. Marcelo, espero que mantenhas a posição de favorável a esta empreitada quando, infelizmente, surgir a ISL 2.
    Porque hoje, passados 10 anos, ninguém aprovou o projeto ISL.
    Quanto a discussão inocua, é verdade, pois este assunto nunca foi debatido, nem dentro do conselho.
    mas paciencia, afinal não estamos falando de nada relevante, apenas do estádio olímpico.

  6. Nilton Santos

    O teu homônimo foi um grande lateral, jogador excepcional e também era diferenciado pelo grau cultural que tinha, algo meio raro á sua época.

    Como acredito que o senhor não tenha o dom futebolístico dele, quem sabe – pelo menos – em lugar de ficar atirando querosene na fogueira, qualificando o Projeto Arena de ISL2, utiliza argumentos mais consistentes para tentar demonstrar que tem razão na sua crítica solitária?

    Traçar um paralelo entre o Projeto Arena e o mal conduzido negócio (isso mesmo, o negócio não era ruim para o Grêmio, apenas foi pessimamente mal conduzido) da ISL é, data vênia, uma verdadeira prova de má vontade ou de ignorância (falta de conhecimento, não ofensa pessoal, ok?)

    Talvez assim, com argumentos sólidos e não somente ilações vazias, o senhor possa fazer jus ao nome do seu “xará” do Botafogo e da seleção nacional.

    Quanto a, daqui há dez anos, eu pretender me isentar de ter aprovado os contratos, ledo engano seu. Não faço este tipo, e, quando erro (o que acontece muitas vezes), admito e reconheço com humildade. Não sou o dono da verdade, meu amigo. Mas, também, não fico procurando pelo em ovo só porque não tive minha idéia aceita.

    Relaxa e fica frio que o Projeto Arena não está nas mãos de gente mal intencionada.

  7. Nada nunca está nas mãos e gente mal intencionada, até estar.
    E o Nilton tem razão em uma coisa ao menos; tudo foi discutido a exaustão, só não se sabe onde, nem por quem.
    Eu ainda acho que vamos nos dar muito mal com essa história de Arena, mas isso é opinião, e opinião não vale como fundamento. Não concordo com a maneira e nem com a pressa desse projeto.

  8. Anderson,
    O Correio do Povo já publicou uma entrevista de duas páginas com o pres. da GE, Adalberto Preis. Ele já fez diversas palestras à convite dos movimentos do clube. Inclusive esse blog divulgou as referidas palestras.
    Saul Berdchewski, membro da GE, também já palestrou sobre o tema.
    Com todo o respeito não se pode comparar a seriedade do Projeto Arena e dos membros da GE com a ISL. À época pouco ou nada se discutia sobre o tema. Hoje o lema “é viver `as claras”, conforme diria o filósofo Augusto Comte.

  9. Arthur.
    Sim, eu li. Tudo isso, mais de uma vez. E sempre fica faltando algo. Sempre fica faltando o detalhe, o a mais… e nós?? E o nosso pertencimento?
    Valor de entradas, mensalidades para isso até hoje só vi respostas evasivas ou metiras (como aquela do Preis de ingresso a 36 reais…)
    Eu não gosto de ser do contra, odeio ser o cara que sempre tem a “perguntinha aquela”. Mas o GRÊMIO não dá uma dentro em negócio nenhum, sempre tem algo errado, seja em contratos de jogador, seja em marketing ou no que tu quiseres. Por que por LARA, vou conviar justo agora??
    E dizer que os membros da GE são incomparáveis com os do tempo da ISL é exagero não é?? Alguns não são os mesmos? (isso é uma pergunta)

  10. Anderson: Se o Grêmio não dá uma dentro por que não vais pros vermelhos que parece a tua vocação.
    Sempre descontente e amargo com o Grêmio e feliz com os coloridos.

    O que te autoriza dizer que há uma mentira? É uma afirmação totalmente irresponsável da tua parte que confessas não conhecer as informações.

  11. Carlos.
    Tu não sabe porque eu não vou para os vermelhos??? Sério? Eu descontente com o GRÊMIO?? NUNCA!!!!!!!
    Nunca estou descontente com o meu GRÊMIO. Sempre estou lutando para fazer dele um clube melhor e maior. Não desisto do GRÊMIO jamais. Eu estou descontente é com o fato do GRÊMIO poder muito, muito mais e ser sempre travado por alguma coisa. Sempre tem algo que nos atrapalha.
    E esse tipo de acusação que tu fez, me chamar de colorado não tem o menor cabimento! Ofensivo, desnecessário e, até, desleal. Pô! colorado é muita sacanagem!
    E me diz qual foi a mentira que eu disse??
    Irresponsável é fazer acusações usando só o primeiro nome.
    Mas tudo bem. Normal os excessos, normal as discuções. Sem mais. só, por favor,colorado NÃO!!

  12. É irresponsável tu dizer que alguém mentiu sem provar que mentiu.
    Principalmente quando tu mesmo vives dizendo que não tens as informações. Ficar chamando os outros de mentiroso é ofensivo, muita sacanagem, irresponsabilidade.

    O quanto eu sei nunca ninguém chamou o Preis de mentiroso porque até hoje ninguém pegou ele numa mentira.

    Manera, cara!

  13. Anderson,
    Nenhum dos membros da GE teve qualquer ligação com a ISL ou participou da gestão Guerrero.
    O Preis é um sujeito sério , assim como os demais membros da GE. Se não der certo com essa turma é por que não tem solução.

  14. Esse Anderson é totalmente mal-informado.
    Daí fica levantando suspeitas sobre pessoas que ele nem conhece. Sempre tem uma pergunta ou até afirmação maliciosa.

    A psicologia ensina que, na ausência de fatos, o sujeito fantasia nos outros aquilo desonesto que ele próprio faria se estivesse no lugar.

    Pelamordedeus, será que algum dia esse linguarudo fará pelo Grêmio 0,1% do que fez, p. ex. TEODORO PEDROTTI. Com certeza, ele nem sabe quem é Pedrotti.

  15. Foi Vice-Presidente de Finanças de Fábio Koff (anos 90)

    O Grêmio saía da gestão Bandeira (2a. divisão) totalmente sem dinheiro.

    Pedrotti, há cerca de 18 anos emprestou ao Grêmio uma quantia que permitiu o recomeço.

    Nunca cobrou judicialmente embora só, agora, com a entrada para o condomínio de credores o Grêmio tenha começado a pagar a dívida.

    Este o fato mais contundente visível. Podes imaginar o resto. O que faz um gremista com esse desprendimento.

    Alguns milhões de reais.

  16. José Dias,
    Parabéns. Você está muito bem informado. Conversei com o Pedrotti apenas uma vez, quando fui apresentado a ele pelo Saul Berdchewski, porém tudo o que você relatou é verdadeiro. Trata-se de um baita gremista.

  17. Sem esse fôlego de caixa provavelmente as glórias dos anos 90 não teriam acontecido.

    Todo esforço pra virem depois uns babacas (é elogio!) afundar o Grêmio financeiramente. Irresponsavelmente. Com uma certa mentalidade ignorante tipo pensamento mágico.

    Aqueles onipotentes que acham que sabem tudo, que podem tudo, que os outros todos são incompetentes. Que os outros só fazem bobagens.

    Tem uns ainda que acham que o Grêmio começou com eles. Eles fundaram o Grêmio.

  18. Proponho a criação de uma escola, escolinha, ou pós pra todos nós aprendermos sobre o Grêmio antes de dizer e escrever bobagens sobre o que não conhecemos, não temos informação.

    Só não pode ser a Escolinha do Prf. Raimundo.

  19. Pois é José.
    Acho que quando o cara fala que todos só fazem bobagem, está na verdade generalizando encima daquilo que é um sentimento da maioria. Do Cacalo para cá só deu bobagem.
    O guerreiro nos deu a CB de 2001, mas a que custo?
    O Odone apesar de ter tirado o Grêmio da segundona (isto é um grande feito?), veio em um tempo em que a necessidade de modernização na gestão salta aos olhos. E o que ele fez neste sentido?
    O Duda tem o I.Santana nas finanças e…. o que mais mesmo? Se o Cesar Pacheco está lá sem fazer nada. Quem é que o mantém lá mesmo?
    Por favor não me chamem de colorado (o pior xingamento que pode haver por aqui), mas o Fernando Carvalho dá de relho nesta cambada toda.
    Olha só a tua lista de gloriosas conquistas. De quando são mesmo?
    Até quando vamos viver do passado? E nós que só ríamos deles na década de 90, que vai ser de nós se novos ventos não soprarem?
    Nada contra a Arena. Pelo contrário, to levando fé no Saul.
    Tomara que a Arena seja um marco de mudanças promissoras e duradouras.
    Abraço

  20. Pois é Marcos Moraes.
    Analisado assim como fazes eu aceito. Concordo com a maioria das críticas. Aliás autocrítica indispensável.
    Feita por quem tem autoridade e conhecimento.

    Mas ninguém pode esquecer que, de 2000 a 2002,quebraram o Grêmio de uma forma tão grave que é quase um milagre estar vivo.

    Tanto Odone como Duda poderiam ter feito muito mais. Não fizeram por causa de uma “tranqueras”. Mas há uma dado positivo. Durante esses períodos o Grêmio não diminuiu. Está em processo de recuperação, convalescença e, acho que, se conseguir evitar a força que há quem faça para atrapalhar, não falta muito para receber alta.

    Quanto aos vermelhos acontece que nos anos mencionados 200 a 2002 eles acertaram o rumo e o Grêmio foi na contramão, fato denunciado por muitos na época.
    Também to levando fé no Saul.
    Abraço

  21. Não estou entendendo mais nada!

    Pensei que o post era sobre a GE e o Projeto Arena.

    Agora já começaram a desenterrar defuntos, esquecendo-se do comandante do Reino da Obinolândia?

    Por que as críticas englobam o Cacalo (de leve), o Guerreiro (com ardor…e justiça), o Odone (com alguma injustiça, pois pegou o navio com água até na cabine de comando), e agora o Duda (por ser a bola da vez), mas ninguém aqui ataca o período de 2003/2004?

    Quem sabe voltamos ao tema principal deste POST?

    EM TEMPO: Anderson, meu caro gremista, as discussões sobre a Arena exsitiram sim e foram bastante acaloradas nos gabinetes do Olímpico e lá no Conselho. Se o amigo não participou e prefere comer o prato servido pelo pessoal que sonha com a Azenha, faça o dever de casa antes, se informe melhor e, somente depois, venha chamar as pessoas de mentirosas.
    Até porque, mentiras eu escutei nas críticas recentes que um grupo andou fazendo na mídia (estádio pintado de vermelho, pagar para jogar fora de casa, não ser dono da nova área antes de “x” anos, entregar a Azenha por uma bagatela, etc…etc…etc…..)

    Mais uma vez, vou repetir: não há termo de comparação entre este negócio e o da ISL. Apesar de que os dois eram (em tese) bons para o Grêmio, só que o da ISL foi pessimamente mal gerido.

    E com má gestão, nem o Citibank resiste……

    Todo mundo sabe que eu não tenho relação de amizade com o Preis, mas que ele está fazendo um trabalho sério, é fato! E o que me interessa é o bem do meu Grêmio.

  22. Só falei em mentira pelo fato do Preis ter falado em ingresso custando 36 reais… Isso não é praticado nem hoje. E eu acho que tudo aqui é muito na ponta da faca. Se foi discutido, foi. Não questiono mais.
    No mais só quero o bem do GRÊMIO.

  23. Hehehe. Marecelo. Tá certo. o Obino foi o “rei”.
    Acontece que eu estava argumentando com o José que defendia as nossas glórias antigas. Mencionei aqueles dirigentes que ao meu ver foram fracos mas fizeram algo positivo. (Cacalo – CB de 97, não? – Guerreiro – CB – 2001 – Odone, não preciso falar, e Duda, pelo que tenho lido aqui, tá fazendo um trabalho bom nas finanaças. Não citei o Obino porque não lembro um só detalhe positivo de sua gestão. Credo! Este cidadão chamou o vestiário de buraco do amor! Que vergonha! Deletei aquele tempo dos meus arquivos.
    Quanto ao Cacalo, só a entrega do Emerson por bagatela, já foi demais….

  24. Marcelo Aiquel

    Tenho um amigo meu conselheiro que me relatou alguns episódios da última reunião do CD, como a carraspana humilhante que o Dr. Preis deu em um conselheiro que não tem competência sequer para ler um contrato e insistia em achar chifre em cabeça de cavalo.

    Este assunto de arena já está decidido, sugiro que você não perca tempo com gente que não sabe ler contratos ou acredita em conto da carochinha, com todo respeito que eles merecem.

  25. Aliás. se não estou enganado, li isso em análise do Dr. Carlos Josias sobre os ános 2000 do Grêmio.

    Ou alguém acha que o Sr. Obino, por qualquer outro motivo teria sido eleito Presidente do Gremio sem um único voto contra.

    Nem no Conselho Consultivo. Dourado fez aquela declaração de que Obino melhor no legislativo, mas disse que assim mesmo apoiava. E não apresentou nenhuma alternativa.

    Já pensaram em mais uma gestão do Sr. Guerrero? Aonde o Clube iria parar?

  26. Já que ninguém se manifesta, continuo segundo a análise que me fez alguém que conhece muito bem todos os bastidores desse período da história do Grêmio.
    Corrijam – se for o caso – com fatos, não com ofensas.

    . As artérias e veias gremistas tinha sido corrompidas de tal forma e, por todas as formas, mediante cooptação, com dinheiro, cargos políticos, chantagens, (algo do tipo Distrito Federal de hoje) que a única chance era uma reviravolta “por dentro”.

    Para isso, Obino serviu e o Grêmio tem uma dívida histórica com ele.

    Repito. Já pensaram mais dois anos de Guerreiro que poderiam ser mais 4 e mais…pois havia “juristas” defendendo que estava em vigor a emenda aprovada que eliminara a limitação de reeleições.

    O que não tira de Obino a responsabilidade de ter sido o principal articulador da eleição e reeleição de Guerrero e da ditadura que então se instalou no Clube com a demonização de qualquer um que fizesse críticas.

    Me disse, ainda, esse meu amigo, que tem gente que ser arvora ter sido contra o contrato ISL e, no entanto, apoiou Guerrero nas duas eleições, a primeira contra Saul e a segunda contra Preiss). Estou falando só das duas que ele ganhou.

  27. Prezado José Dias

    Este teu amigo, que parece saber tudo dos bastidores do Grêmio, também deve ter falado que apenas alguns poucos conselheiros à época (e se não me engano – pois não era do CD naquele tempo – o Josias foi um dos que “berrou” contra) se colocaram contrários ao negócio da ISL.

    Então, não acho correto ficar atirando insinuações ao vento. Quem foi contra, foi contra. E quem aprovou, aprovou.

    Agora, por favor, nos poupe deste “CRÉDITO HISTÓRICO” do Obino.

    Se colocarmos na ponta do lápis o tamanho dos prejuízos que causou (sem contar as oportunidades que desperdiçou, como o centenário tricolor), não sei se não foram maiores do que os da gestão do Guerreiro, com todas as maracutaias denunciadas.

    Então, defenda quem quiser, mas CRÉDITO HISTÓRICO é demais, meu caro.

  28. mas José, fora o Obino ( que vive num mundo paralelo), há época havia alguém em sã consciência disposto a ocupar o cargo?

  29. Ah, esqueci de um pequeno detalhe:

    se o seu amigo sabe tudo mesmo, pergunte prá ele como é que “aconteceu” (foi gerada, criada, parida) a candidatura do referido portador do CRÉDITO HISTÓRICO.

    Esta foi a melhor do ano………..desculpe, mas não consigo parar de rir.

  30. Não foi contestado nenhum dos fatos que apresentei,
    Nem foram substituidos pelos fatos que seriam os verdadeiros.

    Risada não é apresentação de fatos.Não vou qualificar o que risadas podem indicar porque estou falando sério. Não estou contestando ninguém. Até pedi pra me contestarem com fatos. Ter perdido oportunidades, ou náo, é especulação, é subjetivo, é de se perguntar que planejamento havia para aproveitar a oportunidade. Quem teria aproveitado melhor? Até acho que deveria. Mas é tudo muito subjetivo.

    Nunca disse que Obino era, foi ou é competente. É tão incompetente que criou a candidatura Guerrero e o fez novamente presidente. Tudo isso no período mais fatídico da história do Grêmio.

    Portanto, é responsável.

    Quanto ao Josias, não apoiou o Sr. Guerrero em nenhuma das três eleições nas quais esse senhor concorreu. Então, está fora do que mencionei.

    Outra: o contrato da ISL nunca passou pelo conselho do Grêmio. Basta ler o que o Josias publicou o CPovo em resposta ao que dissera Jaime Machado.

    Então quem tem tanta responsabilidade, até por incompetência, como mencionei, tem o direito de ter o reconhecimento de um CRÉDITO PELO MENOS.
    SE TER IMPEDIDO QUE O SR. GUERRERO NÃO CONTINUASSE NÃO É UM CRÉDITO PELOAMORDEDEUS.

  31. Marcelo Aiquel:
    Perguntei pro meu amigo:

    Ele não sabe. Me disse que só conhece as coisas gerais. Que não conhece detalhes dos bastidores.

    Quanto ao centenário, me disse que o que ouviu foi que não havia nenhum planejamento (o marketing continuou o mesmo: PC Verardi), mas houve uma proposta apresentada pro Presidente Obino de uma empresa ganhando um percentual x e que Obino não aceitou.

    Meu amigo disse que seria uma proposta normal de negócio, sem nenhuma sacanagem, e que não tinha maiores detalhes. Talvez até Obino devesse ter aceito porque seria uma proposta bem interessante.

    Acho assim uma coisa muito vaga. Não sei qual a importância disso…

  32. Meu amigo já tá de saco cheio comigo.

    Mas me disse que se Obino tivesse aceito a tal proposta do centenário poderia ter sido tudo diferente.

    Estou curioso por maiores detalhes.

  33. Mesmo de saco cheio comigo, meu amigo disse que tem um amigo que parece que tem até uma copia de tal proposta.

    Se ela era tão boa, assim, pro Grêmio vou investigar pra tentar resgatar. Por que não aceitam propostas boas só porque alguma empresa vai receber uma parte?

    Isso é uma coisa que não consegui ainda descobrir.

  34. tudo diferente, sim, com Márcio, Rico, Ratinho…

    Enquanto estava sob a batuta de Obino, o “Tricolor” disputou 129 partidas oficiais, entre Estadual, Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e Sul-Americana. Foram 37 vitórias (28,7%), 31 empates e 61 derrotas (47,3%). Nesse período, o Grêmio marcou 174 (1,35 por jogo) e sofreu 201(1,6 por jogo). Durante dois anos, o Grêmio foi o saco-de-pancadas, o Faz-Me-Rir de seus adversários. Um baita presente de centenário para os seus milhões

    http://impedimento.wordpress.com/2009/01/05/top-10-humilhacoes-do-gremio/

    prá não esquecer

  35. Bom artigo, bem escrito, só com um senão:

    o Odone também pegou o clube com os cofres raspados e dívidas pipocando me todos os lados.
    E, não só trouxe o Grêmio de volta à elite, como o fez vice brasileiro e vice da Libertadores, perdendo a final para o Boca, quando o Mano “achou” melhor marcar o Riquelme por zona……

    Então, metam o pau no Guerreiro (ele merece mais do que isso!), critiquem quem quiser, mas PELO AMOR DE DEUS, não arranjem desculpas para isentar o Obino.

    O que ele fez é imperdoável.

    Ah, e li acima que o MKT do centenário era de responsabilidade do PC Verardi. Mas o Vice de Marketing não era o Duda Kroeff?

    Perdoar alguns e culpar outros não é uma coisa legal, não acham?

    Caro José Dias, se o amigo entendeu que fui irônico quando falei em piada, desculpe. Não quis te ofender de jeito nenhum. Foi apenas uma forma de demonstrar o que acho da (indi)gestão Obino.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.