Direto do Grêmio Libertador – Pra torcedor entender

* Retirado do Grêmio Libertador.

Imagina que louco seria se, nurse um dia, tadalafil tu tivesse que torcer exatamente como os outros mandam. Tu, cure que sempre gostou de carregar uma bandeira, uma faixa, fosse proibido de levar esse pedaço de pano. Cartazes pra dizer que a direção tá errada são ofensivos e serão destruídos. As bobinas, que tu usava até ontem, são proibidas agora. Instrumentos tem jogo sim, jogo não. Tudo depende de quanto os teus amigos “se comportaram” no jogo anterior. É um castigo. Porém, esse castigo depende de critérios que mudam a todo o jogo. Ao mesmo tempo, eles usam as torcidas rivais para mostrar: “se tu te comporta como o joãozinho, tu ganha o mesmo brinquedo”. Qualquer desobediência civil será considerada uma afronta, e nem o perdão de joelhos é garantia do retorno do que, pra ti, sempre foi um direito.

O pior: imagina se o teu modo de torcer fosse considerado um crime. Barras são proibidas, porque as pessoas fumam maconha lá embaixo. Papel picado é proibido, porque pode conter bombas caseiras que podem ferir os adversários. Bobina, então, nem pensar: incêndio criminoso. Bandeira arma de guerra campal. E aí não importa se tu não usa drogas, não carrega isqueiro pro estádio, nem bobina. Se tu sentou no lugar onde “eles” sentam (porque são “os outros”, esses caras que ninguém conhecem, a marginália) tu é um deles. Estar em um lugar livre de corneta transformado em um crime.

Já que o meu exagero aqui já tá grande (né?), imagina se os meios de comunicação resolvem dizer pra todo o mundo que vocês são marginais. Que pegassem qualquer fato, com uma foto descontextualizada, e culpasse vocês (porque eu fora, né?) de violência? Dissessem a todo o momento que a “polícia reagiu” mesmo que tu tivesse presenciado a provocação de quem legisla, julga e executa em cinco, dez minutos? Naqueles que no anonimato das multidões (ou seriam das salas escuras?) desce a lenha para subjugar a pessoa com a desculpa de que estão “cumprindo ordens”? E que, pior ainda, vários amigos teus, que torcem pelo mesmo time que tu, te acusam do mesmo “crime” e dizem que tu merece apanhar? “Foi pra geral, azar o teu”.

Imagina  que louco seria se alguém simplesmente dissesse que aquilo que te move ao estádio, aquele alento, o torcer de verdade simplesmente fosse considerado ilegal?

A ditadura foi um método administrativo que ainda não morreu nos quartéis. E a BM faz parte disso.

Pois é. É exatamente o que muitas pessoas viveram entre 64 e o fim dos anos 80 em toda a América do Sul. O nome que deram pra isso? DITADURA. Então, antes de chamar os caras de terroristas, antes de dizer que tem saudades da ditadura, antes de achar que tortura é justificada em guerrilheiro, que esquerdista tem mais é que apanhar, pensa nisso. Não é errado acreditar em algo só porque outra pessoa não gosta. O errado é ela impor o que acha que é certo só porque ela acha que é certo.

E imagina só que merda seria se tudo isso acontecesse um dia, hein? EI, PERAÍ…

Fagner dos Santos

Participe da discussão

8 comentários

  1. A torcida do Gremio vai ficar muda e paralitica, vai virar o play graud dos times visitantes. Não quero aqui pregar a violencia, longe disso, mas os visitantes terão que dizer quando vem aqui: ” Na Arena é foda ganhar deles”.

    Isso vai se conseguir não com essa mentalidade que se apoderou do Gremio.
    O Presidente Gremista tem a obrigação de se responsabilizar por sua torcida, principalmente organizada e esta, torcer de verdade sem brigas internas.

  2. Um texto desses, menos de 48hrs após uma vitória do Grêmio, com cara de Grêmio e com toda a torcida jogando junto, fica um pouco fora de contexto.

    Respeito a opinião, mas fica difícil de fazer a analogia que o texto provoca o leitor a ter.

  3. imagina só: um dia eu vou poder ir no estádio e não ter que torcer como um bando acha que eu tenho que torcer.

    ia ser legal. tu pagar ingresso e poder ver o jogo como tu quiser, sem ter que cantar ou pular como um grupo está determinando. tu puder fazer apenas aquilo que tu quer, sem ter que se retirar do lugar que tu está só porque tu não está se comportando conforme a cartilha do grupo.

    seria legal né?

  4. não dá para baixar a guarda com relação a atuação da BM. No jogo contra o corinthians (o outro) faltou pouco para nos atropelarem com os cavalos, porque o ônibus estava chegando e eles vieram como loucos pra cima de três mulheres.
    com relação ao acesso na Arena, é ruim ser minoria….. sempre que eu posso pego o ônibus no mercado para ir ao jogo, é bem melhor que ir de carro. agora imagina morar perto do quartel da serraria, e ter que enfrentar caminhada no centro a uma da manhã, meio arriscado, né? então, de vez em quando não tem jeito, tem que ir de carro e aí complica mesmo.

  5. Culpar uma coletividade por ações de alguns de má-fé é o atestado da incompetência daqueles que são pouco chegados à democracia. Se há problemas de comportamento de indivíduos, a culpa não é do coletivo, mas da fiscalização que generaliza e baixa a lenha. É mais fácil isso do que dialogar e estabelecer compromissos em parceria, bem como fiscalizar desvios de conduta.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.