Direto do Blogremio

Bom dia de GRÊMIO! O Sempre Imortal achou por bem publicar hoje um texto do amigo @DANIELMATADOR9 que foi publicado aqui http://migre.me/iJ3sC . Segue o texto!

“Havia gigantes na Terra naqueles dias… havia homens valentes dos tempos antigos, stomach homens de renome.
Gênesis 6:4

Caros

Seu Algoz postou no último final de semana um texto e um vídeo que trouxeram a nostalgia de volta. Ao menos para mim e para tantos outros que acompanharam épocas onde o Grêmio não mandava a campo um time de futebol para jogar uma partida. Ele enviava um bando de carniceiros disposto a pelear com sangue por um pedaço de campo. Um exército de renegados que sabia que a única maneira de sagrar-se vencedor seria meter as garras pretas da chuteira nas fuças do adversário. Um grupo de bandidos que não se preocupava se o atacante que ousasse adentrar na grande área tinha família ou não. Davam NO MEIO, pilule para o pobre diabo não tentar uma segunda vez, unhealthy caso seu objetivo fosse seguir carreira no futebol.

Estive no Olímpico em 1997 e vi com meus próprios olhos. Era a primeira partida das finais da Copa do Brasil entre Grêmio e Flamengo. Ainda no primeiro tempo, bem em frente de onde eu estava, Dinho deu um SARRAFO em Sávio. Foi sumariamente expulso e o time ainda assim conseguiu suportar a pressão da equipe que tinha Romário em grande fase como sua estrela. O jogo terminou empatado sem gols e no jogo da volta o tricolor sagrou-se campeão, erguendo a taça em um Maracanã lotado após empatar em 2 a 2.

Estes eram tempos imemoriais. Eram dias onde gigantes trajavam o manto. Onde mesmo o menos badalado nome do elenco entrava em campo e sabia a dimensão do escudo que ostentava no peito. Onde um obscuro João Antônio pisava o gramado do Maracanã como titular com o braço enfaixado e ainda assim fazia um gol antológico. Onde um limitadíssimo Luciano substituía o titular Rivarola ainda no primeiro tempo e ajudava a conquistar a taça. Onde um apenas esforçado Otacílio tinha a sagrada missão de ocupar o lugar do quase lendário Dinho e fazer jus a tal honraria.

Mas estes, meus amigos, parecem ter sido tempos muito antigos. Na realidade, nem tão antigos assim. Mas a “geração Tcheco”, infelizmente, não é contemporânea destas eras. Em verdade lhes digo, crianças: naquele tempo, havia homens entrando em campo com uma camisa azul, preta e branca. Uma farda que gelava a espinha do mais corajoso adversário que botasse os olhos nela. Aqueles eram homens valentes dos tempos antigos. Homens de renome, que conquistaram tal alcunha com sangue e luta. Nos campos do Rio Grande, do Brasil e da América, estes seres forjaram a tradição tricolor. E é em honra desta tradição que clamamos hoje aos que entrarão vergando o mesmo manto na Arena contra o Nacional do Uruguai para libertar a América. Sejam gigantes como aqueles que os precederam. Escrevam seus nomes na história. Tornem-se lendas. Sejam homens valentes. Homens de renome. Tragam de volta os tempos antigos, nem tão antigos assim, quando éramos reis e dominávamos a Terra.

Saudações Imortais

Daniel Matador

A Gerência.
Sempre Imortal, o blog da torcida GREMISTA!

 

Participe da discussão

22 comentários

  1. Sobre o jogo de hoje: Horário de boate, contra time ruim que vai usar um mistão e já estamos classificados. Joga pra quantos pagantes?

  2. Tcheco levou a culpa de uma geração fracassada, mas é uma tremenda injustiça.
    Sucumbiu tanto quanto vários outros jogadores, sucumbiu pq o Grêmio sucumbiu como um todo, assim como João Antônio teve um dia de craque no Maracanã, com direito a janelinha, pq o conjunto favoreceu.

    Victor foi pelo mesmo caminho, marcado por entregar jogos (?), tudo por um gre-nal maldito em que o Grêmio não entrou em campo.
    Saiu daqui pra ser campeão da América!

    É pura injustiça. Tem jogadores e jogadores. Esses dois ao menos souberam entender o que significa o Grêmio. Vencer é outra história, não depende deles somente, mas sim de um conjunto de fatores, algo que o Grêmio não consegue reunir desde 2001.

  3. Bom texto, meu caro Daniel Matador!

    1) – Eram outros tempos aqueles. Inesquecíveis momentos da maior afirmação do Grêmio como instituição de futebol, conseqüência de administrações competentes e da supremacia de suas equipes diferenciadas dentro de campo. Foram acontecimentos singulares na história do clube e nunca devem ser comparados aos débeis momentos de transição e equívocos, quando sob o comando de dirigentes despreparados. Uma coisa é uma coisa…

    2) – Todos os jogadores do plantel estão a serviço do Grêmio. A sua escalação independe de sua vontade. São patrimônio do clube, são pagos para jogar, e, se lá estão, é porque “alguém” assina embaixo. Não podem, alguns, ir além das chinelas, porque lhes falta a qualidade necessária. Já, os que neles apostam suas fichas, acreditam que podem dar mais do que o trivial feijão-com-arroz costumeiro, o que nem sempre se confirma. E lá ficam, embora sua contribuição seja modesta e aquém das necessidades do clube e das expectativas de todos.
    Por isso, não dá para comparar um Arce com um Pará, um Rivarola com um Werley, Um Dinho com um Edinho, um Jardel com um Barcos, etc. Não são da mesma turma. Nunca poderão dar a mesma resposta, mas todos são Grêmio quando vestem o “manto sagrado tricolor”.
    Nossos ídolos, de um passado recente, tinham muita qualidade técnica, acrescida de uma generosa dose de “sangue nos olhos”. Esse espírito que congregava qualidade e raça levou o clube às suas maiores conquistas. O Grêmio virou atração mundial e, consequentemente, objeto da cobiça de facções internas. Hoje, a realidade é outra, como resultado de uma inexplicável “briga de bugios” que se perpetua internamente. Gradativamente fomos perdendo nossas características, nos apequenando e deixando de ser um clube voltado apenas para as coisas do futebol.
    Mas, o Grêmio foi plantado em solo fértil. Nunca haverá intempérie, por mais devastadora que seja, que não lhe permita colher alguns poucos grãos, mesmo na pior colheita.
    Assim, vamos adiante, na expectativa de que a grande safra que se avizinha não seja apenas mais um sonho.
    Nossos ídolos já não são os mesmos e mesmo na adversidade nossa auto-estima vai se recompondo aos poucos, embora os tempos sejam difíceis. Nada do que foi será, mas continua inabalável e segue firme e confiante a nossa fé de torcedor que está acima tudo.
    Por isso, que todos os gremistas se unam numa corrente de pensamento positivo, uma vez que é o GRÊMIO, com suas virtudes e defeitos, que estará em campo hoje e daqui pra frente. Talvez não seja o GRÊMIO que queremos, mas é o que temos, por enquanto.
    Nunca esquecendo que estamos na luta e bem encaminhados. Que possamos dizer, à exemplo de nosso iluminado centroavante Baltazar ao errar um penalty: “quem sabe Deus não está preparando algo de bom para mim ali adiante”.
    O resto da história todos conhecem. Algum tempo depois, GRÊMIO, Campeão Brasileiro. Gol de Baltazar!

  4. Podemos e devemos usar o passado como aprendizado, como base para novas conquistas, mas devemos urgentemente reconstruir o presente, pois ainda vivemos demais nesse passado.

    Sempre digo que o Grêmio é um Monza Super Luxo Completaço, carrão no anos 90. Ou um Escort XR3 conversivel.

    Problema que ainda continuamos sendo esses carros, não acompanhamos o tempo passar, não evoluímos como entidade, creio que até regredimos muito em relação a outros clubes.

    Para termos jogadores como tivemos no seculo 20, mas de igual competencia no século 21, temos que evoluir. Talvez o fórmula usada nos anos 90 não funcione mais hoje.

    Nos anos 90, quem tinha alguma boa informações nas mãos eram pessoas privelegiadas. Hoje em dia, todo mundo tem ótimas informações nas mãos, mas somente poucos conseguem usar para evoluir ou crescer.

    Como fazer um Grêmio voltar a ser referencia em Gestão para termos um Jardel 2, Paulo Nunes 2, Dinho 2, Darnlei 2 etc etc ?? Como descobrimos esses caras a 20 anos atrás e não descobrimos hoje ?

  5. Concordo com o Targa. Tcheco disse uma vez que uma das primeiras coisas que aprendeu aqui foi o hino do GRÊMIO, sabia cantar desde sempre e tinha uma liderança positiva. Daí porque seus antecessores fizeram história e ele sucumbiu com o time, pagou o pato. Victor, não entendi porque levou aquela tremenda vaia na Arena ano passado, achei injusto.Será que ele falou mal publicamente do tempo que esteve aqui, ou do clube, ou algo assim? Diferente do Tinga, eu acho, porque este falou para a rádio que o sonho dele desde pequeno (e do pai dele) era jogar no Sci, podia ter ficado na dele, vai jogar bola e deu.

  6. Desculpem o off-topic, mas não poderia deixar passar em branco a notícia de que o Grêmio foi multado em R$ 80,000,00 pela agressão racista de um torcedor a um jogador adversário.
    PQP! Até quando o clube (nós) vai ter que pagar pelos atos insanos de quem tem “merda na cabeça”? Se o clube sabe quem é e não denuncia, pior ainda. Se sabe, e se o mesmo faz parte do quadro social, tem que processá-lo a fim de que o clube seja ressarcido do prejuízo.
    Já perdemos mando de campo, já fomos multados e a direção não é capaz de dar uma satisfação a seus torcedores? Independentemente da ação judicial, cabe ao clube penalizar administrativamente e de forma exemplar o infrator, a fim comportamentos iguais sejam desencorajados e não mais se repitam.
    O clube não pode servir de escudo para a proliferação de manifestações preconceituosas que atentem contra os direitos dos cidadãos.
    Racismo é crime!!!

  7. Espero ver um jogo ofensivo hoje ou, no mínimo, seguro. São importantes os 3 pontos. Já que não tomamos a decisão de desprezar o estadual, seria bom testar as opções ofensivas para domingo.
    Se vencermos hoje, nossos adversários mais prováveis são San Lorenzo, Lanús, Zamora ou Santa Fé. Pessoalmente torço pelo último, para apagar o vexame do ano passado.

  8. Engraçado é que o Esportivo foi multado em R$ 30.000 por um ato muito pior, com as bananas no carro do juiz.
    Já o Grêmio levou R$ 80.000.

    O Grêmio foi julgado conforme o seu poderio financeiro e não pelo mérito da questão.
    Futebol gaúcho é uma várzea!!!!

    Faliu!

    Já vou falar hoje, se o Grêmio pegar o San Lorenzo na próxima semana, deveria colocar time sub-20 no gre-nal e mandar longe esse campeonato varzeano da FGF. Assim deixaria bem claro sua posição sobre essa péssima competição e sobre a palhaçada de tirar o jogo da semana passada e agora de levar o jogo pra Caxias.

  9. O texto é de uma grande inspiração, parabéns ao Daniel.

    O Grêmio precisa urgente de um centroavante que seja centroavante, aquele que goste de fazer gols, não importa se feio ou bonito. Não dá mais para ficar com essa naba que se acha craque habilidoso e desperdice tantos gols por excesso de preciosismo. Hoje não fez falta, mas logo a frente fará.

  10. Passamos bem pelo Grupo da Morte.
    Agora vamos pelo caminho da morte.
    Essa LA aparenta estar boa para ganhar e se isso acontecer, com certeza fomos pelo caminho mais tenebroso possível.
    Isso é Grêmio.

    E sobre a geral, no qual dizem que é uma minoria que avacalha, ontem foram 26, esse número está aumentando em.
    Está na hora de dar um fim que esse grupo que se forma.

  11. passamos, mas pegamos o pior caminho! Seguimos com o grupo da morte.
    Não consigo entender o esforço pra vencer e pegar a pior chave, quando poderíamos ter empatado e ficar no lado claramente mais fraco, jogando contra o Lanus que perdeu o Santiago Silva expulso.
    Ainda por cima perdemos o Alan Ruiz!

    Mas enfim, que venham os grandes jogos, ao menos teremos fortes emoções.

    Gostei do Barcos ontem, grande partida, mas o resto do time ficou muito apagado. Jogamos pro gasto, o que é natural.

  12. Targa, conhece o Independiente del valle? Pois é, o San Lorenzo perdeu pra eles. Esse time argentino é ruim que dói, só passou de fase porque jogou contra o Botafogo, nono colocado no fortíssimo campeonato carioca.

    Oitavas de final vão ser jogo treino para as quartas, que não dá pra saber contra quem vai ser. Cruzeiro tem tido altos e baixos, e o Cerro, apesar de ter feito uma boa primeira fase, não passa de um time paraguaio, ou seja, talvez conseguisse chegar às semi-finais do Gauchão.

    Essa é a Libertadores mais fácil que eu vi.

  13. A vantagem do Grêmio é ter o segundo jogo em casa. Não é o que queríamos? Agora, é tocar para a frente. Ficaram as 16 melhores equipes da competição. Mais cedo ou mais tarde, teríamos que topar com uma delas. Não há equipe ruim. Saibam que o San Lorenzo, nosso próximo adversário e considerado por muitos como a melhor equipe argentina na LA, chegou em último lugar. Ademais, apesar da dificuldade de ter que enfrentar um concorrente de qualidade, resta-nos a consolo de uma viagem curta e o desgaste físico é bem menor.
    Ontem, o Grêmio jogou pensando no Gre-nal. Havia, de parte dos atletas, a preocupação em se preservar. Um primeiro tempo modorrento e sem emoção, afora o gol, em alguns momentos chegou a irritar o torcida. No segundo tempo, com as mudanças na equipe, o jogo ganhou aceleração e o Grêmio deixou de golear o adversário, dada a imperícia de seus avantes.
    O Nacional mostrou porque chegou em último lugar no seu grupo. Afora algumas escaramuças no primeiro tempo em que levou algum perigo à meta tricolor, sucumbiu no segundo e tratou de se defender de uma eminente goleada.
    Estranho que na ausência do Luan a equipe retomou aquele toque-toque improdutivo da defesa e da meia-cancha, como se estivesse satisfeita com a vantagem no placar, o que aconteceu muito cedo.
    Acredito que a classificação antecipada, independentemente do resultado do jogo, foi a causa do relativo desinteresse dos jogadores tricolores na partida.
    Acho que o treinador tem que dar uma atenção especial para o Ramiro. Chega a causar espanto o número de passes errados do jogador na partida. Contra equipes mais qualificadas, um erro pode ser fatal.
    Ontem, não foi um bom dia também para o Marcelo Grohe. Justamente no jogo menos encardido, me pareceu um pouco intranquilo e preocupado em ganhar tempo.
    É preciso que avisem o Jean Deretti e o Lucas Coelho, que, atacante que almeja ser titular do Grêmio, não pode desperdiçar as “papinhas” que lhes foram oferecidas na frente do gol. Nessas horas é que o jogador tem que mostrar a que veio.
    Barcos também perdeu um ou dois gols feitos, mas, para mim, foi o melhor em campo juntamente com Dudú, pois, além de ter sofrido e convertido o penalty, foi o articulador das melhores jogadas do Grêmio na partida.
    Alán Ruiz ainda não encaixou. É jogador de toques e passes curtos e não está afeito à marcação à exemplo do Zé Roberto. Precisa de mais tempo para se adaptar ao estilo de jogo da equipe.
    Wendell precisa treinar chutes a gol. Se tivesse mais confiança, teria feito um gol de placa, pois a jogada em que driblou vários adversários desde o meio de campo até as proximidades da grande área adversária, merecia uma finalização mais aprimorada.
    Agora, seja o que Deus quiser. Acho que devemos ir para o Gre-Nal com time misto. Eis aí uma bela oportunidade para satisfazer aos que reclamam da falta de oportunidades na equipe principal aos jovens jogadores e também, para que possam mostrar se tem ou não “farinha no saco” e nada melhor do que um jogo pegado.
    Bem, agora só resta aos “secadores” vestir a camisa dos adversários. Como estão fora, vão destilar as suas mágoas diante da “telinha”, a cada etapa vencida pelo Grêmio. Quanto a nós, gremistas, temos que torcer mais do que nunca e acreditar nas nossas possibilidades de superar os obstáculos. Se chegamos até aqui é porque temos condições de ir mais adiante. Temos que fazer valer a conquista do segundo jogo em casa. É uma vantagem que todas as equipes participantes gostariam de ter.

  14. A pauta da imprensa é saber se o Grêmio vai jogar de portão fechado, quantos mandos de campo irá perder. Se será excluido da Libertadores, etc etc etc

    Mas no treino do TA Fabrício e Willians tentam se boxear, Fabrício é contido pelos companheiros para não quebrar o Willians.
    Dalebiba vendo que existia jornalistas fotografando a briga, pauta e xinga os jornalistas para não tirarem fotos, pois segundo o Dalebiba a imprensa quer vender jornal! O mais impressionante é que a imprensa se acadela e não cria crise contra o Inter.

  15. Até quando o Grêmio vai ter que pagar pela ação dos vândalos na Arena?
    Está na hora de banir esta gente dos estádios. Havia mais de 20.000 torcedores lá ontem e os “sem noção” conseguiram, mais uma vez, deixar o clube em maus lençóis. São esses “maloqueiros” que devem ser proibidos, sumariamente, de assistir aos jogos de futebol, para que os estádios não se transformem em uma “terra de ninguém” onde se pode tudo, inclusive colocar em risco a integridade física das pessoas presentes. No tumulto, tudo pode acontecer.
    A paciência da torcida com esse pessoal está no limite. Não dá mais para contemporizar. Algo deve ser feito, antes que seja tarde.

  16. Todos foram presos e alguns agora proibidos. Que culpa tem o Grêmio se eles seguem entrando no estádio e nada acontece?

    Não acho a Libertadores fácil, inclusive em 2013 tava mais tranquilo e caímos nas quartas. O San Lorenzo não é campeão argentino a toa, vamos parir uma bigorna pra classificar.

  17. Targa!

    Como na Arena o acesso aos mais variados setores é permitido a qualquer pessoa basta comprar ingresso, deveria haver, por parte da Arena Portoalegrense, um monitoramento mais eficaz do público por meio de câmeras de alta definição.
    Fica muito fácil a qualquer um, pelo mais banal motivo, arranjar uma baita encrenca para o clube. E tanto pode ser cometido por um torcedor identificado com o Grêmio, como por um torcedor qualquer. Basta atirar qualquer objeto dentro em campo ou ofender A ou B que a penalização está caracterizada.
    Acho estranho que até agora não se saiba quem ofendeu o jogador Paulão. Fosse alguém estranho ao quadro social do clube, já estaria sendo processado. Fica no ar a suposição de que há uma blindagem em torno do autor da ofensa – provavelmente alguém com as costas largas – que não teve “culhão” para assumir seu ato e se serviu da cumplicidade silenciosa da multidão para se manter covardemente no anonimato.
    Enquanto o enfrentamento com esse tipo de conduta for “abafado”, um salvo-conduto será dado para que iguais manifestações se repitam. Talvez a implementação de um equipamento de leitura da impressão digital seja a solução. Embora seu alto custo, só o fato de inibir o acesso de pessoas indesejáveis, já valeria a pena.
    Agora uma pergunta: se a Arena não é do Grêmio, porque o clube está sendo penalizado?

  18. As câmeras da Arena não identificaram nenhuma ocorrência envolvendo o zagueiro Paulão. As câmeras da imprensa não identificaram coisa alguma.

    Mas o Grêmio foi punido sem qualquer prova do fato.

    Banalizaram o termo macaco. O próximo filme Planeta dos Macacos deverá ser banido nos cinemas brasileiros.

    E o clube de futebol é sempre responsabilizado por atos de terceiros. E o pior de tudo é que o crime ocorre aos ouvidos e vigilância da polícia. E somente o clube é punido.

    Só aqui no Brasil mesmo.

  19. Se tivesse como, não sei, mas se depois desta briga o Grêmio tomar uma multa, por exemplo, de US 50 mil, só uma hipótese, já que a BM identificou, não cabe ao Grêmio entrar na justiça e cobrar destes fdp este prejuizo?

    E se o Grêmio chega a perder um mando de campo, renda média R$ 1 milhão na Libertadores, não daria para meter um processo nestes brigões e cobrar deles esta grana?

  20. Sobre a briga na arena me pergunto o seguinte: Se tem sócio patrimonial do gremio que está impedido por ordem judicial de entrar na arena devido a brigas anteriores como ainda não foram expulsos do quadro social? como conseguem permanecer com a carteira de sócio?? Se não são sócios patrimoniais como SEMPRE conseguem comprar ingressos para o setor da arena? Qualquer sócio tem IMENSAS dificuldades de comprar ingressos para este setor..invariavelmente o sistema diz que não ha mais ingressos disponiveis…Sei não, mas acho que ingressos deste setor ficam “RESERVADOS” para esses vândalos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.