Direto do Blog do Torcedor Globo.Com: Sequestradores do futebol e suas exigências

Como qualquer iniciativa que leve em consideração os interesses do torcedor que vai ao estádio automaticamente vai contra os interesses da televisão, doctor já começou a chiadeira de intere$$es. E quando qualquer ameaça à TV é detectada, já sabemos quem é o primeiro bom aluno da turma a levantar o braço para se manifestar em favor da casa. Ontem no seu blog, este mesmo, deste mesmo jornal que tu já imagina, faz mais uma vez o papel de advogado do diabo contra o projeto de 23h15min como limite para término das partidas, que foi aprovado em SP e RJ e apresentado anteontem na Câmara de Porto Alegre.

Sobram motivos para ser simpático a idéia, muito além das razões apresentadas no projeto que também beneficiaria em muito, os torcedores de fora da Capital e que são a maioria nos jogos em POA. Dou meu exemplo de morador de Sapucaia: Numa partida que termina quase meia-noite é impossível pegar o último trem. Tenho que ir de carro (mais um na BR em horário de pico), gastar com gasolina, ficar na mão de flanelinha e preso em engarrafamento na volta se, o carro estiver lá. Quem não tem carro tem que descer na Borges atravessar o centro correndo para pegar o corujão da Real Rodovias, à 01:35, embaixo do viaduto da Conceição, um lugar “super tranquilo”. Parou pra comer um entrevero ou o carris ficou engarrafado? Só o das 02:35. Isso sem falar das situações de quem vem do interior ou de bairros menos seguros da capital.

Os argumentos contrários ao projeto apresentados pelo comentarista, beiram o deboche e mostram todo o desconhecimento e descaso com o principal motivo do futebol existir: o torcedor no estádio. Começa com “Quem quiser, vai ao estádio. Quem não puder, não vai.” Depois, em outra pérola, ignora que o problema da violência vai além dos arredores do estádio e eventuais brigas de torcida: “A maioria dos atentados se dá em jogos diurnos. Aqui em Porto Alegre já deram tiro na cabeça de torcedor após jogo, soltaram bombas após jogos dominicais, realizados sob o sol“. Falou quem vai pra casa com motorista em bairro nobre.

Claro, não poderia terminar sem a tática preferida e tratada como verdade absoluta: Colocar os clubes como reféns de qualquer exigência que os sequestradores do futebol achem cabíveis para estar acima dos interesses da maioria. Claro que o futebol depende da televisão, mas a recíproca também é verdadeira. A TV que arrume sua grade e sua vida de acordo com seus direitos e deveres como qualquer pessoa física ou jurídica, definidos pelo poder público eleitos democraticamente. Para cada emissora que não gostar, tem outras interessadas nos direitos de transmissão. Votamos em legisladores para isso. Mas alguns jornalistas brincam de quarto poder para legislar em causa própria. Quem vota neles?

Cristian Bonatto, gremista de Sapucaia, escreve às sextas e seu lugar sempre será no estádio.
Fonte: http://colunas.globoesporte.com/minwer/2010/02/26/sequestradores-do-futebol-e-suas-exigencias/

Participe da discussão

15 comentários

  1. Também li a matéria citada (ZH, coluna do Wianey Carlet) e igualmente fiquei estarrecido com os comentários.

    Apesar de respeitar e até admirar o trabalho do Wianey, nesta ele pisou na bola. E pisou feio!

    O assunto é de conclusão tão óbvia, que o torcedor sequer precisa morar em Sapucaia. Basta residir na Restinga, por exemplo.
    Saí do Olímpico perto da meia noite, em plena quarta ou quinta feira, espera o seu “busão” (se não tiver que pegar dois) e, depois de mais de uma hora (se for rápido), consegue abrir a porta de casa. Já estamos passando da UMA da madruga. Até dormir, serão quase DUAS. E, como o cristão este trabalha, tem que levantar da cama às CINCO, CINCO E POUCO, para tomar um banho, comer um pedaço de pão e sair correndo para subir em outro(s) ônibus para estar no horário batendo o ponto.

    Ah, diria o jornalista, “vai quem quer”…… Ótimo, então quem sabe tiramos o circo do povo para ver se somente com o resto do pão ele não vai pirar de vez.

    O argumento de que a grade da TV (que paga a conta) é imexível (parodiando o ex-ministro aquele) morre na sua própria pobreza. Não fosse, como a Globo “enfia” a transmissão de um amistoso da seleção contra a Ucrânia, por exemplo, no meio da tarde de um dia de semana. E a aí o respeito à programação fica onde?

    Tudo conversa fiada!

    Está na hora dos clubes levantarem esta bandeira. E se eles (clubes) não puderem, por razões de sobrevivência econômica, por que nós, os torcedores não começamos um movimento para dar um basta nesta verdadeira palhaçada?

    Eu apoio horários decentes para o futebol.

  2. Ratatulhada
    Brasileira do
    Sul.
    Prova provada do nosso provincianismo. RBS – repetidora da globo. Aliás, repetidora de quase tudo, em programas, no padrão de estampa, de chavões e por ai vai. Por que de quase ? Porque a Globo por mais canalha que seja tem profissionais de infinita superioridade em talento,qualidade.
    Já disse, Gremista que se preze deve virar as costas para este grupelho que tá recheado de benfiquinhas, diogoso, pedros carmen club denardin, batata não sei o que, wiado carlet … LIBERTEM-SE.

  3. A imprensa gaucha morreu há tempos. O que existe hoje são uns boçais travesitidos de intelectualoides, com textos mediocres.
    Só que um fica chamando o outro de gênio o tempo todo, e aí a coisa pega: a classe media acaba impregnada da repetição e acredita.

  4. Metidos a sêbo… Precisa citar nomes?
    A ZH – hoje – não passa de um folheto de propaganda das empresas de construção civil, e da defesa de seus intere$$e$.
    A jovem intelectuálha que polui o jornal silencia sem culpa, ávida das benesses de comentarios elogiosos e do dinheirinho que vem com o ganho secundario.
    Fora as propagandas de condominios nas dunas e espigões com nomes americanos ridiculos, o que se vê são outros boçais e ignorantes exibindo os bronzeados nas colunas sociais que abundam o dito periodico.
    Algum dia alguem vai escrever uma dissertação sobre o legado cultural da RBS…

    cbimbi

  5. O assunto é interessante, mas, acabo de assistir o primeiro tempo de Gremio X NHamburgo. Vou morrer e o treinador não vai acabar com aquela “terra de ninguém” que é a meia cancha. Já disse e repito que aquela parte do campo é um imenso latifúndio por onde transita, sem nuenhuma contenção, quem por ali se aventurar e não se vê nenhuma providência do treinador. Será que eu estou vendo outro jôgo? Isso também acontecia com o Celso Roth e com o Autuori. O que está acontecendo? É o esquema? São jogadores em funções que fogem de suas características? Afinal o que é?

  6. Ganhamos. Parabéns a todos os gremistas. Dizem alguns num misto de euforia e alívio, que o que fica é a vitória e o título. Mas, ainda assim, continuo esperando uma resposta convincente do treinador na organização tática e da equipe como um todo, dentro de campo. O Gremio jogou como time pequeno. Ganhou com um belo gol de falta, aliás. Agora, nós torcedores, merecemos ver este time vencer com autoridade e fazer jus ao esforço da diretoria na qualificação do plantel. Ganhar (no sufoco) de 1X0 dos “galáticos” do NH em pleno Olímpico e diante de 35.000 pessoas, é muito pouco para o meu orgulho tricolor. E que não me venham com a surrada e escapista obviedade de que “pior seria perder”. O que realmente se viu de bom mesmo na tarde de hoje, foi o Fernando Carvalho entregando a taça.

  7. marcos almeida, lamentavel a declaraçao, do nosso presidente para o jonas, disse ele, se precisar vendo a minha casa mas voce fica(dou desconto do momento de festa) mas dizer isso pro jonas, e assinar atestado de baba ovo, de um jogador mediocre, e sobre o silas, perdi minhas esperanças que ele consiga, fazer nosso time jogar, e esse zagueiro osea, que jogou tres meses com ele no avai, pqp sera que o avai vai ser parametro para nos? e sobre essa do mario fernandes, me deixou indignado, sera que o ferdinando, pode escolher onde joga, e o mario porque pediu pra jogar na zaga, tem que ser ameaçado!

  8. O adversário era o Novo Hamburgo!!!
    Pavoroso o que assisti hoje, o Alerta ligado o Grêmio não tem NADA. O trabalho da semana cheia cadê? Os dois volantes e os dois zagueiros não EXISTEM. Até a parte física fica sob suspeita, muito jogador pregado e muito jogador caindo por qualquer coisa. O Adílson não pode estar na frente do Magrão, nem pra entrar no ônibus, quanto mais pra jogar. O Jonas vem mostrando o que é de verdade a cada partida, um zero à esquerda,saiu o Borges foi-se de vez a retenção de bola que vinha desafogando o time… não fosse a sorte, não fosse a qualidade do Victor e do Mário e a voluntariedade do Maylson teria sido um vexame. Passar o segundo tempo inteiro, entocaiado, sem um contra ataque organizado sequer é INADMISSÍVEL. E por favor não me venham com a velha máxima de “pro Grêmio é sempre difícil” pois dessa vez foi vergonhosa a forma como o time se comportou.

  9. marcos disse sim, infelizmente disse, eu escutei! vendo minha casa mas renovo com vc, duda pro jonas na gaucha, no fim de jogo, quando encontrou o jogador.

  10. precisamos de um atacante urgente! se machucar o borges, como machucou e de doer nosso ataque! me iludi pensando que seria um bom zagueiro o contratado, pode ate vir a ser, mas nao temos tempo, e eu nao tenho saco pra mais um ano sem titulo de expressao!

  11. André Marins, não entendi a razão da “tijolada”.

    Eu apenas disse que respeitava “e até admirava” O TRABALHO do Wianey, e acho isso normal.

    Será que para ser tão gremista quanto tu acha que és, eu preciso deixar de ler, escutar e respeitar o referido comentarista?

    Menos, amigo, menos…..

    Quem sabe dar a sua opinião sobre o tópico não seria mais produtivo do que me agredir gratuitamente?

    Obrigado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.