Direto do Blog do Torcedor Globo.Com: Respostas Sobre Arena – Parte IV

PreisP4

Chegamos à 4ª parte da entrevista, viagra sale talvez a mais extensa de todas por abordar a tão discutida questão dos sócios além de apresentar alguns números do Olímpico e da Arena.

Tivemos um acréscimo de dados nessa parte, healing uma vez que o Preis disponibilizou algumas imagens (print screen) de arquivos como o estudo da FGV e até trechos de documentos oficiais.

Como na 2ª parte da entrevista, purchase algumas perguntas tiveram suas dúvidas esclarecidas em uma mesma resposta.

———-

COMPARAÇÃO OLÍMPICO X ARENA

1- Qual é a média de público/ arrecadação por ano apenas nos jogos do Grêmio hoje e quanto é previsto para a Arena?

Tabela enviada pelo Preis Tabela enviada pelo Preis

Público médio por jogo:
Libertadores 2007: 39.555 – projetado para a Arena: 43.338
Campeonatos Brasileiros de 2005 a 2008: 24.144 – projetado para Arena 32.503
Campeonato Gaúcho: 12.946 – projetado para a Arena: 15.535
Copa do Brasil: 2005, 2006, 2008: 16.540 – projetado para a Arena 20.713

2- Quanto o Grêmio ganha com seu estádio atualmente e quanto é a previsão de faturamento com a nova Arena?

Para ter um dado confiável relativo ao ano recém encerrado, solicitei ao setor competente da administração do Grêmio. Informarei assim que os dados me forem repassados.

Quanto à previsão de faturamento com a Arena: O Grêmio receberá preço fixo anual, pago independente da performance da arena (R$ 7 milhões durante o período de pagamento da dívida do financiamento e R$14 milhões após esse período) e parte do preço variável (participação de 100% do Lucro Líquido Ajustado da SPE Superficiária durante o período de pagamento da dívida e 65% do LLA após este período). O preço fixo será pago em parcelas mensais e o preço variável semestralmente. O valor do preço fixo será reajustado segundo critérios estabelecidos no contrato. Trata-se de valores contratados, como dito, o  preço fixo será recebido independente do resultado.

As simulações projetadas indicam um significativo aumento do fluxo de receitas para o Grêmio, média anual de R$ 32 milhões de reais líquidos.

O Patrimônio a ser recebido pelo Grêmio está estimado em cerca de R$ 300 milhões (valor de 2008).

3- Com o novo estádio, aumentaria também o valor dos patrocínios?

Sim. É prevista receita com a comercialização de naming rights, pouring rights (comidas e bebidas) e patrocínios por setor de bancadas através de contratos de longo prazo para garantir a estabilidade do fluxo de caixa.

As projeções foram realizadas para todo o período da parceria (modelo de negócio) e tiveram como base estudo realizado pela Fundação Getúlio Vargas cujos itens seguem abaixo:

Índice do estudo feito pela FGV Índice do estudo feito pela FGV

Aproveito a oportunidade para um esclarecimento quanto à questão número 9 do primeiro bloco. Reproduzo a pergunta e a resposta:

9- Quem está encarregado do pagamento do finaciamento (Grêmio ou OAS)?

A contratação do financiamento, prestação de garantias, pagamento do financiamento, ditos simplificadamente, serão feitos pela OAS.

Ao responder “ditos simplificadamente”, ante o dilema da pergunta, quis dizer que o Grêmio não terá nenhuma participação nessas etapas, as quais ficarão a cargo da OAS. Como se prestou a interpretações em relação a outras questões, percebo a necessidade de maior detalhamento.  Na verdade, quem assumiu essas obrigações foi a OAS, mas a realização futura será por intermédio da SPE (Sociedade de Propósito Específico), previsto criar, no contrato, com a posição jurídica de “Superficiária” que será a Gestora da Arena, com a co-gestão do Grêmio. Essa empresa “Superficiária”, será encarregada da construção da Arena, diretamente ou por intermédio da contratação de terceiros, e ela contratará o financiamento, prestará as garantias diretamente e subsidiariamente com garantias corporativas da Construtora OAS Ltda. e fará o pagamento do financiamento. O Grêmio não será devedor do financiamento, não prestará garantias e não sairá do caixa do Clube o pagamento do financiamento. Dita empresa já foi criada e registrada pela OAS. Chama-se “Arena Porto-Alegrense S/A”. Aliás, também, sem o detalhamento atual, a informação sobre quem será responsável pelo pagamento do financiamento consta da resposta 4 do bloco 3.

SÓCIOS

1- Como ficam os sócios remidos no novo estádio?

2- Já existe algum estudo sobre os valores das mensalidades de todas as categorias de sócios? Pra quanto irão?

3- Gostaria de saber como ficarão os sócios proprietários que pagaram pela jóia quando se associaram?

4- Como ficará o sócio patrimonial na Arena, terá a entrada garantida nos jogos ou terá que comprar o ingresso?

5- Futuramente, o Grêmio vai subsidiar o ingresso para esses sócios, repassando o valor à  OAS ou eles perdem o direito?

6- Quais setores/anéis poderão ser acessados pelos sócios?

7- Quanto está previsto que o Grêmio terá que reembolsar a parceria Grêmio-OAS, para compensar os subsídios referentes aos ingressos dos sócios do clube?

8- Cada associado terá uma cadeira numerada, pré-determinada? Se positivo, como ficam os sócios Torcedores?

9- O acompanhante de sócio terá os mesmos privilégios que o associado, exatamente como é hoje, como o acesso pelo mesmo portão, essas coisas?

10- A arena venderá ingressos para não sócios ou a prioridade será dos associados?

11- Existe alguma definição o sobre as cadeiras locadas?

O contrato firmado entre o Grêmio e a Construtora OAS Ltda prevê que

“O Grêmio poderá conceder descontos especiais, conforme as políticas internas de sua associação, para  seus associados ou torcedores, desde que reembolse à Superficiária o valor equivalente ao desconto ofertado sobre o preço acordado na política de preços em vigor. O Plano Anual deverá conter previsão sobre os limites de concessão de tais descontos e sobre a forma de seu reembolso, que deverá se dar mediante compensação com o valor mensal do Preço Fixo a ser pago no mês imediatamente posterior ao da concessão do desconto, exceto para o último mês de vigência da Superfície quando o reembolso deve se dar em espécie, no próprio mês em que concedido o desconto.”

Então, essa matéria constitui “política interna” do Grêmio. Quem vai definir a questão dos descontos (sócio-torcedor) que, atualmente, paga a metade do valor do ingresso e tem preferência na compra em relação a outros torcedores ou acesso sem a compra do ingresso jogo a jogo (sócios que atualmente pagam mensalidade na qual se considera incluído o pagamento do valor do ingresso) será o Grêmio (clube).

Há, também, os associados isentos do pagamento de mensalidade. Pelos levantamentos realizados não parece ser um número significativo.

Parece não haver motivos para alterar essa política em relação aos associados atuais.

O Presidente do Grêmio, Duda Kroeff, já deu várias declarações dizendo que os direitos dos associados serão assegurados:

“Com relação ao sócio, isso vai se ajeitar. A questão está sendo estudada pelo jurídico. Vamos deixar chegar mais perto pra ver. O certo é que o sócio não será prejudicado. O Grêmio só vai crescer com a Arena. O Clube vai tomar medidas administrativas para se adequar. Já estamos fazendo isso com uma visível melhora administrativa. Além de tudo, a grande maioria do conselho votou e aprovou a Arena.” [aqui]

No mesmo sentido, o Vice-Presidente Irany Sant´Anna Júnior:

“Na questão Arena, está se focando muito na situação dos sócios e acesso ao estádio. O Grêmio tem todo o interesse do mundo de preservar os direitos de quem já os tem. O que ocorre é que não podemos pensar em fazer o quadro social crescer com este tipo de vantagem. Já temos mais de 55 mil sócios e a capacidade do Olímpico está esgotada. Se continuarmos crescendo, daqui a pouco teremos um jogo importante com sócios do lado de fora. E aí vão cobrar.” [aqui]

Existe, no momento, um Grupo de Trabalho que está fazendo um levantamento completo de todas as categorias de associado, pois há várias sub-modalidades de sócios patrimoniais, várias sub-modalidades de sócios-contribuintes e nos casos de cadeiras, considerados os prazos, 21 tipos de cadeiras locadas.

A questão aparentemente mais complexa será a operacionalização do ingresso dos associados na Arena. Mas, para isso, há, ainda, prazo bem longo e a previsão na cláusula transcrita de que o Plano Anual de gestão da Arena (que terá de ser aprovado pelo Grêmio) contenha os mecanismos para fazer valer a política de sócios do Grêmio. Nada que a moderna tecnologia não acabe por tornar uma operação trivial após a respectiva organização.

Acredito que os torcedores gremistas em geral podem ficar tranqüilos quanto à política de preços para a Arena., pois “os preços dos ingressos para os setores mais populares da Arena serão iguais aos preços dos setores mais populares do Olímpico por campeonato…” Com conforto e segurança bem maiores.

Preço dos ingressos também já foi estudado Preço dos ingressos também já foi estudado

Em números, por exemplo, no Setor Superior Norte e Sul estão projetados ingressos com Ticket médio de R$36,00 para Libertadores e Copa do Brasil, R$ 32,00 para o Campeonato Brasileiro e R$20,00 para a Copa Sulamericana e o Campeonato Gaúcho.

Os preços mais elevados serão para os Camarotes (em número de 130 com dois preços) e para as Cadeiras Gold (também com dois preços). Nessa modalidade de Cadeiras Gold haverá 2.816 ao preço médio de R$80,00 por jogo (locação incluído o ingresso).

A questão dos associados está definida, no momento, no Estatuto Social (regras gerais) e nos contratos individuais: [aqui]

Para facilitar a leitura do que prescreve o Estatuto sobre os associados, recolhemos o destaque publicado abaixo, bastando clicar [aqui]

Finalmente, sobre essa questão, cumpre dizer que os órgãos do Clube são compostos, necessariamente, de associados:

Os Conselheiros do Grêmio devem contar, no mínimo, com 5 (cinco) anos ininterruptos como associados do Clube. em dia com o pagamento das mensalidades:

Os candidatos aos cargos de Presidente e Vice-Presidente do Conselho Deliberativo e  de Presidente do Grêmio devem contar, no mínimo, com 10 (dez) anos ininterruptos como associados do Clube.

Vale dizer que a questão será decidida pelos próprios  associados, por seus representantes, e não por terceiros.

Não se pode esquecer, também, que existem as leis de mercado. Para ter sucesso é indispensável oferecer ao público um produto que esse público deseja ao preço que está disposto a pagar. Sob pena de não vingar. Além disso, será vital ter grande massa de torcedores para apoiar o time e aproveitar todas as vantagens que o Estádio/Arena trará.

Fonte: http://colunas.globoesporte.com/minwer

Participe da discussão

28 comentários

  1. Esqueci de dizer, mas tá bárbaro com essas imagens dos estudos feitos. O Preis e o Minwer usaram muito bem esse recurso visual. A prova do documento.

    Pelo jeito, o pessoal do contra mexeu na abelheira e está provocando reação. Na base da prova.
    Parabéns!

  2. Sem dúvida, um bom trabalho do Minwer. Há que acautelar-se com a idéia de “prova” que essas informações teriam. Esses dados estimados não provam nada, estimativas que são. Vale dizer, são cálculos estatísticos, paramétricos e não-paramétricos, alguns com uso provável de análise multivariada. Os dados que são “fatos” são os de anos anteriores, sobre os quais se fizeram projeções para o futuro. Assim, por exemplo, projetar público para Libertadores na Arena, com base um uma única série de dados (2007) requer cuidado na sua análise; associando o público de 2009, daria uma outra projeção, via regressão linear. Sem considerar que se deve estar classificado para esse torneio. Também é difícil comparar Campeonato Gaúcho com Copa do Brasil, pelo número de jogos de um e de outro; um é constante, anual; o outro, incerto. Os percentuais de ocupação, nesses termos, apenas mostram grau de interesse em uma ou outra competição e, mais, a época em que foram realizadas (o Gaúcho coincide, em grande parte, com a época de férias aqui no Estado, em que o torcedor está fora da cidade, bem como o início da Copa do Brasil)tem caráter decisivo na freqüência do público.

    O mesmo vale para receitas, despesas, preços.

    É claro que essas projeções são necessárias para qualquer negócio, o que se teria de saber é com que grau de confiança ou margem de erro é que foram feitas. E saber que com dados de 2005 até 2008 está se fazendo projeção, estimativa, para 2013. Muitas outras variáveis poderão interferir nesses cálculos nesse intervalo de tempo, para mais ou para menos.

  3. Raul.
    Ótimas as tuas considerações. A mais importante é que “É CLARO QUE ESSAS PROJEÇÕES SÃO NECESSÁRIAS PARA QUALQUER NEGÓCIO…”

    Quando falei em PROVA OBVIAMENTE falei em prova de que os estudos foram feitos. OBVIAMENTE QUE NINGUÉM PROVA PROJEÇÕES FUTURAS. Por isso são chamadas de SIMULAÇÕES.

    Enfim, como tens o mesmo nível dos técnicos da FGV, pena que não tenhas sido convidado a fazer ou a participar dos estudos.

    Chamo a atenção do Preis, aqui, que nos próximos não se esqueça do Raul.

  4. Pena que o sócio não possa mais criticar qualquer coisa sobre a arena que já corre o risco de ir pro Conselho de Ética e ser expulso do Grêmio.

  5. O assunto ARENA nesse blog acho que está completamente esclarecido, portanto, esgotado.
    sobre a situação financeira do clube sugiro aos moderadores a coluna do H.Mpmbach de hoje no CP.

    cbimbi

  6. Fecho com o Diego.
    Sinceramente, gostaria de ler algo escrito pelo Cacaio Azambuja.
    E dando, mais uma vez, meus parabéns ao trabalho do Preis, ainda penso que o clube poderia abrir um canal direto com o torcedor de coisas sobre a ARENA, o que peço desde o inicio, e que talvez tivesse evitado tanta especulação desnecessária. O MInwer acabou fazendo isto. O Setor de Comunicação do Grêmio necessita de uma revolução. Ele é muito apático, para não dizer inexistente. Alguém com criatividade que abra espaço para estreitar a distância entre direção/conselheiros e associados/torcida. É precária a comunicação. Mas, vamos melhorar. O Minwer aqui deu um banho de como se fazer isto e, convenhamos, o clube dispõe de ferramentas bem mais adequadas para tal e pessoal !

  7. Consideração de natureza genérica.

    O Dicionário Aurélio explica o significa “8” de “Burro”
    =” 8. Indivíduo bronco, curto de inteligência; asno, burrego, estúpido, imbecil, jerico, jegue, jumento, orelhudo”.

    Quando o o indivídulo é “bronco, curto de inteligência” não adianta mesmo. Nenhuma explicação penetra na selva cerrada que deve ser um cérebro duro impermeável.

    Deus salve o Grêmio!

  8. O que há de novo nessa batelada de perguntas e respostas é o detalhamento de coisas que já eram públicas através do Preis e NUNCA através do clube oficialmente agragadas a certeza de agora em diante o CLUBE tem de se posicionar quanto como será operacionaliazada a transição do sócios.

    Exemplo
    Sou patrimonial e quero saber se vale a pena manter uma cadeira locada? E com isso aumento a receita atual do clube. Ou volto a pagar a metade e acessar a social pagando menos?

    1.Digamos que o locatário de cadeira possa ter prioridade na escolha das cadeiras do anel intermediário, vou manter a modalidade; mas se essas cadeiras fizerem parte de um plano novo de locação e revenda com fila e leilão desisto… Se nesse caso o locatário for para o anel inferior do lado da imprensa, mantenho
    2.O Patrimonial vai ter lugar marcado, já que tudo é cadeira?
    3.Para que anel e para que lado do campo irá cada categoria de sócio?
    e por aí vai…

  9. O trabalho do Minwer tá excelente. E ele disse que ainda não acabou o questionário ao Preis: ele ainda vai render mais duas ou três partes.

    Nunca quis tocar nesse assunto porque já joguei bola com o cara e o encontrava quando era assessor do União. Mas acho que o trabalho da coordenação de Comunicação Social é insuficiente mesmo com o agravante de faltar verba e vontade política pra se investir no departamento.

    A história do Grêmio é riquíssima. A quantidade de ex-dirigentes e ex-jogadores que vivem em POA ou próximos à capital é considerável.

    Falta pensar em programas ou em pautas criativas pra rechear o site de informações. Aliás, não precisa gastar dinheiro nisso: basta por um link para essas matérias gravadas num canal do YouTube.

    A ouvidoria poderia funcionar via e-mail ou Twitter sem precisar preencher aqueles formulários que ninguém tem saco pra adicionar item por item até chegar aonde interessa – o espaço p/críticas, sugestões e reclamações.

    Tudo é burocrático e pouco funcional. Mas aí, tão pagando caro pra produtora web (que é, de verdade, muito boa, mas não pensou nessas coisas) e os funcionários do Grêmio só sabem lidar com mídia de massa.

    O trabalho na rádio e na TV são legais. Mas falta abrir mais o leque e se adaptar às redes sociais na internet.

    []’s,
    Hélio

  10. OBVIAMENTE (como vêem, gosto do obviamente) o estudo tem data limite em 2008. Está lá a data nos documentos.

    OBVIAMENTE, os estudos de números (especialmente monetários em país com vários tipos de inflação) valem pelos parâmetros da época na qual foram feitos.

    Não vai dar para comparar valores (nominais) de 2007/2008 com valores (nominais) de 2013/2014.
    Por favor, não me chamem de Pedro Bó nem “curto de inteligência, bronco, asno, imbecil” .

    Entendi que o importante são os princípios, os critérios.

    Por favor, não quero perder a legitimidade pra criticar por ser um “sem noção”querendo ensinar para profissionais da FGV.

  11. Como muitos de vocês sabem, eu era contra o modelo de negócio da Arena e contra o modo de gerir e de se comportar dos antigos postulantes aos principais cargos da Grêmio Empreendimentos. Deixei isso bem claro, expus um montão de razões de diversas ordens e não me arrependo disso.

    Hoje, creio na forma que o projeto tomou e, acima de tudo, no Preis.

    Acho que todos tem o direito de, mais ou menos, direta ou indiretamente, emitir opinião e acreditar mais em quem quiserem acreditar. Por outro lado, não é “errado”, “antiético” nem “oportunista” quem muda de opinião em função de como a informação se desenrola.

    Eu me sinto GRATO por conhecer maiores detalhes e por aprender com outros pontos de vista. Isso não faz de mim nem um “maria vai com as outras” nem um cara “incoerente”. Afinal de contas, faz parte de um aprendizado.

    Às vezes, me deparo com alguns comentários aqui que remontam ao tempo em que eu só dispunha de um determinado viés. Como o tempo voa e tudo passa, hoje existe um acúmulo de novidades que não me deixam mais pensar como antes.

    Enfim… Mesmo que o assunto não se esgote, ainda me resta uma certa paciência pra aceitar isso inclusive quando não disponha de tempo e vontade suficientes para tentar explicar certas questões a novos participantes da discussão.

    Pra terminar, agora deixando de depor acerca das minhas sensações e entrar no escopo desta discussão, estou lendo um livro sensacional que recomendo a qualquer pessoa que está perdida em termos dos rumos do planeta para questões sociais, econômicas e culturais em função das relações que envolvem o uso da internet. Chama-se A CAUDA LONGA e seu autor é Chris Anderson. O livro custa algo entre 40 e 50 reais.

    Quando o Preis fala em estimativas de público e renda, o problema não está nas estimativas. O Raul Iserhard explicou de uma maneira que eu entendi, mas o livro vai por uma abordagem um pouco diferente.

    O nosso cérebro de mamífero pretende resolver as coisas logo e se contenta com explicações maniqueístas e óbvias para que se aja o quanto antes. Contudo, quaisquer estatísticas sérias (mesmo que imprecisas e sujeitas a mudanças de rumo em função de variáveis inesperadas) já são suficientes para se apontar um caminho.

    Talvez eu e – por outras razões – vários torcedores, associados e conselheiros tenhamos pensado em respostas diretas sem o risco de serem refutadas mais adiante.

    Como diria o sociólogo italiano Domenico De Masi, a linha curva seduz mais do que a linha reta.

    []’s,
    Hélio

  12. gostaria de ver essa gurizada, o Minwer, Bernardon, Hugo, Marcos, e mais uns 4 que pintam por aqui – algum dia brevemente – movimentando com sua tesão e capacidade, deptos de mkt, social e outros no Gremio.
    chega de meira e outros!

    cbimbi

  13. Não sei como o Preiss tem paciência pra responder oposições ferozes de caras que não conseguem entender as coisas (?) mais primárias (!) e ainda se acham no direito de dar ultimato (!!!!!!!!!!!!!!!!!!??????)
    Rste mundo está mesmo invertido, de pernas pro ar.

  14. “os preços dos ingressos para os setores mais populares da Arena serão iguais aos preços dos setores mais populares do Olímpico por campeonato…”

    Parece óbvio o significado. Os valores mencionados são nem os valores de hoje. São os valores da época dos estudos.

    Os valores, em moeda, na arena, serão os valores vigentes na época futura seguindo os critérios.

    É difícil entender? Puxa vida. Acho tão simples.

    Parece que a informação não agradou à postura beligerante de uma oposição infantil.

  15. tenho 2 cadeiras cativas e acho que tenho direito a elas: vou querer desaparafusá-las e levar prá casa prá assistir o time pelo pay-per-view. uma prá sentar , outra prá esticar as pernas.
    acho q tenho direito disso e O PREISS NÃO RESPONDEU!!!!

    cbimbi

  16. Dei uma bela gargalhada ao ler teu último comentário, Cesar. Se tu pode levar essas cadeiras, eu quero um pedaço da mureta da arquibancanda em que tanto me apoiei nos últimos anos. hehehe

    Falando sério agora, agradeço aos elogios mas diria que o mérito é 99% do dr. Preis. Se não fosse pela boa vontade e disposição dele, não teríamos um material tão rico.

    Ainda vem mais uma parte que fala do entorno (que todo mundo que acessa esse blog tá careca de saber) e umas perguntas soltas, que não se enquandraram perfeitamente nos outros blocos.

  17. não concordo. tenho DUAS! cadeiras, não aceito um braço de cadeira a menos. alem do mais, exijo um espaço na arena, sem cadeiras, prá que eu possa entrar com as minhas, e monta-las no espaço ao qual tenho direito adquirido. faltou responder isso.

  18. Pensam que estou brincando? Tem uns guris talentosos, aí, que há meses já tem um plano sobre a questão das cadeiras. O César não está delirando não.
    Só tenho informações genéricas, mas parece que estão aperfeiçoando esse plano. Quanto menos chamar a atenção até ter isso devidamente negociado MELHOR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.