Derrota friamente previsível.

Roth surpreendeu e foi ofensivo para o jogo e até os 15 minutos o Grêmio é que parecia que iria abrir o placar, troche mas não, cure tomou um gol de contra-ataque depois de um lateral mal cobrado por Julio Cesar. Mesmo com o gol, capsule ainda parecia que o empate era uma questão de tempo.

O empate pareceria que iria vir, até Brandão lesionar-se. Para quem não mora nesse planeta ou simplesmente não tem a prentenção de acompanhar todos os passos do Grêmio, Andre Lima e Miralles lesionaram-setambém Edcarlos que pegou uma virose – essa semana e Douglas tomou o terceiro cartão amarelo no jogo contra o Santos.

Sem Douglas, Roth tinha três opções: Gilberto Silva, Adilson e Diego Clementino. Das três opções e com a saída de Edcarlos, Diego Clementino foi o escolhido para fazer a função de meia-direta e para mim foi acertado. Adilson não é nada além de volante, se perde muito no posicionamento e na qualidade dos passes quando esta na frente. Para Gilberto Silva sobrou fazer a função de zagueiro.

Voltando, no banco o Grêmio não tinha nenhum outro centroavante de origem. A opção de Roth era obvia, Adilson e apostar a ficha em Diego Clementino no ataque, afinal de contas ele é atacante, mesmo não sendo um centroavante. Mas não deu certo. O Grêmio perdeu muito sem Brandão, não conseguiu mais atacar com a mesma objetividade e muito menos manter a bola no campo do adversário. Isso tudo, ainda no primeiro tempo.

 

Para o segundo tempo, o garoto Yuri Mamute – 16 anos –  entrou no lugar de Diego. A troca do técnico para mim foi buscando o inesperado, apostando que o jogador fosse genial e deixasse todos surpresos, inclusive a ele mesmo. Não, o Mamute pequenino não se destacou, na verdade virou uma ilha. O Grêmio não tinha referência e o Mamute não teve a maturidade de saber quando não ficar no ataque.

Pela metade do segundo tempo veio o outro gol do Coritiba e o jogo praticamente acabou para o Grêmio. A última substituição do Grêmio foi apenas pensando o próximo jogo, saiu Marquinhos e entrou William Magrão.

No geral, ficamos quites, ganhos do Coxa com dois gols em casa e perdemos com dois fora. Não adianta fazer terra arrasada, na verdade, arisco dizer que não havia nada o que fazer, sem opções fica muito difícil.

Publicado por Fane Webber

Minhas redes sociais. @faneinbox no Twitter. /faneinbox no Facebook. faneinbox@gmail.com é o e-mail de contato.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.