Pernas finas, pills bigodinho e camisa sobrando no corpo franzino. A imagem de Dener não remete ao estereótipo de jogador do gremista. Irreverente, prostate talentoso e DIBRADOR como poucos.
Dener morreu em acidente de carro na Lagoa, view bairro da Zona Sul do Rio, no dia 19 de abril de 1994.
dener27

Dener era meia-atacante. Camisa 10. Irresponsável com a marcação. Pegava a bola muitas vezes na linha central e ia se livrando dos adversários, dava na maioria das vezes passe para gol.

Às vezes um drible bonito é mais bonito que um gol”, dizia, às gargalhadas.

Essa alegria, molecagem e irreverência eram tudo que o Grêmio nunca teria. Pelo estilo de jogo, pelo barro, pela força. Pela camisa. E Dener mostrou que podia fazer diferente.

Na final da copa São Paulo de 1991, vitória por 4 a 0 sobre o Grêmio de Danrlei e Emerson.

Ninguém no Olímpico esquecia aquele que “destruiu” com o Grêmio na final da Copinha. Dener recebeu o convite de Zelio Hocsman, questionou se era sério e foi logo levado para falar com Cacalo, então vice de futebol.

Diziam que Dener não se adaptaria ao frio, à lama e ao estilo de jogo. Ledo engano.

Dener driblou a tudo e a todos pra conquistar o título gaúcho de 1993, único em sua carreira profissional.Equipe Gremio 1993

 

Zé Roberto, meia do Grêmio, é um dos maiores fãs de Dener. Quando era da base da Lusa, ele disputava a missão de gandula nos jogos. Queria ver o ídolo o mais próximo possível.

Eu tenho plena certeza de que iria triunfar na carreira. Por ser muito rápido, pela facilidade do drible, ele ia encantar a Europa – disse.

Antes de encantar a Europa, Dener encantou o Olímpico, entortou os brutos zagueiros do interior gaúcho e levantou uma taça. Encantou Maradona e Pepe. Iria muito, muito longe. Mas o destino não quis. De lembranças, os dribles, o bigodinho e uma taça no armário.

 

Texto e lembranças de @Eifrodo, Leopoldo.

Participe da discussão

26 comentários

  1. Dener era espetacular num time modesto. Queria tê-lo visto num grande time.

    Ele proporcionou inúmeros golaços.

    O forte dele não era a conclusão a gol, algo que poderia ser exaustivamente treinado.

    O Dener hoje seria melhor que o Messi. O argentino é bom, mas o Dener era demais. Até o Pelé achava que as características do Dener eram bem parecidas com as suas, embora não tivesse o Dener a mesma capacidade de conclusão. Não batia faltas e muitas vezes chegava na cara do gol e erra ou o goleiro defendia. Mas quando fazia um gol era um golaço.

    Esse era o Dener. Na época, o Grêmio não conseguiu comprá-lo.

    Foi difícil tirá-lo da Portuguesa, porque quem decidia a saída de um jogador era o Conselho.

  2. Por pouco o Dener não pegou o time de 95. Dizia-se que depois do Vasco, o Grêmio iria trazê-lo de volta (94). Mas a reportagem do globoesporte, diz que ele estava certo com a Europa. Uma pena, mas fico feliz em ter tido a oportunidade de ver esse gênio jogar pelo Grêmio.

  3. Quando o clube contrata três treinadores num período de um ano, não pode querer ganhar alguma coisa. A renovação do Luxemburgo considero uma contratação, pois fez parte da “convicção” da direção.

    É fácil demitir treinador e,às vezes, até transferir jogadores que possuem mercado, o que não é fácil é demitir o amigo abnegado ou ex-abnegado que virou da noite para o dia “profissional” do futebol.

    Para o Grêmio ter alguma chance de voltar a vencer, os caciques reinantes do CD terão que delegar o trono a outros menos conhecidos.

    Alguns defendem que ficou mais fácil demitir o profissional de futebol. Em regra sim, mas exceção ocorre quando esse “profissional” de futebol é um ex-abnegado.

    Quando o sujeito é um abnegado do futebol, tem dificuldade de largar o osso do ofício, porque é bom ser da diretoria de futebol, ele também é uma das estrelas. Dá entrevistas, responde aos torcedores, é um momento político no poder.

    Só sai quando há uma pressão midiática muito grande, quando os torcedores exageram nas manifestações. Aí eles se assustam e pedem para sair.

    Parece coisa de filme, a Tropa de Elite 1 mostra um treinamento tão duro que o capitão chega e diz para o candidato pedir para sair sob tortura psicológica.

    É assim que funciona no futebol. Os caras não largam o osso.

    Lembro dos nomes como Meira e Antônio Vicente Martins.

    Em relação a esse último o Odone se enfureceu de tanta patetice num período de 06 meses. E o pior que teve que ser convencido pelo Odone que o melhor era sair.

    A arrogância e o egocentrismo é tão grande que os caras fracassam e acham que estão certo.

    Atualmente, é o que ocorre com o atual departamento de futebol.

    Eles vêm fracassando e COM CONVICÇÃO.

    Eu não tenho mais dúvida de que os dirigentes do futebol profissional do Grêmio possuem uma CONVICÇÃO IMENSA, eis que é preciso convicção para ter tanto ÊXITO em fracassar nas competições.

    Claro que se defendem dizendo que conquistar uma vaga direta na Libertadores é um título, mesmo que o time jogue um futebol medíocre por erro de formatação dos comando do futebol.

    Perdemos a Libertadores/2013; perdemos o Gauchão 2013; perdemos a Copa do Brasil 2013, perdemos o Campeonato Brasileiro 2013; perdemos o Gauchão 2014.

    Isso é convicção!!!

    Essa diretoria de futebol é convicta na derrota.

  4. o pior é que nem o abnegado cai. O remunerado até entendo que continue, afinal precisa encontrar alguém no mercado pra substituí-lo, quem sabe pagar mais caro, mas o abnegado é um caso a parte. Fracassa, mas segue no poder, será que só tem gente ruim ao lado do Koff?
    De fato a direção do Grêmio se acostumou com as derrotas, estão convictos no trabalho. Convictos que não precisam de lateral direito há 3 anos. Convictos de que o Werley é um grande zagueiro. Convictos de que o Barcos uma hora vai resolver.

    Já se passaram dois dias do fiasco e não há contestação ao Werley dentro do Grêmio, é inacreditável!

  5. Quem diria? Os irmão Biteco, Mamute e o argentino Canavésio, entre outros, vão ser emprestados. São dez “promessas” ao todo, que vão ter, agora, as oportunidades que aqui não tiveram para mostrar seu futebol.
    Tomara que comprovem, lá fora, o que não conseguiram nas poucas vezes em que foram chamados para a equipe principal.
    O fato de irem por empréstimo deixa aberta a possibilidade de retorno, uma vez que os jogadores tem seu passe vinculado ao clube.
    Aqui no blog, alguns colaboradores pediam oportunidades para esses jovens atletas no grupo principal. A pouca participação dos mesmos, segundo o treinador e os dirigentes, é algo natural na vida de um clube grande como o Grêmio que tem muitos compromissos, o que restringe o período de treinamentos voltados ao aprimoramento e entrosamento com os titulares e a aquisição da necessária experiência que a condição profissional exige. Alguns, por terem uma qualidade mais apurada, pulam etapas e ascendem precocemente. Outros, precisam de mais tempo, algo que é praticamente impossível no futebol competitivo de hoje. O Grêmio faz bem em liberá-los para que busquem novos caminhos, uma vez que não estão nos planos imediatos do clube.
    Que tenham muita sorte na sua caminhada e que possam, quem sabe num futuro próximo, voltar a vestir a gloriosa camisa tricolor.

  6. ESSE É MEU GRÊMIO!
    O Olímpico vai sofrer pequenos reparos para ser campo de treinamento na Copa. DETALHE? O clube vai desembolsar pequenos recursos para as reformas! Não sei se dou risadas ou choro.

    O T.A ganha tudo de mão beijada no remendão, ganha as estruturas temporárias e nós vamos colocar dinheiro do clube no Olímpico? Realmente o GFPA está abaixo do cú do cachorro!!!!
    O que será que mais falta acontecer como o Grêmio?

  7. vão emprestar esse jogadores pra não fazerem sombra pro pará, ramiro, werley, et caterva.

    apesar que o mamute é uma ferida…

  8. O Guilherme Biteco é um extraordinário jogador de futebol. Já provou isto no Grêmio em algumas oportunidades que teve. Joga no time com uma perna só. O que acontece com estes garotos que despontam é que eles são vendidos para investidores e passam a não interessar mais ao clube. Porque colocar na vitrine quem não pertence mais ao clube? O Wendel está jogando porque é titular absoluto e não tem outro.

  9. QUEM SÃO OS ËNTENDIDOS¨QUE PRIVILEGIAM O VARZEANO RAMIRO E A TARTARUGA RIVEROS ? !!!

    SAUDADES DOS PENSADORES NÃO REMUNERADOS DO NOSSO FUTEBOL … OLMEDO,PETRY …

  10. DISPENSAM O MELHOR DA SÉRIE B,CAMPEÃO, PROTAGONISTA DO TÍTULO DA LUSA MARCO ANTÔNIO E TRAZEM O BOM, MAS SECUNDÁRIO RODRIGUINHO EX AMÉRICA MG …
    QUE SORTE TEM RAMIRO ,JOGADOR MÉDIO DA SÉRIE D ……….

  11. ENTENDO QUE OS DETENDORES DOS VÍNCULOS DOS JOGADORES, EM PARCERIA COM OS CLUBES, INTERESSADOS EM LUCRO, PRECISAM TER SEUS NOMES EXPOSTOS … TRANSPARÊNCIA …

  12. QUEM GANHA COM A EXPOSIÇÂO E VENDA DOS JOGADORES ??? … QUAL A RAZÃO DE TÃO POUCA TRANSPARÊNCIA ? O TORCEDOR TEM O DIREITO DE SABER OU NÃO ? …

  13. Lembram do Misael. Este garoto era da seleção brasileira e foi vendido por três milhões de euros, com a promessa de ficar mais dois ou três anos no Grêmio. Simplesmente foi colocado na geladeira porque não interessava mais ao Grêmio. O empresário colocou no Santos, talvez por um arranjo, mas lá também ele não jogou e também não vai ser colocado na vitrine, ainda mais o Santos que é um grande formador de atletas. Estas vendas apressadas pode render um bom dinheiro para todos no momento, mas pode ser o fim da carreira de alguns meninos, especialmente aqueles que não são craques. Eu acho que o Bressan foi vendido para algum investidor, por isto saiu do time.

  14. Não vou aprofundar nas questões técnicas, mas os garotos da base que estão sendo dispensados para pegar experiência, não tiveram a mesma sequência do Pará, Werley entre outros.

    Se os garotos não foram bem o suficiente para convencer, o que dirá os que estão titular há um tempão.

    1. Não tiveram a mesma sequência do Barcos.. já pensou? deixar a gurizada em campo e ter a mesma paciência que tiveram com o Barcos?

      1. Já pensei. Futebol tem que ser feito com critério. Se der a mesma sequência para os garotos, eles podem dar certo ou não. Se não derem, tem que dar lugar para outro, ser emprestado, dispensado.

        Futebol tem que ser prático e corrigir os erros, insistir no erro é burrice.

  15. Barcos tem mais 3 anos de contrato e só sai do time depois disso.

    Deve tá escrito lá, “titular em qualquer hipótese” e também “jamais decidirá uma partida”.

    Aliás, pelo jeito tem mais jogadores que são titulares por força de contrato, só pode ser essa a explicação.

    Já passaram 3 dias do fiasco e o Werley segue titular, viva os dirigentes bunda moles do Grêmio!!!!

  16. hoje é dia de ver o time do Arce em campo.
    Arce que, ao lado do Crisóvão, era meu preferido no início do ano pra vir pro Grêmio.
    Mas foram atrás do Enderson…

  17. – Concordo com o Cristiano e com o Anderson. A direção de futebol do Grêmio tem convicção – é o que dizem – mas, infelizmente, parece não ter critérios. Aliás, suas ações se baseiam num duvidoso “olhômetro” que, salvo melhor juízo, está precisando urgentemente de óculos para enxergar com maior clareza o mercado da bola. Nem só de pão vive o homem… nem só de dinheiro vive o futebol…

    – Nada contra o Rodriguinho cujo potencial desconheço e que me parece mais uma aposta do que uma afirmação. Espero que não seja apenas um privilegiado “bancário” ou mais um para “engordar” a extensa galeria dos come-bebe-dorme do clube. Que venha para “resolver”. Chega de contratar jogador para “somar”.

    – O Grêmio se encontra no limite da linha entre a afirmação e o descrédito. Os últimos resultados de campo abalaram a confiança dos torcedores e tem deixado dúvidas quanto a real capacidade dos dirigentes de detectar os motivos da repentina queda de produção da equipe e da dificuldade da comissão técnica em estabelecer um padrão de jogo consistente e confiável. Transitando, num repente, entre o 8 e o 80, a equipe tem se mostrado instável, dando razão às opiniões de que será preciso fazer um grande esforço para superar os obstáculos que se avizinham e almejar uma melhor sorte na LA e nas competições futuras.

    – Os atuais dirigentes do futebol, profissionais bem sucedidos em suas profissões de origem, embora o trabalho e esforço dispendidos a serviço do clube, carecem de um melhor preparo para dar continuidade ao histórico de conquistas e jornadas heroicas do nosso Grêmio e, ao mesmo tempo, satisfazer as exigências de um exército de mais de 8 milhões de apaixonados torcedores.
    Suas convicções tem se mostrado ineficazes na prática. Não passam de acalentados desejos que não se materializam na vida real. São como palavras ao vento.

    – Como tudo na vida, também o futebol depende de um bom planejamento e de uma boa administração para alcançar seus objetivos. O resto, é “achismo”. É loteria…

    PS. Será que estou exagerando na minha crítica? Tomara que eu morda a língua, para o bem do Grêmio.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.