De Colaborador: Um Apelo A Direção Gremista‏

Prezados amigos.
 
O ano de 2010 começa e já sabemos quem iremos perder na janela de agosto: goleiro Victor, price Rever e Mario Fernandes.
 
Destes 3, vcialis 40mg acho a maior perda a do Victor.
 
Zagueiro você ajeita, mind surge um da base, contrata uma revelação e a zaga estará forte novamente.
 
Mas goleiro é quase que insubstituível.
 
Sendo assim, porque o Grêmio não conversa com ele, propoe um contrato de 5 anos e dá a ele o maior salário do clube? Acho muito justo, pois carrega o time nas costas! Quantas vezes ele fez isso em 2009??
 
Que a direção converse com o Marketing, discutam uma maneira de fazer grana com a imagem dele (não é muralha o apelido?), sei lá, façam alguma coisa!!
 
Mas não podemos perder esse goleiraço!
 
O pior de tudo é vê-lo ir jogar numa Lazio da vida ou num clubeco Russo!!
 
Que os dirigentes gremistas leiam esse meu apelo e ao menos discutam essa hipótese nas suas reuniões…
Forte abraço do gremistão

Andre Peixoto
Santa Maria  – RS

Participe da discussão

27 comentários

  1. Caro André, uno-me a tua sugestão. O Grêmio, por sua grandeza e história, tem de criar condições para manter o melhor goleiro após o Danrlei. Acho que será uma ótima oportunidade para o Marketing mostrar sua capacidade e competência. Ok, caro gremista César Pacheco? Estamos carentes de ídolos: nossos 2 últimos foram-se – Tcheco e Maxi. Esse último, nem tanto, pelo futebol que joga, mais pelo simbolismo, por sua figura em campo. Está sendo duro explicar ao meu filho de 5 anos a saída do Máxi, todavia a Direção agiu corretamente nesse assunto. Hoje, sem dúvida, o Victor é nosso maior ídolo. A gurizada adora-o. Então temos de mater Victor através de um novo contrato e com um grande trabalho de marketing (participação do Victor na venda de camisas, imagem,….). Em 2011 (ou 2012), na segunda gestão do parceiro Duda, estaremos esperando a volta de Ronaldinho igualmente por um grande planejamento de marketing. O Grêmio merece! A maior torcida do sul do Brasil também!!

  2. Acompanho o André na manifestação.
    Alguma ação concreta visando a manutenção do Victor no Clube deve ser feita.
    Depois da saída do Danrlei quantos passaram até termos realmente um grande goleiro???
    Essa é uma posição que não admite experiências.

  3. Quanto ao Goleiro Victor eu assino….

    Agora quanto a deixa de Lazio ou Clubeco Russo eu tenho uma observação a fazer… Esse Máxi, herói da Geral q vá a pqp, pois é um varzeano que se acha craque e goleador.

  4. Nunca achei o Maxi craque e nem tampouco indispensável. Comparando com várias épocas e com dezenas de outros atacantes que já vestiram a imortal e pesadíssima camiseta tricolor (N. do A.: não é camisa porque não tem botões), ele é apenas forte e esforçado.

    Maxi não é bom driblador, não é exímio cabeceador e peca nas conclusões com uma média de gols abaixo da esperada para a sua posição. Seu custo/benefício foi baixíssimo.

    No entanto, reconheço que ele prendia bastante a bola no ataque e dava muitas assistências. No atual (BAIXO) nível do futebol disputado no país, ele não ficou nem entre os 10 melhores da Bola de Prata da Placar. Demorou um tempão pra entrar em forma e levava cartões em demasia. Reclamar da arbitragem só pra jogar pra torcida não é exemplo de dedicação nem de raça.

    Assim como em relação a Tcheco (que era um outro caso, pois merecia maior consideração pelo tempo de casa e pela VERDADEIRA identificação com o clube, apesar de ser física e tecnicamente inferior ao necessário para um clube do porte do Grêmio e de ter tido um ciclo demasiadamente estendido por aqui), Maxi não pode entrar na categoria “craque” e nem tampouco na “acima da média” – a não ser que se considere a média atual, que é muito fraca.

    Enfim… Isso foi necessário pra continuar o que eu já havia escrito sobre Tcheco e sobre o que o Sidnei acaba de dizer sobre Maxi. No fundo, ambos os casos – embora totalmente opostos ao objeto deste post – servem como um gancho para que a gente valorize a importância e a NECESSIDADE de mantermos Victor.

    Lara é lendário principalmente por causa da sua história de vida em um tempo semiprofissional e extremamente romântico do futebol. Tanto é que merece estar em nosso hino pela longevidade no clube, pelos seus feitos em uma época de muitos títulos e – sobretudo – pela impossibilidade de verificarmos historicamente várias das histórias contadas acerca do tempo em que atuava doente. Afinal de contas, a paixão também se constrói a partir de contos, anedotas e de exageros bem intencionados.

    Mazaropi é o ídolo maduro que viveu no Rio de Janeiro, jogou no Vasco da Gama, foi campeão por lá, conviveu com grandes ídolos (esses DE VERDADE) e veio, venceu e ficou. Caras com esse perfil (Tarciso é o outro grande exemplo) são INESTIMÁVEIS e deveriam ser, mais do que reverenciados, utilizados de alguma forma pelo marketing para representar o clube e atrair mais associados, patrocinadores e promover ainda mais e melhores eventos no interior.

    Danrlei é o ídolo sanguíneo prata da casa. Mais do que isso, o preferido do então treinador de goleiros Mazaropi era Emerson. Danrlei vem de uma família d colorados e é sobrinho de um inexpressivo ex-goleiro reserva tricolor. Um menino do interior que aproveitou uma oportunidade como azarão e que se tornou não apenas um levantador de troféus recentes e relevantes como jamais se vira anteriormente: Danrlei, muitas vezes pecando por exesso, teve como grande virtude ser uma pessoa tranquila fora de campo que se transformava no maior torcedor gremista dentro das quatro linhas.

    E Victor? Victor é o virtuose técnico. É, para a idade, “assustadoramente” maduro e equilibrado. É o mais alto de todos os ídolos do gol anteriormente citados, é um rapaz bonito (sem essa hipocrisia de achar que um heterossexual não pode reconhecer que um homem é bonito, por favor), transmite respeito, credibilidade e o seu arrojo é tão admirável quanto consequente. Veio recomendado por um técnico que não permaneceu (assim como Réver) e, assim constituiu-se em uma grata surpresa.

    Em um clube financeiramente combalido num contexto no qual 90% dos bons goleiros brasileiros atuam no exterior há pelo menos meia década (diria até que metade desses em grandes clubes europeus, como Helton no Porto, Diego Cavalieri no Liverpool, Dida no Milan, Júlio César na Inter e o questionável Doni do Juventude e do Corinthians na Roma), INVICTOR ou VICTOR MURALHA foi o melhor goleiro do Brasileirão em dois anos consecutivos, atuando por um grande clube que lhe dá todas as condições de trabalho mas que, por outro lado, ainda não pode formar um plantel equilibrado de 25 jogadores que possa ser mantido por pelo menos três temporadas.

    Essas virtudes, esse méritos e esses fatos são todos incontestáveis. Nosso marketing tem a oportunidade única de fazermos o NOSSO Rogério Ceni – diria até MELHOR e, se for do interesse do jogador, ainda mais longevo.

    Por outro lado, vejo em Busatto uma estrela impressionante: igualmente grandão, gremista desde criancinha, formado no Olímpico e um pegador de pênaltis que me dá a impressão de ser superior a Victor, podendo igualar-se e até mesmo ultrapassar Mazaropi nesse quesito.

    Os dois no Olímpico seria um desperdício para a carreira do reserva, assim como a perda dos dois seria praticamente impossível de ser reposta dentro de no mínimo três anos.

    Um grande time começa por um grande goleiro. Sempre que tivemos goleiros ruins ou pelo menos medíocres, nos ferramos.

    Isso deve ser trabalhado não apenas pelo marketing mas, sim pelo departamento de futebol. Afinal de contas, embora pareça excesso de privilégio, acho que os grandes clubes precisam ter PATRIMÔNIOS MORAIS bem remunerados: eles serão os anfitriões, serão os exemplos, serão aqueles que se aposentarão como jogadores e terão um cargo administrativo no clube.

    O Manchester United tem Ryan Giggs, Paul Scholes e Gary Neville; o Real Madrid tem Casillas e Raúl; o Barcelona tem Puyol, Xavi, Iniesta e – muito provavelmente – Messi; o Milan tem Ambrosini e Pirlo (como já teve Baresi, Maldini, Costacurta); o Liverpool tem Carragher e Gerard…

    …O T.A. tinha Clemer; o SPFC tem Rogério Ceni e o Palmeiras tem Marcos.

    Ceni recebe 600 mil de salários aos 36 para 37 anos e ganha uma nota preta vendendo camisetas da Penalty desenhadas por ele.

    Pra trazer Ronaldo, o Corinthians deu 100% do faturamento do anunciante do sovaco (desodorante Avanço) e um percentual considerável dos produtos de barbear Bozzano. Pra trazer Adriano, a Olympikus (FORNECEDOR – alô, Puma!!!) banca o grosso do salário do jogador, compensado por vendas monstruosas da camiseta com o “10 Adriano” nas costas em lojas premium da marca OLK nos principais shoppings do Rio de Janeiro (população 4x maior do que a de POA).

    Enfim… MÃOS À OBRA!!!

    []’s,
    Hélio

  5. Maxi: não precisava ter vindo. O histórico dele é muito pobre. Foi invenção de alguém. E vejam o troco que ele dá. Ainda não vi argentino competente no Grêmio.

    Abandono por fax, é demais.

  6. Vamos esperar muito para que a direção se ligue, olha o caso do Maxi o rumo que tomou…
    Uma vez o Burroth disse que os diretores eram amadores, e o pior que ele acertou!!!!!

  7. Raul,

    Quem indicou o Maxi foi o Cacalo. Entre a aceitação da sugestão como boa pela gestão Duda e o atual nível de conhecimento do mercado pelo ex-presidente passa uma combinação de quatro pontos de escassez característicos do futebol sulamericano contemporâneo:

    1) Quem indica está dissociado da prática cotidiana por estar realizando uma outra atividade há muito tempo. Daí também decorre a perda de seus contatos “quentes” de outrora;

    2) Como já disse antes, não há como comparar as médias de gols e o comprometimento com o clube atual dos jogadores de uma década atrás para o passado com as atuais. Não houve evolução tática nem técnica – apenas o físico melhorou. Além disso, a falta de continuidade devido às sucessivas transferências faz com que aqui só permaneçam os ruins, os velhos e as “rebas” do Velho Mundo (loucas pra recuperar parte do seu nome perdido e para lá retornar): FALTA CRAQUES E JOGADORES DE RAZOÁVEL QUALIDADE IDENTIFICADOS COM QUALQUER TORCIDA NO BRASIL INTEIRO;

    3) Falta preparo profissional à maioria dos dirigentes: cursos de gestão, de marketing, de direito e de comunicação com uma qualidade didática de primeira linha focados no esporte praticamente inexistem ou custam uma fortuna. Ser um advogado, um empresário ou um economista de renome com tempo livre para dedicar-se ao clube ajuda MUITO, mas não é mais suficiente para lidar com o detalhismo das variáveis específicas do esporte;

    4) Escassez de olheiros: um trabalho eficiente, científico e rigoroso nas categorias de base de um grande clube não consegue mais dar conta da diversidade geográfica, demográfica, sociocultural e, acima de tudo, FISIOLÓGICA + TÉCNICA. Até mesmo escolinhas conveniadas, terceirizadas e clubes de aluguel precisam de profissionais suficientemente treinados para seguir o mesmo padrão de exigência da coordenação das categorias de base da matriz. Isso leva tempo e custa muito dinheiro. Como os europeus não são bobos, os baratíssimos e abundantes jogadores africanos que hoje despontam sobretudo na Inglaterra e na França (com alguns focos na Espanha, na Itália e na Alemanha) já foram recrutados há muito tempo pelos olheiros profissionais dessa elite.

    Embora fascinante, o futebol profissional é deveras complexo pra poder proporcionar resultados exitosos…

    []’s,
    Hélio

  8. 1. MAXI. Há muito penso assim: está no clube ótimo; sai, que se exploda, é inimigo. Foi-se o tempo em que o jogador virava ídolo meu e, na verdade, foi-se o tempo dos ídolos. Hoje a torcida aprendeu, e quem não aprendeu tem que aprender, que o ídolo é o próprio clube, o resto joga por grana. Sobre o atleta Maxi só posso compará-lo em relação aos nossos próprios. E neste aspecto, respeitando as demais opiniões, não me lembro qual foi o último jogador do GRêmio que, ali, rendeu mais do que ele. Quem teria sido ? Me digam um que rendeu mais do que ele ali. De 2005 tivemos entre tantos atacantes o Lipatin ( nossa senhora ), Somália ( vixi ), Pereia, aquele chileno que nem me lembro mais o nome dele direito, seria Bonsejur ?, Carlinhos, naquela época – imaginem, foi goleador – Marcel, Reinaldo, Soares, JOnas ( que so jogou mais ou menos parte do ano passado )Herrera ( 2 x ), olha, sem nenhum esforço, me lembrei correndo, de 10 … se me esforçar um pouco mais lembro mais 10 … Enfim, não me lembro qual foi o último jogador ali melhor do que ele. Então não acho que a vinda dele tenha sido ruim, foi o melhor, repito, ali, em muitos anos, então cumpriu a missão melhor do que uns 20 mais ou menos, e se ganhava bem ou muito bem, somem os salários destes todos que passaram … Só fez um gol fora …. ah, mais ai não é o responsável sozinho e os que largam a bola para ele aonde estavam nestes jogos ? Bem, foi-se, adios e pronto !

    2. VITOR. NÃO ME PASSA PELA CABEÇA QUE A DIREÇÃO PENSE EM VENDÊ-LO. TODOS NÓS SABEMOS O QUE ACONTECEU NO CLUBE QUANDO O DANRLEI FOI DISPENSADO. TAFARELI, AQUELA COISA HORROROSA QUE AINDA POR CIMA TINHA UM MACACO AVERMELHADO DESENHADO NA CAMISETA, AQUELE ARGENTINO QUE UNS DIZIAM QUE ERA BOM, NOSSA, POR FAVOR, NÃO CREIO QUE A DIREÇÃO SEQUER DE LEVE PENSE EM DEIXÁ-LO IR. NÃO CREIO E NÃO VOU CONSIDERAR O ASSUNTO.

  9. Edison, a unica coisa que o Roth poderia ter como fundamento lógico para entender que os diretores eram amadores começa por ele próprio ! Um diretor responsável jamais poderá contratar o Roth de treinador.

  10. Os sites mais usuais sobre futebol e jogadores mostravam informações sobre o Maxi que não o recomendavam como craque ou ao menos ótimo jogador. Apenas razoável. Por isso disse que alguém o inventou. Enfim, já era.

  11. Concordo com o Josias acho o Maxi muito bom jogador e tambem acho ridiculo ficarem agora detonando o cara so porque ele esta pensando na sua carreira e quer ganhar mais. Ou voces acham que estes jogadores que o Gremio contratou vao jogar por amor a camiseta? Vieram porque o Gremio esta pagando bem para eles.Prefiro perder o Victor do que Mario ou Rever, pois goleiro pode ser espetacular mas nenhum time ganha titulos atraves do goleiro. E outra que ele quer ganhar em euros. Busato e Tiago da base sao otimos

  12. A unica observação que fiz diz respeito com o que o Maxi fez enquanto esteve no clube. O que disseram antes e o que vão dizer no futuro dele emoutro time não estava em debate nem me interessa. Enquanto aqui esteve, e como Atleta, eu, pessoalmente, e a imensa maioria da torcida do clube, não tenho queixa, ao contrário, sua passagem foi positiva suplantando um número impressionante de outros jogadores na sua posição e que há anos não correspondiam, isto é inegável; a forma como saiu é que foi discutivel e eu, tb, muito pessoalmente, não gostei. Já desembarcou jogadores aqui sobre os quais diziam-se maravilhas e que não jogaram absolutamente nada.

  13. Prá finalizar: se ele foi inventado, inventor, assim, me serve. Inventor que não me serve é dos tantos nomes que citei.

  14. s/ o assunto Ronaldinho temos varias vias a optar:

    1- ódio do torcedor à tradição heredofamiliar de traição, coisa que me filiei até uns meses atrás.
    Fui testemunha, há uns meses, de insultos na rua de torcedores gremistas contra membro da familia e ví como são capazes de afetá-la.

    2- posição pragmática:
    bem encaminhada, ” a volta ” poderia render bastante ao clube. Ex: o numero de torcedores gremistas fora do sul de país certamente aumentaria.
    Excursões, programas de adesão de sócios, propaganda, etc.

    Acho que um dirigente ou conselheiro tem obrigação de pensar nas 2 vias. Para bem do clube. Nisso o Cesar Pacheco e o Duda fizeram bem, recebendo o Assis. Apesar das criticas.
    Tenho quase certeza que o ódio é localizado no torcedor mais fanático, acho que o torcedor mais comum, a maioria da torcida , do interior tem isso menos presente

    cbimbi

  15. Cesar,

    Em princípio, os comentários que ouvi foram de que houve um mero comentário en passant sobre uma sondagem acerca da volta de Ronaldinho. Porém, o interesse de Assis seria outro: ele representa uma incorporadora espanhola interessada em investir no país e parece que o papo era sobre a área da Azenha quando a Arena estivesse pronta. Como isso depende de troca de chaves com a OAS e como o Grêmio não teria como arcar com essa despesa, não haveria como o representado de Assis adquirir a área do Olímpico.

    Outro que representa uma incorporadora no país (não sei se a mesma) é o Mauro Silva, que atua em São Paulo nesse setor.

    []’s,
    Hélio

  16. Hélio:
    gostaria de saber tua opinião, bem como aos demais aqi do blog sobre a volta de Ronaldinho.
    Se o Gremio está tentando crescer em simpatizantes no Brasil afora além do Sul ( aumento de faturamento em cotas ) não achas que seria de pensar nisso?
    Ou não seria?

    cbimbi

  17. Cesar,

    Sim, acho que Ronaldinho magro e motivado sem nenhuma cirurgia grave e com algo entre 30 e 35 anos poderia voltar, sim. Sou plenamente a favor. As pesquisas Datafolha são claras e mostram um padrão bianual que nunca mudou desde 1993: a torcida do Grêmio é meramente regional.

    A mídia gratuita e o séquito de patrocinadores que vem pedir penico ao Corinthians e ao Flamengo aumentaram enormemente o poder de barganha desses clubes com Ronaldo, Roberto Carlos e Adriano.

    Ao mesmo tempo em que Cesar Pacheco enaltece as vantagens das parcerias com o Banrisul e com a Puma, poderíamos finalmente começar a quebrar a lógica limitada de patrocínios casados com o T.A. e de nos restringirmos aos pequenos cofres de empresas meramente regionais.

    Ronaldinho é atleta da Nike – uma marca que pode investir em apenas uma única universidade (do Illinois em Urbana/Champaign, a 4ª melhor dos EUA) e em um único esporte (futebol americano), 7 milhões de dólares/ano. Depois de ratear com o Flamengo e perdê-lo para a Olympikus, poderia aprender a lição e retomar um segundo clube no país – este com forte apelo no Mercosul.

    Outra coisa: embora ainda jovem e caro, Lucas, mesmo agora titular no Liverpool (que, apesar de vermelho, é o Grêmio europeu), está longe da Seleção. Seria outro ato de ousadia.

    Esse tipo de pensamento serve para podermos manter VICTOR: http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-gremio,2769380,Victor-2009-foi-o-melhor-ano-da-minha-vida.html

    Sinceramente, chorei ao ler essa matéria. Havia muito tempo que um jogador do Grêmio não me emocionava com tanta intensidade…

    []’s,
    Hélio

  18. A hora do Victor ficar é agora o time criando corpo e as vitorias e titulos irão vir tenho certeza e precisaremos de um líder e esse é ele : VICTOR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.