De Colaborador: Marketing e Comunicação

Embora pareça antiético, story não estou fazendo crítica pessoal alguma mas, troche sim, remedy à formação dos departamentos de marketing e comunicação do clube.

Não gosto de comparações – ainda mais com o Tradicional Adversário. Porém, como desconheço na prática quem trabalha e como são organizados os setores de marketing e de comunicação de outros clubes (à exceção do que realmente interessa ao associado e ao simpatizante em geral, que é o fruto do trabalho a olho nu), vou me valer deles.

Que ninguém me entenda mal, por favor. Mas, neste caso, quem colabora com tais departamentos no Grêmio não pode ser apenas abnegado ou conselheiro: tem que ser especialista. A despeito da boa intenção de todos, ninguém ali é do meio.

(Parênteses: nem tentem comparar a boa vontade daqueles que colaboram com o marketing atualmente ao Paulo Deitos: são casos diametralmente opostos. Deitos fez curso de gestão esportiva, viajou muito para conhecer pessoalmente as categorias de base de clubes importantes do planeta e trabalhou talvez naquele que já foi um dos maiores celeiros de craques do continente, o River Plate. Mesmo que Deitos não fosse do MGAT e fosse remunerado, igualmente ele seria altamente qualificado.)

Concordo com o fato de que marketing e comunicação possuem uma intersecção necessária. Todavia, não se pode confundir uma coisa com a outra.

O marketing é um conjunto de técnicas mais vinculadas à Administração de Empresas e à Economia do que à Comunicação Social. De maneira muito resumida, trabalha com técnicas que definem estratégias para se adquirir e reter consumidores, aumentar o lucro e reduzir as despesas.

O composto de marketing é composto pelas variáveis Produto (qual, características, subdivisões, nichos de público, tempo de vida), Preço (popular, médio, premium), Distribuição (Logística, posicionamento estratégico para aparecer mais nos pontos-de-venda) e Promoção (Publicidade e Propaganda, Assessoria de Imprensa, Relações Públicas).

O T.A. possui conselheiros que são executivos de marketing consagrados em grandes empresas. A Comissão de Marketing deles possui um vice-presidente e mais seis ou sete diretores. Ninguém é remunerado. O herdeiro da Gang é (ou o foi durante um bom tempo – pelo menos até o ano passado) o responsável pelas negociações dos contratos com os franqueados da marca deles, enquanto os demais diretores tinham outras atribuições específicas.

Os dois coordenadores da Assessoria de Imprensa deles trabalharam durante uma ou mais décadas na grande imprensa esportiva. Alguns de seus subordinados trabalharam em produtoras de vídeo e outros já dominam a linguagem e a técnica da Comunicação Digital.

Isso não quer dizer que eu apoie ou defenda demissões. O que eu vejo é que falta muitas especialidades e que falta treinamento e investimento sério em equipamento de ponta – que, por incrível que pareça, não é exatamente caro.

Percebo neste blog a preocupação excessiva (e, muitas vezes, absolutamente desnecessária) com algo que nunca existiu e jamais existirá na humanidade, pois só os oportunistas e os hipócritas não declaram de que lado estão. Mesmo quem está do lado de fora possui valores pessoais que impedem que exista isenção.

A vantagem do T.A. em relação a nós nesse quesito é grande porque eles tem maior facilidade de realizar contatos e parcerias. Ao mesmo tempo, mesmo que não haja má fé, a cobertura da mídia corporativa sobre o Grêmio é desparelha não apenas em função dos resultados de campo acumulados mas, sim, porque as pessoas que dirigem esses setores lá do outro lado possuem uma rede social mais ampla. Muito se consegue na base da credibilidade em função das relações pessoais.

Não julgo se todas as ações deles são bem-sucedidas ou interessantes. Falhas acontecem e, certamente, ninguém fica sabendo das grandes burradas do lado de lá. Porém, eles fizeram um foguetório e atraíram uma multidão para a contagem regressiva do centenário e obtiveram mídia nacional gratuita com direito a mais de um repeteco com programas de 1h de duração sobre o centenário tanto na ESPN Brasil como no SporTV.

Na época do nosso centenário, esses departamentos eram rudimentares. Foi uma falha gravíssima, pois a esmagadora maioria dos clubes já os possuía. Essa preocupação mundial no futebol não é recente.

Já tivemos uma TV na Net. O que hoje chamam de Grêmio TV e Grêmio Rádio via internet possui bastante material produzido pela equipe do Haroldo Santos e sei que o trabalho é, em termos jornalísticos e de assessoria, bom e confiável. Contudo, não vejo repercussão e tampouco promoção dessa programação em uma posição de destaque do site do clube.

Aliás, o site… Bem… Ele só ficou um pouco mais bonito, mas não possui muitas informações diferentes da versão anterior. O que poderia ser um canal bastante funcional de contato constante entre o clube, o torcedor, fornecedores, parceiros e a imprensa é, infelizmente, uma ferramenta sub-utilizada.

Voltando à rádio: é um canal interessante e barato de se manter. O que não se sabe é a quantas anda o processo de autorização da mesma, pois o espectro de ondas de radiodifusão (rádio AM, FM, OC e TV VHF e UHF) é muito limitado em termos de quantidade de emissoras disponibilizadas de forma que o sinal de uma não interfira no das outras. É o Ministério das Comunicações quem define essas concessões, que precisam passar pela Câmara dos Deputados.

Voltamos novamente à questão da importância das redes sociais.

[]’s,
Hélio Paz

ATENÇÃO, NÃO DEIXE PARA ÚLTIMA HORA: ANTECIPE-SE E FAÇA HOJE MESMO O CADASTRO DOS MENORES PELOS QUAIS VOCÊ É RESPONSÁVEL. A PARTIR DE 03/02 SOMENTE OS CADASTRADOS TERÃO ACESSO AOS JOGOS.

Participe da discussão

39 comentários

  1. Os moderadores do Blog GRÊMIO SEMPRE IMORTAL avaliaram que o texto acima, postado como comentário em post anterior, merecia um destaque maior.
    Em razão disso, estamos efetuando este post, mesmo sem consultarmos o nosso colaborador/comentarista/leitor Hélio Paz.
    Aproveitem a leitura.

  2. Muito bom o comentário/post.

    será que alguém da direção lê o que se escreve neste que é o melhor blog do Grêmio e, mais, tenta implementar no clube algumas das sugestões aqui feitas?

  3. Caríssimos moderadores tricolores,

    No momento em que qualquer gremista comenta qualquer assunto em um blog, seu texto é público. Se a discussão merecer destaque, deixa de desviar o foco de outros assuntos e torna-se foco de outra discussão. Portanto, não é necessário pedir permissão para o uso.

    Particularmente, agradeço pela referência e espero que MUITA gente participe.

    Mais uma vez, obrigado!

    []’s,
    Hélio

  4. Informação do dia que só acrescenta ao post: um dos assessores de imprensa de lá matrculou-se no novo e certamente excelente pós-graduação em Jornalismo Digital da PUCRS. Aulas todos os sábados dos meses letivos durante um ano e meio, investimento mensal de R$500,00.

    Tudo o que eu falo sobre jornalismo colaborativo, sobre manter um contato direto e constante com o público-alvo, sobre o uso das TIC (Tecnologias da Informação e da Comunicação) e, acima de tudo, o pensamento em rede ao invés do pensamento hierárquico e burocrático tornou-se fundamental do lado de lá.

    Mais uma vez, estamos assustadoramente atrasados.

    []’s,
    Hélio

  5. Desculpem. De forma alguma quero monopolizar este tópico, mas não posso me furtar ao compartilhamento de fatos e reflexões que surgem ao longo do tempo…

    Por mais que a independência, a informalidade e a honestidade devam SEMPRE ser a prioridade deste blog, deixo uma frase pra se pensar:

    – No momento em que o clube não sabe blogar, não sabe lidar com comunidades de torcedores no Orkut e trata com desleixo de um planejamento sério acerca do conteúdo do seu site, o fato de uma série de associados e conselheiros discutirem questões do clube sem NENHUM RETORNO acerca de tantas demandas em diversos fóruns como estes significa que a instituição age e pensa errado na forma de se comunicar e de executar ações junto a seu público mais atuante.

    Não, não estou sendo exigente demais, nem injusto e ainda não enlouqueci.

    []’s,
    Hélio

  6. Creio que a formulação do comentário anterior não ficou clara: o que quis dizer foi que todos nós espalhados pela internet somamos muito mais propriedade de causa até mesmo em pequenos detalhes sobre como vemos e o que esperamos do Grêmio, mas o clube não se impõe na rede nem para nos dar satisfação, nem para nos corrigir, nem para pedir a nossa ajuda.

    Nesse sentido, a palavra oficial da direção – quando existe – é efêmera e pouco convincente. Nem mesmo os sites oficiais dos movimentos políticos são capazes de fazer oposição ou situação de maneira convincente. Quem tem assumido o papel informal de “governo paralelo” somos nós.

    Por conservadorismo, ouso afirmar que a esmagadora maioria dos presidenciáveis e “dirigenciáveis” também daria de ombros para esse fato.

    Tomara que novos dirigentes saiam daqui e que os antigos que eram despreocupados com isso aproveitem este blog como exemplo.

    []’s,
    Hélio

  7. Excelente texto excelentes idéias, objetivas e práticas, como tem que ser prá que tenham valor.
    Já tô lançando o nome do Helio prá conselheiro, no meu lugar mesmo, já que atua numa area muito mais necessaria ao clube e tem mais tempo.

    De novo, chamo atenção apenas para um outro aspecto que me parece importante, muito importante: a falta completa de Força Politica do Gremio, em Brasilia. Até prá conseguir um FM que a SOGIPA consegue…. ou que qualquer bispo consegue tbém…

    Sabe-se que qualquer grande empresa, clube etecetera que não disponha de contato no Detrito Federal fica em 2o plano. O TA está bem calçado, tem uma gang forte começando pelo Beto Mallandro, Deputada Oi-Beleza, Olivio Dutra ( padrinho do Carlos Simon ) et caterva…

    OU não é ESTRANHO que o Remendão tenha sido escolhido estadio da Copa direto, com todas benesses correspondentes, mesmo que no futuro o Gremio construa um estadio maior, melhor,
    em tempo hábil!??
    nem a proposta de uso de 2 estadios o deles e o nosso
    foi viável!!

  8. Caro Hélio!
    Estamos acostumados a ouvir dirigentes e técnicos de futebol dizerem que o torcedor é passional e que eles, ao contrário, não podem agir com a emoção e sim, com a razão. Portanto, não me surpeende o ar de soberba e o encastelamento em que vivem. Se auto-investem de “sabichões” no seu reinado, não aceitam críticas, muito menos sugestões por mais qualificadas e pertinentes que possam ser. A verdade é que a reformulação administrativa, que é parte importante do planejamento estratégico, embora seja uma realidade palpável, carece de uma maior celeridade na sua implementação e por conseqüência, nas suas ações. A profissionalização está inserida neste contexto e, a meu ver, é o o salto de qualidade indispensável nesta mudança. Todos nós sabemos que o grande perigo reside numa auto-suficiência desmedida e incontrolável que inebria e afoga o senso crítico das pessoas.

  9. Como sempre, o Hélio nos brinda como uma aula sobre o tema.
    Aproveito e ja respondo ao João Luis: sim, alguns integrantes da direção são leitores habituais do blog, além de diversos conselheiros das mais variadas correntes.
    Isso sem falar no Pres. Duda que ja afirmou ser um leitor do Blog nos encontros em que se fez presente.

  10. Acompanho o pessoal.
    Mesmo sendo um texto longo, o que o Helio Paz escreve da gosto de ler. Esse escreve com conhecimento de causa.
    Parabéns aos moderadores do blog por ter um colaborador desse quilate.
    E o João Luis ta certo nos questionamentos: a direção do Grêmio le as coisas que são escritas por aqui? Se leem, colocam em prática essa “CONSULTORIA” gratuíta fornecida por abnegados torcedores gremistas?

  11. Guardem esse nome: Hélio Paz.
    Muito em breve ele estará ajudando o Grêmio lá dentro. O conhecimento que ele possui estão o levando para isso.
    Parabéns pela forma clara como coloca tuas idéias.

  12. Eu tento me policiar para não ficar achando que tudo no tradicional adversário está uma maravilha e tudo do nosso lado está errado. Mas confesso que está difícil. Sinceramente, eu não acho que os problemas do Grêmio estejam restritos as áreas A, B ou C do clube. Minha impressão é de que as diferentes áreas do clube são administradas não pelas pessoas mais competentes dentro do conselho para uma determinada área, mas por aqueles que são “amigos do rei”.

    Aqui não vai nenhuma crítica aos abnegados conselheiros e dirigentes, que abrem mão do tempo com seus familiares em nome de trabalhar pelo clube. Quando uma determinada corrente vence uma eleição eu acho até natural que apenas os “partidários” participem da administração. É natural, mas será que é o melhor? Será que é o melhor para a instituição?

    Minha esperança está emergindo dos diversos blogs que eu tenho visitado nos últimos dias. Eu pude ver que existem muitos gremistas com muita vontade de ajudar e de construir um clube melhor. Mas junto com essa esperança me toma uma preocupação: será que o clube está usando bem esse força? Ou será que é necessário ser “amigo do rei” para ser ouvido?

  13. Meu caro César!
    Não sei se é mera coincidência, mas parece que as referências que aqui fizemos a respeito do programa Plantão das Multidões surtiram efeito. Aqui neste blog vimos solicitando uma maior participação da direção do Gremio na programação, não só para prestigiar o esforço do radialista Antonio Augusto, mas, também, para trazer a palavra oficial do clube em assuntos de interesse do torcedor. Alberto Guerra e César Pacheco foram entrevistados e tranquilamente responderam as inúmeras questões que fazem o dia-a-dia do clube, sem as especulações desprovidas de veracidade e por vêzes maldosas da mídia local. É um programa gremista de cabo à rabo. Por isso merece ser prestigiado por todos nós.

  14. Bernardon:

    a primeira parte foi respondida, obrigado. mas e a segunda? será que tentam implementar, ou só leem? mas de qualquer jeito, valeu pela consideração em responder!

  15. Acho insuportavelmente antipático se auto-intitular “o melhor blog gremista”.

    Pode até ser, mas náo precisa ficar se elogiando.

    Há outros blogs de igual qualidade, cada um com a sua característica.

    Feita a ressalva, digo que o blog é bom mesmo principalmente porque sai do samba de uma nota só. Se é verdade que o futebol é o interesse principal de todos nós, temos que descobrir e praticar como se encontram os meios para criar e sustentar um time vitorioso. O que não se consegue ficando só no comentário sobre o jogo x ou o jogador y.

    Aqui se vai mais a fundo como fez brilhantemente o colunista Hélio Paz.

    Parabéns Hélio.

    Não desanimem os demais interessados. Tema complexíssimo, ainda à busca de uma ciência efetiva, com centenas de obras publicadas, várias correntes e visões, impossível de esgotar-se em breve crônica.

    Porém, o Hélio conseguir dizer muito em poucas palavras.

    []’s

  16. O Hélio não é o primeiro. Tenho lido em entrevistas do pessoal das finanças e da Arena. Que marketing é muito mais do que vender produtos.
    Parabéns Hélio principalmente por expor a amplitude do marketing.
    Pergunto. Estaria eu errado se dissesse que a função principal do marketing “é a agregação de valor”?
    Valor à marca. O resto vem por consequência.

  17. Saúdo, com veemência, o entendimento do parceiro Hélio ora exposto. Fico feliz por perceber que a união das diversas correntes políticas no “NOSSO GRÊMIO” é possível. Fico aqui, no meu anonimato, torcendo para que o Duda chame o Hélio, a fim de conversar e auxiliar ao dedicado e comprometido César Pacheco. Penso que os verdadeiros gremistas não devem omitir-se e ou se afastar do clube em função de a Direção não ser de sua simpatia política. Pelo contrário, o Grêmio tem de estar em primeiro lugar e todos nós temos de trabalhar por ele na área de nosso conhecimento. Profissionalismo e amadorismo (trabalho voluntário, por paixão,…) podem e devem andar juntos!! Este blog está, a cada dia, mais enriquecedor! Por ele constato a enorme quantidade de gremistas que verdadeiramente desejam o bem da Instituição! Congratulações a todos que aqui acessam!!

  18. Permitam-me um segundo contato! Lendo o comentário do Hélio, lembrei do que havia conversado com o tb dedicado Guido Spengler, Diretor do Depto Consular. A respeito da Ouvidoria, penso que todos poderíamos, de alguma forma e com o tempo possível, ajudar ao Airton Ruschel respondendo a todas as mensagens enviadas. Poderíamos pensar numa espécie de “mutirão” por área: uma equipe de voluntários gremistas poderia responder pelo futebol (esta seria a maior equipe, creio eu), outra pelas finanças (difícil), outra pelo marketing,…quadro social, a partir de uma INTEGRAÇÃO com a Direção (grupo com o vice-presidente). Responderíamos às mensagens, após o contato da equipe com cada Vice-Presidente. Pensei nisso, por saber que inúmeros torcedores do interior do RS e inclusive do Brasil e Mundo, ficam frustrados ao não receberem resposta ou apenas receberem aquela “sua msg está sendo encaminhada para ….”. Estas observações não se coadunam com críticas, mas com sugestão!

  19. Tá falando o meu idioma, Vitor!

    acho que o blog pode funcionar como uma especie de Central de Sugestões, mas tbém de Cobrança de resultados.
    gostaria de saber o que o Hélio acha disso.

    cbimbi

  20. Muito bom o texto do Hélio. Critico, mas bastante ponderado.

    Só faço um acréscimo, tanto a edição especial da Revista Placar como o Programa da ESPN Brasil foram espaços comprados pelo co-irmão.

  21. O tema é apaixonante e complexo, sem dúvida. E se trabalha sempre no limite tênue do sentimento humano (sempre subjetivo) associado aos sabores da economia. A bem da verdade, a questão sociológica me interessa muito mais, pois evoca a necessidade de conhecer o comportamento coletivo. A torcida do Grêmio não é única: ela é composta por uma série de nichos. Se formos pensar no tempo e no dinheiro necessários ao investimento que o clube precisa dispender para poder se comunicar da melhor maneira possível com essa imensa e peculiar torcida, a solução mais fácil, mais conhecida e menos eficaz é a comunicação de massa. Simplesmente porque não estamos lidando com uma massa uniforme, que pensa, age, torce e reivindica as mesmas coisas de maneira igual.

    Por exemplo: saber que o associado não se torna inadimplente e que existe uma demanda não-satisfeita por novas campanhas de associação quando se tem time e quando a maioria das pessoas está bem empregada é o óbvio ululante. Essa informação não agrega nenhum diferencial, pois não contribui para nenhum tipo de posicionamento estratégico.

    Ao mesmo tempo, não dá pra ficar chorando as pitangas porque o clube está endividado. Apesar de termos um público altamente regionalizado e estimado em 7 milhões de gremistas em comparação aos 38 milhões de flamenguistas distribuídos por todo o Brasil, é bom lembrarmos que o Flamengo não tem estádio, é um clube social sucateado porém forte, seu número de associados é pífio, eles precisam dividir a receita entre esportes olímpicos (embora creia que o Grêmio também devesse competir com Sogipa e União nesse segmento e que seja bastante possível não misturar a verba do futebol com a verba de outros esportes – ao contrário do que muitos pensam, isto não seria uma perda de foco mas, sim, uma forma de engajar e atrair associados que não são ou que não podem se envolver assiduamente com o futebol). A ISL pegou muito mais pesadamente contra os cofres rubro-negros do que contra nossos cofres tricolores.

    Nesse sentido, reitero meu apelo para que o clube acate e para que dê carta branca para aquele grupo maravilhoso que fez um trabalho de mais de dois meses de pesquisas exaustivas, composto por cerca de 20 das melhores cabeças do marketing gaúcho oriundas daqui, que prestaram um serviço abnegado porém altamente especializado.

    Enfim… Não considero suficiente apenas a direção ter tratado-os bem e ficado entusiasmada com as possibilidades. Apesar de não estar lá dentro e de compreender que o segredo é a alma do negócio, por enquanto não sinto firmeza na adoção prática desse trabalho.

    Um bom blog, um bom site e pessoas dedicadas a colher o feedback de todos aqueles que entram em contato com o clube fornecem à direção e a todos os setores (Consular, QS, Base, Futebol Profissional, Finanças, Marketing, Comunicação, Jurídico, Patrimônio, etc.) informações preciosíssimas acerca de uma fração muito significativa do universo de torcedores. Uma medida assim acelera ações e minimiza erros. É o uso puro da inteligência a um custo muito baixo.

    O brilhante trabalho do Minwer trouxe alguns dados preliminares impportantíssimos para o clube já ter um norte a fim de poder pensar em quais nichos de torcedores pode priorizar esforços em uma nova campanha de associação.

    O Preis sempre se dispôs a explicar detalhes sobre a Arena. E o grupo do Saul Berdichevski começa a desvendar a delicada questão dos direitos e deveres dos associados ao longo do tempo que o Cacaio Azambuja domina como ninguém.

    Independentemente da postura extremamente equivocada tanto do G6 quanto da atual oposição na qual um lado só procurará o outro caso o circo esteja pegando fogo, o que cada grupo pode oferecer em termos de INTELIGÊNCIA? Sabemos que não é pouco. Os exemplos não faltam.

    O que falta ao Grêmio como um todo é que todos se dispam da postura de “pai da criança” quando alguma excelente ideia é posta em prática ou da postura de “dono da bola” quando se é governo.

    []’s,
    Hélio

  22. Agradeço imensamente pela simpatia, pelos elogios e, sobretudo, pela enorme paciência, atenção e interesse por compartilharem de bom grado as intenções que eu tenho de contribuir com o nosso Grêmio. Porém, deixo claro que não é necessário que ninguém se afaste ou troque de lugar pra dar uma chance para mim ou para quem quer que seja.

    Aliás, acho que há gremistas que tem estado muito mais próximos e que já contribuíram de maneira prática com mais efetividade do que eu. Há alguns brilhantes gremistas que considero à minha frente em qualquer fila, mas cito brevemente o Minwer e o Marcos Almeida.

    []’s,
    Hélio

  23. Helio!
    e a volta do Ronaldinho Gaucho que tú achas?
    tendo em conta q a torcida gremista – como tu dizes tem varios nichos ou facetas?
    tenho prá mim q a maioria dos gremistas é a favor!
    queria ver tua analise…

    cbimbi

  24. Vitor, a sua idéia é muito boa! Já que é humanamente impossível para poucas pessoas interagirem com a imensa torcida do Grêmio, porque não contar com o trabalho voluntário de diversos gremistas? Como se pode levar essa idéia adiante? No que eu poderia ajudar?

  25. Vitor e Leandro,

    É exatamente isso que a internet propicia: sendo ela um ambiente digital que não depende da relação entre tempo e espaço por ser ubíqua (isto é, quando se está em um lugar, se está em todos os lugares ao mesmo tempo), o espírito de debate e, acima de tudo, de colaboração e de engajamento tendem a crescer.

    O Grêmio tem muito a ganhar caso a ouvidoria seja tocada online. Um blog da ouvidoria seria muito útil. E, no site, por e-mail, o formulário poderia ser muito mais específico (por departamento e por assunto). A resposta às dúvidas, críticas e sugestões poderia ser postada publicamente.

    Vejo como possível a triagem por parte de voluntários. Porém, a resposta precisa ser exata, rápida e com suporte oficial: precisa ser correta e verdadeira. Nenhum respondente pode praticar o achismo nem tomar como base outros exemplos mais genéricos para casos pontuais.

    Inclusive acho que o Exército Gremista peca por oferecer uma recompensa pífia, além de ter um regulamento confuso e de não seguir a máxima de John F. Kennedy adaptada ao Grêmio:

    “Não pergunte o que o seu ‘time’ pode fazer por ti: te perguntas sobre o que TU podes fazer pelo teu ‘time’, te informa pra não fazer besteira e toca ficha!”

    O Sponchiado é um voluntário sensacional lá em Floripa. Ele faz pelo Grêmio o que muitos conselheiros e cônsules não fazem. Acho que é por aí! ;)

    []’s,
    Hélio

  26. Hélio, não poderia deixar de elogiar teu texto. Parabéns!

    Aproveito pra agradecer a lembrança apesar de, sem falsa modéstia, discordar quando me colocas na tua frente na “fila”.

    Abs

  27. Então, Leandro, Hélio e demais parceiros, penso que a Direção poderia organizar uma reunião específica sobre o tema. O Hélio referiu um blog (acho ótimo), eu pensava em responder via correio eletrôncio, mas sem dúvida que teremos de dizer sempre a verdade após conversarmos com cada Vice-Presidente ou Diretor de cada área. Respostas concisas, mas claras e verdadeiras. Talvez possa fazer contato com o Evandro e ou o Guido ou outro gremista da direção, a fim de iniciarmos a discussão. Ah, conversarmos tb com o Ouvidor, Airton Ruschel, a fim de colher uma primeira impressão, porquanto não tenho a pretensão de adentrar sem permissão em qq pasta do clube. Pelo contrário, apesar de crítico, reconheço um bom, correto e dedicado trabalho, como o que a atual Direção vezm fazendo. Equívocos são normais, porém termos de ser ágeis para saná-los, aí é que entra cada um de nós: ajudar ao Grêmio, independente de corrente político. Registro mais uma vez minha satisfação por tanta participação construtiva neste tópico. Abraços a todos!!

  28. O Cesar falou sobre a Rádio Sogipa FM. Como ela tem já vários anos de estrada (algo entre cinco e dez anos, se não me engano), creio que o processo de pedido de concessão dela seja bem antigo.

    Não sei dizer se o Grêmio realmente solicitou a concessão de banda ao MiniCom. Mesmo que o tenha feito, essa atitude deve ser recente (dificilmente há menos de três anos atrás). Lobby ajuda, sem dúvida. Mas esses processos sempre foram muito demorados.

    Por outro lado, há várias soluções que muitos desconhecem. Em pouco tempo, haverá emissoras de rádio e TV digitais que não dependerão da limitação das ondas de rádiodifusão (nota: a imagem e o som da TV também se transmite por ondas de rádio). Um único satélite transmitirá o sinal de pelo menos 400 emissoras diferentes. E haverá muitos satélites espalhados pelo céu no mundo todo.

    Apesar da boa nova, talvez não se deva esperar até lá.

    []’s,
    Hélio

  29. José Dias: sem dúvida. O marketing, a partir do seu mix, é o processo integrado que as empresas precisam utilizar para gerar valor para os consumidores. Agregar valor a um produto ou serviço necessariamente consiste em criar, manter e satisfazer aos consumidores.

    Voltando ao mix de marketing: o PRODUTO precisa ser uma SOLUÇÃO; a PROMOÇÃO se faz através de/e gera INFORMAÇÃO; o PREÇO é VALOR; e o PLACEMENT (ou exposição estratégica dos produtos nos pontos-de-venda mais adequados ao fluxo do público-alvo do produto/serviço em questão) refere-se ao ACESSO.

    Enfim… Não pude completar o MBA em Marketing na ESPM porque foi bem na época em que tive a oportunidade de ser professor substituto na UFRGS. Mas, embora não tenha praticado a coisa, acho que assimilei bem esses princípios básicos.

    Isso posto, pessoalmente creio que essa história de “marketing pessoal” não existe: o que existe é autopromoção.

    []’s,
    Hélio

  30. Senhores, posso estar indo na contramão (com ou sem hífen???), mas não acho que seja necessário o Grêmio ter uma “concessão” de banda. Defendo, mesmo sem conhecer nada sobre o tema ou possíveis tratativas já realizadas, um “convênio” com alguma rádio já existente para que possamos utilizar o seu espaço na transmissão de programas unica e exclusivamente de interesse da comunidade tricolor.
    No caso de uma concessão para uma rádio para o Clube, teríamos que ter toda uma estrutura técnica, além dos diversos profissionais, para mantermos uma rádio 24 horas no ar.
    Por isso penso em algo mais simples de ser viabilizado.

  31. Bernardon,

    Se a rádio aceitar numa boa o rótulo de “chapa branca” pró-Grêmio, seria a medida mais rápida e barata. Mas qual a vantagem dela se não se dispuser a comprar briga com a Band, que é uma rádio colorada por ter entre seus proprietários a família Záchia?!

    A RBS é de conselheiros do Grêmio (Nelson e Pedro), mas ganha mais dinheiro em função do que o outro lado pode lhes proporcionar. A Guaíba é vulgar e popularesca (o pior vereador do mundo é seu principal locutor – não preciso dizer mais nada).

    Ficamos com o Totonho. Mas esse espaço de programação gremista precisa ser ampliado. E pena que a Pampa possua uma audiência tão pequena…

    Enfim… Se a Pampa tiver (ou quiser criar) um espaço colorado pau a pau com um espaço gremista, acho que seria até mais honesto.

    Quem não dá espaço igual para ambos os lados se pronunciarem oficialmente acaba sempre caindo no interesse de seus patrocinadores. O rádio AM é o meio de comunicação de massa mais barato e é claramente posicionada para vender mídia popular.

    Nesses termos, embora não seja planejador de mídia e não tenha acesso a pesquisas atuais, se a torcida do Grêmio é um pouco maior do que a deles e essa distribuição se faz de maneira equilibrada em todas as classes sociais, deduzo que as rádios esportivas HÁ ANOS teimam em considerar o Grêmio como “clube de elite” e eles como “clube do povo”.

    Ou temos profissionais de mídia menos competentes do que há 10 anos atrás nas agências, ou temos departamentos comerciais e diretorias de programação desatualizados nas rádios.

    []’s,
    Hélio

  32. vamos organizar um almoço ou final de tarde no Copacabana prá discutir esse tema?
    uma 2a feira ou 3a feira?
    posso ajudar a movimentar isso, se acharem legal.

    cbimbi

  33. César, apenas para informar: O Copacabana está entrando em férias coletivas. Retorna apenas no começo de março…
    E por falar em férias, eu também estou me afastando desse convívio virtual diário. Retorno após o carnaval.
    Espero que o Josias, opa, os moderadores continuem com esse nível de postagens, pois quando do retorno, quero por toda a leitura em dia.

  34. Me admira saber que o Hélio Paz, a quem acompanho faz tempo, ainda não é conselheiro do Grêmio, uma pessoa com a inteligência e o gremismo dele, é um crime não estar lá dentro do nosso tricolor, ainda mais atuando numa área que julgo precária no Grêmio.

    Obs: Hélio, parabéns pelo sucesso da esposa, te acompanho desde do tempo do teu antigo blog,que conheci através do Alma da Geral, do grande Guga(Aliás, o Boteco tricolor tem que voltar hein, mete uma pilha no Guga) e sei das lutas que vocês enfrentaram para atingir os objetivos a que se propuseram. Mesmo de longe, e quase anonimamente, torço pelo sucesso de vcs. Grande abraço.

  35. Acompanho o André nos cumprimentos ao Amigo Hélio pela conquista da Lúcia.
    Quanto a ausência do Hélio no conselho tricolor, isso é apenas questão de tempo. Tenho absoluta certeza disso, pois ele é uma pessoa que pensa no Grêmio acima de tudo…

  36. Pequenos drops:

    Obrigado a todos pelo carinho da lembrança pela conquista da Lu. O que eu postei sobre isso no diz tudo: ela merece demais! ;)

    Que a família Bernardon descanse e se divirta MUITO nas férias merecidas! :)

    André Marins: o Alma da Geral está lá, sempre com a palavra forte e militante social do Guga. O trabalho do Coletivo Catarse de Comunicação como produtora de documentários e de matérias jornalísticas sob um viés diferenciado da mídia corporativa é admirável, bem como o da Graturck , a consultoria em assistência social da mãe dele.

    Quanto ao Grêmio: o podcast Boteco Tricolor irá crescer e ter uma assiduidade de gravações maior, além de contar com mais participantes fixos. A convite do Guga, o historiador Rodrigo Cardia , o conselheiro Richard Ducker , este que vos fala e outros tricolores passamos boa parte de 2009 atribuindo notas aos jogadores do Grêmio no Almômetro . O resultado final foi que VICTOR obteve a nota mais alta. O cartunista Luciano Kayser irá criar uma ilustração que iremos mandar gravar em uma placa para entregarmos ao goleiro pessoalmente entre o final do Gauchão e o início do Brasileirão.

    O programa final de 2010 contou com a participação especialíssima do Bruno Coelho, jornalista que escreve no blog diretamente de São Paulo. A visão de um gremista que está fora do RS é sempre muito importante.

    E o Almômetro 2010 irá voltar somente no Brasileirão. Por que não antes? Porque julgamos totalmente descabido tecer juízos de valor sobre a atuação de cada jogador em um time ainda em fase de entrosamento tático, de afirmação técnica e – com certeza – de plantel ainda incompleto.

    O pessoal da Catarse está reformando o estúdio com isolamento acústico adequado e instalando ar condicionado neste período de recesso de suas atividades dentro do escritório, pois, na rua, eles não param.

    Em 2010, o Boteco Tricolor irá convidar conselheiros (muitos dos quais nos brindam com a sua inteligência, crítica e simpatia aqui no SEMPRE IMORTAL), ex-atletas (o “Lobão” Mazaropi será prioridade nº1) e o que mais vier.

    Essa é uma atividade muito divertida. O Guga, o Sérgio Valentim e o Jefferson Pinheiro da Catarse estão de parabéns pela iniciativa.

    []’s,
    Hélio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.