De Colaborador: IRANY SANT´ANNA JR. DUDA JÁ TERIA SUCESSOR ?

O jornalista Hiltor Mombach não é festejado por todos mas, à evidência, e isto é inegável, tem faro jornalístico dos mais apurados.

Possuo incontáveis defeitos, mas para compensá-los, ao menos em parte, nasci com memória que às vezes beira ao fotográfico, algo hereditário, talvez, pelo meu pai e que uma das minhas irmãs traz ainda mais acentuado. Lembro-me, de memória, de diálogos inteiros, episódios, datas, desde a minha mais tenra idade, e mantenho viva passagens do Grêmio com gravações na mente de jogos, jogadas, gols, em detalhes, mesmo de partidas não tão relevantes, como uma em Rio Grande contra o São Paulo em que quase nos tiraram o título regional ao marcarem um penalti inexistente numa bola que chutada com imensa potência para dentro da área retumbou no braço do Paulo Isidoro.

 Não foram poucas as vezes que interrompi um que outro relator em processo judicial ousando corrigir transcrições de trechos do processo por ousar mostrar que estaria incorreta sua referência, às vezes até da folha citada como tal. Por isto, volta e meia, me arrisco a peleia rápida de citações passadas. E foi por isto que recordei, aqui, algunas incursões decisivas do jornalista em questões do Grêmio que talvez sem a sua intervenção não tivessem sido concretizadas, como a comercialização das camisetas pretas, as pulseiras etc.

A mais significativa, tenho como certo, é a dos cheques da ISL. Foi o primeiro a suscitar a questão. De tanto bater, de tanto martelar, o CD, pressionado, criou uma comissão para investigar o caso e por sugestão minha, destacou o então conselheiro Marco Souza para relator. Ironia, indiquei meu futuro desafeto. Na verdade minha única divergência com ele foi de ordem processual, matéria que, já vimos aqui, ele não guarda grande familiaridade, mas forçoso reconhecer que tirante isto desenvolveu um bom trabalho. Sei separar bem as coisas e, como dizia o Paulo Odone, sem praticar, ´o ódio faz mal para o coração`: eu acrescentaria que supervaloriza o adversário, por isto, particularmente, me honra quando um inimigo se tapa de rancor por mim.

Pois não tenho dúvida alguma, insisto, que não fosse o colunista o caso ISL nunca seria analsado no CD, e menos ainda pelo Judiciário, pois a partir das suas publicações e questionamentos um delegado de policia entendeu de instaurar IP e a questão parou no Judiciário que julgou e condenou.

Curioso, na época o maior defensor, na imprensa, do Gestão do Governador do período ISL, que baixou, inclusive, a lenha no delegado e no juiz da ação, dias destes foi pego criticando o CD pela ISL: Pedro Ernesto.

Pois flagro que já há algum tempo o Hiltor vem  ‘rodeando` um tema que tá caindo de maduro. 

Infelizmente não privei da intimidade do falecido Presidente Irany Sant´Anna, mas tinha imenso respeito por ele e sei que ele tinha grande carinho por mim, em que pese minha juventude, na ocasião, especialmente como integrante do CD.

Em meio ao caos que começava a se instalar no quadro ISL, encontro ele atravessando a Siqueira de Campos, vindo da Trav. Francisco Leonardo Truda, bem ali, na sinaleira, da esquina do prédio aonde um dia fora o Bromberg, e que até Bingo já hospedou. Cumprimento-o, de forma referencial, e ele me emprestando uma importância que eu não tinha interrompe sua marcha e me leva para um canto da Galeria 7 de Setembro e me confidencia: estou muito preocupado com nosso clube, acho que vamos mergulhar num buraco sem fim se continuar do jeito que as coisas andam, mas te asseguro, estou me movendo e vamos  mudar isto, não pode o Grêmio conviver com isto. Depois soube que ele fora o grande iniciador e articulador da retomada.

Estive no seu velório, no salão nobre do CD. Quem conhece o Preis sabe que se trata, aparentemente, de um homem sempre muito sério, quase sisudo, que raramente mostra os dentes e pouca vezes demonstra seus sentimentos. Só quem priva de muito perto pode participar, com ele, de momentos de grandes expressões emotivas. Pois no dia do velório do Irany amaldiçoei-me por não ter conhecido aquele Gremista tão mais próximo. O Preis fez, a meu júízo, a mais linda manifestação que já vi alguém fazer em homenagem ao um ser humano que nos deixava. No outro dia escrevi isto ao Preis. Em meio à fala dele me vi com os olhos cheios de água e me questionei: que coisa, eu pouco conhecia do Irany e estava ali, prostado, chorando, por alguém que mal tinha tido alguns encontros. O Preis acabava de nos apresentar e desnudar a vida de um velho amigo que alguns sequer conheciam, mas que era um velho e grande amigo nosso!

Pois o destino está querendo que por força do talento e da competência – certamente hereditários – o filho do homem que articulou a retomada seja o grande conquistador do fim do rombo da ISL. Ironia. Esta, da boa.

As primeiras entrevistas que li do Irany fiquei pensando: melhor que isto, só se for verdade! Todo mundo, aqui, sabe do meu sonho de como ver o Grêmio, e não me encolho de dizer que tomo o SÃO PAULO como modelo para o futebol e passei o ano pregando: treinador mediano, comissão técnica permanente – do clube – e forte, muito forte: o resto investe no time. Parece que ali estamos no caminho. Adminstração? Esta eu não chegava a sonhar porque não conseguia me concentrar nela diretamente minado pelo sentimento derrotista dos financeiros que chegavam no clube e sem apontar soluções se avolumavam em lágrimas.

Pois Irany chegou sem alarde, quase no anonimato, modesto, sem holofotes, sereno e silenciosamente vem desenvolvendo um trabalho que, agora, se torna visivel. Ele está pondo uma lage por cima dos derrotistas que chegavam no clube e só sabiam lamentar, se queixar, dizer que as finanças tornavam o clube inviável e que aquele depto era um moedor, um triturador. Cada declaração de um fnanceiro do clube, dava para inspirar um fado!

Pois olha, esta administração dele me enseja sonhar com o modelo que se encaixaria como uma luva para acertar o passo com aquele do futebol que referi = Clube Administração Empresarial – Clube Futebol. Era só acertar o setor de Comunicação do clube, que anda mal, e o MKT, que não anda. Mas estes são 30%, talvez menos,  contra setenta ou mais dos outros dois, e ai passamos por média e o resto vem naturalmente.

Duda, já declarou que não segue na Presidência. Senhores, amigos Gremistas, acho, penso, que o faro do Jornalista encontrou alguma coisa e está tentando nos dizer algo!

O que seria? Vamos prestar atenção. Vamos ficar atentos.

Grande abraço a todos.

Carlos Josias Menna de Oliveira

Participe da discussão

24 comentários

  1. Josias discordo fraternalmente de teu texto. O Duda está na metade do mandato. Em princípio, qualquer cogitação neste sentido não me parece benéfico ao nosso clube. Como dizia o capitão Carlos Froner: “Vamos ver”.
    Acho que temos que nos concentrar no futebol. Perdemos um atleta de qualidade ( Douglas), mas houve contratações interessantes. O vestiário cresce com P. Paixão. Alberto Guerra também qualifica o Departamento de futebol. Esse será o nosso ano.
    De qualquer forma, o Duda não chegou a presidência por vontade de apenas um grupo político.

  2. Josias,

    Concordo muito contigo: embora eu não tenha sido jamais conselheiro e não tenha uma ficha de serviços relevante, nos encontros dos quais posso participar e para os quais sou convidado, o faço com prazer. Por mais breves que sejam os papos nos poucos momentos em que encontro o Irany, sinto-me bastante tranquilo e honrado por ter uma pessoa como ele trabalhando como um abnegado de altíssima capacidade profissional.

    Um grande amigo meu, altamente inteligente e, infelizmente, colorado, o Bruno Gütschow, que trabalhou até recentemente no Banco Central, sempre elogiava muito o Irany.

    Pra esse, faço campanha com bastante afinco.

    []’s,
    Hélio

  3. Pela pequena familiaridade que deu prá ter com os complexos meandros politicos do clube, quem chega de fora, nota a necessidade de renovação.
    Os ditos ” caciques ” não querem assumir a bronca da presidencia. Por outro lado, há 1 ou 2 que não largam o osso de jeito nenhum, embora com passagem desastrada pelo futebol ( caso de 1 ).
    A saida prá esse quadro é gente competente, como o Irany.
    Vejo tbém como necessario um reassentamento politico, deixando de lado os velhos manda-chuvas ( sem depreciação ). Reagrupar com ênfase em quesitos como vontade de assumir, espirito de trabalho em equipe, tempo disponivel….
    Resumindo, o Irany Santana e nomes como o dele são opções que renovam o tipo de administração. Acho que outros nomes que atualmente fazem oposição consequente e respeitavel, devem se unir a essa alternativa.

    cbimbi

  4. tô vendo uma reportagem na record news sobre o mkt corinthiano… nossa, tô quase chorando, comparando com o “lendário” mkt tricolor…

    sobre o irany santanna, ele sempre sabe o que fala, quando questionado. parece ser o melhor “valor” surgido entre os dirigentes gremistas nos últimos tempos…

  5. Num post anterior, eu comentei que o Irany Jr. tem todas as ferramentas para ser um dos maiores presidentes do Grêmio, e cada vez que escuto ele falar, ou fico sabendo de algo do seu trabalho, mais tenho a convicção que ele é craque. E outra, mesmo sem ser espalhafatoso e sendo discreto, o discurso dele é bom, ele é direto, claro, objetivo, otimista… é disso que o torcedor precisa.

  6. Mudando de saco pra mala, prestem bem atenção nisso: acho que a ideia pode colar:

    http://impedimento.wordpress.com/2010/01/08/racing-dono-da-sua-propria-camiseta/

    http://caouivador.wordpress.com/2010/01/10/a-camisa-que-eu-gostaria-de-ter/#comment-3253

    Colo abaixo meu comentário no Cão Uivador, do meu amigo e associado Rodrigo Cardia, historiador:

    “Certa vez, conversei com amigos advogados sobre a possibilidade de o torcedor-consumidor poder exigir a venda de um modelo oficial atual sem patrocínio. Em princípio, eles disseram que não há jurisprudência a respeito e que não se trata de um produto de primeira necessidade. Mas acho que, se os torcedores fizerem coro nas redes sociais via internet, a ideia pode tomar corpo.”

    Faço uma pergunta aos amigos advogados tricolores do Sempre Imortal (que não são poucos): por que diabos eu não poderia pedir a opção de comprar uma camiseta do Grêmio (oficial, de jogo e atual) idêntica à patrocinada só que sem os patrocínios, exceto o do fornecedor de material esportivo do clube?

    O Grêmio tem seus compromissos para receber o pagamento pela exposição da marca de qualquer patrocinador. Mas EU, pessoa física, torcedor, que pago e frequento porque sou apaixonado, não preciso ser patrocinado pelo Banrisul se eu tenho conta no Unibanco, ou pela GM se eu tenho um carro da Wolks ou se eu prefiro andar de bicicleta.

    Enfim… Acho que as pessoas que não se importam em andar patrocinadas poderiam pagar mais barato, enquanto os torcedores que querem ter as suas camisetas “imaculadas” poderiam ter um desconto considerável (de 20% a 30%), por exemplo.

    Como já disse, sei que o preço de custo das camisetas oficiais gira em torno de R$80,00 no lançamento. Sou amigo de uma das sócias da distribuidora Puma e material da NBA p/Grande POA e Litoral Norte e fui informado sobre esse valor. Não sei quantos meses depois a matriz do layout estará paga nem qual o percentual que cabe para o Grêmio, mas o valor cai bastante ao final da temporada, em um momento que demonstra claramente que houve, sim, bastante lucro antes de um encalhe que é bem menos significativo do que se pudesse imaginar.

    De qualquer forma, está aí o exemplo do patrocinador do Racing.

    Aliás, coincidentemente, esse fardamento do Racing é Olympikus. O Flamengo mandou a Nike e suas cláusulas leoninas catarem coquinhos na beira da estrada e, mesmo que o Adriano seja um atleta Nike, quem fatura horrores e vende feito água a um preço pra lá de aceitável a camiseta oficial rubronegra nº10 com o nome Adriano às costas é a marca gaúcha.

    Vejam bem: se o preço de custo é de R$80,00 e Flamengo/OLK vendem à 100,00, por que as Nike custam 220, as Puma custam 170 e as Adidas custam 130?!

    []’s,
    Hélio

  7. Também não sou do Conselho (sonho um dia em ser) mas conheço muitos que são (G6 e oposição) e pelo que tenho ouvido de comentários, podem colocar com o Irany Jr. o Paulo Luz (do mesmo grupo Grêmio Sempre), o Gabriel Fadel (Grêmio Acima de Tudo) e o Homero Bellini (Grêmio Independente). Acho que esses teriam todas as condições de serem grandes presidentes do Grêmio.

  8. Pois é, Hélio.
    Há 1 ano exatamente, comprei produtos chineses de boa qualidade em sydney, por 10 reais ( camisas ) e 40 ( jaquetas ). a jaqueta era semelhante as do Gremio ( marca Puma ) que paguei mais de 200 reais.
    pensei na hora: se fizessemos encomenda prá chines e vendesssemos direto na Gremiomania daria prá faturar uma grana preta.
    mas o aspecto juridico do contrato com a Puma não sei – desconheço se isso poderia ser feito

    cbimbi

  9. acho q o artur não captou a mensagem e ficou solitário; o luis felipe entendeu: temos sim opções e a busca do Josias é p ponto de partida; quem acha que ninguém é capaz descascar o pepino, um já tá mostrando que ele não é tão grande e tão grosso assim, este o lance do post: o pepino já está sendo descascado e pode estar no fim e tem um cara bom que ta fazendo isto.

  10. Discordo totalmente quanto ao Duda e concordo 100% quanto ao Irany, apenas que as habilidades dele são financeiras, o que me interessa muito e defendo ferroneamente mesmo que prejudique o futebol, o que ninguem entende… paciência!

    Helio, quanto as camisas, penso diferente, este ano iremos renovar (Puma ou outra) e o Grêmio, ingter, Sao Paulo e poucos outros times do Brasil ganham tanto na venda de uma camiseta. O Patrocinio nela é fundamental, é fácil dizer para nao o ter, mas e dai na hora do patrocionio queremos cifras milionárias?

    DUDA Presidente, o unico a pagar tantas dívidas e querer estruturar um Grêmio CLUBE. Títulos? Sim, precisamos… espero muito que tenhamos este ano para que não criamos mais um Tcheco (O Capitão) na Presidência.

    Irany é O CARA! Duda é O Presidente! Parabéns aos dois.

    Bento Gonçalvez me espera, 4a-feira to lá! :)))

    E tenho dito!

  11. Tudo o que aqui foi dito a respeito do Irany Jr. endosso plenamente. Executivo moderno, eficiente, de comunicação discreta, clara e objetiva. Quanto ao Hiltor, não passa de um astuto jornalista que “costumeiramente” (nada a ver com o Meira) dá sutis alfinetadas no Grêmio e que muitas vêzes “pisou na bola” em seus comentários e notícias a respeito do imortal tricolor. O fato de vez por outra dar visibilidade a assuntos que foram ou são “amorcegados” ou sonegados ao grande público por grande parte da imprensa, não o transforma, de uma hora para outra, no galante “mocinho” destes filmes que todos nós conhecemos. Olho nele! Por enquanto, está focado nos assuntos do Gremio. Vamos ver como se comporta quando os ventos mudarem seu rumo e também envolverem o nosso tradicional co-irmão. Não esqueçam nunca: ele é colorado roxo! E tenho dito…

  12. A próxima definição do Presidente do Clube e do respectivo CA ao meu ver é das mais importantes para o clube.

    Já me manifestei diversas vezes de forma contrário ao rumo que os movimentos estão dando à política do clube.

    O próximo CA deve ser plural pelo bem do clube, plural e renovado com pessoas que já tem vivência e conhecimento do clube mas que ainda nao tenham exercido este tipo de cargo, ou seja, renovação sem que isso signifique menor idade. Quem for o Presidente ao meu ver num cenário desses não é o fundamental
    Uma eleição disputada será maléfica para o clube, há espaço para a composição?
    Nesse perfil me vem à mente os nomes do Irany, do Ferrer, do Homero Belini quem mais? Pergunto aos amigos.

  13. Cesar,

    Importar não funciona, pois os uniformes são manufaturados nesses próprios países de mão-de-obra barata. Além disso, quem detém a marca aqui obtém garantias em troca de taxas alfandegárias e de impostos reduzidos no volume.

    Claro, o IPI é alto igual, mas se juntarmos um grupo de 100 gremistas cada um levando uma mala vazia e trazendo camisetas do Grêmio Puma vindas da Tailândia abaixo do nosso limite de peso e de dólares, mesmo assim, é um trabalhão dos diabos e não faz sentido. Não sei se é isso ou, então, concorrer com o Grêmio e com a distribuidora da Puma vendendo seus próprios produtos. Isso canibalizaria a cadeia, o prejuízo seria do Grêmio e nós perderíamos as nossas carteiras de sócio.

    Sponchiado: não sei se tu entendeste. Eu nunca falei para o Grêmio deixar de usar patrocínio na camiseta mas, sim, de o torcedor poder optar, com valores diferentes, pela camiseta oficial com ou sem patrocínio.

    As retrôs, mesmo caras demais para o meu gosto (tecido calorento e design que não imita 100% as originais antigas), estão vendendo bem e aparecendo cada vez mais. E isso não é só por causa do time de 1956, do Baltazar, do Renato ou do Jardel: é também porque as pessoas sentem saudade da camiseta “limpa”.

    O Grêmio pode fazer publicidade pra quem lhe pagar o que achar que é justo. Mas ninguém é obrigado a estampar uma marca de graça sem receber nada em troca. A relação comercial do Grêmio não pode ser COMPULSORIAMENTE estendida ao torcedor: o consumidor tem que ter o direito de optar.

    Além disso, como já falei sobre o preço das camisetas oficiais e sobre como ninguém chegou aos pés do Flamengo em vendas neste ano, mesmo mandando uma banana para a Nike e cobrando bem barato, que é possível, é.

    Cauda Longa: menor lucro por peça = venda muito maior de peças. No somatório, o faturamento na quantidade faz com que o lucro final seja maior do que se o fardamento for tratado como “griffe”. Além disso, gera muito mais empregos porque a produção aumenta.

    []’s,
    Hélio

  14. Olha João captei a mensagem. Tenho discernimento suficiente para entender a política do Grêmio, até por que a acompanho há muitos anos e com participação efetiva em vários pleitos. Porém, entendo que o momento deve ser para o futebol. Estar sozinho não significa estar errado. Collor em 89 esteve acompanhado de milhões. Porém, sou um democrata e este é um espaço para opiniões.

  15. O Marcos Almeida resumiu o que penso.
    Renovação nas funções, principalmente no CA.
    E de preferência o Pacheco em qualquer outra função que não o MKT.

    Pra presidente não vejo outro nome forte senão o Irany

  16. Apesar de, pessoalmente, achar cedo para o assunto, não posso me furtar de concordar com o Luis Felipe.
    O Irany é um grande nome, mas outros podem ser lembrados. Os nomes que ele relacionou – Irany, Paulo Luz, Gabriel Fadel e Bellini – são grandes gremistas. Todos com suas características, mas que querem o ACIMA DE TUDO O BEM DO GRÊMIO.

  17. Uma vez ouvi uma frase que me marcou muito: Nem todo excelente Coronel será bom General! Isto é apenas um indício…
    O Irany Santana Jr. me parace um homem talhado para o cargo que ocupa. Sim senhores, ele é um gênio no que faz. Talvez seja o grande acerto desta gestão e um dos maiores acertos de qualquer gestão do GRÊMIO. Irany nas finanças é como um Renato na ponta direira.
    Não sei se ele pode ou quer ser Presidente, cargo que eu pessoalmente acho que o Duda vem exercende apenas medianamente (para não dizer de maneira fraca). E engana-se quem pensa que eu não gosto do Duda apesar de todas as criticas que fiz a ele. Foram todas ao Presidente, nunca a ele.
    Acho que o Presidente do GRÊMIO deve ser mais incisivo nos seus comentários, não folclórico ou falastrão. Mas Presidente precisa de discurso forte, afinal Presidente deve ser um líder e não um técnico, isso cabe aos vices…
    Espero ter sido compreendido. E Josias acho que teus textos, apesar de discordar de muitas coisas (como o Hiltor) são sempre, no mínimo, criadores de debates.
    Dá-lhe GRÊMIO!!!

  18. Acho que temos grandes nomes para exercer a Presidencia do Grêmio, já fora citados acima, e com qualquer um deles teremos um grande Presidente. O que eu acho de extrema importância é que os movimentos, ao lançarem suas chapas a renovação do CD tenham a coragem de fazer o que o CD não faz, ou seja, eliminem da sua lista aqueles que frequentemente se ausentam. Nao vou entrar no merito, acho que os notaveis sao “intocaveis”, pois podem pela seu status beneficiar, intervir pelo Gremio em algum assunto, mas tem boneco que nao tem porque continuar. Ta na hora de pegar o chapeu e deixar quem realmente pode e quer fazer parte do CD. Grande abraco a todos e parabens ao Josias pelo texto.

  19. Bernardon, como tu é do Acima de Tudo, o movimento de vocês vai ter candidato a presidente como o JOão Pedro escreveu? Seria mesmo o Gabriel Fadel? Não conheço ele pessoalmente, mas sempre me pareceu ser uma pessoa do bem, séria e gremistão. Abre o jogo.

  20. Porque não cada um dos movimentos poderia ceder seu candidato à presidencia para a formação de um CA?
    Irany, Belini, Ferrer, Fadel, Luz, Karan…

  21. Quem abre o processo sucessório tradicionalmente ARTUR, tu que conheces o Grêmio há tanto tempo, sabe que é o PRESIDENTE. Pois o Duda já abriu a partir do momento que declarou que não irá concorrer à Presidência no próximo período. Então ele mesmo, Presidente, autorizou a especulação. Natural que surjam nomes que interessem ou possam interessar ao torcedor associado, natural e importante que hajam porque tempos atrás se lutava com dificuldades de nomes. Esta história de que disputa politica atrapalha o futebol já tá provado e comprovado que é piada, ela sempre é argumento de quem tá no poder e não quer dar espaço para candidato de oposição, o Guerrero foi o cara que mais usou desta artimanha. Esta de que tem que receber apoio dos grupos serve para todos, mas não dá prá descartar que se o candidato alcançar 30%, to certo ?, ele vai para a torcida, e este percentual pode lançar o cara ao associado e babaus tia chica. Odone foi com o minimo dos minimos e matou. Mas tem mais uma coisa, o IRANI é UNANIMIDADE e tem trânsito em todos os grupos politicos, não vejo nenhuma dificuldade nisto. E por fim o mais lindo do texto foi a comovente história do pai dele, o Presidente Irany, e esta ninguém falou. Muito bonita a passagem narrada do velório e a coincidência do filho terminar o trabalho do pai. Belo post.

  22. Me segurei. Me segurei.
    Acho que tem razão os que dizem que é cedo pra lançar candidato.
    Se bem que acho que não foi lançamento.

    Ma me dei conta de que tem algo muito acima dos melindres.

    Se o Duda for candidato NADA MELHOR do que ter vários presidenciáveis a apoiá-lo.

    Se não for candidato, vão à pqp. é preciso que apareçam discretamente nomes presidenciáveis.

    SEM JAMAIS ATRAPALHAR A GESTÃO DO PRESIDENTE.

    Ou só vão aparecer os presidenciáveis do contra.

    Josias. Mataste a pau.
    o/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.