De colaborador – Barcos, eu acredito.

A partir de hoje temos um novo colaborador no blog. Saudamos a participação deste novo camarada. Avante GRÊMIO

A Gerência

Olá pessoal, site meu apelido é Cuia e vez que outra, quando o Anderson liberar, estarei por aqui escrevendo algo sobre o Grêmio.

O tema deste meu primeiro texto é sobre um atleta que está dividindo muito a opinião da torcida, Barcos.

O Pirata não é aquele craque que alguns pensavam ser logo que chegou e nem a vaca atolada de atualmente. Mas é um grande jogador. Nos primeiros jogos com a camisa tricolor, eu via nele um atacante que recebia muitas bolas rifadas e, mesmo pressionado pelos zagueiros, conseguia dominar e escorar “rolandinha” pra algum companheiro. Hoje, precisa de três toques pra controlar bolas fáceis e quando tenta proteger cai ou é desarmado. Pra mim, isso é resultado de um mau preparo físico e de um cara sem nenhuma confiança, não tendo nada a ver com deficiência técnica.

Comparando Barcos e Kléber sou muito mais o primeiro. O Gladiador (e olha que torço muito por ele) é nanico, não tem velocidade, não tem bom cabeceio, não é goleador, não é técnico e/ou habilidoso e seu chute de média/longa distância é apenas razoável. Sua principal e melhor qualidade é a luta. Por brigar o jogo todo e buscar sempre o contato físico é um atleta difícil de marcar, com isso sofre (e comete) muitas faltas, o quê pode ser decisivo em vários jogos. No Grenal e contra os mineiros teve boas atuações, porém é o máximo que podemos esperar dele, não vai render muito mais que aquilo e pra pensar em título é pouco.

Em compensação o Pirata é alto, técnico, inteligente pra jogar e,  mesmo atualmente saindo muito da área e sendo um parto para balançar as redes, tem o faro do gol. Suas principais deficiências são a velocidade e a mania de não querer se consagrar. Ontem, por exemplo, o Grêmio vencia por 3×1 e tinha facilidade pra tocar a bola pois estava com um a mais. Fica lá na frente e te consagra tchê, mais cedo ou mais tarde sobra uma bola pra meter outra caixa, mas não, ele insistia em voltar e buscar o jogo no meio campo.

Porém, mesmo a fase não sendo boa, podemos esperar mais do centroavante. O gol que ele fez e a matada na bola antes de sofrer a falta do terceiro gol, após um bago dado pela zaga tricolor, mostram que o jogador possui qualidade. Não era simples fazer aquele domínio com apenas um toque e já ajeitando a pelota pra seguir em velocidade. Eu já tinha perdido a paciência com ele mas depois da atuação de ontem minhas esperanças ganharam um pouco de fôlego e desejo que agora o Pirata finalmente deslanche.

Bom, encerro meu primeiro texto por aqui e, após essa enxurrada de elogios feitos ao Barcos, espero que não seja o último, afinal estou indo contra o patrão e todos sabemos a opinião do Anderson sobre ele.

Cuia

@OCuia

Participe da discussão

11 comentários

  1. Saúdo a participação do amigo Cuia. Faço apenas um pequeno reparo no texto do amigo: aqui não há patrão, o blog é de TODOS os GREMISTAS e todas as opiniões são bem vindas. Vida longa ao contraditório.

  2. eu gosto do Barcos, embora ele ainda esteja devendo… mas vai melhorar, acredito. até hoje não entendi porque Marcelo Moreno foi embora, fazer o quê?
    acho que é interessante escrever sobre um ou mais jogadores especificamente, mas não podemos deixar de ver o conjunto. analisar um a um depois de uma partida pode ser somente falar o óbvio, afinal imagina-se que os leitores terão visto a partida. os que não viram talvez tenham uma ideia, que pode ser um retrato qualificado ou, ao contrário, enviesado….
    faz tempo que as coisas não engrenam no nosso time, temos episódios esporádicos de melhoras para depois não chegar a lugar nenhum, ou no máximo, á famosa vaga, ou o vice de alguma coisa. Não se entende, por exemplo, como podemos entrar com três zagueiros, fazer um péssimo primeiro tempo, depois arrumar isso e melhorar bastante (e contando com a sorte do dia, fazer gols, ganhar a partida) no segundo tempo. e depois, na outra partida, começar de novo com três zagueiros… vai entender…
    então acho que é um todo, começando na direção, no CD, no técnico, no preparador físico, jogadores…. talvez se olharmos o conjunto, inclusive entender essa situação esdrúxula da política tricolor, possamos não viver essa espécie de eletrocardiograma que é o Grêmio….

  3. Barcos melhorou muito, em relação a ele mesmo. Tomara que volte a ser o jogador que a gente esperava, quando foi contratado.

    Sobre o 352, minha amiga Maria Regina, é tão bom quanto qualquer outro esquema, desde que haja jogadores adequados escalados. Com Pará no time, não é 352, é 442 torto, pois enquanto Alex é um ala pela esquerda, Pará no máximo é um lateral medíocre.

    O time está melhorando com Renato, mas um dos erros que ele está cometendo é manter o Pará, no 352. Como não temos um ala para ser escalado, pela direita, Renato deve colocar um volante. Na minhão opinião, deveria ser o M Biteco, que tem força para ir e voltar, além de muito mais qualidade técnica que o Pará.

    Outra alteração que está caindo de maduro é colocar o Gabriel na zaga, no lugar do Bressan (que caiu de produção e tem errado bastante). Ganharíamos muito na bola aérea defensiva, que continua sendo um problema no Grêmio.

  4. bom texto, mas não acho o barcos grande jogador, somente um jogador bom e útil.

    me decepcionou muito o pirata.

  5. Alguém pode me explicar o que aconteceu com o Werley? Não vi a entrevista que ele deu reclamando de problemas internos…

  6. Sete Chapas inscritas para o Conselho. Cinco ou até seis vão morrer na práia. O MGI, o movimento mais qualificado, mais preparado, mais esperto, mais em tudo, colocou na chapa Jorge Gerdau Johanpeter, que só renova em 2016. Se eles queriam tirar proveito do nome, que colocassem em primeiro lugar. Que competência. Colocaram vários empresários, que sempre tiveram uma importância para o Grêmio quase no fim da nominata. Acham que o torcedor é idiota. É claro que eles não tinham nomes para completar a chapa e foram colocando quem iria renovar. Que competência. É a mesma que eles tiveram no futebol.

  7. Minha teoria sobre o Barcos é a de que ele chegou do Palmeiras com bom condicionamento físico e ele, mesmo desentrosado, jogou muito. Foi passando o tempo e o despreparador físico do Luxa foi botando ele fora de forma. Depois teve a lesão e ele nunca mais adquiriu uma boa condição física. Poderia ficar de fora uma ou duas partidas, fazendo algum trabalho especial e voltaria a ser o que dele se espera.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.