Da Série “Perguntar Não Ofende”

Apenas por curiosidade, medical a OAS cumpriu com cláusula contratual que previa a apresentação do financiamento para a construção da Arena até o dia 05 de março passado?

Se não cumpriu, ampoule qual será a atitude do Conselho Deliberativo gremista?

 

Participe da discussão

35 comentários

  1. Não sei quanto ao cumprimento, isso só importa se no contrato entre ela e o Grêmio estiver previsto queo financiamento será pago com as receitas. Do contrário a única prejudicada será a OAS pois ao invés de financiar terá de usar fundos próprios ou requerer outra forma do financiamento.

  2. http://www.bndes.gov.br/SiteBNDES/bndes/bndes_pt/Institucional/Sala_de_Imprensa/Noticias/2010/esportes/20100113_programas.html

    BNDES cria programas para arenas da Copa e hotéis

    13/01/2010

    Como parte do esforço do Governo Federal para preparar o país para a Copa do Mundo de 2014, o BNDES está criando dois novos programas para fomentar a realização de investimentos sustentáveis, tanto do ponto de vista ambiental quanto econômico. O Banco vai financiar a construção e reforma de arenas esportivas que serão usadas no torneio e também ampliará o apoio ao setor hoteleiro, para aumentar a capacidade e a qualidade da hospedagem oferecida aos turistas do Brasil e do exterior que devem assistir à competição.

    O anúncio dos programas foi feito pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva, em cerimônia no Palácio do Itamaraty, em Brasília. Também participaram a ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Roussef, e os ministros dos Esportes, Orlando Silva, e do Turismo, Luiz Baretto, além do diretor das áreas Social e de Crédito do BNDES, Elvio Gaspar.

    O Programa BNDES de Arenas para a Copa do Mundo de 2014 – BNDES ProCopa Arenas – tem orçamento de R$ 4,8 bilhões a serem utilizados na construção e reforma dos estádios que receberão jogos da Copa de 2014 e em investimentos relacionados à urbanização de seus entornos. Já o Programa BNDES de Turismo para a Copa do Mundo de 2014 – BNDES ProCopa Turismo – vai destinar até R$ 1 bilhão à construção, reforma, ampliação e modernização de hotéis.

    Estádios – O BNDES ProCopa Arenas poderá financiar até 75% do custo total dos projetos de reforma ou construção dos palcos dos jogos, limitado a R$ 400 milhões (o que for menor) por projeto. Os projetos deverão abranger melhorias no entorno, promovendo a acessibilidade e integração com o espaço urbano.

    Para as operações diretas, o custo será de TJLP (atualmente em 6% ao ano), acrescido da remuneração do BNDES, de 0,9% ao ano, mais spread de risco. Nos financiamentos indiretos incide também a taxa de intermediação financeira, de 0,5%. O prazo para o pagamento será de até 15 anos, incluindo até 3 anos de carência.

    O objetivo do Banco é que o evento deixe como legado equipamentos executados segundo as melhores práticas de conservação de energia e utilização de recursos naturais e que, após o torneio, sejam integrados às suas respectivas cidades e apropriados por toda a população.

    Para submeter seus pedidos à análise do BNDES, os proponentes terão de conseguir previamente a aprovação da FIFA para o projeto básico. Também será necessário apresentar um orçamento detalhado dos investimentos previstos. Outra exigência é a realização de um estudo de viabilidade econômico-financeira da arena contemplando, sobretudo, sua sustentabilidade financeira no longo prazo.

    Os projetos também terão de ser aprovados por entidade certificadora de qualidade ambiental reconhecida internacionalmente e/ou acreditada pelo SINMETRO. As operações têm prazo de contratação até 31/12/2011.

    Hotéis – O BNDES ProCopa Turismo tem o objetivo de preparar a rede hoteleira do país para o aumento de demanda ocasionado pela Copa, induzindo ainda o comprometimento ambiental do setor ao oferecer condições mais favoráveis aos projetos que levem em conta a preocupação com a eficiência energética e a sustentabilidade ambiental.

    Os prazos máximos de amortização, inéditos para o setor, poderão chegar a até 12 anos para modernização de unidades existentes e até 18 anos para construção de novas unidades. Poderão ter o benefício de ampliação do prazo de financiamento empreendimentos que obtiverem certificação, por entidade acreditada pelo INMETRO, de eficiência energética e/ou construção sustentável.

    Caso seja apresentada certificação de eficiência energética, os projetos de reforma, modernização e ampliação poderão ter seu prazo estendido para até 10 anos. No caso de construção de novas unidades, esse prazo poderá chegar a 15 anos.

    Já para obter o benefício máximo de prazo (12 e 18 anos, respectivamente) os proponentes devem apresentar certificação de construção sustentável que, além da eficiência energética, agrega outras exigências, como racionalização do uso da água e gestão de resíduos. Nas operações diretas, os juros do programa variam entre 6,9% (micro, pequena e média empresa) e até 8,8% (grande empresa), mais o spread de risco. Para se candidatar aos recursos do programa, os proponentes devem encaminhar seus pedidos até 31/12/2012.

    O programa permitirá também a realização de operações diretas a partir de R$ 3 milhões (normalmente, operações de até R$ 10 milhões são realizadas por meio de agentes financeiros). Para grandes empresas, a participação máxima do BNDES será de 80% dos investimentos totais, sendo que para MPMEs este percentual pode atingir 100%.

  3. Marcos Almeida, também não sei se a OAS conseguiu ou não o financiamento.
    Mas pelas informações que eu tive, no contrato fala que se essa cláusula não fosse cumprida pela OAS as demais poderiam ser revistas. Por exemplo, garantir no contrato a prioridade dos atuais sócios na contra dos ingressos, já que isso não existe no contrato.
    Se eles perderam o prazo e TODO O CONTRATO pode ser revisto, agora é a hora de garantirmos os direitos dos sócios no contrato.
    Como é um bom negócio pra todos, a OAS não vai se negar a colocar isso no contrato e nem os conselheiros do Grêmio vão deixar de querer isso.
    Perguntar não ofende.

  4. do site da sec de planejamento
    19/03/2010

    PLANEJAMENTO
    Grêmio protocola pedido de documento para construção de arena
    O Grêmio Foot Ball Porto Alegrense apresentou o pedido de Declaração Municipal das Condições Urbanísticas de Uso e Ocupação do Solo (DM) para construção da arena multiuso, no bairro Humaitá. A solicitação foi entregue, ontem, 18, ao secretário do Planejamento Municipal, Márcio Bins Ely, pela arquiteta Marilu Maraschin.

    A Declaração Municipal é uma etapa necessária para quem deseja construir ou reformar um imóvel. Trata-se de um documento fornecido pela Secretaria do Planejamento Municipal (SPM) com informações urbanísticas sobre o uso e a ocupação do solo e normas legais a serem observadas.

    Outras fases importantes para a obra, o Estudo de Viabilidade Urbanística (EVU) e o Estudo de Impacto Ambiental/Relatório de Impacto Ambiental(EIA/RIMA), já foram elaborados. O projeto da Arena será apresentado em audiência pública para a comunidade do bairro Humaitá no dia 22 de abril.

  5. Grêmio Empreendimentos e OAS revelarão detalhes sobre Arena em coletiva

    A construção da Arena, novo estádio do Grêmio, está em processo inicial. A Grêmio Empreendimentos e a construtora OAS, parceiras na empreitada, buscam esclarecer os últimos pontos para que as obras iniciem. Na próxima quarta-feira, no salão nobre do Conselho Deliberativo do Grêmio, será concedida uma entrevista coletiva para detalhar o processo que está em andamento.
    Dentre os objetivos da entrevista estão: divulgar o andamento da obra, lançamento e explicações sobre o site da Arena e principais decisões da primeira reunião do conselho da Grêmio Empreendimentos, como mudanças no conselho.
    A conversa com a imprensa ocorrerá às 9h30, pois, à noite, na mesma data, o Grêmio enfrenta o Novo Hamburgo, em casa, pelo Campeonato Gaúcho.
    Mesmo com a construção da Arena em andamento, a direção do Grêmio segue trabalhando na melhoria do Olímpico. Pinturas, reformas e a colocação de um novo placar eletrônico estão entre as principais atrações.
    A mudança de estádio é uma das questões mais polêmicas no Grêmio nos últimos tempos. Mesmo que aprovada no Conselho Deliberativo, a saída do Olímpico ainda é encarada como algo negativo por conselheiros e torcedores gremistas. Há, inclusive, movimentos políticos que ainda buscam reverter a situação e evitar a construção do novo estádio.
    Fonte: Uol Esportes
    http://esporte.uol.com.br/futebol/campeonatos/gaucho/ultimas-noticias/2010/03/19/gremio-empreendimentos-e-oas-revelarao-detalhes-sobre-arena-em-coletiva.jhtm

  6. A OAS já anunciou que arcará com 55% de recursos próprios, apenas 45% será via financiamento.

    Pelo que me foi dito, essa cláusula só era válida para 100% do financiamento, já que a exigência era para que a obra pudesse começar em julho/2010.

    Como a OAS vai bancar 55% vindo do seu caixa, não há a necessidade de uma corrida desesperada para conseguir financiamento, sendo que está em tramitação um projeto que prevê incentivos para obras que visam a copa do mundo 2014(quem acha que a Arena não tem nada a ver com a copa, espere pela quarta-feira hehe)

    Não se preocupem, a Arena vai sair sim.

  7. Miguel, ninguem discute que a OAS irá bancar ou conseguir o financiamento.
    A questão principal foi levantada pelo Brunetto.
    Ela não cumpriu o prazo estipulado no contrato e o mesmo pode ser revisto em razão disso.
    O Brunetto deixou bem claro. se o contrato pode ser revisto POR FALHA DA OAS, por que não corrigir a falta de garantia para os associados terem preferência na aquisição de ingressos, cadeiras, etc???
    Será que isso é tão difícil???

  8. Eu não gosto do assunto Arena, mas sou obrigado a concordar com o Bernardon.
    Se existe alguma chance de se mudar o contrato pra beneficiar os sócios, que os conselheiros tenham essa percepção em defesa dos sócios do Grêmio.
    Afinal, eles são os nossos representantes.

  9. Senhores, amanhã a noite será realizada uma Sessão Extraordinária do CD que tem como pauta, entre outros assuntos, “Tomar conhecimento sobre o andamento do Projeto Arena pela Grêmio Empreendimentos”.

    Diante disso, os Conselheiros terão a oportunidade de esclarecer este tema e seus reflexos no Projeto.

    Quem tiver a paciência de aguardar mais um dia apenas, saberá em seguida se é o caso para a hipótese de se requerer uma revisão dos termos do contrato.

  10. Bernardon,

    concordo ctgo. Mas pelo que me consta, a decisão de garantir o acesso do torcedor pertence Única e exclusivamente ao Grêmio. Sou sócio patrimonial desde 83, claro que não gostaria de perder meu benefício.

    O que deverá ocorrer é que durante os 7 primeiros anos o gremio bota quem quiser pra dentro do estádio pelo preço que quiser, já que 100% dos lucros da arena são do clube. Depois de 7 anos, o gremio devolve 35% do valor estimado do ingresso de cada sócio que entrar sem pagar. Como nos 7 primeiros anos, o gremio ganha 7
    milhões limpos+lucros e depois 14 milhões limpos+65% dos lucros, subentende-se que nesses 14 milhões já estão equacionados os valores correspondentes aos sócios isentos de pagar ingresso.

    Mas claro que se houver a possibilidade de garantir isso em contrato(apesar da OAS não ter gerência sobre o assunto “sócios”) seria interessante.

    Alias, será anunciada hoje a contratação de um profissional “fodástico” para trabalhar no projeto. Um daqueles que vai fazer vermelhinhos se atirarem no Guaiba desesperados. hehe

    abss

  11. Três notícias e algumas opiniões:

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-gremio,2846124,Gremio-aguarda-decisao-da-Fifa-sobre-indenizacao-por-Maxi-Lopez.html

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-gremio,2847476,Conselho-discutira-pagamentos-a-jogadores-como-Tulio-e-Herrera.html

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-gremio,2847454,A-venda-de-Victor-pode-ser-bom-negocio.html

    Pessoalmente, o Grêmio precisa tirar o máximo possível da quebra de acordo unilateral de Maxi López.

    Acho INADMISSÍVEL pagar o salário de ex-jogadores emprestados a outros clubes. Se eles não têm mercado, que fiquem aqui dando experiência ao Grêmio B. Se não tiverem mais contrato, tchau e bênção.

    Finalmente, é o que eu falei: a idade de Victor está no limite da transferência. Chegamos a uma encruzilhada: ou o Grêmio vira um time de um goleiro genial porém sem time, ou paga as suas dívidas imediatas e monta time.

    O que não pode é contratar Oséia, Ferdinando, William e Rochemback, nem titubear pra lançar os guris da base.

    []’s,
    Hélio

  12. Olha pessoal!!! O Ozéia é um bom zagueiro e pode crescer com o estilo de jogo do Grêmio. Perdemos o poder aéreo da zaga e o Ozéia vai muito bem por cima. Bom, esta é minha opinião,de um levantamento particular. No Grêmio ele vai competir e melhorar sua condição…Lembro quando o REVER chegou e o tempo se encarregou de mostrar que ele foi e é um bom zagueiro, nada de exageros, mas fez um bom papel no clube. Pena mesmo é que pegou um momento de “vacas magras”. Então, aguardem, por favor. E quanto ao Ferdinando e o Willian, acho que não tem a “condição Grêmio de jogar”. E já o Rochem…bom, esse não tem vontade faz tempo e o pior é que é um guri, novo e o clube gasta muito com ele.

  13. Estimados gremistas, sem demagogia, minha preocupação é com a Instituição Grêmio. TB sou sócio-patrimonial desde 1983, todavia estou preocupado com as garantias do empreendimento e especialmente com a viabilidade do negócio e com o futuro do clube Grêmio. Portanto, espero que os conselheiros verdadeiramente comprometidos com o Grêmio estejam presentes nessa reunião e que tenham atenção aos mínimos detalhes do contrato, o projeto é magnífico, tornará o clube ainda maior do que ja é, além de pôr o Grêmio ainda mais em evidência no mundo. Tenho certeza que a questão dos sócios será resolvida. Claro q o ideal é c
    ideal é que esteja previsto no contrato a situação dos sócios. Mas reitero: apóio o PROEJTO ARENA, sua construção, todavia rogo para que nossos representantes do conselho tenham atenção para com o CONTRATO.

  14. Não conheço o Ozea, mas vou repetir o que ja escrevi. Duvido que seja melhor que Mauricio, Rafael Marques ou Saimon/Neuton.
    Um jogador que começou no Avai e se escondeu no Paços Ferreira (?) de Portugal, onde futebol é muito fraco, não me chama a atenção.
    Posso queimar a lingua, mas esse tipo de contratação ta mais pra bruxismo do treinador ou do empresário dele do que pra solução para um clube como o Grêmio.
    Em tempos em que se discute o aproveitamento da gurizada e a não contratação de jogadores “de grupo”, o Ozea é uma contradição ao próprio conceito propagado no discurso do Meira.
    William é outro caso semelhante e tá provando que o conceito é bom, mas não é praticado.
    Ferdinando mostra um resultado positivo, não é um jogador desprezível como muitos pensam. Porém não pode ter a preferência em relação a jogadores melhores que temos na base, é no máximo um bom reserva.

  15. tem uns videos do youtube, dos melhores momentos do Oseas, q chega a entusiasmar. lembro de ter visto outros videos do Mario Fernandes e do Douglas e a coisa se confirmou.
    poréns:
    a] gostaria de ver outro vid dos seus piores momentos
    b] ele chega ganhando quanto?

    cbimbi

  16. Hélio!
    Acho estranha essa preocupação de um repórter esportivo com as dívidas (condomínio) do Grêmio. Além do mais, enumera N razões para a venda do Vitor, como se fosse parte interessada na transação. Por outro lado, vimos assistindo a uma sistemática ingerência de repórteres e comentaristas em assuntos que extrapolam sua área de atuação, como o Wianey que não consegue dissimular sua insatisfação com a atual fase do co-irmão, mais parecendo um “torcedor-chorão” do que um comentarista de quem se espera uma análise imparcial dos acontecimentos. No mais das vêzes, suas intervenções são “sutis” sugestões que mascaram reprimidos desejos. E não é só ele. Temos muitos exemplos e alguns já dão mostras de ter assimilando esta natural desconfiança, não conseguem mais iludir o torcedor e gradativamente vem saindo da toca, deixando a máscara cair.

  17. http://www.gremiocopero.com/2010/03/23/iura-o-velho-idolo/

    um grande texto!

    A questão das dividas é cíclica no Grêmio. O assunto só aparece quando o time está ganhando ou em crescimento. É uma
    coincidência enorme!!! Ano passado foi igual, muito estranho não?
    Todos sabemos que o problema existe, que desperdiçamos dinheiro em jogadores inuteis, mas afinal, que time não faz isso?
    O Sc2006 tem uma folha MUITO maior que a nossa e uma segunda folha de encostados MUITO maior que a nossa, mas nada é comentado!

    Estranho como surgem valores parciais na Zero Hora dando a entender que o Grêmio tem a 3ª maior folha do Brasil, só atras do
    Corinthians e dos macacos. Ali estamos com 3,5 milhões de folha, mas o Flamengo, São Paulo, Palmeiras, Cruzeiro não aparecem no levantamento…
    Ai no dia seguinte, vem um tal de Zini com a “bomba”: Folha do Grêmio chega perigosamente perto dos 4 milhões!!

    Do dia pra noite a folha vai de 3,5 pra 4 milhões. Realmente é algo incrível!!!

  18. Rafael,

    Discordo: é muito fácil dizer e pensar “se todo mundo faz errado e quase nunca se incomodam com isso, por que eu também não posso”?

    E, sinceramente, não vejo problema nenhum em a imprensa demonstrar preocupação. Isso deve, sim, ser veiculado. O que não pode é, em função da publicidade paga pelo Tradicional Adversário, omitir o verdadeiro montante das suas dívidas e de todas as categorias de jogadores inclusas em sua folha de pagamento.

    Jornalismo correto procura ouvir mais de uma parte com o mesmo peso e sem misturar notícia com opinião no mesmo texto. Porém, jornalismo correto é uma raridade no Brasil.

    Tudo deve ser dito. O que não pode é distorcer, omitir, minimizar ou supervalorizar um fato.

    A mídia corporativa não é sistemática nem no elogio, nem na crítica. E o fato de ela ser incorreta não necessariamente implica em favorecimento constante a um e criminalização de outro.

    []’s,
    Hélio

  19. é… Esses assuntos só surgem quando o GRÊMIO começa a se organizar. Concordo! Mas acho que estamos jogando pouco para uma folha dessas, mas isso é opinião.
    Sobre a Arena: toda hora alguma coisa NÃO acontece como estava previsto. Toda hora alguém tem de explicar algo. Deve ser minha sanha anti-Arena.

  20. “O Silas pede para que eu faça essa marcação, que eu seja o primeiro homem para começar essa marcação. E procurar dar o bote nos zagueiros, não deixar eles jogarem. E segurar essa bola lá na frente também. Procuro fazer isso bastante, às vezes não é fácil. Ele quer que eu segure a bola.”

    Essa declaração é de um:
    a) zagueiro
    b) lateral
    c) volante
    d) meia
    e) atacante
    do Grêmio?

  21. Hélio,
    Também acho que, mesmo que outros times tenham gastos semelhantes, não é normal que o Grêmio os tenha.
    A questão toda é a corriqueira criação de crises entre a instituição Grêmio e a torcida.
    Como citei, estamos carecas de saber sobre os problemas financeiros do Grêmio.
    O que me impressiona é que esse assunto só vale no Olimpico, como se lá estivessem todos os problemas do futebol brasileiro.
    As vezes cansa essa insistência, justo em momentos em que a torcida começa a ver alguma evolução no time, quando os números são totalmente favoráveis ao time, quando temos uma invencibilidade incrivel em casa e outros tantos méritos.
    Fico imaginando se o clube vizinho estivesse com 11 vitórias seguidas, se o Taison tivesse 9 gols como o Jonas, ou se estivessem invictos em casa há 1 ano e meio!
    É só isso. A discussão das dividas e da folha tem que ser feita, principalmente em relação aos valores do jogadores “de grupo” que vieram esse ano.
    Mas pra isso, mais vale a cobrança da imprensa sobre a participação dos conselheiros na reunião de hoje do que todo esse alarde…

    abraçO!

  22. Rafael,

    Não sei se devemos levar ao pé da letra tudo o que eles dizem. Ao mesmo tempo, até que ponto uma opinião a favor da venda de Victor que leva em conta dois excelentes goleiros vindos das categorias de base ao mesmo tempo em que prevê o investimento completo desses recursos na quitação da pior fatia da dívida do Grêmio (que é o condomínio de credores) é polêmica no mau sentido?

    Enquanto o time obtém bons resultados contra adversários mancos em um torneio que não vale quase nada, é preciso prever tudo o que pode interferir no desempenho do futebol – tanto pelo lado positivo quanto pelo negativo.

    Se o Meira quer mostrar serviço cometendo o mesmo erro de várias gestões (isto é, de montar um plantel estourando o orçamento – desta vez, claramente sem necessidade), só mesmo desautorizando quem o banca (Irany). Desautorizando o financeiro, atola os cofres do clube e mostra que é um mau gestor.

    Se isso não pode ser discutido nem veiculado, a torcida não irá saber exatamente o que se passa dentro do clube.

    E é importante também que se elogie o fato de que a atual gestão é a mais transparente da história do clube: o presidente de direito (que, infelizmente, parece não ser o de fato em certos momentos) comparece até em confraternizações de conselheiros com associados e blogueiros; em papos informais, ficamos sabendo sobre categorias de base e finanças; o projeto Arena tem sido demonstrado de tempos em tempos…

    …Pra ser bem sincero, não apenas me orgulho do Grêmio nesse sentido como também vejo um T.A. atrasado nessa direção. Eles consideram tudo como economia interna. Do lado da torcida, o circo está pegando fogo em relação ao técnico e a certos jogadores (Edu, Taison). Conversando com colorados, vejo que o que nós falamos dos “bruxos” do Silas é cafezinho perto do que eles falam de Fossati, do preparo físico e de jogadores que estão degringolando. A base deles tem dinheiro, tem excesso de jogadores e ainda alicia os adversários. Mesmo assim, os resultados dos “galáticos” foram piores do que os nossos em 2009.

    Não que seja importante (acho que não é) nos preocuparmos com eles. Mas se a comparação é essa, eu prefiro que o mundo saiba que a gente está quebrando o pau mas estamos procurando acertar.

    Claro que qualquer um pode pensar diferente de mim. Mas, se a gente está conversando, não vou deixar de opinar. Ao mesmo tempo, os fatos e a rotina podem ou me ajudar, ou me fazer mudar de opinião. No momento, é isso.

    []’s,
    Hélio

  23. Atacante TEM que marcar saída de bola [3]

    mas tem que marcar gol também!!
    O autor da frase só marca saída de bola e o técnico não o tira do time…

  24. Marcos,

    A marcação da saída de bola é FUNDAMENTAL. Se os atacantes e os meias de ligação forem participativos e tiverem fôlego, os volantes podem sair mais para o jogo, o time inteiro pode marcar adiantado e os laterais aparecem mais no apoio.

    Assisti Manchester United 2×1 Liverpool domingo e foi uma aula de ambos os lados. Tecnicamente, o United é melhor, mas a organização + motivação de todos os jogadores (afinal de contas, é o maior clássico da Inglaterra) emparelharam e o jogo foi decidido no detalhe.

    O Rooney e o Valencia apertam a saída da zaga adversária, assim como o Fernando Torres e o Kuyt faziam do outro lado. Um dos pontos que me dizem se o jogo é bom ou não é quando existe duelo OFENSIVO entre os laterais: se os dois têm espaço pra jogar e um anula o outro no meio-campo, é sinal de que os dois puxam os volantes do respectivo lado de cada um para as suas respectivas coberturas. Então, ao invés de ter que chuveirar na área (bola quase sempre do zagueiro) ou se obrigarem a ir até a linha de fundo pra cruzar (coisa que dificilmente acontece quando bem marcados), se tiverem visão de jogo, percebem o meia ou o volante chegando em velocidade pelo meio.

    É por isso que sou da escola Paulo Deitos, Mauro Rocha e Edson Aguiar (vou mais além: desde os tempos da turma do Rodrigo Caetano já era assim – talvez ainda sem a devida cientificidade do Edson): não existe primeiro volante nem segundo volante. Não é necessário um xerifão. Essa é uma visão do futebol quando dar porrada sob a conivência da arbitragem era condição especial pra vencer um jogo. Hoje nem na Argentina ou na França (pra mim, a terra dos melhores zagueiros da Europa, em um campeonato de poucos gols porém mais atraente do que o italiano) é assim.

    Todo mundo precisa marcar e saber o que fazer com a bola. Acabou o futebol onde, nos dois lados da mesma posição, um precisa ser tecnicamente exuberante e o outro precisa ser um rolo compressor: ao invés de 100%-0% ou de 70%-30%, 50%-50%. Basta ver quem faz mais falta no São Paulo ou no Palmeiras: não é o volante “quebra-nozes”, pois eles não têm essa figura. Quem mais faz falta é o que sabe jogar – Hernanes ou o excelente Pierre. E são os clubes que tem tido posicionamento mais frequente no topo das tabelas dos principais campeonatos.

    []’s,
    Hélio

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.