#ChopeSempreImortal – dia 06 – Box 21

Caros amigos e amigas do blog Sempre Imortal!

Dia 06 de maio, troche terça-feira, estaremos realizando o 3º #ChopeSempreImortal. O evento de garbo e elegância acorrerá nas dependências do Box 21 às 19h!!

Todos os GREMISTAS estão convidados!! Então não me venham com “ui ui ui não me avisou pessoalmente” ou “mimimi não sei se eu podia ir”. Envia confirmação para o e-mail do blog, para o meu pessoal akegler@gmail.com ou responde pelo twitter ou manda carta, fax, sinal de fumaça … não tem desculpa!

Importante avisar que precisamos das confirmações no máximo até sexta-feira. As vagas são limitadíssimas e já temos várias confirmados, portanto agiliza aí GREMISTA!

O evento não tem nenhum viés político – fora o lançamento da candidatura de #DaniCopero para o Senado – é um encontro de GREMISTAS para falar do GRÊMIO, contar histórias, tomar uns 2 ou doze chopes e confraternizar.

Contamos com vocês!!!

#ChopeSempreImortal

Box 21 – às 19h

Dia 06/05 – terça-feira

Rua Carlos Von Koseritz, 304, Porto Alegre 

Anderson Kegler – CEO do Sempre Imortal

Sempre Imortal, o blog da torcida GREMISTA!

Participe da discussão

11 comentários

  1. Por falar em CHOPE, esperamos que o time do Papa não coloque água no nosso CHOPE. Vamos todos para a Arena com fé e esperança, mas sempre com um pé atrás, torcendo para o Barcos não afundar.

  2. Amanhá veremos, realmente, se o Grêmio tem futebol para almejar algo mais consistente neste ano de 2014.
    O discurso oficial é de que temos um bom plantel e isso – salvo opiniões em contrário – significa que estamos aptos a disputar as competições palmo à palmo com os concorrentes.
    Que não sejamos obrigados a ouvir depois do jogo que a equipe jogou bem, mas, faltou atenção quando não poderia faltar e esse descuido foi bem aproveitado pelo adversário. Normalmente este tipo de desculpa vem de quem não deveria vir: dos jogadores e de dirigentes que não sabem porque perdem.
    Afora isso, e, também baseado nas afirmações dos dirigentes e da comissão técnica de que podemos reverter o resultado até agora negativo, vou ao jogo na expectativa de ver – com a feliz exceção do jogo dos reservas com o Atlético Mineiro no domingo passado – o que até agora não vi em jogos da equipe principal: um desempenho com muita garra e técnica, condizente com as nossas tradições de clube multi-campeão.
    Jogo difícil e de muita catimba. Todo cuidado será pouco, pois a nossa equipe está fragilizada no setor defensivo e qualquer descuido pode ser fatal. Confio numa boa performance de Grohe no gol, nas investidas do Wendell pelo lado esquerdo, nas arrancadas em velocidade do Dudú e na qualidade do drible e “enfiadas’ do Luan. Resta esperar que Barcos esteja numa noite iluminada e que saia da rotina de perder gols feitos. Que Edinho, Riveros e Zé Roberto redobrem a atenção quando o adversário estiver de posse da bola e que tenham tranquilidade para retê-la no momento certo e sair para o ataque com celeridade.
    Quanto à Werley, Geromel e Pará, só espero não ver nenhum deles colocando as mãos na cabeça lamentando uma desatenção na marcação, um passe mal feito, uma furada em bola ou um cruzamento sem direção. Isso não acontecendo, será meio caminho andado para deixar a torcida tranquila.
    Resta ao treinador escalar os jogadores certos para a ocasião, fazer as mudanças – se necessário – no momento adequado, sem medo de errar, pensando unicamente em vencer o adversário e prosseguir na competição para o bem de todos nós.
    Todos à Arena. Ou vai ou racha!!!

  3. Estádio estará lotado, mas isso não quer dizer nada, afinal, com as novas arenas, o importante é o conforto para assistir a partida, não cantar, pular e apoiar o time.

  4. Até porque cantar, pular e apoiar o time é o que faz ele ganhar, como vimos nos últimos 13 da vida do Grêmio, ganhou tudo!

  5. João, é exatamente isso que estou falando. Que bom encontrar alguém que concorde comigo! Por exemplo, todos jogadores dos outros times falavam que era muito bom jogar no Olímpico, porque lá não existia pressão, palavra que também nunca foi dita quando se fala em jogar na Argentina, Bombonera ou o próprio estádio do São Lorenzo. A pressão é só na bola! Pressão psicológica é coisa inventada pra se vender ingresso. Todo mundo quieto amanhã e, principalmente, sentado, pra não atrapalhar quem quiser assistir a partida.

  6. Olímpico pressionando nos últimos 12 anos de vida: 0 títulos.

    torcida ajuda, mas não ganha jogo.

    aquele time de 2007 era bom, não uma porcaria que foi empurrada pela torcida, como se quer fazer crer.

    torcedor não é protagonista do espetáculo, sinto muito. mas se vocês querem se sentir assim, tudo bem.

    time de 2007:

    saja: ruim, mas era adorado por parte da torcida. sabem, aquela que imita grito de torcida argentina…
    patrício: uma naba, mas pelo menos sabia disso e não tentava nada que não pudesse fazer. acabou entregando a final, mas pelo menos até lá teve uma participação digna.

    teco: baita zagueiro, fudeu o joelho e largou. infelizmente.

    william: baita zagueiro, melhorava todo o setor defensivo e também fazia crescer o futebol de seu companheiro de zaga.

    sandro goiano: naba, endeusado pela mesma torcida que gostava do saja. entregou a final junto com o patrício.

    tcheco: herói da geração perdedora, era um bom jogador, mas só isso. suas batidas de asa no meio campo causavam orgasmos em alguns ingênuos.

    diego souza: jogou muito. acabou se reinventando e trocando de posição, tamanho o sucesso que teve naquela LA. se depois mostrou que não era isso tudo, é outra história, mas naquela LA jogou demais.

    cadu: outro que jogou demais. contra o santos aqui ganhou o jogo quase sozinho. lesões acabaram com a carreira dele, mas o pelaipe acabou dando uma mãozinha pra que ele tivesse mais um bom contratinho…

    everton: naba, mas corria.

    tuta: começou bem, fudeu o joelho e acabou pro futebol.

    como se nota, dos principais jogadores tinhamos vários muito bem, em ótimo momento, ou pelo menos que jogaram bem aquele ano.

    mas se querem continuar acreditando que foi o grito do torcedor que os levou a final da LA, bom, cada um acredita no que quer…

  7. João, tu acha que a parte psicológica não influencia em nada no futebol? Um time fraco psicologicamente não aguenta a pressão, e é esse o ponto da torcida, além de passar confiança para o time.

  8. Hugo:

    Eu concordo, e muito, com o que tu disse.

    Mas se o time é ruim, não adianta apoio. tem que ser bem treinado e jogar bola, senão não adianta, como estamos carecas de saber, vide nossos últimos 13 anos.

    e, como tu mesmo disse, a parte psicológica “influencia” no time, mas só isso. e essa influência aumenta quando o time é bem treinado e tem bons jogadores. não acha?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.