Celso CAU-TE-LA Roth

Por motivos de força maior não vi o jogo todo, peguei só a partir dos 15′ do segundo tempo, mas já foi o suficiente para ver que o Grêmio jogou acuado novamente, mesmo tendo uma escalação inicial não tão cautelosa assim.

Me parece que Celso usou o mesmo 4-2-3-1 de sempre, com DIEGO CLEMENTINO substituindo Douglas, alé da entrada do Gilberto Silva na zaga no lugar do EdCarlos. Ouvi, pela rádio no intervalo, que o time não foi mal no primeiro tempo mesmo perdendo o jogo por 1×0. Ainda ouvi também que com a saída de Brandão, The New Jardel, Celso colocou Adílson, seu bruxo, para fazer a função de PONTA DIREITA.

Aí, pro segundo tempo deu pra perceber que a maionese desandou porque ao precisar de um “jogador de área”, o nosso querido Celso promoveu a estreia de Yuri Mamute – o guri de 16 anos e CORPANZIL de 28 – no lugar de Diego Clementino. Ou seja, Adílson continuou na ponta, sem nenhum sentido. Pra piorar, tomamos um segundo gol, desta vez de um cruzamento MAGISTRAL de escanteio do TCHECO e quem falhou na hora da marcação? Ele, o imortal tricolor Rafael Marques, que não acompanhou o zagueiro JÉCI na hora do pulo do gato para matar o que já estava morto.

Bom, aí meus amigos, vamos perder certo, porque é Celso Roth, e é preciso cautela para não tomarmos uma goleada vexatória e assim como contra o Vasco, o Grêmio abdicou de jogar, apenas marcou e fez o tempo passar. Tivemos o prazer, ainda, de assistir a entrada de William Magrão e finalizarmos o jogo com 4 VOLANTES em campo.

Tropeçamos, mas nada perdido e nem ganho. Quarta é no Olímpico de novo e contamos com nada menos do que a vitória. Sigamos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.