CADASTRAMENTO DAS CRIANÇAS COMO SEGURANÇA

Válido a partir do jogo do dia 03 de fevereiro

Antes do jogo contra o Caxias, vialis 40mg foram distribuídos panfletos direcionados ao cadastramento de menores nos jogos realizados no Olímpico. 

Pensando na segurança dos seus torcedores, pharm a partir do jogo do dia 03/02, contra o São Luiz, crianças menores de 12 anos só entrarão no Olímpico identificadas com o cartão de acesso, de acordo com determinação da Federação Gaúcha de Futebol e do Ministério Público.

Para obter o cartão de acesso de menor, basta realizar o seu cadastro no Exército Gremista pelo site www.gremio.net ou na Central de Relacionamento do Estádio Olímpico e adquirir o Cartão do Torcedor Gremista Menor, pelo custo de R$ 5,00.

A entrada para os jogos continuará sendo gratuita, mas o menor deverá validar seu cartão antes de cada jogo através do site do Grêmio, na Central de Relacionamento ou ainda as bilheterias do Olímpico.

Este cadastro permitirá identificar exatamente quem está no Estádio em cada partida e quem é responável pelos menores, garantindo a segurança de todos.

Além disso, os menores cadastrados também participam permanentemente de todas as promoções do Exército Gremista.

MAS NÃO DEIXE PARA ÚLTIMA HORA: ANTECIPE-SE E FAÇA HOJE MESMO O CADASTRO DOS MENORES PELOS QUAIS VOCÊ É RESPONSÁVEL. 

O acesso do Torcedor Gremista Menor ou do Sócio Infantil a partir do jogo do dia 03/02 deve ser somente pelos portões 1 e 5 (social) e 16 (arquibancada).

Fonte: http://www.gremio.net/news/view.aspx?id=9854&language=0

Participe da discussão

11 comentários

  1. COMEÇO A ACREDITAR NA ISENÇÃO DA MÍDIA

    http://www.correiodopovo.com.br/Esportes/?Noticia=89313

    Inter tem problemas para reformar o Beira-Rio

    Time enfrenta dois grandes obstáculos: falta de recursos e não isenção de impostos

    Há mais de um ano, Vitorio Piffero concedia entrevistas garantindo que as obras de cobertura do Beira-Rio iniciariam em breve. “Vai ser uma festa”, previa. O plano era inaugurar uma parte do novo estádio em 4 de abril do ano passado, quando o Inter completou 100 anos.

    Pois tudo não passou de sonho. Apesar de o clube estar trabalhando em algumas ações de infraestrutura, o grosso da reforma não tem data para começar. O pior é que, por ordem da Fifa, o prazo para início do processo é março. E dificilmente será cumprido.

    O Inter encontra dois grandes obstáculos. O primeiro é a falta de recursos. A venda dos Eucaliptos, que pode render aproximadamente R$ 20 milhões, valor que seria fundamental para o pontapé inicial nas obras, esbarra numa série de pendências com a Justiça.

    Apesar do esforço dos advogados, ele continua penhorado para pagamento de dívidas fiscais. Além disso, há um processo de usucapião envolvendo a área. “Pode demorar um, dois ou oito meses. Não há como prever”, lamenta o vice-presidente jurídico do Inter, Luis Dagoberto Paganella.

    Além disso, o Inter quer concretizada a prometida isenção de impostos para a compra dos materiais de construção. Se fosse implementada, a medida reduziria o orçamento, previsto para R$ 130 milhões, em aproximadamente 30%.

    Mas a isenção depende de uma resolução do Conselho Nacional de Polícia Fazendária, que se reuniu mais uma vez ontem, em Brasília, e não deliberou sobre o assunto. “Estamos frustrados, pois os torcedores estão nos cobrando o início das obras”, lamentou o vice-presidente de patrimônio, Emídio Marques Ferreira.

    Apesar de não conceder a isenção nos impostos, o governo federal ofereceu uma linha de crédito especial, por meio do Banco Nacional de Desenvolvimento (BNDES), que pode aportar até 130 milhões no Beira-Rio. No entanto, o Inter não concorda com a política de juros da instituição e promete não usar os recursos. “Não temos interesse algum nesse dinheiro. Não vamos endividar o clube”, avalia Emídio.

    Segundo a Fifa, o Beira-Rio deve estar pronto para a Copa de 2014 no dia 31 de dezembro de 2012, ou seja, mais de um ano antes do jogo inaugural. O projeto inclui, além da cobertura, o aumento das arquibancadas inferiores, cobrindo a “coreia”, e importantes reformas no setor de imprensa e vestiários.

    O 1º-vice-presidente Pedro Affatato é um pouco mais otimista que o colega Emídio. “Existem várias ações concretas concluídas, mas que não podem ser vistas. As obras do Beira-Rio já iniciaram”, afirma. As previsões de Affatato falam em início da construção das fundações da cobertura em 30 dias. “Já temos todo o projeto pronto. Também já sabemos de que tipo de material será feito o revestimento do estádio. O mais difícil era isso. A obra é mais fácil”, argumenta o dirigente.

    A ideia é tocar a construção sem interditar todo o estádio, principalmente em jogos da Libertadores da América. O processo será implementado em etapas – ou módulos, como preferem os dirigentes colorados. “Vamos fechar uma parte e fazer a obra. Quando estiver pronto, vamos para outra. Não podemos correr o risco de ter o estádio interditado pela Conmebol”, lembra Affatato.

    Um exemplo do atraso que envolve a remodelação do Beira-Rio é o museu. A projeção inicial, segundo os dirigentes, era inaugurar o local em novembro de 2008. Ele ainda não está concluído e, segundo a perspectiva atual, ficará pronto para a inauguração em 4 de abril.

    Fonte: Fabrício Falkowski/Correio do Povo

  2. Parabéns ao Sempre Imortal por dar o destaque para o assunto.
    Se não houver a divulgação dessa necessidade de os menores terem cadastro e validação do cartão, teremos grandes filas no estadio e muita briga e reclamação.

  3. Marcos, quando li esse jornaleco hoje cedo quase não acreditei!! Tô aqui no meu sogro em Venâncio e tava loko prá achar um cyber prá postar isso!!
    Finalmente alguém da imprensa divulgou o que realmente está acontecendo pros lados do aterro!!
    VIVA O CORREIO!! E viva também ao Fabrício Falkowki, autor da reportagem…
    Abraçoss

  4. PESSOAL,ME DESCULPEM POR FALAR DE OUTRA COISA NO POST, MAS MANDEI O SEGUINTE EMAIL PARA DIVERSOS JORNALISTAS DO RS,TODOS DO CLICRBS E DO FINALSPORTS, E ATÉ AGORA, O ÚNICO QUE REPERCUTIU FOI O ERNANI CAMPELO, AGORA A POUCO NO REUNIÃO DE PAUTA. OUTROS, NEM PUBLICARAM ESSE COMENTÁRIO EM SEUS BLOGS.

    Caro jornalista, gostaria de saber porque grande parte da imprensa “imparcial” do Rio Grande do Sul não toca no assunto de que as obras no Beira-Rio estão muito atrasadas e a perspectiva é a pior possível? E porque não dizem que desde de 2008 as dívidas do clube “rico” da beira do lago são maiores que a do Grêmio? Porque só pau na arena e nas finanças do tricolor? E o silêncio absurdo sobre os problemas que vão se acumulando lá no arqui-rival?

  5. Há algum tempo atrás o Helio Paz fez uma ampla dissertação sobre a desmedida preocupação que temos com as coisas de nosso co-irmão. Nos preocupamos tanto com as coisas que acontecem pelo lado de lá que nos esquecemos das do lado de cá. Enquanto isso, a equipe do Gremio vai “aos trancos e barrancos” no gauchão. Dá pra notar que falta entrosamento ao grupo, que os laterais são medíocres e que alguns jogadores tem dificuldade em se posicionar no campo. Além do mais, o meio de campo é um imenso latifúndio onde os adversários fazem a festa. Mesmo reconhecendo que o estado atlético ainda não é o ideal, é visível que alguns jogadores estão completamente perdidos em campo. A defesa é a mesma do ano passado. Jogam juntos há meses. Não acredito que tenham desaprendido de jogar. Há uma certa insegurança coletiva derivada de um planejamento tático não bem assimilado e por conseqüência muito mal executado. Agora, o que é possível fazer para que a Comissão Técnica reconheça que nossos laterais não irão a lugar algum, se não conseguem sequer chegar à linha de fundo e fazer um lançamento qualificado para dentro da área adversária? Embora estejamos apenas no começo do campeonato a campanha não empolga, mesmo que os adversários sejam de qualidade madiana. Agora a culpa não é do Meira nem do presidente. Tá na hora do pessoal de campo mostrar a que veio.

  6. Darcílio,

    Do jeito que está, esse menino Fernando, de 17 anos, entra no time e não sai mais caso não contratemos mais um centromédio para a titularidade e mais um para a reserva.

    Um grupo completo teria que contar com a aquisição de DOIS laterais-direitos; DOIS laterais-esquerdos; um centromédio (desde que esse Fernando vingue e que Maylson consiga jogar bem nessa posição – do contrário, dois).

    Também nos faltaria um centroavante reserva alto e forte para a necessidade de variarmos o modelo de jogo para a bola aérea quando os passes em profundidade para jogadas em velocidade não estiverem funcionando.

    Olha… Embora tenha gostado muito do time do meio para a frente (não hoje, claro), tenho muito medo deste primeiro clássico. Independentemente do resultado, mesmo que ganhemos, deve servir de lição para que a direção siga em busca de valores para essas posições.

    Jamais torceria para empatar ou perder. No entanto, tenho medo de que, mesmo ganhando, que a direção creia que o plantel está bom.

    O que está de primeiro nível: goleiro, UM zagueiro (Rever, que está em má fase), UM volante (Adilson – sempre criticado, hoje incontestável), Hugo, Souza, Jonas/Borges/Leandro (dois dos três).

    Acho que, ao invés de gastar tudo o que se tem com Douglas, dever-se-ia investir em grupo nessas posições em que a base ainda não consegue nos suprir.

    Pra economizar um pouco, ainda sigo esperando pra ver o verdadeiro Bruno Collaço.

    []’s,
    Hélio

  7. Douglas será o articulador, armador que não temos com Souza e muito menos com Hugo. Reserva para o Souza treinar cobranças de faltas e escanteios.

  8. Uma pergunta que não quer calar: O menor de 12 anos que vai ao estadio juntamente com seu pai ou irmão pagando entrada pode entrar.
    Porque não cadastrar todos os menores de 18 anos.

  9. Cláudio, irei tentar te responder, dentro do limite dos meus conhecimentos.
    O menor de 12 anos que vai ao jogo e que PAGA O SEU INGRESSO pode entrar sem problemas, mesmo sem ter efetuado o seu cadastro. Ao pagar o seu ingresso, ele está COBERTO PELO SEGURO.
    Hoje, apenas os espaços na social e na geral é que possibilitam o acesso gratuíto dos menores de 12 anos. Nas cadeiras, somente através da compra dos ingressos.
    Quanto ao cadastramento de TODOS, independente da idade, esse é a razão do EXÉRCITO GREMISTA. Como sabemos, existem projetos da CBF que preconizam o cadastramento de todos os torcedores de um clube. Sendo que o acesso aos jogos será feito apenas por esses cadastrados.
    O EXÉRCITO GREMISTA é um primeiro passo para isso.

  10. Cadastramento esse, que não valeria nada para o fim que a CBF propõe. O cadastramento do gremio só pede o CPF e a renda do individuo.
    Para que serviria o CPF e a renda do torcedor; se não para alimentar BANCO de DADOS de uma ou varias empresas que querem uma fatia do mercado do RS.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.