Advogando em nome de Paulo Pelaipe

É com muito prazer e satisfação que recebi o convite para ser mais um integrante do Mesa de Bar do Grêmio. Sempre acompanhando o trabalho daqueles que (agora) são meus colegas neste saite* – sim, no rx também “aportuguesaram” este vocábulo -, vejo-me na obrigação de manter o alto nível de análise que esta bancada detém. Apresentarei a vocês em minhas postagens, estimados leitores, algumas estórias de um personagem, o qual batizei com o nome de Marlos.

Feito este breve preâmbulo, gize-se necessário, calha fazer alguns apontamentos quanto ao diretor executivo do Imortal Tricolor, Paulo Pelaipe. Trata-se de um profissional de considerável gabarito. Gremista, de forte personalidade, realizou um verdadeiro “procedimento cirúrgico” no futebol do Grêmio. Com reduzidas condições para contratar, não podendo dar margens a quaisquer erros, Pelaipe deu voz à entidade ante os microfones (Odone saiu do ar), contratou Júlio César para estancar a sangria da lateral-esquerda (Bruno Collaço é deficiente e Lúcio vivia no DM), contratou Edcarlos para fazer dupla com Saimon (enquanto atuaram juntos fizeram melhor que a dupla de zaga atual, inclusive com Edcarlos marcando gol), contratou Brandão para disputar posição com André Lima – até então intocável e, de quebra, fez uma reciclagem nas categorias de base.

Não obstante todos esse acertos discorridos, agora Pelaipe brinda-nos com a contratação de um atacante de raríssimo faro de gol: Kléber Gladiador. Isso que nem acabou o ano de 2011 ainda. Pelaipe simplesmente ignorou a concorrência de Flamengo-RJ e Corinthians Paulista-SP (notadamente os dois clubes de futebol com maior poder aquisitivo no cenário pátrio), rechaçando um novo “Caso Ronaldinho”. E ainda conseguiu se desvencilhar do nefasto Gílson, lateral-esquerdo de criticado futebol que atualmente representa as cores do América-MG, repassando-o ao rebaixável Cruzeiro-MG. Outra: o promissor zagueiro Douglas Grolli, proveniente da Chapecoense-SC, já foi anunciado também. Vágner Love, Carlos Eduardo e Jonathan Bottinelli são as próximas cartadas. Alguém aí sente falta de Antônio Vicente Martins?

 

Tchüss, fussballteigers!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.