Toda a virada de ano escutamos essa papo de continuidade. Do grupo, order do elenco, capsule do treinador, do trabalho, da gestão. Mas de fato, pouco vimos na prática isso acontecendo nos últimos, 6, 7, quiçá 8 anos. Nem mesmo a sucessão de gestão em anos seguidos fez com que a tal da continuidade fosse seguida, sempre houve algum fator preponderante para que se quebrasse a sequência, principalmente no comando técnico, do Grêmio.

Nesse ano de 2016, mais uma vez tivemos uma quebra de sequência. Dessa vez no departamento de futebol. Só que convenhamos, essa quebra já tinha até passado da hora, estava caindo de maduro e foi uma daquelas inevitáveis e que não trouxeram prejuízo a curto prazo e, penso eu, trarão benefícios a longo prazo, ou pelo menos evitarão mais prejuízos.

Deixando a lenga-lenga de lado, vou botar o foco no futebol. Na equipe e na sequência do treinador, mais precisamente. Roger completou 1 ano de vida na beira do campo da casamata tricolor. E mais do que dar um padrão tático e técnico ao time que entra em campo, ele passou conceitos de futebol para todo o elenco, independente de quem seja o jogador que vai fardar. Os caras sabem como devem jogar por que treinam repetidamente os mesmos movimentos e os mesmos conceitos que o Roger aplica ao futebol da equipe.

Olha o time que finalizou 2015 e o time que iniciou o Brasileirão 2016

Joinville 0 x 2 Grêmio – Brasileirão 2015 – 06/12/15

Bruno Grassi, Rafael Galhardo, Pedro Geromel, Bressan e Marcelo Oliveira; Walace (Vitinho), Ramiro e Giuliano; Everton (Edinho), Bobô e Luan (Pedro Rocha)

Corínthians 0 x 0 Grêmio  – Brasileirão 2016 – 15/05/2016

Marcelo Grohe; Ramiro, Pedro Geromel, Fred e Marcelo Oliveira; Walace, Maicon, Giuliano, Luan e Bobô (Henrique Almeida); Bolaños (Edinho)

 

Do time que finalizou o ano passado, apenas o Galhardo e o Vitinho não fazem mais parte do plantel. Todos os outros estão aqui e são constantemente acionados para jogar.

Olha o time que jogou contra o Corínthians no ano passado lá em Itaquera:

Corínthians 1 x 1 Grêmio  – Brasileirão 2015 – 09/15/2015

Tiago; Galhardo, Geromel (Rafael Thyere), Bressan e Marcelo Oliveira; Walace e Edinho; Giuliano, Douglas e Pedro Rocha (Yuri Mamute); Bobô (Vitinho)

Mais uma vez, apenas o Galhardo, Vitinho e o Mamute estão fora esse ano.

Onde quero chegar? Nisso mesmo que você pensa, que o Grêmio tem chance, sim, e muita de conquistar (ou ficar brigando por) título. Com esses mesmos jogadores fizemos partidas muito boas, de alto nível e com futebol vistoso e que empolgou o torcedor.

Tá, tu vai dizer:

– Mas esse time não jogou nada na Libertadores.

– Fomos eliminados na Primeira Liga.

– Perdemos o Gauchão pro Juventude.

Sim, e no meu ponto de vista todas essas tem justificativas plausíveis. A Libertadores é um torneio muito difícil. Ser eliminado no mata-mata contra um bom time argentino não é ruim. Jogamos muito mal, mas aí acho que faltou qualidade mesmo. Só o Miller é o fora de série, dessa turma. Todos os outros são bons jogadores com suas limitações. Roger certamente aprendeu com isso na sua primeira Libertadores como técnico.

A Primeira Liga talvez seja a mais injustificável, o clube fez um esforço para acontecer esse campeonato e se tivessemos iniciado com os titulares, provavelmente a vitória teria vindo e a classificação estaria garantida. Ao menos iriamos pra uma fase semi-final, mas enfim, foram escolhas.

O Gauchão, ao meu ver, foi erro de planejamento. Da diretoria e da comissão técnica. Não precisava ter jogado a primeira fase pra valer, 8 classificados nesse campeonato não tinha como não ir pras próximas fases que todos sabiam que iriam acavalar com o que importava mais. Se ganhar o Gauchão era um desejo do clube, administraram errado as datas, viagens e escolhas dos jogadores considerados titulares em determinados jogos.

Meu ponto, hoje, é que temos um elenco qualificado para o Brasileirão. Mostramos isso ano passado e já estamos mostrando isso nesse início. Manter o alto índice de aproveitamento inicial é quase surreal, mas é possível levar para o momento decisivo do campeonato, no segundo turno, e aí sim abocanhar.

Roger já mostrou ser sabedor de montar um time capaz de jogar bem e ganhar. Mesmo com erros aqui e escolhas que eu duvide, às vezes, acredito que possamos ganhar essa. Até as lesões de alguns jogadores “nos ajudaram” a colocar a equipe que melhor desempenha o futebol dentro de campo.

A continuidade tá aí, pela primeira vez em muito tempo, não podemos deixar esse bom momento em campo ser atrapalhado por picuinhas políticas externas. Que os dirigentes, conselheiros, movimentos fiquem quietos e deixem o Roger fazer o que fez ano passado e vem fazendo nesse início que teremos o que comemorar no final do ano.

Que a continuidade do futebol do Brasileirão do ano passado seja maior ainda nesse Brasileirão. Vâmo, Roger. Eu acredito em ti.

Gabriel Pinto

Participe da discussão

17 comentários

  1. sem COMENTARIOSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSSS !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! vao GASTAR toda VERBA do CONTRATO com a GLOBO == 1 BILHAO . em NABAS etccccccccccccc . # ELES NAO APRENDEM mesmo / NUNCA ne . ############ CONTINUEM BRINCANDO com o TORCEDOR ok . OREMOS .

  2. Negueba é melhor do que o Fernandinho. Pode contribuir pela puxada na velocidade. O Róger pretende utilizar muito a questão da velocidade dos atacantes. Por exemplo, Pedro Rocha e Éverton são aqueles jogadores que Róger gosta de usar para os contra-atacques, especialmente o Éverton.

    O Pedro Rocha está um pouco abaixo embora ele tem bom potencial para crescer e render mais. É irregular como jogador.

    O Éverton é bem tímido. Poderia dar mais contribuição na parte técnica. Também tem que evoluir. No jogo contra o Coritiba, jogou muito bem.

    Na base, temos jogadores com bons potenciais, apesar que dos trágicos resultados do sub 20 e o acúmulo de derrotas.

    Também é uma questão de maturidade. E cabe ao Róger conceder ou não chances ao atleta. O técnico precisa acreditar no potencial do jovem valor.

    Sobre o post, nenhum treinador está imune a críticas. Nem dirigente passa em branco de ser criticado. Róger cometeu erros e precisa melhorar como treinador em alguns aspectos.

    Teve pouca rodagem como técnico. E recebeu uma oportunidade de no clube que o formou.

    Possui um conceito de futebol que eu gosto. No entanto, penso que há necessidade de um pouco mais de objetividade. Em algumas partidas, o time roda demais a bola. E, em partidas decisivas, os jogadores ficam afoitos demais, correm e jogam errados por causa da pressão. Os adversários tiram proveito.

    A continuidade no futebol só acontece quando o desempenho da equipe é bom. Dessa forma, aposta-se na continuidade vislumbrando a possibilidade de conquistas.

    É o caso do Róger.

    O grupo vem agregando acrécimos. Uma base ficou sedimentada em 2015 e precisou ter acréscimos. E esses acréscimos não ocorreram de fora satisfatório.

    Isso se explica as eliminações.

    O Grêmio perdeu com a saída do Erazo e isso que a torcida esperava um grande zagueiro. Esperávamos laterias. Esperávamos no mínimo um definidor lá na frente. Esperávamos um meia com mais capacidade do que Douglas.

    O técnico não pode ser o único responsável, embora seja ele quem deve encontrar as soluções no grupo ou nas categorias de base.

    Estamos no início do campeonato e revés irão ocorrer. O Brasileirão é difícil, mas o Grêmio vem tendo uma certa regularidade de desempenho. Sempre esteve perto de disputar o título. E, em 2008, perdemos porque o Presidente não quis investir.

    Espero que o Romildo Bolzan não cometa o mesmo erro.

    O Grêmio poderia já contratar antes mesmo da janela, pois no período, a disputa por jogadores será maior.

    Lógico que tem a questão da possibilidade econômica. Esse início de campeonato aparenta ser promissor.

  3. Concordo e assino embaixo tudo o que disse o Cristiano Ferreira. A avaliação do trabalho do treinador está na razão direta de sua capacidade em alcançar um bom resultado com o material humano que tem em mãos. O Grêmio possui um bom elenco, em igual nível aos demais participantes do campeonato. O trabalho da comissão técnica, embora as oscilações de percurso, tem sido satisfatório e a perspectiva é de uma gradativa melhora. Se os problemas decorrentes da falta de qualidade em algumas posições fossem resolvidos no seu devido tempo, os resultados teriam sido bem mais alentadores . Ações equivocadas e tardias dos dirigentes, tem sido, na minha opinião, o maior entrave para que a equipe ainda não tenha desenvolvido todo seu potencial. Falta, ainda, trazer um jogador para a lateral esquerda, até para promover uma disputa pela posição que tem Marcelo Oliveira como titular. Acredito que com essas questões resolvidas, o treinador contará com um leque de opções para as mais variadas situações de jogo e teremos um elenco em condições de disputar títulos.

  4. Concordo com vocês e discordo do texto, nem treinador, nem direção ou jogadores são imunes a críticas. Nem nas vitórias. Um dos maiores males que inventaram no Grêmio e que coincide com o jejum de títulos é essa bobagem de apoio incondicional. É preciso saber conviver com vais, críticas e condições adversas, times vitoriosos se forjam nas dificuldades. Mares tranquilos não formam bons marinheiros.

    É preciso discernir entre a crítica válida, pertinente, construtiva, e a crítica excessiva, negativista, terra arrasada, levando em conta que a passionalidade do torcedor faz parte do futebol. Um exemplo de crítica equivocada é a do Erazo que foi dispensado por errar um lance num Grenal, tendo feito ótimas partidas e um excelente campeonato. Foi dispensado e até agora não temos um substituto. Wallace é chega sob suspeitas embora mostre ter o perfil de liderança. Enquanto isso Bressan já falhou em vários jogos, foi emprestado e dispensado pelo Flamengo, nos eliminou de duas Libertadores e segue no elenco. Esse tipo de erro de avaliação e descritério é que muitas vezes compromete toda uma campanha, pois um jogador desses pode nos eliminar ou alijar de um título devido as suas sérias limitações.

    Em posições carentes e que contam com jogadores limitados ou inseguros e que falham sob pressão, é preciso se reforçar. Investir forte e certeiro. Para cada jogador insuficiente: Marcelo Nuliveira, Hermes, Bressan, Edinho, Douglas, Bobô o ideal seria trazer alguém de mais qualidade para o lugar, principlamente nos que mais comprometem como a lateral-esquerda e zaga. Nas outras poisções considero que Roger dispõe de opções e de meninos que precisam de chances e confiança, como Kaio, Tontini, Lincoln, Tilica, Batista.

    Negueba vem e vai tirar espaço do Tilica, então não acho necessário embora jogador de velocidade seja sempre bom de se ter no elenco. O reforço é se livrar do volante Edinho. Gostaria de uma jogador de mais personalidade, sanguineo e de melhor técnica no seu lugar, tipo o Busto do Rosário. Enfim, opções sempre existem no mercado, tem de saber encontrá-las e errar pelo excesso se for o caso, nunca pela falta, pela carência, pois esse tem sido o grande da direção nesses anos perdidos.

    A janela de junho vem aí, aproveitem. Invistam. Pequem pelo excesso, não pela omissão. Ainda precisamos mais qualidade na defesa e mais personalidade e liderança nesse time, seja uma zagueiro ou um volante casca grossa. E mais qualidade na lateral esquerda. Todo o ano apontamos aqui as carências que depois se confirmam e a direção está sempre atrasada em reconhcê-las e resolvê-las. Torço para que Alberto Guerra e cia, mudam essa escrita.

  5. A maldita cbf vai nos tirar o Luan e o Wallace … Pedro Rocha, por lesão muscular, fora mais de mês … Negueba é preciso …

  6. A cbf e imprensa vermelha + Argel muito bom técnico conseguiram um ótimo começo … só não esperavam o GRÊMIO, na adversidade da tabea, sem crise …

  7. Tabela dos próximos jogos deles….
    Vitória -f
    América mg – c
    CAM – c
    Figueira – f
    Coritiba – f
    Botafogo – c

    Olhem a sequência de jogo barbada.
    É eu pensei que a FGF que era a mãezona.

  8. Dunga teria convocado Wallace. Realmente, gostaria de entender o critério desse rapaz. Convocou um jogador que nunca testou em amistosos.

  9. Dunga demolindo o Grêmio e o santos, pra ajudar as coloridas a ficarem na liderança. Mas, na hora de abraçar a primeira liga, ficamos com a noveletão das cestas básicas (by corneta do rw). é soda…

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.