Mais um jogo triste, troche sério.

Tá tão na merda que não consigo nem criar teorias mágicas que poderiam solucionar todos os problemas.

No meu último post eu defendi o Felipe Bastos, view apesar de achar que ele não é um jogador ruim, ele foi mal no jogo contra o Veranópolis. Erros de passe e tudo mais que algumas pessoas me apontaram. Faz sentido. Também faz sentido que a movimentação ofensiva é ruim, eu não vejo aquela desmarcação e movimentação para se livrar da marcação. Nos comentários muitos defenderam os jogadores jovens e eu achei isso bem interessante. Espero que vocês que comentam tenham mais razão que eu nesse quesito.

O time em campo eu vejo sem força, não sei dizer porque ele se posta desse modo, como se fosse ganhar ao natural. Não consigo nem entender da onde vem esse pensamento.

gremio_eliseu_ferreira-601217

No meio do desespero geral que se formou – e é essa a verdade, a torcida está desesperada e eu completamente entendo – muitas teorias rolam. A que mais me perturba é quem pede a volta de Kleber.

O argumento é basicamente “estamos pagando e vamos por ele para jogar” e se fosse só esse o problema, eu estaria totalmente de acordo. Mas sabemos da condição treinador X jogador e entre os dois eu fico com o técnico. Esse sou eu tomando partido, vocês não precisam concordar comigo. Entre um time com Kleber ou Luis Felipe na casamata, eu acredito que o técnico seja a melhor opção.

Kleber nunca fez grandes coisas quando vestiu a camisa do Grêmio, o “gladiador” em seu última ano vestindo a camisa do Grêmio, preferia dar bundadas nos adversário do que jogar. Não é um estilo de futebol que me atraia. Jogou pelo Vasco e não vi ninguém falando de alguma baita atuação pelo clube carioca.

Mas estamos na merda, você não vê isso!” Vejo, só não penso que o Kleber será a solução.

Aliás, o mesmo argumento do Kleber poderia ser aplicado ao Douglas, não teve uma grande atuação no vassxxxco e por isso acho que a contratação foi um erro do clube.

Estou a espera de um milagre, que o Luis Felipe arrume a equipe e que o Grêmio traga mais peças para esse ano. Sem melhores jogadores, vai ser improvável que vençamos mesmo o Gauchão. TORÇO para que eu esteja errado, que o clube surpreenda. Mas esse começo do estadual está realmente triste.

Eu que não sou religioso, estou começando a rezar para o santo expedito.

 

 

 

Publicado por Fane Webber

Minhas redes sociais. @faneinbox no Twitter. /faneinbox no Facebook. faneinbox@gmail.com é o e-mail de contato.

Participe da discussão

19 comentários

  1. so digo 1 coisa : ou a TORCIDA ( comeca a APOIAR e a CARREGAR o GREMIO denovo ) ou Z 4 denovo OK / pela 3 VEZ !!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! vamos pedir uns 2 / 3 JOGADORES PRO ATAQUE , para nos ” SALVARMOS ” E ! #################### vamos nos UNIR para SALVAR O CLUBE / denovo ! p FAVOR = TORCEDOR GREMISTA .

    1. Caraglio é jogador ruim. O Walter é melhor que ele tecnicamente. Talvez, ambos não sejam soluções. Mas o mercado está difícil.

      Está faltando alguém que entenda de futebol e que conheça o mercado.

  2. Walter não é jogador pra começar, mas combina perfeitamente com um clube amador como o Grêmio.
    Já temos o ex jogador Douglas titularíssimo, agora só falta o gordo Walter se arrastando.
    Seria o garoto propaganda ideal pra Hamburgueria, o negócio principal do clube.
    Baita jogada!!!!!

  3. Marcelo Grohe; Galhardo, Rhodolfo, Erazo e Marcelo Oliveira; Walace, Fellipe Bastos, Araújo e Douglas; Everaldo e Lucas Coelho

    mudou de novo!!!
    Joga qualquer um na esquerda menos o Junior, que melhor rendeu até agora. No meio segue a lentidão de Douglas e o “Gerson sem grife” errando lançamentos. E ainda por cima voltam os dois centroavantes, que só um treinador no mundo usa, justamente o cabeça dura Felipão.
    Ou seja, 3 volantes e velocidade zero no ataque, perfeito pra segurar um empate fora de casa, contra o perigosíssimo Passo Fundo.

  4. Que baita aproveitamento da base esse.

    Mas se criticar é secador, corneteiro, colorado ou “gremista”, segundo as brilhantes mentes que comandam o clube e seu séquito de puxadores de savo, ávidos por um carguinho ou uma informação privilegiada para seux blogs…

  5. boato de que convidaram o Cesar Pacheco pro futebol, mas (graças a uma força divina) ele disse não.
    Gestão Koff (quem continua dando as cartas no lugar do fantoche Bolzan) tá mais perdida que cusco em tiroteio!
    Agora vão atrás de Denis Abraão

  6. Várias em ritmo de finalera de carnaval e o samba do crioulo (ou seria gringo?) doido do futebol tricolor:

    – Fábio Koff voltando de Jurerê (a segunda versão é que está com problemas familiares). Seja por um motivo ou por outro, nada justifica o clube ficar a sua espera. Se está na praia, pra mim nem precisa voltar. O Bolzan que honre as suas cuecas e assuma a presidência de uma vez! Se Koff está com problemas familiares então que não assuma compromisso com o futebol, largue. Entenderemos (e agradeceremos). O que não tem justificativa é o clube sendo administrado de modo leviano, descompromissado e irresponsável. É ultrajante. Por essa e por outras só escuto gremistas dizendo que estão deixando de ser sócios. E têm razão. Se o clube for gerido de maneira minimamente séria isso não estaria acontecendo. O Grêmio é uma conjunção de demagogos e incompetentes, de gente que mentiu para estar no poder mas não tem talento ou criatividade para administrá-lo.

    – Vamos para o terceiro ano consecutivo escutando a ladainha de que Fábio Koff descerá ao vestiário ou assumirá o futebol… Oras, Koff é o maior responsável por tudo que estamos passando atualmente. O presidente está idoso e ultrapassado. Sua gestão foi a pior desde a era Obino, pior que a de Odone e ainda deixou uma herança maldita para seu sucessor Bolzan. Afora que toda essa negociação da Arena é uma história muito mal contada pelas duas gestões, tanto de Odone, quanto de Koff, ambas sem credibilidade… o primeiro nem preciso elencar os porquês… e o segundo protagonizou dois estelionatos eleitorais só pra começo de conversa. Em resumo, Koff assumir o futebol e merda é a mesma coisa, pois merda é o que mais tem se feito no Grêmio ultimamente, inclusive, na pessoa do seus homens de confiança, Felipão (o ex) e Rui “o despachante” Costa.

    – O time que o Felipão escalou contra o Passo Fundo é pior do que o que jogou contra o VEC só que mais defensivo. O treinador escalou novamente dois centroavantes: É um gênio mal-compreendido, só pode. Os garotos que são os menos culpados por tudo que está acontecendo vão sendo limados da equipe. Em compensação suas indicações medíocres tem lugar cativo na equipe: Galhardo, Marcelo Oliveira, Erazo e Douglas jogam todas e em várias funções, sempre tem um lugarzinho para eles no time. E no entanto, são justamente esses os jogadores nota 4 juntos que vem afundando o time e envergonhando o clube. No Grêmio “quanto mais incompetente melhor”, é a maneira do Felipão agradecer a sua contratação pelo Grêmio depois de rebaixar o Palmeiras e envergonhar a seleção brasileira numa Copa do Mundo em pleno Brasil, sendo premiado pela sua incompetência e prepotência.

    – No Grêmio do “quanto mais incompetente melhor” só temos piorado. Tínhamos um dos melhores senão o melhor preparador físico do Brasil, agora temos o primo do “Felipon”. Felipão odiava o Alan Ruiz mas ama o Douglas. O gringo dispensa velocistas como Fernandinho e Erik pra ficar com Paulinho Avestruz. Tem paixão pelo Ramiro mas depois de meia partida já sumiu com o Arthur. Luan ano passado era a sua substituição preferida. Esse ano o treinador apaixonou-se por Matias Rodrigues, Galhardo, Erazo, Marcelo Oliveira e Douglas, a espinha dorsal do FRACASSO. E com eles, podem anotar, irá até a sua DEMISSÃO. O prazo de validade do treinador venceu. A direção, como marido traído, é sempre última a descobrir. Foi assim com Luxa e Enderson. Tenho dito, que a soberba cega tanto as pessoas que eles não veem o quanto se repetem. São programadas pro fracasso.

    – O que tem Dona Lúcia aparecendo em alguns microblogs do Grêmio. Torcedor de direção, torcedor de treinador, é a idolatria do salvador, mais velha que a humanidade. É muita cegueira e ingenuidade. É muito sofrenildo convicto junto. Mas já os vejo como minoria, a torcida “gremista” mesmo, essa já está enxergando a realidade, apesar de alguns excessos e terras arrasadas.

    – Sobre Walter e Dagoberto, não creio que sejam solução definitiva, mas nessa draga que anda o clube, chegam e assumem a titularidade ontem. O que me espanta é que não precisa de executivo de futebol para trazer jogadores óbvios encostados ou negociáveis de grandes clube que tem mídia, cadê o conhecimento de mercado, cadê o rastreamento de talentos emergentes, cadê quem conheça o interior paulista celeiro de bons jogadores, ou que conheça o mercado paraguaio, argentino, uruguaio, chileno e colombiano, enfim porque não estamos garimpando jogadores nos moldes como vieram Wendel, Maxi, Paulão, Réver, Victor, Ruiz, Mário Fernandes, dentre tantos outros nomes que podem ser úteis (uns mais outro menos) e que apenas esperam oportunidade por aí. A falta de dinheiro não é desculpa a não ser dos incompetentes. Aliás, Felipão e Rui Costa indicando é dinheiro posto fora, como já constatamos.

    – Não vi jogar esse argentino de nome pornográfico, mas se o Cristiano Ferreira afirma que não joga nada, confio mais na avaliação dele do que nessa direção que se diz interessada e em negociação com esse rapaz.

    – Vejamos também pelo positivo a contratação do Walter (em forma seria um ótimo centroavante), teremos o garoto propaganda ideal para substituir o Gladiador da Arena, na Hamburgueria e na Paleteria. Amo muito tudo isso!

  7. Se essa direção tivesse vergonha na cara, todos renunciariam seus cargos e entregariam o bastão para oposição, já que cometeram um estelionato eleitoral.

    Cézar Pacheco??
    Denis Abraão?? (Amato, Astrada e cia??)

    Meus Deus!! O Grêmio vive primeiro de abril todos os dias…

    Agora, querem Caraglio para enfiar goela abaixo do torcedor mais um argentino ruim. E olha que tem gremistas que já querem o retorno do argentino Xuxa Maxi Lopez.

    Cadê a escola de novos dirigente prometido pelo sr. Koff??

    Eu estava esperando as inscrições abrir para me tornar do ramo. No entanto, é melhor cursar com os professores de Minas Gerais e de São Paulo, pois aqui a gente aprende um curso pós-doutorado de como não fazer no futebol.

    Acho que já me sinto um doutor em como não fazer.

    Também acho que o Ministério Público do Rio Grande do Sul deveria iniciar uma investigação mais profunda no Grêmio.

    Não é possível que a composição do Conselho Deliberativo contenha inúmeros doutores em ciências Jurídicas, grandes empresários, Contadores, políticos entre outras pessoas de diversas profissões, seja tão mal gerido.

    Mesmo aqueles que não sejam do ramo, não podem cometer tantos desatinos.

    O Grêmio teve como treinadores: Vanferlei Luxemburgo, Renato, Enderson Moreira. E o atual é Luís Felipe Scolari.

    Nenhum, que já comandou ,deu certo. E o Felipão não está dando certo.

    Entretanto, uma coincidência é que todos os abnegados são os mesmos.

    Ora, quem tem que sair não é o treinador, mas a diretoria que precisa renunciar, por desídia e por incompetência.

    Fábio Koff acusou o Luxemburgo de incompetente.

    E, agora, não tem o Luxemburgo. Quem é o incompetente agora?

    Como acreditar num vice-de-futebol que está assumindo, se é que irá assumir, em meados de fevereiro?

    Luís Felipe é vítima do sistema.

    Montou uma confraria de amigos, imitando o Rei, pois o Rei adora confraria e ações entre amigos.

    Mas o Rei deu poder absoluto ao técnico.

    Contratou o Ivo Wortmann que havia se tornado um aposentado. Deveria estar pescando. Contratou como auxiliar o Murtosa que virou uma sombra encostada no Luís Felipe. Depois que essa sombra se encostou, Felipão teve dificuldades de ganhar alguma coisa.

    Provavelmente, seja por isso que a seleção brasileira se tornou campeã em 2002. A sombra de Felipão (Murtosa) não estava encostada nele na ocasião.

    Hoje, vemos o Grêmio ser treinado por Ivo Wortamann, amigo pessoal de Felipão, enquanto o mesmo fica olhando o treino.

    Felipão demonstra uma arrogância fenomenal quando debate futebol. É um treinador que não tem mais a humildade de aprender, de fazer cursos de aperfeiçoamento, de debater com outros técnicos.

    Isso vale para o Luxemburgo, Muricy e para qualquer treinador que não busca novos conhecimentos ou agregar informações novas.

    Homero Bellini tinha razão ano passado. O Grêmio deveria ter contratado o Tite.

    A atual direção é uma corja. Abandonou o futebol e todas responsabilidade recai sobre Felipão que é um treinador ícone, um ídolo como treinador para o torcedor gremista e que está tendo sua imagem maculada.

    Mais uma pessoa que faz parte da história do clube queimada.

    O primeiro sinal de alerta foi na pré-temporada quando o time empatou em 0 a 0 contra o gramadense. O segundo sinal foi contra o Novo Hamburgo. O terceiro contra o Cascavel, time recém vindo da segunda divisão do Paranaense.

    O Grêmio precisou ser derrotado duas vezes na Arena para pretear os olhos da gateada.

    Até quem não entende de futebol, não faria tantos esforços para não dar certo.

  8. Estamos num beco “quase” sem saída. Digo “quase” porque acredito na força da torcida gremista. Só nela. Nossa força são os milhões de torcedores espalhados mundo afora, cuja insatisfação e perplexidade com o atual momento do clube são manifestadas, de forma incisiva e até agressiva, nas redes sociais e nos comentários na mídia local.
    O que transparece, diante do cenário de “esculhambação” administrativa que salta aos olhos, é que os dirigentes estão perdidos e que a ação de “fechar as torneiras”, foi a saída encontrada para minimizar os efeitos da “gastança” desenfreada e sem critério que conduziu o clube à beira da insolvência. Olhar para trás e buscar culpados não vai resolver o problema. É preciso fazer muito mais do que simplesmente estancar a sangria. É preciso uma reengenharia de comando e de métodos. A “glasnot” gremista até o momento não disse a que veio, uma vez que se ressente de uma “perestroika” que lhe dê sustentação. Quer dizer, não passa de uma ação de boas intenções sem nenhum planejamento, pelo que temos visto. Em meio a tudo isso, nota-se que o clube se ressente de cabeças pensantes e de uma mão forte, atuante e presente. Nos acostumamos com a figura de um “salvador da pátria” e ficamos desamparados na sua ausência. Desaprendemos a agir como instituição para seguir os preceitos messiânicos do gurú do momento. Estamos a ver navios e sem a perspectiva próxima de um porto seguro.
    Chegou a hora da grande torcida tricolor se manifestar com veemência. Deixar as coisas acontecerem sob o olhar complacente de “velhas” lideranças, é procurar a solução dos problemas com receitas de validade vencida. Que o Conselho saia do sua posição contemplativa e cumpra com sua finalidade estatutária de decidir sobre os limites de endividamento do clube, conforme o item XXIV do Artigo 65º do Estatuto Social. A omissão é sistêmica, pelo que se pode deduzir. Não adianta vir à público “chorar as pitangas” e pedir o apoio do torcedor quando a água está batendo no queixo. É preciso ter muita seriedade no que se faz e, acima de tudo, ter respeito para com o torcedor gremista pois, só assim, se conseguirá restabelecer a credibilidade perdida. Acreditar que sem pressão conseguiremos superar a crise, é como compartilhar do falso otimismo dos que dizem, sem nenhum constrangimento, que “o Grêmio está firme e forte e no caminho certo!”(sic).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.